Pela privatização da rachadinha

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.


Um texto com muita leveza e bom humor para os dias conturbados do Brasil. De Claudia Tajes, escritora e roteirista, tem 11 livros publicados, ontem, 28, na Folha de São Paulo:

Decidi virar empresária. Não pequena empresária, dona de confecção na sala de casa ou de uma confeitaria na minha cozinha. Serei grande, como alguns dos mais bem-sucedidos exemplos desses nossos tempos. Uma véia da Havan.

Mas atenção: usarei o método Magazine Luiza, que abriu vagas exclusivamente para trainees pretos e causou uma gritaria nas redes sociais. Racismo reverso, disseram os militantes da causa branca. Desculpe, mas a nós, brancos ofendidos, ainda sobra muito antes que se possa falar em racismo.

Voltando ao processo seletivo da minha empresa. Tal qual a Magalu, só aceitarei um tipo de quadro. Quem não atender ao requisito, não precisa nem enviar currículo. Meu negócio vai contratar apenas ex-assessores da família Bolsonaro, escudeiros fiéis que dão o sangue por seus empregadores.

E dão até o dinheiro que nem têm. Farei isso para acumular capital, que hoje não possuo. Todo mundo sabe que não é fácil ser um grande empresário. O presidente já disse que é horrível ser patrão no Brasil. O véio da Havan é obrigado a sonegar impostos para manter seu império. É mole?

Não haverá distinção entre mulheres e homens. Não discriminarei cor de pele. Pessoas gordas ou magras. Héteros ou LGBTQIA+. Todos os ex-funcionários dos Bolsonaros serão admitidos, desde que me repassem parte de seus salários a cada fim de mês. Com uma medida simples dessas, um deputado já comprou mais de 19 imóveis com dinheiro vivo.

Se funciona na vida pública, por que não privatizar a rachadinha?

Quando eu não puder pagar a prestação do meu apartamento, quero a paz de estar em um churrasco com o PM que me presta serviços informais, e ele quebrar essa para mim. Não confio em aplicativo de banco e só falta ter que ir à agência bem na hora da picanha.

Funcionários dos meus parentes que me adiantem uns R$ 250 mil em espécie para as despesas mais urgentes serão homenageados na nossa festa de fim de ano. É desejável, também, que alguém pague as mensalidades da escola e do plano de saúde da minha filharada.

Tudo muito simples, mas talvez eu precise de um bom gerente para organizar o fluxograma. Alguém sabe se o Queiroz está no LinkedIn?




A famosa rachadinha se expandiu para o Fundo Partidário? E nos bastidores da política de Sergipe, um candidato a vereador estaria negociando uma delação premiada com uma autoridade federal? Perguntar não ofende. Além de retirar a candidatura, ele está abrindo o jogo: prometeram 150 mil, ficariam com X. E até agora nada. Pode arrastar muita gente…

Conjunto Orlando Dantas, Aracaju: morador cobra pintura das faixas de pedestres E-mail recebido: “Sou morador do Conjunto Orlando Dantas e gostaria de relatar uma situação: a avenida principal do conjunto, popularmente conhecida como Gasoduto, recebeu serviços de recapeamento asfáltico há alguns meses, piso novo, motoristas apressados. A SMTT fez a pintura das faixas de veículos, porém até essa data, pasmem, não pintou as Faixas de Pedestres. A avenida possui 1.300 metros de extensão com 2 pistas, área residencial e comercial em ambos os lados da avenida, porém é difícil fazer a travessia de forma segura. Na semana passada a SMTT realizou diversas atividades alusivas à Semana Nacional de Trânsito, e aqui estamos esperando a boa vontade daquela instituição para oferecer um trânsito seguro para os moradores e pedestres do Conjunto Orlando Dantas.”

Lagarto: Justiça Eleitoral proíbe Hilda e Valmir de Carminho de distribuírem camisas, bonés e máscaras. E multa por propaganda eleitoral antecipada  Com base em informações repassadas pelas redes sociais nos últimos dias, onde a chapa Hilda e Valmir de Carminho vem distribuindo brindes como bonés, blusas, brindes com número e foto de candidata que será utilizada nas urnas e com a escrita, “vou com ela”, a Justiça Eleitoral concedeu liminar para impedir novas distribuições de brindes, camisetas, bonés, máscaras contendo cores, slogans ou número dos partidos. E, no mérito, pelo reconhecimento de propaganda eleitoral antecipada com o pagamento de multa..

Aglomeração desrespeitando as normas sanitárias Na sentença, o juiz ainda alertou que pelos “documentos apresentados, ao que tudo indica, verifica-se que os representados se reuniram juntamente com populares, mais de uma vez, em sua grande maioria utilizando-se de blusas padronizadas, bonés com cores do partido e máscara, não tendo,inclusive, respeitado as normas de segurança sanitária e decreto governamental de não aglomeração. Razoável a alegação de que não seria manifestação espontânea em razão do grande número de exemplares e identidade de conteúdo e notadamente por que de conhecimento dos interessados, já que participaram do encontro. Código Eleitoral, arts. 222 e 237. – Lei no 9.504/97, arts. 39, § 6o e 41-A.- Res. TSE no 23.610/2019, art. 18, caput e parágrafo único.“

Itabaiana: gestão eficiente gerando recursos em dias atrai grandes empresas. Nova loja das Casas Bahia Uma cidade em que a economia se desenvolve acima da média do País não ficaria sem chamar a atenção das grandes empresas brasileiras. Esse é o caso de Itabaiana. Um dos mais fortes e desenvolvidos municípios sergipanos, a cidade serrana se destaca pelo forte comércio. E após a chegada da Magalu, mais um gigante do ramo de móveis e de eletroeletrônicos está em vias de aportar na cidade: as Casas Bahia.

Grandes empresas “Durante nossa gestão, tivemos a chegada de grandes empresas de porte nacional e passamos a ser a única cidade no interior com duas agências da Caixa, do Banco de Brasil e do Banco do Nordeste. Isso não se deu por mero acaso. É que as empresas e instituições financeiras apostam em cidades que estão dando certo. A chegada das Casas Bahia é mais um movimento nesse sentido”, destacou o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL).

Equipe E para concretizar a chegada da empresa na cidade, na semana passada, dias 23 e 25 de setembro, uma equipe das Casas Bahia esteve na cidade realizando entrevistas com candidatos a um dos 24 cargos que a empresa necessita ocupar já desde o início de seu funcionamento, dentre eles Operador de Caixa, Vendedor e também Serviços Gerais. Para realizar essa seleção, Romeu Fraga, gerente regional, e Rita Almeida, coordenadora da regional das Casas Bahia, estiveram pessoalmente no Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT), na secretaria de Desenvolvimento Social, com o apoio do Programa Acessuas, e realizaram cerca de 100 entrevistas.

Apoio “Demos total apoio, seja locacional, seja nas informações e acesso aos currículos previamente cadastrados. Tudo o que estiver ao nosso alcance nós faremos, afinal é mais uma empresa que chega na cidade e garante emprego para nosso povo”, disse a secretária de Desenvolvimento Social, Hosana Costa. Com a chegada das Casas Bahia em Itabaiana, cuja loja será no centro da cidade, em local ainda não revelado pela empresa, ela passará a contar com lojas na capital (Centro, Shopping Jardins e Riomar), Nossa Senhora do Socorro (Shopping Prêmio), Lagarto e Tobias Barreto.

Valorização Para o prefeito, mais uma razão para celebrar a política pública de valorização dos servidores que vem sendo implementada pela sua gestão. “E de pensar que houve um tempo, antes de nossa gestão, em que alguns comerciantes colocavam cartazes em suas lojas dizendo que não vendiam para servidores da prefeitura e que, hoje, injetamos, mês a mês, mais de R$ 10 milhões na economia de Itabaiana, dentro do mês trabalhado, e até antecipando o pagamento, como é o caso dos professores. Esse tipo de postura da administração pública faz toda a diferença, pois imagina se uma empresa do porte de uma Casas Bahia iria querer se instalar numa cidade em que os servidores não recebessem os salários? É claro que não!”, finalizou o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho.


PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018
                                                                                                                                                                   

 

Orgulho na Sefaz E na Secretaria de Estado da Fazenda, os servidores efetivos comemoraram a aprovação em 2º lugar no Enem, para o curso Serviço Social na UFS, da funcionária terceirizada da empresa Niltek, Maria Florentina Torquato, a Flora, que é atendente na Gerência de Administração e Finanças – Gerdaf. “É mais um orgulho para a Sefaz”, foi o pôster divulgado nas redes sociais comemorando a vitória de Flora.


                                                                                                                                                             

Do Externato São Francisco: estamos com um livro lançamento, do psicólogo e escritor @custodiodoria, que fala sobre um diálogo esclarecedor sobre ansiedade, depressão e comportamento suicida, é um valor justo onde uma parte será destinada para a instituição e uma outra parte destinada somente para a gráfica que foi montado o livro.O livro custará, 30,00. E você encontrará aqui no @externatosaofrancisco_oficial logo na recepção. Av. Edélzio Vieira de Melo, 585, Bairro Suíssa, na Cidade de Aracaju-SE.





EVENTOS ONLINE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO


Hoje, 29, e amanhã, 30, às 19h:Setembro Azul; Comemoração, Conscientização e Promoção da Visibilidade da Comunidade Surda Hoje, 29, e amanhã, 30, será realizado o Webnário Setembro Azul; Comemoração, Conscientização e Promoção da Visibilidade da Comunidade Surda a partir das 19h com transmissão ao vivo no Facebook da OAB Sergipe: https://www.facebook.com/OABSergipe/?ref=br_rs Evento de realização da OAB/SE através da Comissão de Acessibilidade e dos direitos da pessoa com deficiência em parceria com a Campanha Nacional Oficializa Libras no Brasil. Libras e traduções durante o evento por Alisson Farias e Marcelo Calumbi.
Nesta terça: A história da pessoa surda, do Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES e a formação educacional da pessoa surda, com Solange Rocha e Ana Regina Campello; Diversidade, pluralidade e humanidade, identidade, cultura e orgulho surdo com Breno Neves e Alexandre Ohkawa; A importância da tecnologia assistiva no meio virtual, com Hugo Maya; e Tradutores e intérpretes da língua brasileira de sinais – LIBRAS: A acessibilidade entre o trabalho e a solidariedade, com Dra.Alzenira; São os temas do primeiro dia de evento.Já na quarta-feira, A ideia legislativa oficialização da língua brasileira de sinais – LIBRAS no Brasil: Aspectos teóricos e práticos, com Alessandro Vieira e Kamila Gouveia; Wikilibras e as ações da secretaria nacional dos direitos das pessoas com deficiência em face das pessoas surdas, com Priscilla Gaspar; Pulseira da conscientização: Adolescente realiza na escola campanha de conscientização em homenagem ao dia do surdo, com Hannah Julia; Musilibras: A experiência da música para surdos e o som na pele, com Irton Silva; Slam do corpo: Cultura, liberdade expressão e poesia, com Catharine Moreira.


Hoje, 29/09, às 19h Webinar “Manejo de matrizes ovinas e caprinas para uma boa gestação” Inscreva-se já! É gratuito! A caprinocultura e a ovinocultura são atividades que desempenham importante função socioeconômica para todos os envolvidos nessa cadeia, desde o produtor até o consumidor final. O adequado manejo sanitário, nutricional e reprodutivo dos animais é fator fundamental para garantir a qualidade da produção.⠀Participe hoje, 29, às 19h, do webinar “Manejo de matrizes ovinas e caprinas para uma boa gestação”, e entenda melhor sobre o tema. Inscrição aqui. Transmissão no Youtube do Sebrae Sergipe: https://www.youtube.com/watch?v=OuOFs7K31Xw


Amanhã, 30, às 10h30, Webinário Programa Águas de Sergipe. Um Case de Sucesso Será realizado amanhã, 30, pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), através da Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SERHMA) no canal do YouTube da Sedurbs às 10h30. Durante o Webinário serão abordados os casos de sucesso dos programas de Governo no âmbito da SERHMA. A pretensão é que, cada mês, seja realizado um webinário sobre os programas: Águas de Sergipe, Água Doce, Segurança das Barragens e Resíduos sólidos. O primeiro deles será o do Programa Águas de Sergipe, onde serão abordados as ações do programa relevantes para o Estado. Para participar, basta acessar o canal da Sedurbs pelo YouTube.
https://www.youtube.com/channel/UC3U8mdktky2yz2-ORSdhcnQ/featured

PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK


120 anos de Orlando Dantas Por Paulo Roberto Dantas Brandão

Orlando Dantas foi uma figura diferente. Vindo de uma família conservadora, de Senhores de Engenho, ousou romper suas tradições, mas de forma suave. Algo assim como um revolucionário que pensou mudanças tranqüilas.

Nasceu em 1900, no dia 28 de setembro, há exatos 120 anos. Sua mãe, D. Nenem (Adelina Vieira Dantas) vinha do pequeno Engenho Porto dos Barcos, e seu pai, Manoel Dantas, do aristocrático Engenho Vassouras. O avô paterno, o Comendador Francisco Correia Dantas era, na segunda metade do século XIX uma das pessoas mais ricas no Estado.

O ambiente em Sergipe, mesmo entre a aristocracia açucareira não era de cultura, de discussões. Aí Orlando começa a inovar: Ousa ser um intelectual, lê de tudo, a começar pelos clássicos, escreve, indo de crônicas singelas a textos mais elaborados, colaborando com jornais da terra. Acho que essa é sua primeira ruptura com as tradições locais.

Aos 18 anos seu padrinho, José Luis de Coelho e Campos, Senador e depois Ministro do Supremo Tribunal Federal morre, sem deixar herdeiros. No seu testamento deixa 18 contos de reis para o jovem Orlando. Não sei quanto é isso hoje, mas a crônica familiar diz que estourou os 18 contos em viagens a estações de água, para onde iam os ricos e famosos. Deve ter sido bom, porque no final da década de 70, já quase octogenário, lembro que uma ex-namorada desta época telefonou, para saber dele. A saudade deveria ter apertado. E a outrora jovem casadoira, então uma provecta senhora, provinha de família paulista quatrocentona. Obviamente D. Dulce morreu de ciúmes.

Depois de suas aventuras, e acho que já sem um tostão da herança, foi estudar engenharia no Rio de Janeiro. Ao final do 2º ano viu que aquela não era muito a sua praia. Fez um curso livre de sociologia e veio embora para Sergipe. Aqui, afinal, ele era amigo do rei.

Seu pai, Manoel Dantas já era um dos políticos mais importantes do pequeno Estado. Orlando, considerando um cara bonito, porém, preteriu as jovens abastadas, ligadas a alguma família de donos de engenho e casa-se com Dulce Menezes, uma pobre menina morena e bonita, de riso largo, sem nenhuma tradição familiar, e que foi sua companheira de toda vida. Certamente uma segunda ruptura.

Em Sergipe foi diretor de banco, empresário, mas seu pai o queria na direção do Engenho Vassouras, que estava sendo transformado em Usina, com equipamentos importados da Holanda e da Alemanha. Orlando transforma-se num empresário do açúcar, ousado, inovador, uma terceira ruptura num ambiente onde os usineiros tendiam a ser tímidos e defensivos. Foi empresário do açúcar durante toda a vida. Há diversos exemplos de sua atuação destemida: vendo que o alto custo fixo das usinas era um problema para as pequenas unidades de Sergipe, colocou suas idéias num livro “O problema Açucareiro de Sergipe”, de 1944, onde propôs que as usinas fossem reunidas em unidades centrais, por região, em tamanho suficiente para suportar os tais custos fixos. Cada usineiro seria sócio da empresa que detinha a fábrica, e forneceria suas canas. Seus colegas donos de usinas não entenderam a proposta. A vaidade de ser dono de usina os impediu de ver o que viria. Todos fecharam.

Vendo que os demais usineiros não entendiam suas propostas, e percebendo que em Divina Pastora não teria espaço para crescer a Usina Vassouras, muda-a em 1949 para Capela. E na década de 70 inicia a plantação de cana em taboleiros da região de Capela a N.S. das Dores, terras até então inaproveitáveis. Em 1979 inaugura a primeira destilaria de álcool do Estado. Fora sem dúvida um empresário inovador, no sentido schumpteriano.

Seu pai o queria empresário. E nisso ele seguiu a tradição familiar. Mas na política, Manoel Dantas queria outros rumos. Treinava outros sucessores. Orlando, porém, também tinha pretensões políticas. E segue na política por conta própria. Começou de baixo, na década de 30 como Prefeito de Divina Pastora, renunciando ao cargo com o golpe do Estado Novo. Não houve muitos com tal postura. Com a redemocratização do país em 1945, entra na Esquerda Democrática, elege-se deputado estadual constituinte. Depois, já pelo Partido Socialista Brasileiro, elege-se Deputado Federal, numa legislatura profícua, destacando-se na defesa da criação da Petrobrás. Sem dúvida, ingressar em partidos que estavam longo das tradicionais agremiações políticas pode ser considerada uma nova ruptura com as tradições locais.

Volta a Sergipe, funda o jornal Gazeta Socialista, depois Gazeta de Sergipe, e destaca-se como a maior figura do jornalismo em Sergipe. Sem ocupar mais cargos públicos, foi uma das figuras mais influentes até a sua morte, em 09 de abril de 1982, sugestivamente, uma Sexta-Feira da Paixão.

Naquele dia, o seu jornal em primeira página dizia: “Há homens ante os quais na vida e na morte ninguém fica indiferente, Orlando Dantas foi um deles.”. Discursando no seu sepultamento, Cabral Machado o comparou a Richard Neville, o Conde de Warwick, que foi a figura mais influente da Inglaterra no século XV, e cognominado “O Fazedor de Reis”.

De Orlando Dantas tenho a honra de ser seu neto.


Mais textos de Paulo Roberto Dantas Brandão:https://www.facebook.com/pauloroberto.dantasbrandao


PELO TWITTER

www.twitter.com/minc_rj É assustador o controle que os donos das Redes Sociais têm sobre nossas vidas! O desafio é o de ampliar e democratizar a troca de mensagens e informações sem transformar nossos gostos e opiniões em mercadoria!

 

www.twitter.com/ffariajr A prefeitura inova com a obra de mobilidade e entrega também à população o sistema de represamento de águas. Uma vergonha e mostra absurdamente erro de projeto. Aonde está o escoamento das águas? Quem fiscaliza isso?

www.twitter.com/braynerrE agora? Ministério Publico denuncia Flávio Bolsonaro e Queiroz, por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, formação de organização criminosas e peculato. Tem ‘rachadinha’ que dá nisso…

www.twitter.com/frednavarroO governo quer retirar dinheiro do Fundeb para colocar no novo Bolsa Família. Deve fazer isso rápido, antes que a oposição descubra que isto é pedalada fiscal. Se souber, vai atrasar tudo brigando para liderar o impeachment.



Siga Blog Cláudio Nunes:

Instragram

 Facebook

 Twitter



Frase do Dia
“A experiência é um troféu composto por todas as armas que nos feriram.” Marco Aurélio.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários