Publicidade oficial transparente

0

  “Nós vamos rever a política de comunicação de maneira bem profunda. Nós compreendemos que a publicidade oficial é muito mais que um direito, é um dever do governante. É fundamental que os meios de comunicação possam ser utilizados para que os governantes prestem contas à sociedade e informem aos contribuintes onde estão sendo aplicados os tributos. O que nós não podemos persistir é com alguns conceitos inadequados que transformam a publicidade oficial em culto a personalidade ou transformam a publicidade oficial em redes de pescar apoios. Essa manipulação da política de comunicação social é algo que devemos combater. O que pretendemos é construir uma política de comunicação democrática, saudável, transparente, sem perseguições, profissional, baseada em valores éticos, em valores republicanos e democráticos”. Este é um trecho de uma entrevista publicada neste espaço no dia 18 de novembro do ano passado, onde este jornalista perguntou ao então governador eleito, Marcelo Déda sobre o gasto de R$ 30 milhões com a publicidade oficial.

  Passados três meses de governo não precisa escrever que Marcelo Déda vem cumprindo o que falou na entrevista. Apesar das ameaças de alguns poucos empresários feitas em forma de recados através de alguns “profissionais” acostumados com o trânsito fácil no Palácio de Despachos, o governo estadual prepara um plano de mídia onde todos serão beneficiados, sem perseguições, sem retaliações. Um bom exemplo foram os jornais diários dos últimos dias onde todos, sem exceções, publicaram publicidade governamental. A diferença é que elas serão publicadas, quando necessárias, mas sem a necessidade da política de cotas cujos valores em sua grande parte eram imorais. Basta analisar as planilhas do governo passado.

  Apesar de alguns poucos anunciarem nos quatro cantos que nas próximas semanas serão um vendaval de criticas por conta da nova realidade da publicidade oficial, a grande maioria do empresariado entendeu a mudança. Alguns poucos que tentam jogar a culpa para a secretária de Comunicação Social, Eloísa Galdino, caíram do cavalo antes mesmo de montarem. Não adianta orquestração.O que Eloísa está colocando em prática são as palavras de Déda antes de assumir o governo. Ou não? Ou alguém apostou que o novo governo não agüentaria as pressões e cederia aos encantos das cotas gordurosas.  Até porque existe um detalhe em tudo isso. As emissoras de televisão e de rádio são concessões públicas e como tal são regidas por regras claras. Os interesses públicos devem estar acima dos interesses particulares sob pena de estas concessões serem questionadas através do órgão responsável.

 O importante de tudo isso é que está sendo inaugurada uma nova era entre o governo e os meios de comunicação. É preciso uma relação sadia e por outro lado, o novo governador não pode fazer como anterior que não enviava publicidade para os meios de comunicação que não gostava.  Como bem disse o governador na entrevista já citada: “tudo com uma nova política que respeite a autonomia dos órgãos de comunicação e ao mesmo tempo não realize qualquer espécie de perseguição. É também ter racionalidade. O dinheiro da publicidade oficial é dinheiro público”.

  Este jornalista tem a certeza que os comentários de bastidores de um vendaval de denúncias contra o novo governo, por conta da falta de publicidade, é algo da cabeça de alguns poucos acostumados a ganhar dinheiro fácil. Até porque a sociedade sergipana mostrou na última campanha eleitoral que sabe separar muito bem os órgãos que praticam uma política de comunicação correta e comprometida com a verdade. O que todos desejam é resumido em apenas uma palavra: transparência.

 

Déda anunciará crédito para agricultores

Antes de viajar para os EUA no próximo final de semana – onde fará contatos no Banco Mundial e BID – o governador Marcelo Déda (PT) anuncia esta semana importantes ações na área de desenvolvimento. Uma delas é uma cartão na área do microcrédito para os agricultores em parceria com o BNB. Outro na área da inclusão social.

 

Escola Normal terá obras retomadas

O governador do Estado deve anunciar também esta semana a retomada da obra de construção do novo prédio da Escola Normal. A obra foi paralisada há muito tempo e está já em ruínas.

 

Espírito alvista no governo de Déda

O assessor de comunicação da Secretaria de Planejamento do Estado, de nome Saulo Coelho, não gostou de ler no último sábado à análise nesta coluna de duas dispensas de valor publicadas pela pasta no Compranet.Se, onde este jornalista deixou claro que pelo curto espaço de tempo de entrega, havia direcionamento. Ligou desaforado, afirmando que deveria ter ouvido a outra parte e querendo ditar como deve proceder este jornalista. Não foi uma matéria jornalística, foi um artigo opinativo com base em fatos concretos. O assessor encarnou o espírito do governo passado, muito nervoso. Não adianta querer ditar como deve proceder este espaço, pelo contrário o tiro vai sair pela culatra…

 

Ainda sobre as dispensas de valor

A dispensa de valor para a locação de 05 computadores com 02 impressoras laser, incluindo 05 digitadores e 02 recepcionistas, p/ o dia 18 de abril, foi vencida na última sexta-feira pelo lance de R$ 3.499,99. Não foi homologada ainda e por isso não consta o nome da empresa vencedora. Pelo preço dava para comprar quase quatro computadores. Já a dos móveis para escritórios, que encerrou na sexta-feira fracassou. Porém, foi aberta outra, com o mesmo objetivo que se encerra nesta segunda-feira às 14hs. Detalhe: as duas mesas em L, o gaveteiro, um balcão com porta e as quatro cadeiras tipo presidentes têm que ser entregues na quarta-feira. É aguardar o lance…

 

Silvio Santos: não despetizem meu governo

“Não reclamo da disputa do espaço político por aliados, sem partido e petistas. O que faço aqui é um brado em nome do meu partido. Não despetizem meu governo. Não desqualifiquem meus companheiros que fazem da sua luta a razão dos justos e trazem na sua alma a emoção dos vitorioso e que tem no Governador a sua face mais emblemática. O governador Déda, já deu várias demonstrações de que ele é os seus emocionais são uma coisa só. Um não existe sem o outro. Um completa o outro. Um faz o outro forte”. De Silvio Santos, petista e secretário municipal de Governo, no artigo “Racionais X Emocionais”, publicado no domingo no JD. 

  

Epidemia atinge crianças em Sergipe

Uma epidemia vem atingido, principalmente as crianças em Sergipe. A doença que tem sintomas parecidos com o a da dengue, foi denominada de virose e ponto final. Um especialista questionado por este coluna explicou que é culpa do tempo e o calor intenso, que provoca essa doença sazonal e deve ser provocada por um vírus da gripe modificado. Não mata, mas deixa na cama por alguns dias.

 

Licitações nos quadros

Se tem algo que vem sendo elogiado pelos empresários de todos os segmentos neste governo é a transparência em várias licitações que vêm sendo colocadas nos quadros dos departamentos de quase todas as secretarias. Um lugar vem destoando: na Secretaria de Educação, na diretoria de engenharia, raramente aparece uma licitação no quadro. É preciso democratizar…

 

Implicações da Lei de Responsabilidade Fiscal

Prefeitos e governadores sofrem com as implicações da Lei de Responsabilidade Fiscal, principalmente no tocante ao bloqueio de recursos, promovidos por ordem judicial para pagamento de dívidas deixadas por administradores relapsos, que deixaram de cumprir com as obrigações regulares do mandato exercido. Ocorre que todo esse sofrimento tem apenas uma causa, os prefeitos e governadores quando assumem um mandato, mesmo constatando uma séria de atos absurdos e a dilapidação do patrimônio, ficam intimidados em denunciar seus antecessores.A Lei é clara e é bem produzida, mas para surtir os seus efeitos, necessita que os maus gestores sejam denunciados. Uns não denunciam por medo, outros por amizade e alguns até mesmo por incompetência administrativa.

 

Conexão direta com o leitor: salários atrasados na Seed

De uma leitora: “Sou funcionária da Secretaria da Educação quero falar aqui minha revolta com o que esta acontecendo com o pessoal que trabalha no setor de informática dessa secretaria. Ficamos sabendo que eles estão há quase 3 meses sem receber salário e sem saber quando irão receber.  Gostaria de saber se o Secretário esta sabendo do ocorrido?  Espero  que tomem logo um posição já que muitos estão passando por dificuldades”.

 

Defesa da democratização das obras públicas

Ao deixar a direção do Sindisan, o empresário Luciano Barreto, reuniu os associados e a diretoria onde fez um agradecimento especial na semana passada. Deixou claro que continuará na luta pelas mudanças na lei das licitações, para que os pequenos e médios empresários sejam beneficiados. Voltou a defender a democratização das obras públicas e deu como exemplo o projeto da transposição, que se for feito, serão R$ 3 bilhões em apenas 14 lotes, quando poderia ser dividido em muito mais para beneficiar várias empresas. “Ninguém precisa ser vidente para saber quais as empresas que vão participar desta obra”, registrou.

 

Realidade política em Gararu

De um leitor: O Sr. que é uma pessoa superinformada gostaria que me explicasse o que está acontecendo no município de gararu: “O atual prefeito é do PFL e o anterior o popular Chico também. E lá eles tiram maior onda com a turma do PT dizem que nada mudou e até ficou melhor pois são protegidos do André Moura. Sendo assim são intocáveis. Para se ter  uma idéia a Emdagro terá como chefe o irmão de Chico, um cara q já é secretário da Prefeitura,  fora outros cargos que estão nas mãos deles. Enfim não entendo é isso. Se votamos pela mudança porque está demorando acontecer. O que se vê não só em Gararu, mas também em outras cidades é isso quem mamava continua mamando e quem lutou, foi para rua pela mudança está jogado em segundo plano. O governador pede paciência,mas como diz o ditado paciência tem limite. A impressão que se tem é que ele  é muito mau assessorado. Enfim vou ter mais paciência afinal sou um petista de coração. Se ficamos 30 anos no comando de João, albano, João dá para esperar mais um pouco pelas mudanças. Mas voltando a Gararu, o Chico (João Francisco Albuquerque de Oliveira) é funcionário da Deso e nunca aparece para trabalhar e recebe uma fortuna sem por o pé lá e ai como fica?”.

 

Indique um amigo para receber este boletim:

leitorvip-claudionunes@uol.com.br

 

Frase do Dia

“Ele não sabia que era impossível. Foi lá e fez”. Jean Cocteau.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários