PT, ALIANÇAS E O PSDB

0

O Partido dos Trabalhadores divulgou um “documento sobre a conjuntura e tática” para as eleições de outubro e dele consta a “política de alianças”. Nesse item aconselha a construção sólida de uma aliança com os movimentos sociais, com a intelectualidade progressista e com os setores populares que se identificam com o atual governo e com o presidente Lula. Para isto, as direções partidárias em todos os níveis devem procurar estes setores, para dialogar aberta e francamente sobre a importância de vitória, não apenas de Lula, mas das candidaturas do PT e aliados, em todos os níveis.

Deixa claro que precisa de uma campanha eleitoral de polarização entre as forças populares e os setores neoliberais. Ao considerar que essa polarização já está em curso, “cabe ao PT e seus aliados adotar uma atitude ainda mais ofensiva frente ao PSDB-PFL, mostrando entre outras coisas que problemas fundamentais do país remontam às privatizações tucanas, o que chama de ‘privataria’, a compra de votos para a reeleição, ao engavetamento de CPIs e tantos outros casos”. A divulgação de um dossiê das privatizações e da quebradeira, a ser lançado pelo PT no mês de maio, é um instrumento importante nesta disputa. É o que demonstra o documento petista.

O PT defende três hipóteses de alianças, onde inclui os partidos de esquerda e setores democráticos. As alianças com outros partidos que integram a base de apoio do governo Lula, devem ser previamente autorizadas pelo Diretório Nacional. Todas as hipóteses terminam com a determinação: “alianças com o PFL e com o PSDB são proibidas”.

O ex-governador Albano Franco (PSDB) viajou a Brasília na segunda-feira passada e ontem estava no Rio de Janeiro, onde acompanhou o sepultamento da mãe do líder do seu partido no Senado, Arthur Virgílio. A preocupação de Albano é chegar a um consenso dos tucanos em Sergipe, quanto a alianças. Uma parte significativa dos tucanos em Sergipe quer o PT, apesar das proibições explicitadas pela Executiva Nacional da legenda do presidente Lula. Albano deixou claro, ontem, que não há nada fechado com o PFL. Na segunda-feira passada, em Brasília, ele teve um encontro com o presidenciável Geraldo Alckmin, Tasso Jereissati, senador Sérgio Guerra e o presidente do PFL, Jorge Bornhausen. O ex-governador transmitiu a realidade de Sergipe e as divergências que vão crescendo entre as bases e aliados do tucanato, “que já estão impacientes e propõem uma aliança com o PT”. Albano Franco deixou bem explicado que “a oferta da vice não fascina ao PSDB em Sergipe. O partido quer o Senado”. E o candidato será Albano.

O presidente nacional do PSDB, Tasso Jereissati, reconheceu que o ex-governador Albano Franco tinha razão em defender uma candidatura do partido ao Senado, mas diante do que foi relatado reconheceu que “desse jeito não tem nem o que conversar”. Geraldo Alckmin ficou calado. Tasso deseja o entendimento. O senador Sérgio Guerra, coordenador da campanha de Alckmin a presidente, fez um comentário e admitiu que Albano Franco está em dificuldade no Estado. O deputado federal José Carlos Machado (PFL) também está trabalhando para uma composição com o PSDB e procurou o presidente regional do partido em Sergipe, Bosco Costa, para tratar do assunto e tentar um solução definitiva, embora tenha reconhecido problemas para um diálogo imediato. O ex-governador Albano Franco acha que essa demora para uma conversa dificulta. Sabe que precisa conversar muito para unir os tucanos aos pefelistas. A situação fica mais difícil porque o PT tem dispensado um tratamento atraente para Albano e seu grupo.

Nas próximas horas deve acontecer um novo encontro entre o candidato do PT ao governo, Marcelo Déda, com o ex-governador Albano Franco. Vão tratar da possibilidade de um acordo informal. Será assim: o PT não lança candidato ao Senado e o PSDB não disputará o governo. Essa solução não agride a determinação petista para alianças e pode dar a Alckmin “dois palanques em Sergipe”, como avalia o empresário Ricardo Franco.

 

 

COMPOSIÇÕES

A informação de um grupo político vinculado ao governador João Alves Filho (PFL) é de que o entendimento com o PSDB já está fechado.

A composição decorre da necessidade de acompanhar a coligação nacional e por entender que João e Albano têm coincidências ideológicas e eleitorais.

 

RICARDO

O empresário Ricardo Franco (PSDB) desconhece e diz que está trabalhando para que seja feita uma aliança com o Partido dos Trabalhadores.

Disse que está dependendo de alguns ajustes dentro do PT, para que o PSDB tome uma posição que se feche uma composição informal.

 

CONVERSA

Segundo Ricardo Franco, nos próximos dias o ex-governador Albano Franco (PSDB) terá um encontro com o pré-candidato do PT, ex-prefeito Marcelo Déda.

Essa conversa será exatamente para fazer obseração de detalhes, mas isso não quer dizer que haverá uma aliança entre os dois partidos.

 

SEGUE

Ricardo Franco disse, ainda, que o ex-governador Albano Franco pode até conversar com o governador João Alves Filho e chegar a um acordo.

Garante que se isso acontecer ele ficará fora do processo. Reconhece, entretanto, que o PSDB seguirá a decisão que for tomada pelo ex-governador.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, disse ontem que a posição do partido em Sergipe acompanhará a decisão da Cireção Nacional.

Aparece agora o lançamento da candidatura de Itamar Franco, mas sendo “Itamar ou Garotinho, o PMDB em Sergipe estará com o partido”.

 

TRÍPLICE

Benedito Figueiredo lembrou que já há um movimento para aliança tríplice entre PSDB, PFL e PMDB, que indicaria o vice-presidente.

Benedito Figueiredo disse que não conversa com ninguém até o PMDB decidir a nível nacional: “não farei nada agora que não possa cumprir depois”.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) tem se colocado à frente das conversas para que o PSDB junte-se informalmente ao bloco da oposição em Sergipe.

Na semana passada, o senador Valadares almoçou com o ex-governador Albano Franco e o deputado federal Bosco Costa, no restaurante Carpettin, em Brasília.

 

ENCONTRO

O Partido dos Trabalhadores está com problema para a realização do Encontro Estadual marcado para o próximo sábado, que define candidatos e alianças do partido.

Segundo uma fonte do PT, o partido primeiro define candidaturas em encontros e apenas homologa o resultado nas convenções.

 

RECURSO

O Movimento PT, a Articulação de Esquerda e Democracia Socialista entraram com recurso na Executiva Nacional, que deve ser julgado amanhã.

A realização do Encontro de sábado depende da decisão do PT Nacional, que dará o parecer e fará cumprir o estatudo do partido.

 

AUSÊNCIA

O Encontro do PT pode acontecer sem as presenças do ex-prefeito Marcelo Déda e do ex-senador José Eduardo Dutra.

Isso se dará porque os dois não compareceram ao encontro municipal: “já pensou o pré-candidato não participar do encontro regional”? – Pergunta um petista.

 

EDUARDO

O ex-senador José Eduardo Dutra (PT) tem trabalhado muito junto às bases para sanar a crise e fazer com que o recurso seja retirado pelas três forças do PT.

As três tendências não aceitam coligação formal ou informal com o ex-governador Albano Franco (PSDB). Os membros dessas forças não votam nele.

 

RECADO

O deputado José Carlos Machado (PFL) mandou um recado ao presidente Lula “Não pense que prejudicando o governo do Estado, vai prejudicar o candidato João Alves Filho”.

“O mal é para o sergipano que vê, nesses empréstimos, a possibilidade de serem resgatadas promessas do governador na implantação de projetos que gerem renda e emprego”, disse.

 

RELATÓRIO

O PT divulgou documento oficial que inclui, no leque de opções de Lula, a promoção na campanha pela reeleição de alianças com todos os partidos envolvidos no mensalão.

O texto oficial do PT mantém expressamente a proibição de acordos eleitorais, em âmbito nacional e estadual, com PSDB e PFL.

 

 

Notas

 

ESCÂNDALO

A sociedade voltou a assistir a mais um fato deprimente da Câmara Federal, que ontem à noite votou contra a cassação do ex-presidente da Casa, deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). Mais de 200 parlamentares votaram pela absolvição do parlamentar, acusado de envolvimento com o mensalão.

Não há mais sentido o Conselho de Ética condenar algum deputado que tenha claramente recebido grana suja do valerioduto, porque o corporativismo está presença na alegria, na tristeza e na corrupção.

 

SOCIEDADE

O apoio à corrupção está se dando com tanta naturalidade que não provoca mais indignação e isso é lamentável porque a corrupção encontra respaldo na força de um corporativismo maléfico, que se põe a favor de quem pratica imoralidades no serviço público. Banaliza-se a compra de parlamentares.

Isso é lamentável, embora não se perca a esperança de que o eleitor fará justiça através do voto livre e soberano, embora se fique em dúvida quanto a essa capacidade da sociedade fazer julgamentos políticos.

 

PERPLEXA

O presidente da OAB, Roberto Busato, em pronunciamento ontem no STJ, um alerta contundente sobre a situação de desencanto em que se encontra a sociedade brasileira, diante da grave crise moral e de credibilidade que atinge as instituições. “A cidadania está perplexa, sente-se lograda”.

“O mau papel de alguns agentes públicos aprofundou o desgaste da imagem das instituições do Estado perante a sociedade, que está assustada e descrente de seus homens públicos”, acrescentou Roberto Busato.

 

 

É fogo

 

A chamada Terceira Idade recorre cada vez mais ao cartão de crédito como instrumento para facilitar e parcelar as suas compras.

 

Maria do Carmo (PFL) participou, de 28 a 31 de março, do 5o Fórum da Aliança Mundial de Cidades Contra a Pobreza, do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas.

 

Participaram do Encontro representantes de países da Europa, da América, da África e da Ásia, o que demonstra, que há uma mobilização mundial para o combate à pobreza.

 

Uma fonte do PDT sergipano comentou que a decisão do ex-prefeito Marcelo Déda (PT)

em homenagear Leonel Brizola, dando-lhe o nome a um terminal rodoviário.

 

Segundo a mesma fonte, se o objetivo foii homenagear Brizola e ao mesmo tempo agradar ao partido, conseguiu seu objetivo.

 

O deputado Belivaldo Chagas que que o governador João Alves Filho (PFL) encaminhe para a Assembléia uma cópia da ordem de serviço para escolas de Simão Dias.

 

Os deputados precisam manter a tranquilidade neste momento de muitas decisões e não deixem que os ânimos se acirrem.

 

Amanhã chega ao fim mais uma temporada do projeto “Sergipe, Hiustória & Músiuca”, com o término da primeira fase da Cidade do Chorinho, em Laranjeiras.

 

A Secretaria de Turismo trará em lugar de Benito de Paula o cantor compositor Luiz Ayrão, autor de várias melodias.

 

O rítmo nas vendas de carros de passeio no mercado brasileiro continua acelerado e as revendas otimistas para o semestre.

 

O ministroi das Comunicações, Hélio Costa, reconheceu que as primeiras transmissões de TV digital no Brasil vão atrasar.

 

O Ministério da Agricultura confirmou a suspensão do embargo às carnes bovina e suína produzidas no Rio Grande do Sul, em vigor desde dezembro passado.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários