PT quer sua corrupção debaixo do tapete

0

O governo do presidente Lula reclamou semana passada, através do seu Ministro da Justiça Tarso Genro, da divulgação do mais recente índice internacional de corrupção, que coloca o Brasil em péssima condição, acima de muitos países corruptos da América Latina em se falando de ladroagem no setor público. O Ministro se queixa de que o Brasil está combatendo a corrupção e mudando drasticamente, e que a realidade não seria aquela que o relatório apresentou.

Já no mês de outubro passado, O PT, o PCdoB, a CUT, a UNE, a UBES e os tais “movimentos sociais” – todos obviamente controlados pelo PT, pois só petista entende tão bem de entidade ligada a todo tipo de movimento social oportunista ou ONG não governamental mamando nas tetas do Estado para alimentar candidaturas de políticos do partido – realizaram ato de protesto no Rio de Janeiro, para denunciarem o que denominaram de “manipulações da mídia para fazer da política um sinônimo de corrupção”.

Em ambos os casos, percebe-se o desmedido interesse dos petistas de empurrarem para debaixo do tapete a sujeira que eles têm deixado ao longo dos últimos anos em que se refestelam no poder. Quem viu “naninha” tentando estripar os governos Sarney, Collor de Mello e FHC para expor espalhafatosamente as fezes putrefatas extraídas das tripas dessas gestões, estranha uma mudança tão radical de comportamento, exceto se compreender a personalidade camaleônica desse pessoal.

Vale ressaltar que antes desse novo relatório que gerou o protesto dos petistas, em julho passado outro relatório, o Anual de Governança produzido pelo Banco Mundial, divulgou a informação de que o índice de corrupção no Brasil havia atingido o pior nível dos últimos dez anos. Ou seja, parafraseando o incrível Lula e sua gigantesca cara dura, nunca neste país se roubou tanto na atividade pública quanto agora. De acordo com esse levantamento do Bird, o país estaria em nível inferior ao que se encontrava quando a entidade multinacional começou a fazer esse estudo, em 1996.

Mas como se vê, se outrora as denúncias da mídia contra supostos atos de corrupção da classe política eram todas encaradas como absolutamente verdadeiras pelo grande e maravilhoso PT, que tinha todas as soluções prontas para resolver os problemas do país, agora o petismo deslavado entende que há uma manipulação deliberada da imprensa para manchar o nome do cândido, desinformado e eterno presidente do PT e temporário do Brasil, Lula da Silva. Esse verdadeiro filósofo da política brasileira, que decidiu parafrasear o outro colega filósofo, o grego Sócrates, ao manter como frase de cabeceira, mas dentro de contexto absolutamente diverso, o sábio e providencial lema “só sei que nada sei”.

Manipulando os pobres e inocentes úteis, e abrigando o oportunismo do movimento sindical, cujos dirigentes, incluindo Lula, travestiram-se durante décadas de defensores dos interesses das classes trabalhadoras com o único objetivo de criar a empatia da maioria, necessária para alcançar o poder político que tanto almejavam, hoje o petismo se esgota onde começou, ao repetir em grau ainda maior – e com inigualável desfaçatez – todas as más ações políticas que um dia tanto combateram. Clientelismo, empreguismo, gastança pública, nepotismo, corrupção, perseguição política, demagogia, mentira, incompetência, todas grandes mazelas com que nosso país tem convivido ao longo de séculos. Mas, enfim, o PT conseguiu superar o Brasil.

E agora os oportunistas de um lado, e os inocentes úteis do outro, só conseguem esboçar, como argumento de defesa em favor do petismo, que os antecessores do PT no poder também faziam o que hoje o partido faz.

Ou seja, os petistas defendem-se descaradamente baseando-se nos erros dos antecessores que tanto combateram. Prevalecendo essa tese, pode-se dizer que se quiser Lula pode até mandar matar, por exemplo, o jornalista Diogo Mainardi, que acompanha sua gestão com o nariz colado à sua nuca. Afinal todo mundo sabe que partiu do gabinete do presidente Getúlio Vargas a ordem para matar o jornalista Carlos Lacerda, que lhe fazia oposição, e que por pouco não foi morto a tiros por pistoleiros daquele governo. Se o governo do presidente Getúlio pode fazê-lo, dentro do novo raciocínio ético dos petistas o Lula também tem o direito de mandar matar. E por aí vai o descalabro brasileiro, com o apoio dos oportunistas de um lado, e dos inocentes úteis do outro…

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais