Reclamações e elogios

0

O governador João Alves Filho (PFL) recebeu ontem os deputados que lhe dão apoio na Assembléia Legislativa. Alguns deles estavam ansiosos por esse encontro, porque se sentiam abandonados. Antes de João viajar à Europa, os deputados planejaram fazer uma comissão para ter uma conversa definitiva com ele, em razão da necessidade de iniciar o trabalho visando a reeleição. Enfim aconteceu um almoço onde algumas coisas foram esclarecidas. Diante da curiosidade de quem seria responsável pela articulação política, o governador João Alves Filho comunicou que a parte administrativa ficará com o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico e Social, Silvany Alves Pereira. A questão política será de responsabilidade exclusiva do secretário de Coordenação Política e Assuntos Institucionais, José Alves Neto. A maioria não gostou, porque preferia que o próprio governador ficasse com a coordenação política, mesmo que o atendimento fosse do secretário.

 

Em um gabinete não muito distante do Palácio dos Despachos, um grupo político aliado ao governador também fez uma reunião informal sobre o processo eleitoral que se aproxima e concluir que “há necessidade de arrefecer os ânimos”. Três secretários estavam presentes, além de candidatos e até um dos parlamentares que chegou lá depois do almoço com o governador. Discutiu-se que houve um certo esfriamento nos contatos com o interior e um deles fez uma avaliação pertinente: “não há mais jeito do prefeito Marcelo Déda (PT) ser atingido fortemente pelos escândalos que todos os dias acontecem no governo do seu compadre Lula e no partido a que pertence”. E continuou: “Além disso, Déda arregaçou as mangas e começou a trabalhar. Viaja todos os finais de semana para contatos com lideranças do interior”. Viu necessidade do governador João Alves Filho retomar conversas imediatamente e fazer uma reformulação nos setores técnicos do governo. “À exceção da Fazenda, que precisa de um cidadão como Gilmar Mendes, secretarias como Saúde e Educação não poderiam ficar em mãos de técnicos, porque eles dificultam a ação política, o que termina repercutindo no governador”.

 

Surgiu um exemplo: em Nossa Senhora da Glória alguns feirantes ficaram irritados, porque até sacos de farinha foram apreendidos, por falta de impostos. Uma liderança política lembrou corretamente: “ninguém critica os fiscais da Fazenda, mas diretamente ao governador”. O ex-prefeito Sérgio Oliveira (Serginho) ficou irritadíssimo com essa ação dos fiscais da Fazenda, porque o pessoal da oposição aproveitou a oportunidade para tirar vantagens. Um dos auxiliares que estava participando da reunião reconheceu que, a partir de janeiro, há necessidade de se promover uma mudança radical na equipe do governo, porque o pessoal estagnou no otimismo que iniciou quando o governador partiu para uma movimentação política. Acha que é fundamental que se procure uma coligação com o ex-governador Albano Franco (PSDB), para que se faça uma composição mais forte e em condições de disputar a reeleição com mais tranqüilidade. Tem muito trabalho pela frente.

 

O mesmo secretário disse que nas reuniões do governador João Alves Filho com os seus auxiliares, ninguém de sua equipe – “nem eu” – tem coragem de levantar esse problemas que acontecem no estado e que podem ser fatal na disputa eleitoral: “todos ficam ouvindo as explicações e determinações do governador e apenas concordam, quando a maioria sabe que há necessidade de alterar o modelo político que vem sendo adotado, para que se tenha segurança na disputa eleitoral”. Segundo ainda o secretário, “além de ninguém falar, tem auxiliares como Sérgio Fontes, do Planejamento; José Everaldo, da Articulação com os Municípios, e Lindemberg Lucena, Educação, que se levantam para fazer elogios pessoais ao governador, sem oferecer qualquer sugestão para a agilização política do governo.

 

O grupo está certo de ir ao governador para falar secamente sobre a situação, os problemas no interior e a necessidade de avançar na articulação política: “e isso não pode passar de primeiro de janeiro”, determinou o presidente de uma legenda forte.

 

 

VERTICALIZAÇÃO

A Câmara dos Deputados vai votar na próxima semana o projeto que acaba com o princípio da verticalização nas eleições, instituído por resolução do Tribunal Superior Eleitoral.

Segundo informação de Brasília, o projeto não foi votado quarta-feira, porque não interessa ao PT e ao PSDB.

 

DÚVIDA

O deputado José Carlos Machado (PFL) diz que hoje tem dúvida se a verticalização cai na Câmara e Senado: “o PT não quer e o PSDB também não”.

Em reunião realizada ontem, o PFL decidiu fazer uma avaliação para ver se a verticalização realmente tem condições de cair.

 

CONCESSÕES

A representação em poder do Ministério Público Federal estima que 51 deputados da atual legislatura sejam concessionários diretos de emissoras de rádio e TV.

O número foi obtido por meio de pesquisa conduzida pelo professor Venício de Lima, do Núcleo de Estudos sobre Mídia e Política da UNB. A informação esta no site Congresso em Foco

RELAÇÃO

Congresso em Foco dá a relação dos parlamentares contemplados. Nela existem dois que renunciaram para evitar cassação e dois outros que respondem processo.

De Sergipe foram contemplados os deputados Bosco Costa (PSDB) – Rádio A Voz do Serido; José Carlos Machado (PFL) – Fundação de Serviços de Radiodifusão Educativa Sharon, e Cleonâncio Fonseca – Empresa Boquiense de Comunicação Ltda.

 

GASODUTO

O presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielle, conversou ontem com o deputado federal José Carlos Machado sobre a questão do gasoduto.

A estatal está interessada na extensão e deve construir o gasoduto para Itabaiana. Gabrielle viu dificuldade em levar gás até Lagarto, alegando questão de mercado.

 

ENCONTRO

O PSDB realiza, dia 3 de dezembro, em Sergipe, o 8º Encontro Regional sobre Gestão e Políticas Sociais. Será no espaço Sobre as Ondas, na Atalaia.

A palestra de abertura será feita pelo deputado federal Sebastião Madeira, presidente do Instituto Teotônio Vilela.

 

PALESTRAS

Várias palestras serão proferidas e a última delas será “PSDB e Cenário Político Atual”, por José Serra, Geraldo Alckmin e Albano Franco.

Todos os deputados de Sergipe participam do evento que vai das 9 às 16 horas. Faltam confirmar apenas o senador Tasso Jereissatti e o governador de Minas, Aécio Neves.

 

RECURSO

O pleno do TC aprovou por unanimidade a decisão da conselheira Isabel Nabuco, que acatou recurso do Sepuma contra o então prefeito Jackson Barreto e a professora Helena.

Os dois foram condenados a devolver aos cofres públicos a importância de R$ 1.800, acrescida de correção monetária e juros de 6%. A ação é de 1993. Esse dinheiro teria sido pago a mais.

 

DÉDA

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT) está dedicando todos os finais de semanas a visitas a cidades do interior. Faz campanha para governador do Estado.

Déda deixou de viajar a Brasília, esta semana, para comparecer ontem ao comício de encerramento do candidato a prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita (PSB).

 

SURPRESA

Quem foi a Capela para discursar no comício de Sukita não conseguiu, porque não houve tempo para oradores. Só o candidato usou da palavra.

Houve uma missa, depois a benção do candidato, que fez um discurso emocionado. A banda começou tocar e iria parar meia hora para discurso. Sukita foi aconselhado a não interromper o show.

 

INVESTIGA

A Polícia Federal está investigando todas as grandes bandas de forró do Nordeste, inclusive a sergipana “Calcinha Preta”.

O difícil para essas bandas será quando a Polícia investigar o recolhimento que elas fazem ao Cade, sobre os direitos autorais.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) recebe hoje, em Cuiabá, o título de Cidadão Matogrossense, concedido pelo deputado Humberto Bosaipo (PFL).

O ex-governador do Mato Grosso, Dante de Oliveira, oferece almoço a Albano e a Federação das Indústrias do estado, que comemora os 35 anos, também lhe prestará homenagem.

 

SUPREMO

O deputado federal João Fontes (PDT) fez um pronunciamento mostrando que há necessidade da sociedade brasileira precisa criar formas para combater a interferência do STF na Câmara.

João enalteceu o ministro sergipano Carlos Britto, mas estranhou a mudança de voto do ministro Erus Graus, que foi indicado para o STF por influência de José Dirceu.

 

 

Notas

 

BEBIDAS-1

O governo federal vai endurecer as regras que regulam a propaganda de remédios e bebidas alcoólicas, principalmente nas rádios e televisão. A princípio será proibido, por exemplo, associar o consumo de bebidas, incluindo cervejas, à idéia de “sucesso”, “êxito” ou “desempenho sexual”. É mensagem enganosa.

No caso dos remédios, terão de trazer nas embalagens avisos com o seguinte teor: “Isto é um medicamento. Seu uso pode trazer riscos e efeitos colaterais. Leia atentamente a bula e, em caso de dúvida, consulte o médico”.

 

BEBIDAS-2

A regulamentação está a cargo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O órgão abriu nesta segunda-feira um prazo de 60 dias para o recebimento de sugestões da sociedade. Qualquer pessoa pode propor alterações nas regras. No caso das bebidas, a proposta do governo consta de alguns itens importantes.

A bebidas com teor alcoólico mais elevado só poderá ser veiculada no rádio e na TV entre 21h e 6h; O comercial não poderá associar o consumo de bebidas a esportes olímpicos, festas cívicas e religiosas ou à idéia de “maior êxito ou sexualidade”;

 

REVITALIZAÇÃO

A Comissão Especial de Revitalização do rio São Francisco ainda não votou o relatório do deputado Fernando Ferro (PT-PE) à PEC 524/02, do Senado, que cria o fundo para revitalização do rio. O relator propõe um substitutivo que reduz a receita do fundo de 0,5% para 0,2% da arrecadação dos impostos federais.
O texto também estabelece que 10% das verbas oriundas da participação de estados e municípios no resultado da exploração de recursos hídricos para geração de energia elétrica sejam investidas no fundo de revitalização do rio.

 

 

É fogo

 

O deputado federal Bosco Costa foi o relator do projeto de lei de autoria do seu colega Ivan Paixão (PPS) que deu o nome de Padre Pedro ao trecho da BR-235, que liga Sergipe a Bahia.

 

A coligação de médios e pequenos partidos (PV, PTN e PSL) continua firme e forte. A intenção do grupo é de, no mínimo, fazer um federal e dois a três estaduais.

 

O grupo também pode lançar candidatura própria ao governo ou compor com outros grupos políticos na majoritária.

 

Belivaldo Chagas (PSB) chegava à sessão plenária de quarta-feira, quando ela estava acabando por falta de quorum. Comentou: “só porque eu cheguei?”

 

O deputado José Milton de Zé de Dona está em Brasília, visitando gabinetes, pedindo aos deputados federais que apresentem emendas para alguns municípios de sua influência.

 

Mesmo em Brasília, José Nilson não perde tempo e telefona para os colegas em busca de novidades.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) insiste para que o governo do estado faça investimentos no interior, criando postos de vigilância sanitária.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) insiste para que o governo do estado faça investimentos no interior, criando postos de vigilância sanitária.

 

A queda na arrecadação municipal deixou o prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) com as barbas de molho.

 

O INSS anunciou, terça-feira, a suspensão dos empréstimos consignados por meio de cartão de crédito por 30 dias.

 

O Ministério da Fazenda liberou 2 bilhões de reais adicionais para compor o montante de recursos disponíveis para financiamento de custeio da safra de grãos de verão.

 

Segunda-feira acontece mais uma feira de móveis e artesanatos do Sistema Prisional de Sergipe, promovido pela Secretaria da Justiça.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais