Posições se definindo

0

O governador João Alves Filho (PFL) deu um stop em seu trabalho político, para retornar à luta contra o projeto de transposição do das águas do rio São Francisco. Desde que o bispo de Campos (BA) promoveu uma greve de fome por 10 dias, até o momento em que o Governo Federal resolveu reabrir o diálogo sobre esse projeto faraônico, duvidoso e que terá início (por mera coincidência?) no ano eleitoral, que ele está na batalha. João Alves talvez seja o único governador dos estados leitos que ainda esteja no campo de luta, inclusive promovendo encontros constantes de estudiosos contrários à transposição do rio, para adotar medidas sucessivas que impeçam a realização do projeto elaborado pelo Ministério da Integração Nacional e incentivado pelo presidente Lula da Silva, que colocou a transposição como a marca de sua administração, enlameada pela praga da corrupção.

 

Embora João esteja se dedicando com maior intensidade a barrar esse crime que se tenta cometer contra o rio São Francisco, que atinge diretamente Sergipe, ainda se vê uma pouca mobilização política, visando a sucessão.

 

Mesmo assim, as acomodações estão acontecendo dentro do estado, com o fortalecimento de partidos e disposição de nomes para disputar o governo do estado, como é o caso do senador José Almeida Lima (PMDB), que já está colocando out door nas ruas, anunciando que tinha razão quando fez a denuncia contra o então ministro chefe da Casa Civil, deputado José Dirceu (PT). Surgiu também o nome do vereador Elber Filho, que ingressou no PDT com disposição de disputar a sucessão estadual, como uma opção jovem, um pensamento novo, um renovação real da política sergipana. O presidente regional do PDT, João Fontes, revela que Elber não está impondo o seu nome como candidato, “apenas está à disponibilidade para ser indicado como cabeça de chapa do partido, que pretende tentar o comando político administrativo de Sergipe. O vereador Elber Filho é um jovem que não delira. Ele tem consciência, coragem até, de que não fará feio em uma eleição, porque a sociedade exige renovação e está disposta a mudar para valer. Daí a tranqüilidade com que fala da sua possível candidatura.

 

Mas algo acontece no coração dos membros do PSDB. Depois do conturbado período em que os tucanos se bicavam pelo comando da sigla com o senador José Almeida Lima – hoje no PMDB – agora eles convivem com a esperança de ter um candidato a governador do estado. O principal nome continua sendo o de Albano Franco, que é a maior liderança do ninho, embora familiares do ex-governador tentam convence-lo de que o melhor caminho é a Câmara Federal. Albano tem viajado a Brasília e conversado com a tucanagem de alta plumagem, como o próprio presidente nacional do partido, senador Eduardo Azeredo (MG), que o aconselha a disputar o governo, assim como o fez Fernando Henrique Cardoso durante jantar em São Paulo. Todos eles, entretanto, lembram que o caminho para a composição é o PFL, que em Sergipe é adversário do PSDB. Talvez hoje nem tanto quanto antes, porque há muita conversa em torno de um entendimento, desde que o ex-governador Albano Franco tente retornar ao Senado Federal. A maioria dos seus companheiros acha que Franco deve realmente se vincular ao PFL, lembrando que a militância petista mantém o mesmo ranço de sempre ao PSDB, principal adversário do partido de Lula a nível nacional.

 

Albano tem ouvido todas as opiniões. Conversa muito com o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que tenta conduzi-lo para o grupo que apóia Marcelo Déda a governador, baseado no fato de que está lá os opositores de João Alves Filho. O ex-governador usa da paciência, que é uma de suas principais armas e vai analisando as condições, sem grandes manifestações. Caso haja uma queda da verticalização, esse quadro pode ficar definido em favor do prefeito, mas se a coligação nacional for mantida, dificilmente ele poderá fazer uma opção que contrarie o partido em Brasília. Falta muita coisa a se definir, mas se depender dos seus aliados, o PSDB estará formando uma boa composição, lançando chapa majoritária e disputando mandatos de deputado estadual a governado.

 

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) acha que para celeridade do projeto de revitalização do rio São Francisco, a Câmara deveria dar continuidade à proposta original.

A PEC original, de autoria do senador Valadares, aprovada no Senado, reserva dos impostos federais 0,5% para a revitalização do rio São Francisco, o que daria R$ 300 milhões por ano.

 

MENOS

Valadares diz que o Governo quer gastar menos com a revitalização do rio e o desenvolvimento sustentável, o que não o fez aceitar a proposta original.

Mas, de outro lado, os estados, através de seus representantes, não aceitam perder 10% do que recebem para revitalizar o São Francisco.

 

PALLOCI

Na realidade foi o ministro da Economia, Antônio Palloci, que não aceitou que o governo liberasse 0,5% dos impostos arrecadados para cuidar do São Francisco.

O próprio deputado Fernando Ferro (PT-PE) revelou que chegou ao máximo que pode, que foi propor 0,2% dos impostos arrecadados do governo.

 

COMPROMISSO

O senador Antônio Carlos Valadares admite que diante do compromisso do governo assumido com o bispo Luiz Cappio, não pode engavetar isso.

De qualquer forma um projeto que fortaleça permanentemente a revitalização terá de sair, para que se pense em transposição das águas.

 

FONTES

O deputado João Fontes (PDT) acha que em Sergipe só tem duas candidaturas ao governo do estado: “a do prefeito Marcelo Déda (PT) e dó governador João Alves (PFL)”.

O PDT está buscando uma assinatura majoritária e já tem um nome colocado, a do vereador Elber Filho (PSB), que pôs seu nome à disposição do partido.

 

ALMOÇO

Durante um almoço com o senador Valadares e dois colegas do interior, o prefeito Marcelo Déda (PT) reafirmou a sua candidatura ao governo do estado.

Déda, inclusive, já teve uma reunião com seus secretários e determinou a aceleração dos serviços, em razão de sua desincompatibilização em abril.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) esteve rapidamente com o senador Tasso Jereissati (CE) e mais tempo com o presidente nacional do partido, senador Eduardo Azeredo (MG).

Os dois insistem que Albano seja candidato a governador do Estado, mas aceitam também que ele dispute o Senado, dentro de uma composição com o PFL.

 

ALIADOS

A maioria dos aliados de Albano Franco – inclusive os mais próximos – também defende sua candidatura ao governo e, da mesma forma, também ao Senado.

Coincidentemente a maioria total o quer em vinculação com o PFL, porque não acredita que segmentos mais radicais do PT votem nele em caso de uma composição com Déda.

 

GARIBALDI

O deputado estadual Luiz Garibaldi (PMDB) disse que a partir de agora é sair em campanha para aglutinar aliados. Disse que a baixa dentro do seu partido foi pequena.

Garibaldi lembra que a partir da próxima sexta-feira é que tudo estará definido, depois que os partidos entregarem as atas ao TRE.

 

CANDIDATURA

Luiz Garibaldi acha que a questão da candidatura ao governo do estado é uma definição que não pode ser discutida agora, como se o pleito fosse este ano.

Lembra que a direção Nacional do PMDB determinou candidaturas ao governo do estado e não tem dúvida que o nome de Almeida Lima é o mais forte.

 

CONVERSA

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) teve uma demorada conversa com o correligionário Luiz Garibaldi e tratou sobre a unificação do partido.

Segundo informou Garibaldi a idéia geral do partido, inclusive do Jorge Alberto, é a somação para que o PMDB saia forte para as próximas eleições.

 

CARTA

Deu em O Globo: “Dois dias antes de encerrar a greve de fome contra a transposição do rio São Francisco, o bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, recebeu duro recado do Vaticano.

A cúpula da Igreja Católica deu ultimato ao bispo e determinou que ele interrompesse o protesto. Numa mensagem incisiva, a Santa Sé cobrou obediência, independentemente das negociações com o governo federal”.

RADICAL

Enviada pelo cardeal italiano dom Giovanni Battista Ré, prefeito da Congregação para os Bispos a carta pede que dom Luiz não prossiga no que o Vaticano classificou de “gesto radical”.

“Em nome da Santa Sé, peço firmemente que não prossiga com esse gesto radical. Não é esse o modo aceitável para exprimir sua solicitude e sua doação pelo povo de Deus”, diz a carta.

 

 

Notas

 

FUNDO-1

A comissão especial criada para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 524/02, que cria o fundo de revitalização da bacia do rio São Francisco, vai reunir-se no próximo dia 27, às 14 horas, para a leitura do parecer ao projeto original aprovado no Senado. A reunião de foi cancelada em razão da Ordem do Dia
O relator da PEC, deputado Fernando Ferro (PT-PE), anunciou que vai rever seu relatório nos pontos de discordância entre os parlamentares. É que a maioria não aceita que os estados participem com mais recursos que a união.

 

FUNDO-2

O texto do relator reduz os recursos de 0,5%, do projeto original de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) para 0,2% do produto da arrecadação dos impostos federais, mais 10% das verbas de estados e municípios, da exploração de recursos hídricos para geração de energia elétrica sejam destinados ao fundo.

A Constituição determina a estados e municípios que tiveram partes de seus territórios inundados pelos reservatórios das usinas hidrelétricas recebam 5,4% do valor da energia elétrica produzida, a título de compensação financeira.

 

DECLARAÇÃO

A Justiça Eleitoral estuda a publicação das declarações de bens dos candidatos no site do Tribunal Superior Eleitoral, disse o presidente do TSE, Carlos Velloso. “Essa é uma questão que estamos examinando. Asseguro que essa providência será adotada”, ressaltou Velloso que participou da série Debates Terra.

Carlos Velloso disse que em 2006 as prestações de contas dos partidos políticos serão disponibilizadas na internet. Ele não deixou claro, contudo, se os gastos eleitorais serão divulgados antes das eleições.

 

 

É fogo

 

O presidente da Câmara Federal, Aldo Rebelo (PCdoB) fará de tudo para evitar a cassação de corruptos. É lamentável que isso esteja ficando claro.

 

Não fosse o envolvimento de Severino Cavalcanti com o suborno do restaurante, os corruptos tinham menos amparo na Câmara. Olha o Severino fazendo falta.

 

É uma pena que o PCdoB, que não teve nenhum dos seus membros envolvidos em nada, esteja agora procurando proteger os responsáveis pela bandalheira no pais.

 

O deputado estadual Zé Milton (PSL) reuniu-se com o ex-prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha, para traçarem estratégia das eleições de 2006.

 

Armando Batalha acha que dá para eleger um parlamentar pelo PV, que está se coligando com o PSL e PTN.

 

Goretti Reis (PFL) entende que é preciso fazer campanhas para estimular as mulheres a participar mais ativamente das eleições parlamentares.

 

Projeto do deputado estadual Augusto Bezerra obriga que todas as repartições públicas permaneçam com suas bandeiras hasteadas por 24 horas.

 

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Antônio Passos (PFL) retornou à Casa, depois de uma rápida cirurgia.

 

Durante café da manhã realizado ontem, o secretário da Sectur, Pedrinho Valadares, lançou o projeto “Sergipe, História e Música”.

 

Computadores de até R$ 1,4 mil serão financiados pela Caixa Econômica e pelo Banco do Brasil, com prazo de até 24 meses.

 

Relatório apresentado segunda-feira revela preocupação dos principais agentes do setor elétrico em relação ao fornecimento de energia para o final da década.

 

A greve dos bancários chegou ao fim. Em Aracaju o movimento teve pouca repercussão, porque as agências funcionaram normalmente.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários