Pitadas e petiscos

0

Há uma nova pitada de pimenta que dá gosto às especulações para as eleições à Prefeitura de Aracaju, que ocorrerão em outubro de 1994. O senador José Almeida Lima (PDT), que é um dos bem cotados nas pesquisas de opinião pública, já teria anunciado que não pretende candidatar-se. Almeida ainda não fez essa declaração publicamente, mas pessoas intimamente vinculadas a ele não escondem que ouviram isso, de forma clara, da sua boca. O senador acha que não vale a pena entrar numa disputa no próximo ano, se pretende vôos mais altos para eleições que virão alguns anos à frente. Admite que no Senado tem muito mais condições de marcar uma posição mais firme, do que retornando ao comando administrativo da Prefeitura de Aracaju. Sexta-feira passada, à noite, Almeida mostrou que acompanha muito de perto o trabalho do prefeito Marcelo Déda (PT), na capital: “hoje (sexta-feira, 19) faz exatamente o mesmo período que eu e Déda passamos na Prefeitura de Aracaju: um ano e nove meses”. E continuou: “se compararmos o que nós fizemos neste mesmo espaço de tempo, veremos que realizei muito mais, sem ter o apoio de ninguém”. Almeida não descarta, entretanto, o lançamento da candidatura de um nome do seu partido. Também existem petiscos atraentes neste banquete que abre os comentários mais picantes para a sucessão municipal. O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, que está nos Estados Unidos acompanhando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem o seu nome cogitado para assumir o Ministério das Cidades, em lugar de Olívio Dutra. Jornais e revistas de circulação nacional falam, com insistência, que o presidente Lula da Silva fará uma ampla reforma ministerial. O nome de Olívio é citado como carta fora do baralho. Em uma conversa informal com Plenário, há algumas semanas, o prefeito Marcelo Déda disse que no mês de janeiro, quando tira 15 dias de férias, reflete sobre o que fará politicamente: “é aí que analisarei a reeleição. Verei se serei candidato ou se será melhor apoiar outra pessoa”. É possível que à época ainda não havia qualquer divulgação de convite para ocupar um Ministério, mas indiretamente, talvez inconscientemente, o prefeito Marcelo Deda deixava passar pistas de que, em Brasília, prestaria melhor serviço ao partido, ao presidente e ampliaria eleitoralmente o seu nome para disputar as eleições de 2006, cujo objetivo ele deixa absolutamente aos olhos de todos. O senador José Almeida Lima até reconhece que Marcelo Déda já integra, naturalmente, o grupo que orienta o presidente Luiz Inácio da Silva a presidir o país. É ouvido por todos os articuladores políticos do Planalto. Tem uma força “huckeana” junto aos ministros. Consegue tudo o que quer do Governo. Como prefeito de Aracaju, Marcelo Déda precisa trabalhar muito para atingir os seus projetos políticos, mas como ministro das Cidades, em que estará mais próximo aos prefeitos de todo o Brasil, principalmente de Sergipe, é que poderá engrossar o seu eleitorado, com o objetivo de disputar o Governo do Estado, como é do seu objetivo. Evidente que enquanto não se concretizar qualquer mudança, Marcelo Déda vai negar o convite, mas, com certeza, não admitirá sua candidatura à reeleição, sob alegação de que ainda é muito cedo para tratar do assunto e há muito o que fazer pela frente. No fundo, é uma estratégia natural de quem já tem um bom jogo de cintura, neste complexo trabalho de arquitetura política, que visa chegar ao poder. A meta do PT é fazer centenas de prefeitos em todo o Brasil, para dá sustentação eleitoral aos candidatos ao Governo em 2006. Lula não quer Déda prefeito reeleito, mas um nome para disputar o Governo de Sergipe… Essa hipotética desistência do senador José Almeida Lima, de disputar a Prefeitura de Aracaju, e a informação de que o prefeito Marcelo Déda pousará no Ministério das Cidades, em Brasília, animam os demais candidatos à Prefeitura de Aracaju, ao tempo em que se presume um clima de turbulência para a disputa sucessória municipal. O PFL está preparando o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, para ser o candidato à Prefeitura. A deputada Susana Azevedo (PPS) também se apresenta como o melhor nome do PPS. Alguns carros já circulam na capital com o seu nome. O deputado Gilmar Carvalho (PV) se empolga com a perspectiva da preferência de um eleitorado que o tem como instrumento de solução, em diversas áreas em que a assistência ao cidadão é excessivamente falha. Mas será na oposição que pode haver indícios de terremoto, embora há um acordo pacifista para que se dê apoio a quem tiver melhor condição de ganhar o pleito. Numa avaliação rápida, o deputado Jackson Barreto tem em seu partido bons nomes para chegar ou retornar à Prefeitura, mas o senador Antônio Carlos Valadares também é firme na capital. A menor chance fica com o deputado Heleno Silva (PL), que levou sua legenda mais para o sertão… Embora haja essa sinalização de tremor, mesmo em caso de não disputar a reeleição o prefeito Marcelo Déda é que indicará quem será o candidato do grupo. Afinal ele não deixará a Prefeitura para entregá-la a um candidato que não seja do PT, que quer manter o comando político de Aracaju. DECIDIDO O senador José Almeida Lima (PDT) não será candidato à Prefeitura de Aracaju em 2004. A informação é de fonte muito próxima a ele. Acrescentou que esse cargo não está interessando ao senador Almeida Lima, neste momento: “Em 2000 a disputa era importante”, definiu. PROJETO A mesma fonte adianta que o projeto político do senador Almeida Lima não é mais para 2004. Pensa bem mais adiante. Não revelou que o rumo seria o Palácio dos Despachos em 2006, apenas considerou que o mandato de Almeida Lima termina em 2010. DIFÍCIL A conversa sobre sucessão municipal e estadual continuou até o início da madrugada do sábado passado, em um movimentado restaurante de Aracaju. Um experiente parlamentar, vinculado ao Governo, considerou que João Alves Filho não deve ser candidato à reeleição: “eleger-se quatro vezes? Só na ditadura”, avaliou. ALMEIDA O senador José Almeida Lima (PDT) previa convite a Marcelo Déda (PT) para um Ministério, como o da Cidade, para fazer o trabalho visando as eleições estaduais de 2006. Para Marcelo Déda é muito mais cômodo do que disputar a reeleição e sair para tentar o Governo do Estado. FILIAÇÕES Manoelito Franco Neto, filho do prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, filiou-se ao PTN, sexta-feira, e deve disputar a Prefeitura de Areia Branca nas próximas eleições. Também se filiou ao PTN o atual prefeito de Frei Paulo, Geraldo Oliveira. Gilton Garcia tem se movimentado para fortalecer a legenda. CONVITE O PTN também convidou, formalmente, a deputada Maria Mendonça para filiação. Ela ficou para decidir até o dia 03 de outubro. Maria seria a candidata do partido à Prefeitura de Itabaiana e, ao lado do pai, comandaria a legenda naquela cidade. Chico de Miguel já se filiou e está animado com a nova sigla. HELENO O deputado federal Heleno Silva (PL) também formulou, oficialmente, um convite à deputada Maria Mendonça para que ela ingressasse no Partido Liberal. Ofereceu-lhe o diretório e a candidatura à Prefeitura daquela cidade. A deputada ainda não se manifestou. Aguarda o tempo hábil para as análises. EXPLICAÇÃO Todos os políticos têm, até o dia 30 de setembro, para deixar o partido ao qual estão filiados e até o dia 3 de outubro – a um ano da nova eleição – filiar-se a uma nova legenda. Há ainda o artifício do partido ter um prazo razoável para entrega das fichas assinadas ao TRE, que vai de 11 a 14 de outubro. SEM VINCULOS O ex-deputado Gilton Garcia disse que o PTN não tem vínculo com nenhuma liderança política, como o ex-governador Albano Franco, governador João Alves Filho e prefeito Marcelo Déda. Deu como exemplo a filiação de José Ribeiro, que hoje faz oposição a Albano, e de Chico de Miguel que não é aliado de João Alves Filho. SENHA O Governo João Alves Filho utiliza uma palavra chave para tratamento a todas as pessoas que ligam ou falam pessoalmente: “amigo”. Os secretários, diretores, parlamentares mais ligados, a senadora Maria do Carmo, nenhum esquece do “amigo”. Mais político, João Alves Filho dimensiona: “grande amigo”. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado disse, ontem, que até entende a posição do deputado federal Jorge Alberto (PMDB) em votar favorável aos projetos do Governo. É que ele, como vice-líder do partido na Câmara Federal, não pode votar contra ao que decidiu a Executiva Nacional do PMDB. ATUAÇÃO O governador João Alves Filho aproveitou este final de semana para conversar sobre filiações políticas. Começou a trabalhar para fortalecer o PFL no interior e conversou com várias lideranças políticas. Ontem ele também esteve com alguns prefeitos e tratou de filiações. MAX VIAJA O secretário da Fazenda, Max Andrade, viaja hoje a Brasília para continuar a reunião com os colegas dos estados do Nordeste, Oeste e Centro Oeste. O objetivo é subsidiar os governadores dos estados destas regiões, que chegam amanhã a Brasília, para os entendimentos com os senadores sobre a reforma Tributária. FLORO O juiz federal Wladimir Carvalho ainda não deu parecer ao pedido para que a Polícia Federal abrisse inquérito sobre a fuga de Floro Calheiros da 1ª Delegacia. Wladimir fez algumas consultas ao juiz de Canindé do São Francisco, para complementar seu parecer, mas ainda não recebeu as respostas. Notas VEÍCULOS Os órgãos federais em Sergipe foram recomendados, semana passada, sobre a utilização de veículos oficiais. O procurador da República, Paulo Fontes, que expediu a recomendação, alerta para a proibição legal de se utilizar tais veículos em atividades privadas. O uso é exclusivo em serviço. O procurador afirmou, ainda, que não é permitida a condução de servidores de suas residências para o local de trabalho e vice-versa. Se a recomendação fosse adotada pelo estado, o Governo faria boa economia. REFIS O secretário da Fazenda, Max Andrade, adverte aos empresários que estão em atraso com o pagamento do ICMS, que esta é a última vez que a Pasta pode utilizar do Refis para dividir os débitos. Depois da Reforma Tributária aprovada não poderá se fazer uma nova medida para facilitar pagamento em atrasos. Segundo Max, a reforma Tributária terá uma legislação única para todos os estados e não caberá à Secretaria da Fazenda negociar dívidas. O Refis do ICMS dá 90% de abatimento no pagamento à vista. BENEDITO O presidente do Diretório Estadual do PMDB, Benedito Figueiredo, é candidato à Prefeitura de Aracaju. O processo ainda está na fase de negociação e debate, mas tudo indica que, desta vez, Benedito sai como cabeça de chapa, mesmo que o comentário é que o PMDB apoia o candidato indicado por João Alves. De qualquer forma as eleições de 2004 servirão para que Benedito Figueiredo retorne à disputa eleitoral e demonstre o que poderia fazer se tivesse disputado o Governo do Estado. Bem, guardando as devidas proporções. É fogo Gilmar Mendes, o que deveria ser o chefe dos secretários, está ajudando a Antônio Carlos Borges, na Secretaria do Planejamento. Técnico experiente, Gilmar exerce uma atividade de consultoria, sem qualquer ingerência nas demais Secretarias. O vereador Luiz Carlos Santos (Branca de Neve) e o prefeito de Estância, Gevani Bento, não estão se dando muito bem. O vereador Luiz Carlos tinha uma empresa de jardinagem que trabalhavam para a Prefeitura de Estância e terminou não se dando bem. O deputado estadual Augusto Bezerra (PMDB) está convicto que o seu partido terá participação na chapa majoritária das eleições municipais de Aracaju, Augusto Bezerra não arrisca como será essa composição, mas diz que o partido participará de um arco de alianças, para garantir o sucesso nas eleições. O secretário de Estado de Articulação com os Municípios, José Everaldo, topou o convite de Gilton Garcia e está ajudando na estruturação do PTN em Poço Verde e Tobias Barreto. O ex-deputado Roberto Góes é um nome forte como candidato à Prefeitura de Riachão dos Dantas. Tem o apoio do prefeito José Lopes. Está praticamente descartada a possibilidade do ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis, ser candidato a prefeito em Riachão dos Dantas. O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) é vinculado a João Alves Filho em Sergipe e a Luiz Inácio Lula da Silva no restante do país. Como um dos líderes do PMDB, Jorge Alberto está animado com os quatro Ministérios que serão cedidos ao partido. Ao inaugurar o Parque Aquático José Peixe, o governador João Alves Filho lembrou que foi salvo pelo homenageado, quando participava de uma competição para travessia do rio Sergipe. O governador João Alves Filho viaja a Brasília amanhã, para discutir sobre a reforma Tributária com os demais governadores do Nordeste, Norte e Centro-Oeste. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários