Repúdio explícito

0

Um influente membro do Partido dos Trabalhadores, que vem acompanhando muito de perto toda essa movimentação para novas composições, com o objetivo de fortalecer a candidatura do prefeito Marcelo Déda (PT) ao governo do estado, revelou que tem “muita gente no PT incomodada com esse estreitamento de relações com o ex-governador Albano Franco e a possibilidade de uma aliança com o PSDB”. Foi uma fonte que pediu para não revelar o nome, mas garantiu que, até meados de fevereiro, essa posição ficará muito clara dentro do partido, porque precisa ser discutida com a base e não apenas com o bloco aliado, que tem candidatos proporcionais e vai se fortalecer sugerindo uma mudança de rumo na consciência da militância do PT: “não acreditamos que o prefeito Marcelo Déda, em caso de eleger-se governador, vá produzir mudanças na estrutura política de Sergipe, através de uma aliança com o ex-governador Albano Franco”, disse.

 

O membro petista expôs o pensamento desse grupo que prega um comportamento diferenciado do PT, inclusive para restaurar parte do que foi destruído junto à sociedade e começar um tempo novo na proposta partidária: “Marcelo Déda não vai mudar nada, dentro do estado, fazendo uma composição com o ex-governador Albano Franco e seu grupo”. E pergunta: “em termos ideológicos, qual a diferença entre Albano e João Alves”? E responde: “nenhuma! Os dois pensam absolutamente igual e utilizam os mesmos métodos que o PT sempre combateu”. Citou como exemplo os equívocos cometidos pela Executiva Nacional: “as alianças feitas para eleger Lula aniquilaram o partido, que agora precisa readquirir o seu conceito junto à sociedade. Não é preciso vender a dignidade partidária para fazer o governador do estado”, sugeriu.

 

A mesma fonte lamentou que o prefeito Marcelo Déda não tenha aprendido a lição com os fatos que aconteceram em Brasília e que atingiram diretamente o presidente e o partido: “Déda tem que aprender essa lição e admitir que óleo não se mistura com água”. Lembrou que o ex-governador Albano Franco mantêm uma estrutura viciada no estado: “são prefeitos, cabos eleitorais, vereadores, lideranças do interior que vão querer as vantagens de sempre, caso Déda chegue ao governo como aliado do líder deles”. Tem certeza que “essa gente votará em Marcelo Déda, mas não o fará sem ter uma participação efetiva na administração. Essa é a prática normal entre pessoas ligadas a Albano ou a João Alves”, disse. O membro do PT garantiu que há um número expressivo de filiados do partido que não votam em Albano Franco e deixou claro que “no mínimo o grupo da Democracia Socialista e a Articulação de Esquerda vão trabalhar para que o PT não faça uma aliança conservadora”.

 

O PSDB, liderado em Sergipe pelo ex-governador Albano Franco, é uma legenda forte e que pode decidir o pleito para o lado que pender. Entretanto dá para perceber que uma das únicas alternativas é sair com candidatura própria e buscar o seu caminho. Tem amplas condições para isso, desde que vá a busca de outras legendas para uma composição de médio porte, capaz de disputar para valer o Governo e o Senado, além de apresentar um elenco de bons candidatos proporcionais. Não dá para ver outra alternativa. É verdade que a cúpula dos dois principais adversários – João Alves e Marcelo Déda – quer o apoio de Albano Franco, mas segmentos importantes dos dois partidos não o desejam. Nem a ele, nem ao grupo, o que pode dificultar a estrutura política que o apóia.

 

Dentro do PFL o ex-governador encontra dificuldades junto à senadora Maria do Carmo Alves e o grupo que a acompanha. E no PT existe alas que se consideram autênticas e vêem no ex-governador o atraso. A situação é complexa para encontrar uma solução sem que ninguém se sinta atingido. Também não é confortável para Albano Franco, que tem consciência do potencial eleitoral do seu grupo. Como cidadão não merece essa repulsa.

 

Já está sobrando tempo para começar a definir posições

 

 

ALMEIDA

“Estou meio na minha”, disse o senador Almeida Lima (PMDB) quando perguntado sobre uma certa frieza de setores do seu partido à sua candidatura a governador.

Acha que é uma questão de tempo.

Para Almeida o pessoal vai perceber o equívoco: “eu acredito na unidade do PMDB, como na minha candidatura. E, lógico, na minha vitória”.

 

APOIO

O senador Almeida Lima não tem dúvida de que será candidato a governador do estado com o PMDB unido.

Quanto aos deputados Marcos Franco e Jorge Alberto, admite que os dois também serão candidatos “e se eu puder contribuir o farei com muito prazer”.

 

JUSCELINO

Almeida diz que não perde o seriado sobre Juscelino Kubitschek que está sendo exibido pela Rede Globo de Televisão.

Revelou que se espelha em Juscelino desde quando se iniciou na política: “sou um admirador do seu estilo”, disse. 

 

SUKITA

O prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita (PSB) retornou ontem do passeio que fazia pelas praias do Nordeste, ao lado do secretário metropolitano André Moura (PSC).

Revelou que a sua volta a Capela foi para colocar a máquina em funcionamento e fazer a reestruturação do secretariado.

 

DEVOLUÇÕES

Até o momento 59 parlamentares devolveram ou anunciaram que doaram a primeira parcela do salário referente à convocação extraordinária.

De Sergipe não tem nenhum, apenas o deputado federal João Fontes disse que doaria seu salário, mas até o momento não comunicou à Câmara.

 

TELEGRAMAS

Todos os deputados federais, inclusive de Sergipe, receberam telegrama do presidente da Casa, Aldo Rebelo (PCdoB), para comparecer a plenário no dia 16, às 18:30 horas.

Aldo diz que serão votadas matérias nominais em que terá votação. Avisou que cortará o ponto dos faltosos.

 

POSIÇÃO

O deputado federal Ivan Paixão (PPS) não sabe como o povo vai se posicionar diante do que o Partido dos Trabalhadores fez com o país.

Acha que a cada entrevista concedida o presidente Lula da Silva vai caindo, porque o povo não acredita que ele seja inocente nisso tudo que está aí.

 

SUCESSÃO

Quanto à sucessão o deputado Ivan Paixão diz que o PT conseguiu implodir o pudor e a ética que pregou durante os 25 anos.

“Diante da frustração com o PT, que trouxe desilusão, o povo vai optar por quem constrói mais. E em Sergipe o eleitor já sabe muito bem quem faz”, admitiu Paixão.

 

ALIADOS

Membros da base aliada de oposição consideram, entretanto, que a explosão de corrupção promovida por segmento do PT, não atingiram a Marcelo Déda.

Admitem que o eleitorado vai fazer uma opção pela renovação, independente das questões que aconteceram em Brasília.

 

MUDANÇA

Pelo menos cinco secretários de estados estão certos de deixar o cargo em março para disputar mandato eleitoral em outubro próximo.

Anotem: além desses, mais três auxiliares serão afastados – é possível que no início de fevereiro, para iniciar o azeitamento da máquina administrativa.

 

CONVERSA

O vereador Helber Filho, pré-candidato a governador pelo PDT, tem conversado com lideranças de pequenos partidos para a formação de um bloco novo.

Ele pretende se unir ao PTN, PV, PPS e outras legendas do mesmo porte, para consolidar sua candidatura como uma nova via.

 

VIAGEM

O prefeito Marcelo Déda (PT) vai sair de féria com a família depois do Pré-Caju. Pretende fazer um cruzeiro pelo litoral do Nordeste, chegando até Fernando de Noronha.

Marcelo Déda retorna nos primeiros dias de fevereiro, quando iniciará conversas com lideranças políticas, para preparar sua caminhada às eleições.

 

REUNIÃO

Uma ala forte do Partido dos Trabalhadores vai fazer reunião na terça-feira próxima para discutir a política de alianças para as eleições de outubro.

Internamente o pessoal tem discutido tudo isso e a decisão é não abrir mão da participação nas decisões partidárias, como sempre aconteceu com a militância petista.

 

 

Notas

 

ELEIÇÃO

Estão prontas as normas que serão baixadas pelo TSE para regular as eleições de 2006. A principal delas, para combater o caixa-2, estabelece que a análise das prestações de contas dos candidatos não será mais feita apenas pela Justiça Eleitoral. A contabilidade eleitoral passará também pelo crivo da Receita Federal.

Os candidatos não poderão mais esperar até o final da campanha para prestar contas. Terão de fazê-lo de 15 em 15 dias. Serão obrigados a fornecer ao TSE, em meio eletrônico, todas as receitas e os gastos realizados a cada quinzena.

 

PETROBRAS

Auditoria do TCU revela que a Petrobras acumula prejuízos de R$ 1,8 bilhão com contratos firmados desde 2001 para construção e operação de usinas termelétricas. O pente-fino do TCU na estatal também aponta irregularidades em contratos de pessoal, de advocacia e de serviços de consultoria, entre outros.

Esses contratos foram mantidos até agora, inclusive o com a Enron, que representa prejuízos de R$ 1,2 bilhão. É possível que todos os ex-presidente da estatal que mantiveram esses contratos tenha que se explicar.

TRANSPOSIÇÃO

Deu no JB: O Planalto espera apenas a palavra do STF para começar a transposição do rio São Francisco. Duas liminares oriundas da Bahia tentam impedir a obra. O relator dos processos, ministro Sepúlveda Pertence, está em férias. O governo terá de esperar o fim do recesso judiciário, dia 16 de fevereiro.
Isso frustra os planos do Ministério da Integração de iniciar a obra ainda neste mês. A única alternativa para reduzir o prazo na Corte seria seu presidente, Nelson Jobim, chamar para si a prerrogativa de resolver a questão.
 

 

É fogo

 

O prefeito Marcelo Déda (PT), como faz todos os anos, submeteu-se a uma bateria de exames médicos. Está muito bem de saúde…

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) retornou ontem de viagem por alguns capitais de estado. Já está conversando sobre política.

 

O ex-governador João Alves Filho e família estão descansando em uma bonita praia do Pernambuco. Não é Porto de Galinha…

 

Faltando apenas duas semanas para o início do Pré-Caju, todos os camarotes já foram vendidos. Abadás de alguns blocos só nas mãos dos cambistas.

 

Neste período pós-festas de final de ano, muita gente está viajando e quase tudo está parado. A vida só começa depois do dia 15.

 

O vereador Carlos Pinna Júnior (PV), de São Cristóvão, continua trabalhando a sua candidatura a deputado federal.

 

Antônio Francisco Sobral Garcez continua cumprindo prisão domiciliar, enquanto espera o julgamento na Justiça, com tribunal de júri,

 

O governador João Alves Filho tem consciência de que o deputado federal Ivan Paixão (PPS) foi quem mais conseguiu liberar recursos para Sergipe em Brasília.

 

Ivan Paixão tem uma grande vantagem: deixa os pruridos político partidários de lado quando estão em jogo os interesses de Sergipe.

 

A Prefeitura de Aracaju está expondo em um supermercado da capital a maquete do viaduto que será construído na rótula do Distrito Industrial.

 

A Varig voltou a sinalizar que está cumprindo as premissas do plano de recuperação aprovado na Assembléia do dia 19 de dezembro passado.

 

O governo já admite adotar medidas para barrar a alta do preço do álcool durante a entressafra da cana de açúcar, que vai até abril.

 

brayner@infonet.com.br 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários