Pense Grande

0

Recebi o seguinte e-mail:

“Sr. Domingos tenho acompanhado o que o senhor escreve, gosto muito e quero lhe fazer uma pergunta, não leve a mal, sei que o senhor pode até não querer me responder A pergunta é a seguinte qual é o caminho para o sucesso? Eu sou pobre tenho 22 anos, terminei os meus estudos e não quero mais continuar o que mais quero é ter o meu negócio, já tentei colocar um lan hause, na sala da casa dos meus pais juntamente com o meu primo mais a sociedade não deu certo no mesmo local coloquei uma lanchonete e também não deu certo porque eu não tinha dinheiro para tocar O que devo fazer?” Se o senhor puder me ajudar eu agradeço. (sic)        Junior

Como sei que este é um dos principais problemas que atingem a nossa juventude peço permissão para publicar, aqui, a resposta, já enviada, por e-mail, àquele jovem, conforme abaixo transcrito:

Amigo Júnior, eu tentarei responder à sua indagação. Só para seu conforto devo dizer que, infelizmente, você não é o único a se encontrar nesta situação, muitos, até mesmo mais preparados, sofrem deste mal, que, convenhamos, não é novo, nem culpa de ninguém. Como também, não é motivo suficiente para desmotivar novas empreitadas. Você está começando, acertos e erros são naturais e, de certa forma, até saudáveis. Com os erros a gente não perde, a gente APRENDE.

Na sua carta pude perceber que você diz ter “terminado os estudos, mas não quer mais continuar”. Desculpe, não entendi. O que você chama “terminar os estudos” é, na verdade o quê? Terminou o segundo grau? É isso? Se for, eu devo dizer que a conclusão do segundo grau em vez de representar o término dos estudos de uma pessoa, significa, na verdade, o início. É a partir daí que efetivamente começa e, normalmente, nunca termina, estuda-se por toda a vida, pois sempre temos o que aprender.

Você alega também que já tentou duas vezes e que estas empreitadas não resultaram boas por dois motivos: o primeiro por ser uma sociedade, e o segundo, por faltar dinheiro. Estas tentativas, bem como, esta consulta, por mais paradoxal que possam parecer, foram boas, pois demonstram que você quer fazer, quer construir, quer crescer. No entanto, não há referências na sua missiva se houve ou não nessas duas tentativas, além da problemática da sociedade com seu primo e da falta de recurso financeiro, algum dos matadores de qualquer iniciativa, que são: negligência, preguiça, falta de persistência e de comprometimento etc… Vou imaginar que tudo se deu dentro do normal. Quer dizer, que não houve nada disso, mas infelizmente, mesmo assim, não deu certo.

Se assim foi, devo parabenizá-lo, e afirmar que você tem o essencial, você tem a vontade, o desejo, você quer. Aliás, pelo visto, você até já sabe o que quer e o que não quer. Você não quer mais estudar, o que é lamentável. Mas, você quer ter o seu negócio, isto é muito bom.

Então a dica é:

1. PENSE GRANDE, COMECE PEQUENO E CRESÇA SEMPRE.

Percebeu?

PENSE GRANDE, imagine a empresa de seus sonhos,  sinta-a como ela já existindo, vislumbre o prédio, a fachada, o nome, os empregados, as mercadorias expostas, a limpeza… Tudo. Faça de conta que ela já exista mesmo, se você puder, registre em seu diário, desenhe a fachada, coloque cores, símbolos e formas. Crie tudo como se fosse real, dê vida a sua empresa, materialize a idéia e deixa-a sempre em locais que você possa ver a todo instante. Faça a você mesmo, o  seguinte juramento: “eu juro para mim mesmo que motivo nenhum demoverá a minha idéia, eu vou conseguir”.

COMECE PEQUENO, não há outro jeito, inicie logo, se você demorar o sonho pode esmaecer. Comece hoje, inicie onde você está e com o que você tem. O planejamento já faz parte do processo. Crie condições favoráveis, estude tudo relacionado a seu sonho, visite e conheça negócios iguais ao que você quer, converse com as pessoas, investigue onde, como, quando… Quanto mais conhecimento você tiver mais fácil e apaixonante ficará.

CRESÇA RÁPIDO, o mais rápido que puder: um degrau a cada dia, um lance de escada a cada semana, uma escadaria completa a cada mês… Só busque emprego se de todo você não tiver recurso nenhum para começar, pois o emprego poderá acomodar as suas vontades, embotar os seus sonhos e acabar com a sua carreira. Mas, se de todo não tiver jeito, empregue-se, e, nesse emprego, economize o máximo que puder para começar o seu negócio; faça um projeto, e, quando já tiver juntado o suficiente, caia fora. É claro que tudo deve ser feito dentro da ordem e da lei, com aviso prévio, justificativa e, sobretudo, agradecimento pela oportunidade.

2. UTILIZE O CALENDÁRIO ITABAIANÊS:

Aproveite o tempo, minutos e segundos são matérias primas quando você inicia um negócio próprio, não importa que seja um carrinho de vender pastel e suco de frutas em garrafa pet ou um restaurante de luxo, uma lan hause ou uma expressiva locadora de vídeos, que seja uma pequena bodeguinha de um bairro carente ou um supermercado da zona nobre da cidade. O tempo é essencial. Não desperdice.

Ah, você não sabe qual a diferença do calendário usado em Itabaiana para os demais? Você nunca observou? Observe. Lá eles não ligam muito para os dias santos e feriados não, se pudessem até deixavam de marcar, em vermelho, aquelas datas, afinal, é exatamente naqueles dias que mais produzem e mais ganham dinheiro. Isso porque são empreendedores e sabem que enquanto os outros descansam, compram, e eles vendem.

Outra coisa a que eles não são muito afeitos é ao tic tac dos relógios. Esse negócio de trabalhar “X” horas por dia também não é muito bem aceito por lá. Eles sempre trabalham um pouco mais. Aliás, alguém, cujo nome não recordo, já disse que: quem trabalha apenas oito horas por dia nunca alcançará o sucesso. E eu acrescento: não mesmo, sobretudo se estiver iniciando um negócio.

SUCESSO!

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais