Processem o governo

0

Já chegou a hora de a sociedade sergipana reagir contra a crescente onda de violência que campeia em Sergipe. Em vez de seguir se lastimando pelos prejuízos sofridos e chorando a perda de parentes e amigos, covardemente abatidos pela bandidagem, o povo deve levar o Governo às barras da Justiça, exigindo elevadas indenizações pelos prejuízos sofridos. É preciso cobrar nos tribunais que o Executivo cumpra o artigo 144 da Constituição Federal que, sem rodeios, estabelece ser o direito à segurança uma prerrogativa indisponível, garantido mediante à implementação de políticas públicas. Além de condenar o Governo a pagar vultosas indenizações às vítimas da incompetência policial, é possível à Justiça determinar a implementação pelo Estado, quando inadimplente, das ações de segurança constitucionalmente previstas. Portanto, vamos inundar os fóruns de ações contra a leniência do Executivo, que insiste em não enxergar a sangrenta guerra civil travada no entorno do bem protegido Palácio, onde se refastela o governante de plantão.

Corta na carne

Assessores do governador Jackson Barreto (PMDB) garantem que ele anunciará esta semana medidas drásticas para o Estado economizar algo em torno de R$ 30 milhões ao mês. Os cortes passam pela exoneração em massa de comissionados, redução dos gastos com combustível e diminuição do exagerado número de Secretarias. Há quase um ano, o peemedebista também prometeu cortar na carne visando reduzir as despesas em R$ 80 milhões, porém as medidas adotadas não resultaram em nada. Será que agora vai?

Braços cruzados

Os servidores do Tribunal de Justiça de Sergipe amanheceram decididos a paralisar aquele Poder. Para protestar contra o mísero reajuste salarial de 6,5%, eles cruzaram os braços durante todo o dia de hoje. A paralisação também visa protestar contra os elevados salários dos ocupantes de cargos em comissão e ao auxílio moradia pago aos juízes, superior a R$ 4,3 mil. Portanto, se você tem alguma coisa para resolver na Justiça, deixe para fazê-lo outro dia.

Queixo duro

A demissão em massa de comissionados, ameaça de redução dos salários dos servidores efetivos e cancelamento de contratos com prestadores de serviço, mergulharam Canindé de São Francisco numa grave crise. Por conta destas medidas adotadas pela Prefeitura, o comércio local praticamente parou, devendo também promover demissões. Enquanto isso, o pastor Heleno Silva (PR) não se cansa de alardear que dá muito trabalho ser prefeito e, por isso, quer se eleger senador em 2018. É muito queixo duro, não?

Ingratidão

O deputado estadual Zé Franco (PDT) espera que o padre e deputado estadual eleito Inaldo Silva (PCdoB) desminta o ex-prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB). É que o comunista anda alardeando por aí que na eleição passada o vigário demonstrou ter mais força em Nossa Senhora do Socorro do que o pedetista. Zé Franco acha uma injusta a afirmação de Nogueira, pois ele até rompeu com o partido para apoiar a candidatura do reverendo vermelho. É, ingratidão tira a afeição!

Otimista

Apesar da Copa do Mundo e das eleições gerais, que provocaram certa instabilidade na economia, os empresários da construção civil sergipana não se queixam de 2014. “Foi um ano bom. Passadas as eleições, a gente já começa a perceber um certo aquecimento do mercado imobiliário. As pessoas voltaram a comprar imóveis. Melhor exemplo disso foi a grande visitação registrada no 8º Salão Imobiliário de Sergipe”, afirma o empresário Tarcísio Teixeira, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil em Sergipe (Sinduscon).

Candidato

A depender do vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB), João Alves Filho (DEM) disputará a reeleição para prefeito de Aracaju em 2016. Entrevistado pelo Jornal da Cidade, o tucano não apenas acredita que o amigo se candidatará como vencerá as eleições. Este Machadão é mesmo um otimista exagerado!

Abram o olho

Vejam o que publica o colega Gilvan Manoel no Jornal do Dia: A ação do Ministério Público Federal pedindo a demolição de 65 bares construídos na faixa de areia da orla de Aracaju deve ser vista com muita seriedade pelo Governo e a Prefeitura. Ação semelhante em Salvador acabou com todos os bares e restaurantes existentes na orla da capital baiana. Desde 2009, o MPF tenta adequar os estabelecimentos comerciais, mas as autoridades não levaram muito a  sério a fiscalização. Se não agirem agora, a demolição pode se tornar inevitável.

Bem na fita

Os bancos estão entre os poucos setores da economia que não têm queixa de 2014. “Expandimos o volume de crédito oferecido, ampliamos o número de agências, batemos recorde na quantidade de clientes e elevamos o número de empregados”, festeja Anacleto Grosbelli, superintendente da Caixa Econômica Federal em Sergipe. A superintendente do Banco do Brasil, Lúcia Helena Cuevas, faz o mesmo discurso: “Tem sido um excelente ano tanto para os negócios de pessoas físicas quanto jurídicas”. Como deve ser bom negociar com dinheiro, né?

Banco dos réus

A jornalista Ana Alves, esposa do deputado federal Mendonça Prado (DEM), processou o internauta Reinaldo Henrique por injúria e difamação. O rapaz postou no Instagram ataques à honra de Aninha e, sem provas para sustentar as acusações, se retratou publicamente. Satisfeita com o resultado da ação judicial, a moça alerta: “Sempre que for agredida em minha honra, recorrerei à Justiça. Fica a dica! Simples assim!”. Ela está certíssima!

Recorte de jornal

Publicado no Correio de Aracaju em 24 de agosto de 1921

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais