PROGRAMA ELEITORAL

0

É natural que se faça um comentário sobre o primeiro programa eleitoral de candidatos ao Governo do Estado. Como é o início dessa caminhada televisiva, percebe-se que todos se mostram “softs”, expondo currículos, apresentando-se ao lado familiar, sem se aprofundar em projetos e nem fazer qualquer tipo de alusão direta aos adversários. Tudo na base de um certo cuidado, para não exagerar na dose já nesse primeiro encontro com o eleitor. Quem imaginou que os programas ficariam monótonos quebrou a cara. Pelo menos três deles têm boa plástica, com arquivos bem selecionados, participação de eleitores, presença de candidatos junto ao povo, enfim, tudo que acontecia nos programas anteriores, quando não existiam medidas que controlavam a publicidade eleitoral.

O governador João Alves Filho (PFL) chegou com uma camisa verde clara – da Tommy Hilfiger – e falou sobre seu trabalho para impedir a transposição do rio São Francisco. Referiu-se à questão da ação de governo para colocar estudantes das escolas públicas no ensino superior e da implantação do Pró-Uni. O programa colocou imagens do governador ao lado de eleitores e fez flash de várias obras realizadas durante o seu governo. Logo de início, João Alves Filho apareceu exageradamente sério, quando o momento pedia descontração. Depois de uma tomada externa, o governador retornou com a fisionomia menos tensa, sorridente, gesticulando com menos rispidez, para pedir que os eleitores lhe dêem oportunidade de continuar trabalhando por Sergipe e fazendo obras importantes para o estado, “na educação, nos programa sociais, na agricultura, no turismo, na geração de empregos e promover o desenvolvimento sustentável”.

O prefeito Marcelo Déda foi chegando aos poucos. Primeiro como criança que brincava em Simão Dias, depois o colégio em que iniciou os seus estudos, mais adiante com a família e finalmente fotografou a atuação no movimento estudantil e como parlamentar na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal. Déda apareceu como todos esperavam: de camisa vermelha, mas surpreendeu pelo bom gosto do gabinete em que fez a gravação. Também foi moderado e pôs à vista o bom desempenho que demonstra em programas de televisão. Disse que quer fazer por Sergipe o que fez por Aracaju e também mostrou externas de obras realizadas, do Samu, de casas populares e de asfalto em avenidas. Também apareceu em caminhadas, abraçando eleitores desenvoltos. Insistiu na necessidade de mudanças e que é preciso uma renovação.

Um fato interessante que os candidatos praticam e o telespectador não acredita: é beijar rostos e cabelos que, em qualquer outra situação, eles jamais beijariam.

O candidato a governador pelo PDT, deputado federal João Fontes, também anexou imagens de sua vida parlamentar, ao lado de Heloisa Helena, Babá e Luciana Genro no dia de sua expulsão do PT, além da participação no plenário e tribuna da Câmara Federal, na luta contra a corrupção. O seu pronunciamento foi curto e se colocou como uma única opção para a mudança. No final, citou a sua filha Carol, para fortalecer a disposição de continuar nessa luta em favor da dignidade e honestidade com a coisa pública.

Os demais candidatos se apresentaram dentro do tamanho e limite dos seus partidos. O economista Adelson Alves mostrou, em pouco tempo, grupos folclóricos, pontos de Aracaju e o anexou à Educação e Cultura. Também foi visto cumprimentando eleitores em alguns pontos de Aracaju. Fechou com um nome forte, que deverá marcar sua candidatura: “o guerreiro”. Toeta, do PSTU, de cabelos revoltos, pisou firme em seu discursos contra os banqueiros e a favor dos trabalhadores brasileiros, atirando para todos os lados. O candidato do PCB, Milton Macedo Neto, prometeu reformas na Educação e não foi muito além do que isso.

Quanta à plástica que movimentou todos os programas, uma pessoa vinculada a uma emissora de televisão declarou que o do PFL/PSDB não estava no nível de uma Macplan.  

 

 

TRANSPOSIÇÃO

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu ontem a decisão que impedia as obras de transposição do rio São Francisco.

Ninguém soube informar se o governo pretende iniciar imediatamente as obras, mas sabe-se que há novas ações para impedir a transposição.

 

INFORMAÇÃO

A suspensão da decisão que impedia as obras de transposição do rio São Francisco foi divulgado pela TV-Justiça, em seu informativo das 19 horas.

O governador João Alves Filho já fez um programa para apresentar na televisão, mostrando a situação de “falência múltipla dos órgãos” em que se encontra o São Francisco.

 

CLEONÂNCIO

O deputado federal Cleonâncio Fonseca (PP) não vai desistir da candidatura à reeleição, porque pretende enfrentar o processo dos sanguessugas e provar inocência.

Segunda-feira à noite ele apareceu no programa de televisão, anunciando candidatura e pedindo voto à população.

 

MUDANÇA

O economista Sérgio Fontes deixa a coordenação política da campanha do governador João Alves Filho (PFL), que disputa a reeleição.

Sérgio retorna à posição anterior na Secretaria para Assuntos Políticos do Governo do Estado, no Palácio dos Despachos.

 

VOVÔ

O vereador suplente Vovô Monteiro assume a secretaria de Assuntos Parlamentares da Prefeitura na segunda-feira. Permanece lá independente do resultado das eleições.

Vovô Monteiro era ligado politicamente ao senador José Almeida Lima (PMDB), mas se afastou dele por discordar do seu estilo de fazer política.

 

CONSULTA

Através de consulta ao site do TSE, vários candidatos a deputado estadual e federal estão com o registro de candidatura aguardando julgamento.

Existem também várias desistência, duas ou três renuncias, entre elas a de Heleno Silva, e impugnações como a do ex-prefeito José Nelson e do ex-deputado Gilmar Carvalho.

 

JULGAMENTO

Consultado, o radialista Gilmar Carvalho disse que a impugnação é por questão de multa eleitoral, que ele negociou e está pagando.

Segundo Gilmar, “dentro de mais alguns dias haverá o julgamento e minha candidatura será deferida, assim como foi a do deputado federal Jackson Barreto (PTB)”.

 

CLASSE MÉDIA

O candidato a governador pelo PDT, deputado federal João Fontes, diz que vai buscar o voto da classe média: “esse eleitorado é que quer fazer a mudança”.

Segundo João Fontes, o candidato Marcelo Déda está indo a busca dos eleitores do “Bolsa Família”. Esse pessoal se deixa enganar por pouco.

 

DIFERENÇA

João Fontes acha que no programa eleitoral, dentro de mais alguns dias, é que vai fazer a diferença, porque mostrará contradições dos dois lado.

Ele disse que não adianta decantar mudanças, quando a sociedade sabe da administração sem reformas que todos fizeram.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PMDB) continua sem interferir nas eleições e reconhece que elas estão sem emoção e interesse da população.

Almeida vai continuar sem participar da campanha, embora tenha feito alguns contatos para ajudar um deputado aliado.

 

GRAVAÇÃO

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) fez uma gravação de 30 segundos e enviou para que o partido inserisse no programa eleitoral.

Ontem ele não apareceu e diz que vai esperar até sábado para ver se realmente há um veto ao pessoal que discordou da coligação.

 

REAÇÃO

Há uma reação dos deputados rebeldes para gravação com obrigatoriedade de dizer o nome de João para governador e Maria do Carmo para o Senado.

Jorge disse que o clip que produziu foi igual e na mesma produtora que Laércio Oliveira e Albano Franco fizeram, dentro do mesmo estilo.

 

FOLHA

A coluna recebe um e-mail de um eleitor que se identifica como “Joaldo”. Diz que sos candidatos a deputado “deveriam tirar folha corrida na Polícia”.

Segundo “Joaldo” fica difícil saber quem é capaz de ser mensaleiro ou colocar uma emenda para superfaturar ambulâncias: “não vou ser conivente com a formação de quadrilha”.

 

 

Notas

 

SECRETO-1

O presidente da Câmara, Aldo Rebelo, disse ontem que a proposta do voto aberto nas decisões da Casa é uma de suas prioridades. Ele lembrou, no entanto, que a medida precisa ser negociada com os líderes de partidos para que possa entrar na pauta do esforço concentrado da primeira semana de setembro.
O fim do voto secreto no Congresso Nacional está previsto na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do deputado Fleury (PTB-SP). A matéria está pronta para ser votada em plenário, agora em setembro.
 

SECRETO-2

O fim do voto secreto é bom, principalmente para acabar com o corporativismo, que aconteceu abertamente quando da votação de cassação de mandato. No caso do mensalão a maioria foi absolvida exatamente pela força desse artifício, que beneficiou corruptos que recebiam dinheiro para votar a favor do governo.

Com a máfia das sanguessugas, que tem dezenas de deputados e senadores envolvidos e que podem entrar no processo de cassação, o corporativismo poderá salvar muita gente que se fez às custas de emendas.

 

DÍVIDAS

A Câmara estuda revisão da legislação que regulamenta o protesto de títulos e outros tipos documentos comprobatórios de dívidas. As alterações constam do Projeto de Lei, do deputado Mauro Benevides (PMDB-CE). Uma das inovações da proposta é a que permite que o credor proteste a dívida sem pagar taxa.

Outra novidade é a criação de um serviço nacional de informação – por internet, fax ou telefone – gratuito que permitirá ao público em geral saber se uma pessoa ou empresa tem títulos protestados.

 

É fogo

 

Apresentando o segundo maior índice do ano, o aeroporto de Aracaju voltou a registrar um movimento considerável no mês de julho.

 

Os desembarques perderam apenas para junho, mês considerado como point turístico em razão dos festejos juninos de Sergipe.

 

A deputada estadual Susana Azevedo (PSC) fez uma visita às mulheres rendeiras de Divina Pastora. Mais de 20 mulheres trabalham diariamente na confecção de rendas.

 

Susana é uma grande incentivadora do turismo regional, prometeu dar melhores condições de trabalho para as mulheres que passam de geração para geração essa atividade.

 

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) fez uma visita ao mercado que ele construiu e ouviu agradecimentos dos feirantes.

 

José Sidnei Leite, repórter-fotográfico morreu ontem na Clinica Renascença, onde estava internado há duas semanas. O sepultamento ocorreu à tarde.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) cobra do governo do estado informações sobre o Projeto Luz para Todos, porque em alguns municípios as obras estão paralisadas.

 

O deputado Venâncio Fonseca (PP) disse a Jorge Aracaju que ele é um aliado e pode procurar o governo para informações.

 

Os topiqueiros estão querendo que a Assembléia Legislativa vote logo o projeto que legaliza o transporte de passageiros intermunicípios.

 

De acordo com estudo elaborado pela Telecom, o Brasil é o maior mercado de celulares da América Latina, com 91,8 milhões de aparelhos.

 

O mercado de títulos de capitalização fechou o sexto mês do ano com reservas de R$ 10,8 bilhões, o que representa 11% que em junho de 2005.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários