Plenário – Diógenes Brayner Últimos dias

0

Há uma movimentação intensa nos bastidores dos partidos políticos em busca de novas filiações para se fortalecerem no pleito de 2006. Percebe-se que futuros candidatos a mandatos proporcionais estão preocupados, porque têm que encontrar e sigla que lhes ofereça melhores condições de eleger-se. Há convites de todos os lados, mas também existem receios de novas posições. O PT, PSDB, PMDB, PSB e PFL são partidos sólidos e estão prontos para receber novos filiados, enquanto legendas como PPS, PTB, PP podem ter dificuldades para eleger um número razoável de parlamentares no Estado e no Brasil. Como a reforma política é uma grande incógnita e a queda da verticalização continua sendo uma dúvida, quem pretende disputar algum mandato parlamentar tem que se cuidar para não ter pela frente um quociente eleitoral alto e se repetir o efeito “Pedrinho Valadares”, que obteve mais de 80 mil votos e não se elegeu.

 

Um parlamentar disse ontem que há movimentação para unificação dos partidos pequenos, que não têm grandes estrelas, para que possa eleger mais de dois candidatos. Um deputado avaliou que é preferível ficar entre nomes de médio porte, como Angélica Guimarães, Antônio Santos, José Nilton e outras lideranças que vão tentar a Assembléia Legislativa, que ter de ficar ao lado de candidatos fortes como Ulices Andrade, Antônio Passos, Jorge Araújo, Lilá Moura, Marcos Franco e vários outros que têm municípios à disposição e reeleição praticamente garantida. É exatamente para evitar disputa com campeões de votos, que o pessoal que tem uma média entre 8 a 10 mil eleitores está fugindo das grandes siglas, porque tem consciência que servirá apenas para ampliar o quociente e colocar na Assembléia uma seleta elite política do estado. Até o dia 30 haverá um troca-troca imenso de partidos e a formação de outros que podem oferecer condições de disputar aos seus filiados.

 

Parlamentares que não gostam de trocar de legenda estão sendo obrigados a faze-lo este ano, para que consigam disputar com chances de se manter na Assembléia Legislativa. É o caso do deputado Venâncio Fonseca, que deixará o PP pelo PFL tentar ser um dos eleitos do partido, embora tenha que enfrentar nomes que também têm bom potencial de votos. O PTB praticamente vai implodir no estado. Jackson Barreto está de malas prontas para ingressar no PSB ou PCdoB (este ultimo pode se perder na clausula de barreira), os Reis já estão deixando a legenda, enquanto Fabiano Oliveira e Adelson Barreto estão voando para pouso em ninho tucano. No PTB ficarão apenas os prefeitos e um dirigente da confiança de Jackson, para que a composição não perca os cinco minutos que o partido tem na TV.

 

Ontem a Comissão de Constituição e Justiça aprovou a PEC que amplia a aprovação da reforma política para dezembro, com validade para as eleições do próximo ano. Ainda vai para discussão e votação. É possível que passe. Mas isso não reduz em nada a aflição dos futuros candidatos, porque a agonia será apenas ampliada, já que não se tem certeza da forma como serão feitas as campanhas. No fundo, entretanto, o que angustia mais é a questão da verticalização. Segundo o deputado federal José Carlos Machado a queda da verticalização – que é uma unanimidade no Congresso – pode acontecer até outubro e valer para as eleições de 2006, porque se tratar de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC). Isso não é nenhum alento para quem está na espera, porque o prazo para filiação termina em 30 de setembro e todos temem dar um passo em falso.

 

É o caso, por exemplo, do ex-governador Albano Franco (PSDB), que ainda vacila entre o Senado e a Câmara. O termômetro é a verticalização. Se ela cair Albano é candidato a senador para disputar. Se for mantida, ele prefere a certeza de eleger-se deputado. Ora, se Albano com o potencial de votos que detém ainda depende da verticalização, imagina quem está para uma disputa acirrada? É difícil se chegar a uma decisão sobre isso até o dia 30, o que vai deixar muita gente à base de tranqüilizantes.

 

 

CONVERSA

O governador João Alves Filho teve encontros, ontem pela manhã, com os senadores José Agripino Maia (RN) e Jorge Bornhausen (SC) sobre a reforma política. João Alves também esteve nos Ministérios da Educação e Turismo para redigir um artigo sobre a transposição do rio São Francisco, para publicação na Folha de São Paulo.

 

JERÔNIMO

O ex-prefeito de Lagarto não procurou mais o deputado federal Jackson Barreto para ter uma conversa sobre sua adesão ao governo. Disse que tentou duas vezes e não conseguiu, mas insiste que Jackson, como presidente do PTB em Sergipe, sempre foi atencioso com ele.

 

PESQUISA

O senador Almeida Lima (PMDB) se declara contra as pesquisas de opinião realizadas e veiculadas durante as eleições. Para ele, as pesquisas são “fonte de corrupção e de fraude”, encarecem os custos das campanhas e induzem o voto do eleitor.

 

REUNIÃO

O prefeito Marcelo Déda (PT) reuniu-se ontem à tarde com auxiliares da área de infraestrutura, detalhando os projetos que vão ao BID. Pela manhã ele esteve com o secretário de Articulação Política, José Eduardo Dutra, para se inteirar do que ocorreu no estado em sua ausência.

 

DESMENTE

A assessoria do prefeito Marcelo Déda desmentiu, ontem, que tivesse ocorrido qualquer desentendimento entre ele e o secretário José Eduardo. A irritação teria sido pelas declarações de Dutra sobre o ex-governador Albano Franco: “não aconteceu isso, a fonte do repórter é fulera”, disse a fonte.

 

HELENO

A Comissão da Agricultura aprovou requerimento do deputado federal Helenos Silva (PL) para realização de audiência pública em Sergipe, para debater a dívida dos agricultores. Heleno diz que os agricultores do Nordeste têm uma dívida é grande e há necessidade de reunião para rever a situação de milhões deles que está sem condições para o plantio.

 

LIBERAL

Está praticamente definido que o deputado federal Heleno Silva vai deixar o Partido Liberal, seguindo orientação da Igreja Universal. Ainda não definiu o seu rumo, mas dificilmente permanecerá no bloco vinculado ao prefeito Marcelo Déda, como informou um dos seus aliados.

 

JACKSON

O deputado federal Jackson Barreto (PTB) fez um apelo à direção da ECT para abrir o diálogo com os carteiros, que estão em greve. Segundo Jackson, “um governo democrático tem que entender que a greve é o único instrumento de defesa do trabalhador brasileiro”.

 

MUDANÇA

O deputado Jackson Barreto está assistindo o esvaziamento do PTB no estado. Está de malas prontas para filiar-se ao PCdoB. A nível regional o PCdoB mantém a vinculação com o PT, mas em Brasília o comportamento de Brasília é de independência, com críticas ao presidente Lula da Silva.

 

BATALHA

O ex-prefeito Armando Batalha (PV) explicou ontem que conversou com o presidente nacional da sigla, Hermano Penna, e não existe qualquer intervenção em Sergipe. Armando Batalha disse que continua à frente do partido, tentando construir uma legenda forte para as eleições do próximo ano.

 

AUGUSTO

Embora esteja no PFL há alguns meses, o deputado Augusto Bezerra fará hoje a festa de filiação ao partido.

Com ele se filiam quatro prefeitos que estavam na oposição e passam a apoiar o governador João Alves Filho.

 

RIBEIRO

O grupo dos Ribeiros em Lagarto não está satisfeito com o entendimento dos Reis com o governador João Alves Filho. Estão atentos ao que virá para eles, mas não pretendem entrar em confronto sobre a adesão. Insiste apenas que nenhum deles subirá no mesmo palanque.

 

MUNDINHO

A informação vem de Itabaianinha: o ex-deputado Raimundo Vieira (Mundinho) deve sair candidato a deputado federal nas próximas eleições. Mundinho fará dupla com o ex-deputado Ilzo Silveira, que vai disputar uma vaga na Assembléia Legislativa.

 

ROMPIMENTO

O presidente da Câmara Municipal de Tobias Barreto, Tonho do Tecido, rompeu com a prefeita Marly Barreto. Agora, Tonho começou a trabalhar sua candidatura a deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), que tem à frente o deputado Zé Nilton.

 

 

Notas

 

CRITICA

O senador Almeida Lima (PMDB) considerou como incorreta a liminar concedida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, a seis deputados federais do Partido dos Trabalhadores denunciados ao Conselho de Ética da Câmara por quebra de decoro parlamentar. Almeida diz que a decisão de Jobim abre uma crise institucional porque representa a interferência do Poder Judiciário sobre o Poder Legislativo. Almeida Lima lembra a harmonia e independência dos poderes. 

GORETTI

Desde ontem que a Assembléia Legislativa conta com uma nova parlamentar: Goretti Reis (PTB), que assumiu em lugar de Walker Carvalho (PFL), licenciado para assumir, nesta segunda-feira, a Secretaria do Trabalho. Lideranças do grupo político ao qual pertence a deputada estiveram presentes à posse. A maioria dos parlamentares discursou referindo-se à família Reis e saudando a deputada Goretti Reis. Os deputados Venâncio Fonseca, líder do governo, e Belivaldo Chagas, da oposição, falaram em nome das bancadas.

 

HOSPITAIS

Os hospitais da rede privada podem ser obrigados a internar pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), quando não houver vagas em hospitais públicos, caso seja aprovado projeto de lei de autoria do deputado federal Carlos Nader (PL-RJ), inclusive com acomodação na UTI, em caso de necessidade. O objetivo é evitar risco de morte para portadores de enfermidades graves que não possam esperar por vagas no sistema público. Para ter direito ao benefício, o paciente deverá apresentar requisição de médico do SUS.

 

É fogo

 

A Câmara Federal está discutindo a liminar concedida a deputados petistas, pelo STF, para evitar o processo de cassação nesse momento.

 

Alguns deputados e senadores não estão aceitando isso, mas vários deles consideram que a liminar faz apenas ampliar a agonia dos seis parlamentares.

 

A micro e pequenas empresas estão agonizantes com essa política de juros altos mantida pelo governo federal.

 

O ex-senador Francisco Rollemberg tem sido convidado a disputar um mandato proporcional nas próximas eleições.

 

O ex-deputado Gilton Garcia também está se preparando para candidatar-se a deputado estadual nas próximas eleições.

 

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) acha que a queda da verticalização será aprovada em outubro e valerá para as próximas eleições porque se trata de uma PEC.

 

O ex-prefeito Jerônimo Reis começa a fortalecer sua candidatura a deputado federal, junto a aliados da região centro-sul.

 

O deputado Mardoqueu Bodano (PL) está de licença por três dias dos trabalhos legislativos, para tratamento de saúde.

 

O deputado Walmir Monteiro trabalha para, de preferência, manter o nome de Santa Maria no aeroporto de Aracaju.

 

No site da Assembléia Legislativa o deputado pede ao povo que dê sugestões de nomes, porque não concorda que a denominação seja Aeroporto Internacional de Aracaju.

 

Com investimentos superiores a R$ 20 milhões, a reforma da orla de Atalaia já está em sua última fase e deve ser finalizada em novembro.

 

O governo refez suas estimativas e passou a prever para este ano o maior gasto com juros da dívida pública, desde o Plano Real.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais