PDT QUER PSDB

0

O Partido Democrata Trabalhista (PDT), que tem à frente em Sergipe o atuante deputado federal João Fontes, surpreendeu ontem os membros do PSDB que tinham reunião marcada para o final da tarde. Dois dos principais membros pedetistas foram ao ninho tucano e conversaram sobre composição com o ex-governador Albano Franco e o presidente regional do PSDB, deputado federal Bosco Costa: “para nós foi uma grande e agradável surpresa”, revelou Albano Franco. E não poderia ser diferente, afinal estiveram com os tucanos o pré-candidato a governador pelo PDT, ex-vereador Antônio Samarone, e o candidato a deputado estadual, vereador Fábio Henrique. Os dois conversaram com João Fontes antes do encontro e foram autorizados a iniciar o diálogo. Fontes não compareceu porque está se recuperando de uma pequena cirurgia.

De Divina Pastora, em visita a amigos, o vereador Fábio Henrique revelou o tom da conversa. O PDT sugeriu que se o PSDB estiver pensando em sair sozinho ou formar uma terceira via em Sergipe, o partido está disposto a formar uma aliança, onde seria discutido o candidato majoritário e coligação proporcional. Segundo Fábio Henrique, uma composição seria interessante em razão da dificuldade que os tucanos estão encontrando para se unir ao Partido dos Trabalhadores ou ao PFL. Albano e Bosco ficaram visivelmente animados e consideraram a primeira conversa um passo para outras que deverão ocorrer, com a participação do deputado federal João Fontes.

A reunião do Diretório Estadual do PSDB continuou depois da conversa com os membros do PDT. O governador Albano Franco fez um relato do que aconteceu em Brasília, através de conversas com os presidente do PSDB e PFL, senadores Tasso Jereissati e Jorge Bornhausen, respectivamente. No encontro também estavam o pré-candidato a presidente Geraldo Alckmin e o coordenador de campanha, senador Sérgio Guerra. Houve um apelo de todos para uma coligação pacífica, e Albano relatou o nível de relacionamento em Sergipe, lembrando que o PFL trata mal seu grupo político, enquanto o PT lhe estende o tapete vermelho. Na reunião de ontem, segundo o ex-governador, a maioria dos seus aliados – o grupo de parlamentares – defende uma aliança branca com o PT, mas encontram dificuldades na questão proporcional.

O que os candidatos a deputado falam é sobre a formação de um chapão que possibilite a eleição tranqüila, inclusive do próprio Bosco Costa que deseja a reeleição. Durante a reunião foram feitos cálculos aritméticos para se encontrar um quociente eleitoral, capaz de fazer uma boa representação. Os proporcionais sabem que uma coligação com o PT favorece apenas aos majoritários, o que não seria interessante para a legenda, que correria o risco de ficar fora da Assembléia e da Câmara Federal. Há informação confiável de que está agendado um encontro entre Albano Franco e João Alves Filho para segunda-feira, mas o ex-governador disse que desconhecia e até falou que se trata de início de Semana Santa e que é momento de reflexão, dando uma conotação de que as decisões serão tomadas depois do domingo de Páscoa.

Na realidade o PSDB precisa refletir bem sobre a posição que deve adotar, para evitar que um ou outro personagem importante fique prejudicado. É um momento de certa apreensão. Tanto pela verticalização, quanto pela rejeição de setores do PT e forma de tratamento do PFL, embora tenha se registrado uma melhora nos últimos dias. Ontem, o pré-candidato a governador Marcelo Déda disse que nos últimos três meses teve um único encontro com Albano Franco: “não quero pressioná-lo”. O assunto vem sendo tratado pelo senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Os dois se encontram com freqüência e falam de composição, mesmo que três segmentos do PT rejeitem de forma peremptória. O PSDB se mantém unido em torno de uma decisão do ex-governador Albano Franco, mas os candidatos proporcionais querem que sejam bem definidas as dificuldades que eles terão, se não fecharem um chapão. O que será impossível com uma coligação com o PT.

 

 

AGENDADO

Já está agendada para esta semana, entre segunda e quarta-feira, uma conversa formal e definitiva entre João Alves Filho (PFL) e Albano Franco (PSDB).

O local não foi revelado por nenhum dos dois, mas é absolutamente certo o encontro. O ex-governador Albano Franco vinha defendendo que já era tempo de abrir o diálogo.

 

CAFÉ

Este será o segundo encontro que acontecerá entre o ex-governador Albano Franco e o governador João Alves Filho.

O primeiro ocorreu em um hotel no Rio de Janeiro. Os dois tomaram café da manhã e trataram sobre composição.

 

CHAPÃO

Não interessa aos candidatos a deputado – estadual e federal – do PSDB, uma composição com o PT sem que seja feito um chapão proporcional.

É que em razão da questão nacional e o uso de uma coligação branca, os únicos beneficiados são os candidatos majoritários.

 

PREOCUPAÇÃO

Essa é uma das principais preocupações do ex-governador Albano Franco (PSDB) que ainda não definiu uma aliança em Sergipe.

O pessoal que precisa disputar a Assembléia Legislativa e a Câmara Federal terá dificuldade em sair sozinho para a disputa.

 

DANIEL

O empresário do cantor Daniel enviou recibo do show que fez em Aracaju na quinta-feira (30), na inauguração do projeto Coroa do Meio.

O valor do recibo é de R$ 112 mil, acrescido de hotel e passagens aéreas. A Prefeitura teria pagado R$ 270 mil.

 

FÁBIO

Da mesma forma, o empresário do cantor-compositor Fábio Júnior ainda está enviando o recibo do show, no valor de R$ 60 mil, além de passagens e hospedagem.

O dinheiro que teria sido pago pela Secretaria da Saúde foi de R$ 150 mil ao empresário “Zé da Fumaça”, de Simão Dias.

 

DÉDA

O ex-prefeito Marcelo Déda (PT) concorda que o cachê de Daniel tenha sido R$ 112 mil, mas todo o espetáculo foi o que a Prefeitura apresentou.

“Foram 40 pessoas com passagem e hospedagem, além do transporte do material para o espetáculo e diárias dos músicos. É preciso que se compatibilize isso”, disse.

 

ELEIÇÃO

Marcelo Déda diz que tudo isso “é a velha e boa eleição”, lembrando que fez shows do mesmo porte, mas ninguém questionou.

Lembrou que um show de João Bosco e o violão é cobrado apenas o cantor, “mas para trazer Roberto Carlos é R$ 500 mil entre cachê, músicos, técnicos e passagens”.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) considerou que os “R$ 1 milhão gastos com shows dariam para construir mil casas populares de dois quartos”.

Revelou que a CEF tem um programa para cidades acima de 100 mil habitantes. Casas populares a Caixa subsidia R$ 12 mil.

 

DIMENSÃO

Para dimensionar o que equivale a construção de mil casas, José Carlos Machado, que é engenheiro, diz que é superior ao Médici I e Médici II.

“Ninguém tenha dúvida que para a comunidade carente, mil casas é muito mais importante do que mil minutos de música”, disse.

 

VALADARES

O senador Antônio (PSB) aniversariou quinta-feira. Os amigos e aliados Jackson Barreto, Marcelo Déda e Edvaldo Nogueira o prestigiaram com um almoço.

O encontro serviu para que o ex-prefeito Marcelo Déda percebesse que “o deputado Jackson Barreto e o senador Valadares nunca se entenderam tão bem”.

 

EXCLUSIVISMO

Representantes de várias legendas informaram diretamente a Lula que não devem se coligar formalmente à sua candidatura à reeleição.

Apresentam duas razões principais: o exclusivismo do PT nos Estados e a decisão do STF de manter de pé em 2006 a regra da verticalização.

 

PRECATÓRIO

O TRT considerou “forçoso” destacar que parte significativa dos municípios sergipanos conseguiu saldar débitos judiciais e não possuem precatórios pendentes de pagamento.

A palavra “forçoso” não pegou bem, já que o pagamento dos precatórios deveria ser exaltado. De qualquer forma a notícia não deixa de ser boa.

 

 

Notas

 

LULA VETA

Alegando “contrariedade ao interesse público”, o presidente Lula da Silva vetou integralmente um projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional que cria a inscrição gratuita do Cadastro das Pessoas Físicas (CPF). Considerou que a Receita Federal teria dificuldades para isso.

O veto considera que isso traria prejuízos irreparáveis às demais atividades da Receita Federal, como “combate à sonegação fiscal e ao contrabando, além de transtornos aos próprios contribuintes”.

 

ANÔNIMAS

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou projeto de lei que proíbe chamadas telefônicas anônimas. A proposta obriga a pessoa que optar pela não-divulgação de número, ao discar para aparelhos com bina, a cadastrar na operadora o nome pelo qual deverá ser identificada ao realizar chamadas.

A relatora da proposta, deputada Selma Schons (PT-PR), destacou que uma das vantagens da medida é inibir as ligações indesejáveis e os trotes, que afetam inclusive os serviços públicos de segurança e saúde.

 

PATROCÍNIO

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara Federal aprovou  Proposta de Fiscalização e Controle (PFC) de auditoria nas verbas de patrocínios da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil desde 2001, a ser realizada pelo Tribunal de Contas da União e pela Controladoria Geral da União.

A investigação foi proposta pelo deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que diz haver indícios de irregularidades e desvios de finalidades na utilização dos recursos públicos através destes patrocínios.

 

 

É fogo

 

O número de deputados acusados de receber recursos ilegais das contas do empresário Marcos Valério pode subir nos próximos meses se depender do Ministério Público Federal.

 

Em grave crise financeira, a Varig continua a perder mercado para suas principais concorrentes tanto em vôos nacionais quanto internacionais.

 

No mercado internacional, apesar de continuar líder, a Varig definhou. Sua participação agora caiu para 69,90%, contra 79% em março de 2005 e 71,49% em fevereiro.

 

As dificuldades da Varig levaram a empresa a reduzir a frota de aviões e a oferta de assentos, abrindo espaço para o crescimento de seus concorrentes no mercado interno.

 

O deputado Belivaldo Chagas (PSB) cobrou mais uma vez a presença do diretor do DER, Edson Leal, na Assembléia Legislativa.

 

O deputado Antônio dos Santos (PSC) defende que os parlamentares de Sergipe façam uma mobilização em Brasília contra a posição do Governo Federal em não liberar certidões.

 

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), esteve em Brasília, ao lado do ex-prefeito Marcelo Déda, para contatos nos Ministérios.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) está pedindo mais reflexão neste momento em que se aproxima a Semana Santa.

 

Dentro de mais alguns meses será utilizada, em todo o país, a nova Carteira Nacional de Habilitação, aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

Pesquisa mostra que a maioria dos vereadores não tem conhecimento do que pode ou não fazer pelos seus municípios.

 

Segundo a mesma pesquisa, muitos vereadores prometem em campanha coisas que são de responsabilidade dos senadores e até do presidente da República.

 

O prefeito Marcelo Déda diz que está muito satisfeitos com algumas pesquisas realizadas para consumo interno.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais