Poderes constituídos despidos

0

Quem convive com os bastidores do poder e não apenas da política, sabe exatamente que a imagem de seriedade e honestidade apregoada em prosa e verso pela denominada elite sergipana tanto quanto pela elite brasileira, não resistem a um sopro de investigação.

  Embora pareça uma avaliação radical, este jornalista afirma sem exagero dentre os pobres, e refere-se aqui aos excluídos socialmente, aos que possuem carência extrema de todo e qualquer amparo social, existe uma parcela que faz a opção de enveredar pelo caminho da marginalidade, ou seja, que optam em transitar à margem da lei. Alguns até nem fazem esta opção, são empurrados para ela.

  Já dentre os denominados burgueses, os abastados financeiramente, aqueles detentores de patrimônio invejável e claramente incompatível até mesmo com o ciclo da vida humana, os que transitam à margem da lei, são praticamente todos. Não estão incluindo neste exemplo os que conquistaram um patrimônio suficiente para assegurar-lhe uma vida tranqüila por conta de terem se destacado profissionalmente como um médico especialista ou um advogado respeitado pelo seu amplo nível de conhecimento jurídico e alguns empresários de diversos ramos da economia. A coluna se refere aos detentores de uma significativa riqueza e de herdeiros de tantas outras, que se os pais e avós já possuíssem uma fabulosa fonte de renda no dia do nascimento, ainda assim não saberia explicar como conseguiu comprar tantas terras e como conseguiu manter tantas empresas transformando-as em lucrativas mesmo em períodos de adversidade.

  E sabem por que não conseguiriam explicar? Simplesmente porque muitas das terras que estão em nome dessas famílias, foram conseguidas de forma arbitrária, ilegal e violenta, conseguidas através de métodos reprováveis, utilizando-se de capangas para expulsar famílias de cidadãos humildes e honestos que eram obrigados a abandonar o seu quinhão de terra para não ser assassinado juntamente com a sua família. Quanto às empresas elas sempre foram lucrativas graças aos mecanismos montados para promover de forma fácil a transferência de recursos públicos para oxigenar os lucros das suas iniciativas privadas.

  Em resumo é possível afirmar que dentre os pobres, apenas uma pequena parcela caminha pela estrada da marginalidade. Já dentre os ricos uma enorme parcela caminha pela mesma estrada. Já em relação ao encaminhamento aos presídios a relação é inversa, ou seja, dentre os pobres são encaminhados para os presídios quase todos, enquanto que dentre os ricos, apenas uma reduzidíssima parcela são encaminhados para ocupar as enfermarias por um reduzidíssimo período.

A “Operação Navalha” desencadeada há cerca de dois meses, já conseguiu em Sergipe desnudar tantas autoridades constituídas que o silêncio da imprensa e da classe política tornou-se quase que uma obrigação, para não desmoronar o Estado, cuja estrutura já ruiu significativamente.

A decisão inédita da juíza Eliana Calmon, que autorizando a quebra do sigilo das gravações telefônicas produzidas pela Polícia Federal, juntamente com a coragem demonstrada pelo empresário Walter Franco, proprietário do Sistema Atalaia de Comunicação, seja ela movida por ato de cidadania ou por interesses contrariados, seja lá qual for à situação, conseguiram revelar para a sociedade sergipana as seguintes situações:

– que as grandes obras não licitadas legalmente objetivando encontrar a empresa que se proponha a executá-la pelo menor preço; que em alguns processos licitatórios o direcionamento começa na elaboração dos editais que são trabalhados para inibir a participação de empresas que desejem participar do processo de forma séria e sem o comprometimento de ter que dividir o lucro conquistado;que em outras o direcionamento já acontece desde o pleito dos recursos efetuados por membros da bancada federal no momento da elaboração do orçamento da União; que os milhões de reais, subtraídos dos cofres públicos, são pulverizados entre os diversos grupos que compõe a estrutura de domínio do Estado. Pois a operação deixou explicita que o esquema envolvia pessoas ligadas diretamente aos grupos dominantes, foram citados de forma comprometedora os senhores João Alves Filho, João Alves Neto, Gilmar Mendes, José Carlos Machado, André Moura, Edvam Amorim, Vitor Mandarino, Albano Franco, Antonio Manoel de Carvalho Dantas, Ivan Paixão, Belivaldo Chagas, Suzana Azevedo e a estrela principal chamada de Flávio Conceição que a menos de dois meses foi eleito por unanimidade para ocupar uma vaga no TC de onde foi afastado em função de ter sua prisão efetuada pela PF sob a acusação de atuar como lobbysta no desempenho das próprias funções de conselheiro. Ou seja, atuar para subtrair ilegalmente dinheiro dos cofres públicos quando a função de um conselheiro é exatamente a de atuar para impedir que gestores públicos subtraiam ilegalmente dinheiro dos cofres públicos. Por fim revelou também que a Deso não muito diferente da Dehop, já havia perdido a sua conotação de repartição pública para tornar-se um grande escritório de desvio de volumosos recursos públicos e, lamentavelmente que uma investigação profunda na Deso através de uma CPI não interessa nem a Marcelo Déda e nem a oposição, porque desestruturaria a base dos dois agrupamentos.

  Por fim o intuito maior deste artigo foi mostrar que nada de imoral que ocorre no cotidiano do cidadão sergipano e do cidadão brasileiro ocorreria se não contasse com a conivência e a complacência de todos os poderes constituídos.


 

Charge: Edidelson Silva – Título “Dois pesos e duas medidas”.

 

Superfaturamento é comprovado no TC

E o conselheiro Carlos Alberto de Souza acertou em abrir procedimento investigativo para investigar a compra de equipamentos de informática no TC, na gestão de Hildergards Azevedo. A assessoria de informática emitiu relatório comprovando superfaturamento em alguns itens que chegam a 200% se comparados ao preço de mercado daquele período. Será que o TC vai punir o ex-presidente Hildergards Azevedo? O certo seria ressarcir aos cofres públicos o dinheiro gasto a mais. As informações oriundas do TC dão conta que o responsável pela coleta de preços foi o ex-diretor Norman Oliveira.

 

 

A manchete estava assim descrita:

“Juarez diz que pretende administrar a Prefeitura de Pirambu”. O conteúdo abaixo deveria resumir-se a:  “Cara de Pau”. Explicasse: Mesmo estabelecendo provas de que todas as improbidades e impropriedades que praticou na Prefeitura de Pirambu, foi a mando do ex-prefeito e deputado estadual André Moura, não existe justificativa plausível e muito menos amparo legal para que o Sr. Juarez Batista, permaneça à frente da Administração Municipal daquela localidade, a única coisa que ainda lhe resta é a busca pela concessão dos benefícios da delação premiada. Aliás, o prefeito já está sendo chamado de Juarez Dinamite Batista.

 

Imagine sem desvio

Logo após a denúncia feita pelo prefeito de Pirambu Juarez Batista, circulou na imprensa local a informação de que: “Em Pirambu, a maioria prefere não emitir opinião e há uma unanimidade de que houve uma melhora de vida nesses últimos dez anos e a cidade, que era um povoado pesqueiro que servia de veraneio para pessoas bem sucedidas da região do Vale do Japaratuba, encheu-se de praças, áreas de lazer e se transformou em ponto turístico do estado. É uma cidadezinha esteticamente organizada, dentro dos padrões de um município que tinha uma arrecadação privilegiada, acima de R$ 1 milhão”. Se a informação pode ser utilizada como elemento atenuante para análise das últimas gestões que atuaram naquele município, sem dúvida alguma servirá também para que a população fazer a seguinte avaliação: “Se com tanto desvio de recursos, foi possível fazer tudo isso, imagine sem o desvio”. Ta dito!

 

OAB X Procedimento jurídico

A OAB deveria criar um grupo de trabalho para analisar o procedimento jurídico que leva um tribunal aplicar a pena de perda de mandato, a um político que praticou um tipo de crime qualquer seja ele eleitoral ou não, e não combina com a punição a perda dos direitos políticos. Na visão de um advogado que atua na área eleitoral, a perda dos direitos políticos, deveria estar automaticamente vinculada à sentença que determina a cassação do mandato eletivo.

 

Plano de saúde paga até restaurante em caso de depressão

Foi publicado neste espaço que o conselheiro do TC, Flávio Conceição não está tão doente assim, já que na última sexta-feira almoçava no restaurante Maramar, do hotel Celi. Não é que a justificativa dos amigos do botafoguense é que ele foi a um dos melhores restaurantes da cidade por indicação do médico, por conta da depressão. Assim é bom demais. Será que o plano de saúde dele cobre este tipo de solicitação médica? É brincadeira! É por isso que muitos contam com a certeza da impunidade. Qualquer dia destes quem vai preso é este jornalista, por escrever demais…

 

TC joga que esquecimento e certeza da impunidade

Segmentos organizados da sociedade sergipana preparam uma audiência em Brasília, com a presidência nacional da OAB, para divulgaram nacionalmente o que vem ocorrendo no TC de Sergipe. A verdade é que estão apostando no esquecimento e na impunidade para manter Flavo Conceição no cargo de conselheiro.

 

Ex-ministro condenado por corrupção é executado

Um ex-ministro acusado de corrupção foi executado ontem,10. Zheng Xiaoyu, 62, foi condenado por receber propina de empresas farmacêuticas para não fiscalizá-las corretamente. Pena que foi na China. Já pensou se a moda pega no Brasil? Seria uma notícia tão corriqueira…

 

 

Internet e o retrocesso do fax

Alguns secretários do governo Déda estão recebendo uma proposta para renovação de assinatura de um boletim informativo com notícias essencialmente da área política que são remetidos diariamente para cada órgão assinante por meio de “fax”. Um destes secretários resolveu fazer uma consulta a sua assessoria que esboçou a seguinte avaliação: “Achei que seria desnecessária a assinatura de um boletim que traz informações idênticas a que é publicada num jornal local,  instrumento de comunicação do qual já somos assinantes. Segundo entendo que estamos na era da alta tecnologia informativa onde desponta a velocidade da informação e o não acumulo de papéis; Terceiro avalio também que o governo Deda notabilizou-se inicialmente quando recomendou aos auxiliares que utilizassem a Internet como veículo prioritário de comunicação e por fim descobrimos que o conteúdo oferecido no “fax” que seria pago mensalmente por este órgão, encontra-se disponibilizado gratuitamente na Internet”. Realmente quem tem uma assessoria dessa, pode dormir despreocupado, afinal já está na hora de ganhar dinheiro produzindo algo que de fato seja interessante para o público consumidor, chega de querer continuar se alimentando do leitinho da viúva.

 

Mandado de segurança da Deso

O mandado de segurança impetrado pela Deso no Tribunal de Justiça de Sergipe, para garantir a realização de auditoria externa para analisar alguns contratos da empresa ainda não foi julgado. Inicialmente o mandado caiu nas mãos do desembargador Cláudio Déda, que julgou-se impedido, já que é irmão do governador Marcelo Déda. Com isso o mandado está nas mãos do desembargador Luiz Mendonça.

 

E a auditoria do TC nos contratos da Deso?

O TC continua realizando auditoria nos contratos da Deso, mesmo não tendo o apoio de diversos segmentos que não aceitaram participar da incursão. Um detalhe curioso:  Enquanto que o TCU quando detecta irregularidade em contratos pede que o órgão se manifeste, no TCE é diferente, eles analisam tudo e se encontrar alguma irregularidade faz a atuação para depois ouvir a parte interessada.

 

 

Presidente Lula vem a Sergipe no dia 2 de agosto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará em Sergipe no próximo dia 2 de agosto, quando fará o lançamento das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O presidente Lula vai anunciar pessoalmente, em Aracaju, os investimentos em habitação e saneamento no Estado. “Será um momento muito importante para Sergipe”, afirmou Marcelo Déda. Na ocasião, o presidente entregará a medalha da Ordem do Mérito Nacional, no grau de comendador, ao ex-governador de Sergipe Seixas Dória. A Ordem Nacional do Mérito é a mais alta comenda da República Brasileira e foi concedida a personalidades como o maestro Heitor Villa-Lobos, o escritor Manuel Bandeira, o urbanista Lúcio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer.

 

 

Policiais civis não receberam diárias dos festejos juninos

A coluna vem recebendo e-mails de policiais civis que  trabalharam exaustivamente no Forró-caju, e não receberam o que foi prometido pela cúpula da SSP. Segundo os policiais foi prometido: R$ 60,00 por plantão trabalhado durante as festividades do São João – forró na orla e no mercado, forró-siri, etc… (todo o mês de junho). A justificativa para o não pagamento é que a pessoa responsável está de férias. Já se passaram 11 dias do termino dos principais festejos juninos.

 

Supersimples beneficiará os micro e pequenos negócios

Os entendimentos entre o governo do Estado e o setor empresarial avançaram nas últimas semanas após sucessivas reuniões de lideranças do comércio varejista e atacadista com o secretário do Desenvolvimento Econômico Jorge Santana. Juntos, empresários e o secretário chegaram a uma proposta de consenso quanto à cobrança de ICMS das micro e pequenas empresas, permitindo que esse segmento se beneficie do Supersimples (regime tributário simplificado e unificado estabelecido pela Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas). A proposta está sendo avaliada pelo governador Marcelo Déda que deverá pronunciar-se em breve. O presidente da Associação Comercial, Lauro Vasconcelos, e da Associação dos Distribuidores e Atacadistas, Juliano César, designados pelo colegiado que forma o Fórum Empresarial de Sergipe para conduzir as negociações com o governo, com a colaboração do presidente do Conselho Regional de Contabilidade, Romualdo Melo, estão confiantes e certos que o governador

acatará a proposta que irá beneficiar os micro e pequenos negócios em Sergipe.

 

 

ANP autoriza construção e operação de refinaria

Sobre nota publicada na coluna no último dia 07, um leitor alertou que não foi apenas uma liberação inicial para estudos sobre a refinaria, mas uma autorização para construir e operar. O texto:  “Fica autorizada a Refinaria Atlântica Sul de Sergipe S.A. RASS, CNPJ: 08.283.165/0001-20, a construir e operar uma refinaria de petróleo, com capacidade de produção aprovada de 200.000 barris diários, no Pólo Cloroquímico de Sergipe-Distrito Industrial de barra dos Coqueiros, Estado de Sergipe- SE. O que está escrito na autorização é construir e operar e não estudos”.

 

 

Calçadas da rua Itabaiana estão ocupadas

A Prefeitura está avançando com o projeto Calçada Livre, tirando os veículos das calçadas, mas é preciso que a fiscalização vá também a rua Itabaiana, onde na administração Gama foi feita revitalização onde as calçadas ficaram mais largas. Na rua Itabaiana, principalmente entre as ruas de Maruim e  os pedestres estão disputando espaço com placas de empresas e ambulantes de todos os tipos que estacionam seus carrinhos nas calçadas, prejudicando a circulação e o objetivo principal do alargamento das calçadas que foi dar mais espaço para os pedestres.

 

 

João Batista acertou em não prender pequenos proprietários

Acertadíssima e de elevado bom senso à decisão adotada pelo delegado João Batista coordenador da operação desencadeada para investigar o comércio clandestino de botijões de gás. Segundo matéria publicada no Portal Infonet ontem, 10, os envolvidos na operação apreenderam cerca de 700 botijões de GLP, mas não prenderam os proprietários dos depósitos clandestinos, por considerar que são pais de famílias. Este jornalista é solidário  com a atitude, por entender que embora eles estivessem cometendo um crime perante a legislação,  a gravidade da infração cometida é infinitamente inferior à lesão provocada aos cofres públicos, pelos que desviam milhões e milhões em recursos das áreas de saúde, educação e etc., que continuam impunes e freqüentando as colunas sociais. No caso em tela, os revendedores de botijões são cidadãos que estão buscando sobreviver através da comercialização de um produto adquirido legalmente, quanto à demora da ANP, em liberar a documentação, é preciso investigar para descobrir se a morosidade atende ao interesse de algum grande grupo de revenda.

 

 

Servidora inconformada I

E-mail de uma servidora pública, sobre notas publicadas ontem, 10, nesta coluna, de outro servidor: “Ultimamente tem muitos servidores preocupados com alguns chefes que eram do Governo anterior e permaneceram no cargo. Será que esses servidores têm capacidade pra falar alguma coisa? Será que são capazes de assumir o papel dos atuais chefes? Ou são servidores que viviam usufruindo e mamando do governo anterior sem trabalhar e perderam seus cargos por falta de competência? O que os atinge tanto em saber que pessoas responsáveis e capazes continuaram no cargo? Que capacidade tem essa pessoa que nem coragem de revelar seu nome tem ? Como essa pessoa pode criticar o governo de Marcelo Deda? Como todos podem ver, o Governador Marcelo Deda está cumprindo o que prometeu e assumiu com seus leitores… Que não iria perseguir ninguém e muito menos pessoas responsáveis, ta cumprindo com todos os seus compromissos… Por que criticar tanto um governo que só ta há 6 meses no poder? O que essa pessoa pode falar de moralidade, decência e ética?”.

 

Servidora inconformada II

 Continua a servidora: “Assim como o nosso governador vem sendo cobrado e desmoralizado por pessoas desse tipo, estão fazendo com o Diretor da CODIN, só por que ele era do governo anterior e teve a capacidade de continuar trabalhando honestamente? Será que os demais servidores estão insatisfeito com o trabalho do Professor José Everton ? Por que a fúria apenas de um e não de todos ? São tantas perguntas sem respostas! O que há de errado no trabalho do Diretor da CODIN ? Uma pessoa dedicada e que honra com seus compromissos, que apesar desse tipo de critica, continua trabalhando e cumprindo seu papel. Todos nós sabemos que os contratados estão passando por momentos difíceis por não estarem recebendo, mas não estão recebendo não é por falta de interesse ou falta de comprometimento do Diretor José Everton, do Secretário da Educação Professor Lima ou mesmo do nosso Governador. Estão sim todos empenhados e preocupados em fazer direito e como manda a Lei, pra justamente não acontecer esse tipo de criticas indevidas. Acho que tá na hora de deixarem tanto o Diretor José Everton, quanto o Professor Lima e principalmente o Governador Marcelo Deda trabalharem, e continuarem honrando seus compromisso”.

 

Servidora inconformada III

Por fim escreve a servidora: “Marcelo Deda foi feliz quando nomeou o Professor Lima como Secretário da Educação, nomeou por conhecer seu trabalho e sua ética profissional, quem conhece o Professor Lima sabe que ele jamais decepcionaria o nosso Governador mantendo pessoas incapazes e irresponsáveis como diretor. Se o Professor José Everton continuou é por que mostrou sua capacidade e está cumprindo com seus deveres, acho que ele melhor do que ninguém pra relatar o trabalho do Diretor da CODIN. Trabalho esse que até sua equipe de trabalho mesmo sem receber não o abandonou em momento algum continuam trabalhando normalmente e ajudando-o a fazer o nome do governo junto a SEED.Por que não usam esse mesmo espaço pra falarem das benfeitorias feitas nas Escolas, dos vários Laboratórios de Informática que foram implantados, do suporte a todas as escolas que se diz respeito à informatização!Por que? Parem de criticar e vão trabalhar e tentar fazer o mesmo”.

 

Espaço continua aberto para todos

O leitor já sabe que este espaço é aberto para todos os segmentos. Os leitores emitem diariamente suas opiniões sobre os mais variados assuntos, até mesmo criticando o titular desta coluna. Este jornalista pede apenas que as criticas fiquem no campo administrativo e político, esquecendo completamente o lado pessoal do político, autoridade ou até mesmo servidor a que a critica se refere.

 

 

Frase do Dia

“Sei não! Da última vez que vi um alemão subir no púlpito para falar para milhões, não foi nada bom para os judeus…” De um velho Judeu após ler sobre a visita do Papa que reuniu milhares de fiéis.

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários