PMDB ANIMA-SE

0

Foi com certeza uma festa peemedebista. Não havia gente em excesso, mas o suficiente para que o pré-candidato a presidente da República, Germano Rigotto, sentisse que o PMDB em Sergipe fecha com ele na prévia que o partido realizará para a escolha do candidato à sucessão de Lula. Não fora uma recepção apoteótica, já que se tratava apenas de um cidadão que pretende conquistar o direito de disputar o mandato de presidente da República pelo seu partido. Entretanto, foi o suficiente para mostrar que o PMDB em Sergipe ainda influencia nas eleições proporcionais e majoritárias. Apesar de estar abaixo de Antony Garotinho nas pesquisas e ainda ter que lutar contra o grupo governista que pretende levar o partido para os braços do PT, Rigotto demonstra muita euforia com a possibilidade de ser o escolhidos pelos correligionários para ser o candidato a presidente.

O seu discurso não teve o tom de quem pode recuar. Bateu firme no Partido dos Trabalhadores e deu um chute nos pulmões (?) do PSDB. A postura é de quem já está na briga para ganhar, principalmente porque conta com o apoio de estados importantes como São Paulo. Pode-se afirmar que está definida uma terceira via, já que há um movimento nacional de recuperação de um partido que esteve à frente da luta pela redemocratização do país. E é pensando assim que o PMDB vem disposto, consciente do seu papel neste momento e mais propondo mudanças na condução de uma política mais avançada para Brasil. Embora tenha feito campanha pela “diretas já” e tenha sido responsável pela vitória do primeiro presidente civil, mesmo que eleito por um colegiado, o PMDB não conseguiu chegar à presidência da República através do voto popular, pelo qual foi um dos maiores responsáveis.

O PMDB passou a andar na contra-mão da história que ele mesmo montou, para seguir rumos lamentavelmente fisiológicos. É bom que reencontre os seus objetivos, se fortaleça como uma frente e retome as suas características anteriores, que fogem ao PMDB parasitário desse momento.

Evidente que a presença do pré-candidato Germano Rigotto foi o que houve de mais importante para os peemedebistas sergipanos nesses últimos meses. Entretanto, o que surpreendeu mesmo foi o gesto pragmático do senador Almeida Lima (PMDB), que fez uma revelação inesperada: “se o presidente regional do nosso partido, Benedito Figueiredo, for candidato a governador do estado, retiro a minha candidatura e lhe apóio”. Foi um gesto político no mínimo simpático que, de alguma forma, sensibilizou a Figueiredo, que já teria demonstrado a grupos aliados disposição para esse tipo de desafio. Almeida tem trabalhado para disputar a sucessão estadual pelo PMDB, mas ainda está na base do diálogo e esperando, com paciência, que seus correligionários entendam que essa é a melhor saída para legenda.

Almeida Lima começou lembrando a Benedito que começou do mesmo jeito que ele (no PMDB); “andei pelos mesmos lugares que você andou (PDT) e estamos de volta à legenda que iniciamos”. E deixou claro: “aqueles que não têm projeto de PMDB, aqueles que estão satisfeitos com a ante-sala do poder e com as sobras dos banquetes palacianos, podem seguir em frente, que não terão o meu apoio”. Depois do seu pronunciamento o senador Almeida Lima disse que ia conversar pessoalmente com Benedito Figueiredo para perguntar se lhe interessa a candidatura a governador: “se ele disse que sim estaremos no mesmo palanque. Podem ter certeza que o PMDB de Sergipe não precisará de prévias para escolher o candidato ao governo”, avisou. Almeida Lima desembarcou em Aracaju na quinta-feira à noite, veio com Rigotto de um comício em Goiânia, onde fez um discurso que impressionou o presidenciável. A bordo, ouviu dele o elogio: “Ih, rapaz! Acho que você não será candidato a governador. Vou requisitá-lo para minha campanha”.

 

 

MEXIDA

O governador João Alves Filho (PFL) vai dar uma mexida no secretariado já a partir da próxima segunda-feira. Começa com os que serão candidatos.

Outros auxiliares, mesmo que não disputem as eleições, também podem ser afastados ou remanejados. O governador quer um novo fôlego a partir de primeiro de março.

 

CONVERSAS

Também será a partir da primeira quinzena de março que o governador João Alves Filho vai intensificar a sua política de alianças.

João Alves tem consciência: os partidos que podem aliar-se a ele precisam de uma definição, para cuidar dos problemas internos e definir candidaturas.

 

CACHO

O secretário da Justiça, Emanoel Cacho, diz que ainda está discutindo com o governador João Alves Filho se sai candidato a deputado federal.

Possivelmente até segunda-feira terá uma definição sobre isso. Por enquanto Cacho permanece à frente da Pasta.

 

DECISÃO

É uma decisão do governo: nenhum secretário que se desincompatibilizar para disputar mandato político, vai indicar o seu sucessor.

Os novos auxiliares serão postos pelo governador João Alves Filho, dentro de uma avaliação do atual momento político.

 

VIAGEM

O prefeito Marcelo Déda (PT) viaja na segunda-feira à Brasília. Se chegar a tempo participa do jantar de adesão pelos 26 anos do PT, que terá a presença do presidente Lula.

Na realidade, Déda viaja para tratar de assuntos administrativos. Fica lá segunda e terça e terá audiências em oito ministérios.

 

PLANALTO

Déda aproveita a viagem para tentar marcar uma audiência com o presidente Lula. Quer uma conversa ao lado do vice-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

Vai apresentá-lo como sucessor: “não é que o presidente desconheça Edvaldo, mas é bom mostrar quem vai ficar à frente da Prefeitura”.

 

SERÁ?

A informação que circulou, ontem, em Aracaju foi que o ex-governador Albano Franco (PSDB) fechou aliança com o PT, depois de uma conversa com o senador Valadares.

Segunda uma fonte bem avisada: “foi por isso que houve algumas manifestações contra o acordo, inclusive da deputada estadual Ana Lúcia (PT)”.

 

TENDÊNCIA

O empresário Ricardo Franco não confirmou que o pai (Albano) tenha batido o martelo na aliança com o PT. Mas disse que Déda foi ao apartamento de Albano para um jantar.

Aconteceu na terça-feira e, segundo Ricardo, “as coisas estão aceleradas e muito mais concretas”. Acrescentou: “a tendência será o PT”.

 

SINAL

O ex-governador Celso Carvalho fez uma visita, ontem, ao prefeito Marcelo Déda. Presenteou-lhe com um quadro de Rosa Faria, da antiga praça Fausto Cardoso.

Mais um sinal da aproximação do PSDB e PT. Celso de Carvalho, um gentleman, é muito ligado ao ex-governador Albano Franco.

 

RIGOTTO

O governador João Alves Filho (PFL) convidou o seu colega do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), para um café da manhã no Palácio de Veraneio.

Rigotto agradeceu e recusou o convite, alegando pouco tempo para conversar com aliados e jornalistas. João Alves insistiu através de telefonema, mas não foi possível.  

 

POSIÇÃO

Germano Rigotto disse que o PMDB tem que deixar o governo de lado e partir para a ofensiva, com uma candidatura própria.

Admitiu que seu partido será a via entre “um PT que está em condição difícil e um PSDB que não fez absolutamente nada”.

 

NÃO ABRE

Germano Rigotto avisou que não será vice de ninguém e não abre de sua candidatura. Em Brasília o PT articular uma aliança com o PMDB, para que o partido indique o vice.

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, garante que não há divergências do partido em Sergipe, quanto à candidatura de Rigotto.

 

BAILE

Rigotto deixou Aracaju com atraso de uma hora e seguiu direto para Natal, onde cumpriu o mesmo programa, em campanha para a prévia do PMDB dia 19 de março.

No final da tarde, Germano Rigotto viajou a Recife onde também concedeu entrevista. À noite participou de um baile de carnaval.

 

 

Notas

 

VERTICALIZAÇÃO

 A questão da verticalização está se complicando. A Conamp (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público) anunciou quinta-feira que irá entrar no STF (Supremo Tribunal Federal) com uma ação direta de inconstitucionalidade contra o fim da verticalização nas coligações partidárias.

É a segunda entidade de classe a contestar judicialmente a aplicação imediata da emenda aprovada pelo Congresso. A outra foi a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que quer a aplicação da anualidade.

 

NEPOTISMO-1

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Vantuil Abdala, considera importante regulamentar, no texto constitucional, a proibição do nepotismo. Admite que a regulamentação acabaria com as discussões sobre a competência do Conselho Nacional de Justiça para dispor sobre a matéria.
Já o corregedor do Conselho Nacional de Justiça, ministro Antônio de Pádua Ribeiro, concorda com a opinião de Abdala. Para ele, o Poder Judiciário deveria atender aos anseios da sociedade com o nepotismo.

 

NEPOTISMO-2
O presidente da comissão especial que analisa a segunda etapa da reforma do Judiciário, deputado Átila Lins (PMDB-AM), entende que é preciso encontrar uma solução para o problema da contratação de parentes nos três poderes da República: executivo, legislativo e judiciário, para que haja consenso.
Ressaltou que a disposição desse tema, na Constituição Federal, além de acabar com os conflitos de competência do Conselho Nacional de Justiça, resolverá a falta de uniformidade das constituições estaduais.

 

 

 

É fogo

 

São Cristóvão está organizando o seu carnaval de rua, que será no mesmo estilo do realizado o ano passado.

 

Pirambu também já começou a se agitar com a proximidade do carnaval. Lá a folia começa mais cedo e termina mais tarde.

 

Aracaju é uma cidade que tradicionalmente descansa durante o carnaval e este ano até os shoppings só fecham na terça-feira.

 

A Unimed massacra os seus clientes na hora da marcação de exames. Mesmo que seja o plano mais alto e pago em dia sofre constrangimento.

 

O deputado federal Heleno Silva (PL) está merecendo todas as atenções da imprensa, pela declaração de que aceita ser o vice de João Alves Filho.

 

O secretário das Finanças, Nilson Lima (PT), está trabalhando duro sua candidatura a deputado federal.

 

O petista Severino Bispo também atua entre os membros de sua tendência para disputar uma vaga na Câmara Federal.

 

Está começando a crescer o número de cirurgias para transplante de rins em Aracaju, através do corpo médico da Climese.

 

Há necessidade de uma campanha mais agressiva para incentivar a doação de órgãos e salvar vidas.

 

De olho na campanha para deputado federal, o vereador Daniel Fortes (PSC) começa a trabalhar pelo social.

 

O secretário da Agricultura Sergio Reis esteve reunido com o empresário do Consórcio Italiano da Lombardia, que demonstraram interesse no projeto Nova Califórnia.

 

A fim de ampliar sua rede de parcerias, o Sebrae lançou um edital de credenciamento para as entidades dedicadas ao ensino, pesquisa, desenvolvimento e extensão tecnológica.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários