Passagem livre para a gripe

0

É falho o trabalho realizado no aeroporto de Aracaju para detectar possíveis vítimas da gripe suína. Ontem à tarde, dois sergipanos vindos da Argentina desembarcaram, apanharam suas bagagens e saíram do aeroporto sem serem abordados por ninguém da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e da Infraero. Felizmente os dois, que passaram quase uma semana em Buenos Aires, não apresentam qualquer sintoma da gripe, mas o desembarque deles escancarou a fragilidade do trabalho de vigilância feito no aeroporto de Aracaju para identificar possíveis vítimas da gripe suína. Aliás, também no aeroporto do Rio de Janeiro nenhum fiscal da Anvisa abordou os dois turistas sergipanos. Como se vê, do discurso à prática existe uma distância enorme. Lastimável!

Era o que faltava

Sob novas acusações, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se disse vítima de uma “campanha midiática”. Veja bem, descobre-se uma série de irregularidades no Senado, o neto de Sarney é apanhado comandando um negócio de crédito consignado na Casa e o homem culpa a imprensa por seu inferno astral. Fosse em outros tempos, bem que ele poderia mandar calar a imprensa e, consequentemente, “acabar” a crise. Felizmente, o país respira outros ares. Qual é a sua Marimbondo de Fogo?

OAB preocupada

A crise do Senado é muito preocupante e pode afetar a democracia. A afirmação é do presidente nacional da OAB, Cezar Britto. Segundo ele, se os acusados pelas irregularidades praticadas no Senado não forem punidos, a crise poderá passar das pessoas para a instituição. Britto afirma que a situação do Senado é preocupante porque “revela para a população que ele não cumpre o seu papel, pelo menos no que tange a fiscalizar os próprios senadores”.

Bons de bolso

Os idosos são responsáveis por grande parcela da contribuição financeira nos lares brasileiros. Pesquisa divulgada pelo banco Bradesco revela que 80% das pessoas entre 55 e 73 anos afirmam sustentar as casas onde vivem contra 19% que afirmam ser sustentadas por parentes.  O fato de os idosos serem os principais provedores das famílias está mais evidente na classe C, onde 82% mantêm os lares. Na classe A o percentual é de 80% e na classe B, de 76%. A aposentadoria nas classes mais baixas é um “dinheiro certo” e “constante”, às vezes, maior que o rendimento anterior ao benefício, adquirido por meio do mercado informal.

Prazo maior

Essa interessa aos queridos mestres: o prazo para que professores e diretores de escolas públicas escolham as obras que serão usadas pelos alunos no período de 2010 a 2012 foi prorrogado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A data limite era 28 de junho, mas em função do grande número de acessos o período foi estendido até 2 de julho, próxima quinta-feira. O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) vai oferecer publicações para estudantes do 1° ao 5° ano do ensino fundamental da rede pública.

Bem avaliado

Pela segunda vez este ano o Banese recebeu avaliação positiva de uma das mais importantes agências mundiais de classificação de risco das instituições financeiras. Primeiro foi a Austin Rating, que em sua reunião de maio classificou o banco entre as instituições que apresentam “solidez financeira boa” e risco de crédito “muito baixo”. Agora foi a vez da Moody”s Investors Service, que acaba de divulgar em Nova Iorque (EUA) elogiando o nosso banco. A Moody”s ressalta que o Banese é “competitivo regionalmente”, mantendo negócios “amplamente atrelados à economia sergipana”. Legal!

Denúncia grave

Empresários da construção civil que chantageiam o governo e paralisam obras com o objetivo de aumentar o valor do contrato de serviço foram alvo do discurso do líder do governo na Assembléia, deputado Francisco Gualberto (PT). Segundo ele, é notório que determinados empresários colocam o preço lá embaixo para começar a obra, depois pedem um aditivo, que está na lei, mas logo depois pedem outro e mais outro. “Isso é chantagem ao Estado para se apropriar do dinheiro público em volume que seja do seu interesse”, acusou Gualberto.

Mudança de foco

Apesar da crise, o mercado imobiliário continua investindo em empreendimentos diferenciados, focados em novos públicos. As famílias de classe D, por exemplo, estão em franca ascensão e muitas delas passam a figurar na classe C e começam a investir no tão almejado sonho da casa própria. Segundo estudo do Sebrae, com maior acesso às linhas de crédito, desenvolvem-se novos comportamentos de consumo e aspirações mais ambiciosas, especialmente no que diz respeito à classe C. Com isso, surgem também novas oportunidades de negócios com práticas e tecnologias diferenciadas.

Em busca do acordo

O secretário estadual da Fazenda, João Andrade, recebeu ontem, os representantes do Sindifisco e do Sindat para discutir as reivindicações salariais da categoria como a produtividade variável e a incorporação de verbas remuneratórias. Na conversa com os representantes dos dois sindicatos, Andrade vislumbrou a busca de alternativas para o fortalecimento da relação entre as partes, convidando o Sindifisco e o Sindat a participarem da formulação das metas de arrecadação para o 3º trimestre de 2009.

Música de luto

A música está enlutada com a morte do cantor Michael Jackson. Ele faleceu ontem, aos 50 anos, após sofrer parada cardíaca em sua casa, em Los Angeles. Ele começou a carreira profissional aos 11 anos, como vocalista do grupo Jackson 5, formado pelos irmãos. Em 1982, lançou Thriller, o disco mais vendido de todos os tempos, com 120 milhões de cópias comercializadas. A letra de Thriller, aliás, é a luta da vida contra a morte. Vejam essa estrofe: Criaturas da noite chamam/ E os mortos começam a andar/ Em seus disfarces/ Não há escapatória/ Das presas desse alien dessa vez/ Esse é o final da sua vida!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais