PREVENÇÃO À SÍFILIS NA GRAVIDEZ

0

Mais uma vez, o Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Saúde realizará a campanha de prevenção durante as festas juninas, com o tema “Prevenção à Sífilis na gravidez”.   O motivo todos já sabem: ainda é preocupante o número de crianças que nascem com sífilis congênita no nosso estado.

A campanha tem o objetivo de aproveitar concentração de pessoas nos locais das festas juninas e alertar as gestantes que iniciem o pré-natal o mais cedo possível e convidem os seus respectivos parceiros para a realização dos exames (teste de sífilis e HIV). A ação educativa será realizada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde, no Arraial do Povo, na orla de Atalaia, no período de 18 a 29 de junho, onde serão disponibilizados folhetos educativos, preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante. Os municípios que estão registrando maior número de casos de sífilis em gestantes e em crianças e aqueles que vão realizar as festas juninas receberão todo o material da campanha: camisas, porta-camisinhas, baneres, faixas e folhetos informativos.

O slogan da campanha é: “COM GRAVIDEZ NÃO DÁ PRA BRINCAR. FAÇA O TESTE DA SÍFILIS COM O SEU PARCEIRO E DEPOIS, BOM ARRAIÁ”.

O foco da campanha, mais uma vez será a prevenção à Sífilis Congênita, um doença transmitida da mãe para o feto, ainda no útero, quando o pré-natal não é feito corretamente.

Foram notificados, até o mês de maio, 97 casos de sífilis congênita em Sergipe. Os municípios de Socorro, Aracaju, Estância, São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e Itabaiana são os que apresentam situação mais preocupante.
As maiores falhas do pré-natal são: início tardio – mulheres que iniciam o pré-natal já com 4, 5 e até 8 meses de gravidez; diagnóstico tardio da gravidez – adolescentes e mulheres que às vezes estão grávidas e não sabem, confirmando a gravidez, por exemplo, no terceiro mês, iniciando tardiamente o pré-natal; o parceiro da gestante não participando do pré-natal – às vezes a gestante está com sífilis e faz o tratamento, mas o seu parceiro não aceita se tratar.

Informações Gerais sobre a Sífilis

A sífilis pode ser transmitida por meio da relação sexual sem preservativo, sangue infectado e da mãe para o filho durante a gravidez. É uma doença grave e pode causar sérias consequências para a saúde da criança, malformação do feto e até a morte.
Na gravidez, caso o exame para Sífilis dê positivo ou reagente, é necessário que o parceiro realize o tratamento junto com a gestante para que o bebê nasça saudável. O homem ou a mulher deve usar o preservativo durante o tratamento para evitar a reinfecção. Mesmo que a gestante e seu parceiro não apresentem sintomas, o bebê estará em risco se o casal não realizar o tratamento adequado. O exame e o tratamento da sífilis são simples e gratuitos para o casal e para o bebê em todas as Unidades de Saúde.

Comentários