Processo sucessório

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, se ausentará da cidade por alguns dias. Vai descansar a cabeça, como diz. Ao retornar vai iniciar uma série de contatos visando as eleições municipais do próximo ano, onde o seu nome aparece na linha de frente para disputar a reeleição. É, disparado, a unanimidade do bloco oposicionista, mas ainda há muito que pensar para ver se isso seria realmente o melhor para preparar o vôo mais alto de chegar ao Governo do Estado em 2006. A candidatura de Déda não é mais à Prefeitura – lá ele só deverá passar 16 meses – mas à sucessão estadual em 2004. Marcelo Déda, ao permanecer na Prefeitura e não disputar o Governo em 2002, passou a ser a referência de oposição no Estado. Acontece que uma ausência demorada sem mandato, pode prejudicar a sua tentativa de chegar, com força, na disputa sucessória de 2006. Isso aconteceu com o ex-prefeito Jackson Barreto, em 1994, quando foi derrotado para governador. Parte disse deve-se ao seu período em que ficou amparado pelo primo José Almeida Lima, que o sucedeu na Prefeitura e, reconheça-se, trabalhou para faze-lo sucessor do mesmo João Alves Filho, que também era governador na época. Evidente que Marcelo Déda está com muito mais força atualmente, porque conta com o apoio do seu compadre Lula da Silva. Mas vai precisar de um vice experiente para trabalhar em favor de sua candidatura e ser o maestro da campanha. Ou um vice que aceite ser prefeito apenas de direito, deixando Marcelo Déda tomar a frente, de fato, de todas as ações da Prefeitura. Tem quem defenda, inclusive no Planalto, uma posição de ministro para Marcelo Déda. Esse pessoal considera que seria uma melhor preparação para chegar ao Governo. Evitaria alguns desgastes que naturalmente acontece quando se está à frente de uma Prefeitura e a abandona dois anos antes para tentar ser governador. Fala-se que o candidato a prefeito pode ser José Eduardo Dutra. Pode acontecer, mas só se for uma exigência absoluta da Direção Nacional do partido. Dutra sonha em retornar ao Senado, onde exerceu um bom mandato, e o melhor caminho continua sendo a Presidência da Petrobrás. Lógico, que neste cargo ele fica mais distante de Sergipe. Nem tanto, porque a estatal tem compromissos aqui e ele não perdeu os contatos com suas bases. Colabora, inclusive, com algumas cidades, através de incentivos normais da estatal que administra. Além disso, com absoluta certeza, não se dá para imaginar um cidadão trocar a Presidência da única multinacional do Brasil, por problemas da Prefeitura de Aracaju. A não ser para ir ao sacrifício, por determinação do partido. Mas a sucessão de Marcelo Déda não será um passeio, como aconteceu da vez anterior. O governador João Alves sabe muito bem das suas intenções e vai trabalhar firme para evitar que os projetos eleitorais da oposição tenham absoluto sucesso. João também vai viajar, descansar a cabeça, tomar um bom vinho e sentir os ares do primeiro mundo. Quando retornar para a realidade sergipana, o fará com disposição para ir ao enfrentamento, para vencer. Ninguém se engane: com o segundo turno, a parada será dura, porque contra a performance de Marcelo Déda há o desalinho do Governo Lula. Há muita decepção do povo com o Planalto e isso vai aumentar quando os aposentados começarem a tirar o dinheiro do bolso para retornar a pagar a Previdência. Se essa frustração for transferida pra os nomes apoiados por Lula, certamente as candidaturas petistas terão muitas dificuldades. Além disso, os candidatos que estarão disputando com Déda tem um bom potencial de trabalho na capital e sempre foi bem votado pelo eleitorado de Aracaju. Pedrinho Valadares, Susana Azevedo, Gilmar Carvalho e a surpresa que pode vir do PDT não são nomes fáceis e que têm garra para a lutar. Por trás deles terá um homem com experiência em eleições, principalmente quando está à frente do Estado. Será uma parada dura. Some-se a isso à campanha que o deputado federal João Fontes, expulso do PT, fará para mostrar como se comporta a democracia petista. João não vai trabalhar a favor de nenhum candidato do Governo do Estado, mas os seus discursos certamente serão contra Marcelo Déda. É bom lembrar que João Fontes foi quem trabalhou a candidatura do atual prefeito, junto ao então deputado federal e presidente do PT, o todo poderoso José Dirceu. Não será um passeio para Déda. Haverá uma disputa que precisará de muito trabalho para superar o adversário, que vem com sede de Prefeitura. Isso, se realmente ele for o candidato à reeleição. TELEFONEMA O prefeito Marcelo Déda (PT) ficou irritado porque a Energipe ainda não havia feito as ligações das luminárias da orlinha, no bairro Industrial, quarta-feira passada. Não pensou duas vezes: sacou do seu celular e ligou para a ministra das Minas e Energia, Vilma Resolt, e disse que estavam boicotando ele em Sergipe. MAIS FÁCIL Seria muito mais fácil o prefeito ter ligado para qualquer dos diretores da Energipe que o problema seria resolvido de imediato. A ministra, com certeza, tinha coisa mais importante a fazer do que cuidar de ligação de orlinha em Aracaju. Além disso, o prefeito queimou um cartucho, que poderia ser utilizado em fato de maior relevância. ULICES O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) voltou a acusar o deputado Augusto Bezerra de ter levado o relatório sobre as contas do ex-governador Albano Franco, para Propriá. Disse que o relatório ficou guardado no carro do seu colega pemedebista e que a entrega foi feita às 5 horas para não dar tempo a ser votada. PROJETOS Quanto à acusação de ter guardado projetos, quando foi líder do Governo Albano Franco, Ulices Andrade disse que realmente fazia daqueles que tinham problemas constitucionais. Segundo Ulices, ele jamais engavetou projetos que eram de interesse do sociedade ou que prejudicaria o povo. AUGUSTO O deputado Augusto Bezerra (PMDB), que viajou a Brasília, não quis mais entrar em polêmica, porque acha que é um assunto ultrapassado. Considera que cumpriu o seu papel e que não vê nenhum problema que as contas sejam votadas quando recomeçar o ano eletivo. SUICÍDIO A irmã do ex-deputado Joaldo Barbosa, assassinado dia 27 de janeiro, Fátima Barbosa, tentou o suicídio ingerindo forte dose do veneno para ratos conhecido por Chumbinho. Fátima estava com forte depressão e seu estado de saúde é delicado. Até à tarde de ontem ela permanecia na UTI do Hospital São Lucas. REVOLTA A família do ex-deputado Joaldo Barbosa está em estado de choque desde a sua morte. Até o momento o principal acusado de ser o mandante, Antônio Francisco, não foi preso. Outro possível envolvido, Floro Calheiros, a polícia praticamente deixou fugir e até o momento não se tem notícias dele. RECURSOS Chegaram recursos para a Superintendência da Polícia Federal em Sergipe. O suficiente para pagar os salários dos agentes. Entretanto, não há recursos para diligências. O fugitivo Floro pode continuar tratando dos seus negócios utilizando o jatinho. CONVERSA O deputado federal José Carlos Machado (PFL) está conversando com o relator do orçamento, Jorge Bestar (PT) para que Sergipe atinja a mais de R$ 100 milhões em emendas. Machado disse que os demais parlamentares, como o senador Antônio Carlos Valadares, também estão trabalhando muito para aprovação das emendas de interesse de suas regiões. AUMENTO José Carlos Machado explicou que Sergipe recebeu sempre 2.86% do total das emendas apresentadas pela bancada. Este ano Sergipe vai superar os 3% mesmo que os valores absolutos para divisão com os Estados tenham caído de R$ 6 bilhões para R$ 4 bilhões. ASSINATURA O governador João Alves Filho passou todo o dia de ontem em Brasília. Assinou o protocolo de intenções, no valor de R$ 94 milhões, para duplicação da adutora do São Francisco. De Brasília, o governador seguiu direto para Recife e a sua assessoria não informou as razões. Retornou a Aracaju e jantou com jornalistas no Veraneio. PROTESTO O senador José Almeida Lima (PDT) protestou contra a falta de investimento, pelo Governo Federal, em infra-estrutura em Sergipe. Citou, especificamente, o abandono da obra de duplicação de 12 quilômetros da BR-101, até o entroncamento com a BR-235, na saída de Aracaju. PESAR O ex-governador Albano Franco (PSDB) tem recebido telegramas e telefonemas de pesar, de todo o Brasil, pela morte do seu pai, Augusto Franco. Ainda muito emocionado, o ex-governador diz que seu pai deixou um rastro de trabalho, honestidade e dignidade. A emoção maior foi com a demonstração de sentimento da comunidade, durante o sepultamento. Notas CONVOCAÇÃO O governador João Alves Filho (PFL) vai convocar a Assembléia Legislativa, durante o recesso, para aprovar o projeto de Reforma Administrativa. Poderia ser em fevereiro, quando reiniciassem os trabalhos, mas, como sempre, venceu o apelo dos parlamentares, que recebem um salário a mais em dezembro. O Governo vai fazer uma “lipoescultura” do modelo que está aí, para retirar todas as gorduras que se esparramam por setores menos cuidadosos da Administração. Será realmente uma cirurgia para acabar com os excessos. DESAPARECE Uma fonte influente do Governo disse que algumas Secretarias vão simplesmente desaparecer. Outras se integrarão e algumas pessoas ficam de fora. O próprio governador reconhece que há excessos de Secretarias funcionando, sem acrescentarem nada à Administração, mas aumentando os gastos com custeio. Algumas Secretarias serão esvaziadas naturalmente, porque os seus titulares são candidatos nas próximas eleições, como é o caso de Pedrinho Valadares, que terá de deixar Turismo para disputar a Prefeitura de Aracaju. AGILIDADE O projeto de Reforma Administrativa vai reduzir as despesas, para que o Governo tenha mais agilidade, maior criatividade, unidade de procedimento, tudo a custos bem mais baratos. O inchaço da máquina a torna capenga e muitas coisas deixam de ser solucionadas da forma que o governador deseja. Apesar dos cortes nas gorduras, haverá o cuidado na eficiência, porque não pode deixar de oferecer um espaço generoso para os compromissos políticos do Governo. Afinal, 2004 é um ano de eleições municipais. É fogo Os admiradores de Marcelo Déda vibraram com o telefonema que ele deu para a ministra, sobre a ligação das luminárias da orlinha. Minutos depois, mais calmo, ouviu de uma brincadeira: “qualquer coisa e a gente derruba a árvore de Natal na Coroa do Meio” Todos riram. O comércio começa a receber maior número de clientes esta semana e o comércio vai ficar aberto no sábado e domingo. Além da cantora Beth Carvalho, na orla de Atalaia, cinco trios elétricos vão circular, com bandas contratadas de outros Estados, durante o reveillon. Os governadores do Nordeste assinaram convênio com o Governo Federal para uso dos recursos do FGTS em obras de saneamento básico. O deputado federal José Carlos Machado almoçou, ontem, em Brasília com alguns prefeitos de cidades sergipanas que estavam em busca da liberação de recursos. O ex-deputado Jorge Araújo (PSDB) tem dito aos amigos que vai disputar uma vaga na Câmara Municipal, no próximo ano. A senadora Maria do Carmo Alves apelou para que o Ibama libere 50 projetos de criação de camarão em Sergipe e não suspendas as que já foram cedidas para 20 projetos em andamento. A Receita Federal está preparando um presente de Natal para os contribuintes, com um lote extra de restituição, no dia 22 próximo. Depois de perder para inflação pelo período de quatro anos, a Caderneta de Poupança, a mais tradicional aplicação, este ano sairá ganhando alguma coisa. O governador João Alves Filho deve viajar ao exterior dia 2 de fevereiro. Já deixa pronta a convocação extraordinária da Câmara Federal. As emendas para o Orçamento da União só devem ser aprovadas entre segunda e terça-feira. A partir daí é que os deputados federais entram em recesso. Como a próxima sexta-feira, 26, é um dia imprensado, é possível que o Governo do Estado decrete ponto facultativo. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários