Quer um emprego?

0

Já falei isso antes, mas não custa lembrar: o Brasil tem uma deficiência de mais 200.000 profissionais qualificados para trabalhar nos grandes projetos de TI. Pessoal… É emprego demais! E ainda tem gente que reclama. É claro que vou ser apedrejado por um monte de técnicos que só fazem reclamar do seu trabalho atual, mas é necessário fazer algumas colocações para saber os requisitos para conseguir uma dessas vagas.

Em primeiro lugar saiba que somente a parte técnica não é o suficiente. Infelizmente é isso mesmo! Algum tempo atrás vi uma pesquisa que indicava o que os CIOs desejavam dos novos contratados e o conhecimento técnico não estava entre os cinco mais votados. Chega a ser estranho, pois nós sobrevivemos com o que sabemos, ou seja, conhecemos linguagens de programação, configurações, técnicas, métricas, entre outros. Não somos treinados para ser empreendedores ou termos bons relacionamentos interpessoais ou liderar equipes. Que são três habilidades desejadas nos últimos tempos.

Tenho visto algumas piadas que falam dos “super-homens” de informática. Aqueles que matam um leão todo dia e com os meses viram mestres Jedi. Fala sério! Isso não existe. São piadas para nos supervalorizar e pedir aumento para o chefe. Todos nós somos pessoas normais, alguns com mais e outros com menos habilidades. O que precisamos é encontrar um equilíbrio entre as habilidades requeridas. Não adianta ser “fera” em VoIP, por exemplo, e na hora de falar o que está fazendo não consegue nem se comunicar (acreditem, existem pessoas assim).

Uma coisa que sempre falo é que a empresa em que estamos nos paga para (a) aumentar seus lucros ou (b) economizar ou (c) prestar serviços para a população no caso dos empregos de empresas públicas. Vamos nos concentrar no aumento dos lucros para ilustrar o que quero descrever. Quem nos contrata não o faz porque conhecemos .NET, ele o faz porque está precisando desenvolver uma solução para melhorar os controles de um processo e somente por esse motivo é que somos úteis. É nesse ponto que quase todos nós pecamos: não sabemos como converter nosso conhecimento em lucro para a empresa. Precisamos, por exemplo, sugerir melhorias na forma de trabalhar de forma a conseguir ser mais eficaz, isto é ou não empreendedorismo? Pense bem… Você faz isso? Se faz, parabéns!

Fora essa parte ainda tem a questão dos idiomas que já coloquei em outra coluna aqui. Teve até reclamações para com a Índia, que eles não podiam se vangloriar porque eles já sabem inglês. Até concordo, mas acho que nós é que temos que correr atrás. Mas como contra fatos não tem argumentos segue uma avaliação do Gartner para a área de TI: em 2010 serão gastos 110 bilhões de dólares em desenvolvimento off-shore (que não é feito no país de origem) no mundo todo. Desses 110 bilhões, 60 ficarão com a Índia (ainda vamos reclamar deles?). Os outros 50 serão repartidos entre todos os outros países. Estimasse que para ganhar 5 bilhões sejam necessárias 100.000 pessoas. E aí, você não quer pegar sua parte?

 

Até a próxima semana!

Em tempo: na próxima coluna falaremos das mulheres na área de TI

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários