Respiração: um ato de amor à vida e de paixão pela saúde

0

Quem consola um coração triste, na verdade, recebe mais do que dá
Torres Pastorino (radialista carioca)

Quando feito de forma consciente o ato mecânico de inspirar e expirar pode se tornar um grande aliado da saúde e com isso um parceiro inigualável de uma boa qualidade de vida.

Generalidades

O indivíduo normalmente respira 20 vezes por minuto,1200 vezes por hora ou cerca de 28800 vezes por dia de forma inconsciente. Ato reflexo e instintivo, a ação de inspirar e expirar normalmente não é objeto da nossa atenção,porém deveria ser,pois,se respirar é preciso, respirar bem é um fator de promoção da saúde e do bem-estar.

Normalmente se raciocinarmos a partir dos pulmões apenas,a respiração só pode ser inteiramente compreendida quando abordada em seu nível celular.

Os pulmões são os responsáveis, assim como o coração e o sangue, por permitir que a respiração – isto é, as trocas gasosas de oxigênio e gás carbônico – aconteça no interior de cada célula do corpo.

À partir dessa dinâmica, a parte que lhes cabe é captar o ar e criar as condições para que o oxigênio nele contido se combine,no interior de seus alvéolos, ao sangue e seja bombeado a todos os órgãos e tecidos pelo coração.

Contudo devemos chamar a atenção que a respiração deve sempre ter início pelo nariz, portanto torna-se problemático inspirar pela boca, pois o ar entra no organismo sem a devida filtração;que é realizada pelas narinas.

Sabemos que é uma explicação complexa e que o processo ocorre de forma inconsciente, mas também temos o conhecimento de que existem bons e maus padrões respiratórios,que se tornam extremamente vulneráveis à variabilidade do ser humano em sua diversidade de estados físicos e emocionais.

Componentes Psico-emocionais

Estresse, medo, tensão e ansiedade são exemplos de alterações do estado emocional e que modificam o padrão respiratório,determinando de forma inequívoca como o equivalente emocional tem um impacto físico na fisiologia da respiração.

O ansioso, por exemplo, pode apresentar dois tipos de respiração que causam mal-estar:

ou ele respira curto e muitas vezes, o faz cansar-se rapidamente, ou então hiperventila, ou seja, respira profundamente mais vezes do que o normal, liberando mais gás carbônico do que deveria e inalando excesso de oxigênio, o que pode-lhe causar atordoamento e até desmaio.

Nesse turbilhão de emoção x respiração, nós detectamos uma estrada de mão dupla: da mesma forma que as emoções influenciam a respiração, esta ultima também influencia os estados emocionais; ou seja, se o indivíduo se conscientizar da forma equivocada como está respirando durante uma crise de ansiedade,ele pode corrigir esse padrão respiratório de tal maneira,que ele se normalize e leve-o a reduzir ou até a corrigir o seu acentuado estado de ansiedade.

Fatores nocivos à respiração

Os principais inimigos físicos de uma boa respiração são:

Tabagismo – atinge diretamente os pulmões, agindo de forma lesiva às suas delicadas infraestruturas.

Sedentarismo – torna difícil a resposta a qualquer esforço físico, já que o coração e o pulmão ficam incapazes de responder a essa demanda.

Obesidade – o excesso de gordura oferece resistência à movimentação dos músculos envolvidos no processo respiratório.

A respiração torácico-abdominal (característica inerente ao ser humano),faz com que quando inspiramos, os pulmões se enchem de ar – abaixando e pressionando o músculo diafragma, sendo discretamente projetados para a frente, expandindo a musculatura intercostal,portanto se esses músculos estão enfraquecidos ou,ainda, no caso dos obesos, se estão impedidos de movimentar–se porque encontram gordura em seu caminho, a pessoa não respira como deveria. E isso é justamente o que faz com que muitos obesos sejam ofegantes e se cansem facilmente, assim como quem não pratica exercícios de forma regular.

Outros fatores que também podem interferir na respiração, são: Anemia e doenças cardíacas –pois  prejudicam a oxigenação dos tecidos.

Além disso o acidente vascular cerebral isquêmico e o infarto podem também levar a falta de oxigenação celular.

Como respirar bem

O exercício físico, como por exemplo a natação, é um grande aliado da boa respiração além de ser uma atividade esportiva que trabalha a musculatura peitoral, fortalecendo-a,sendo portanto bastante recomendado,por exemplo, para quem apresenta doenças que atingem diretamente a capacidade de respirar, como asma e bronquite.

A prática da yoga ensina o indivíduo a inspirar e expirar de forma consciente e dessa forma se energizar ou relaxar.

Não existe yoga sem respiração ou, como preferem os iniciados na prática, sem o pranayama,que é o nome sânscrito que deriva de prana (energia) e yama (domínio); ou seja em outras palavras, o pranayama é o domínio da respiração,o que por outro lado indica qual é a respiração consciente,e que passa a ser  a base de todas as posturas de prática da yoga.

O ato de respirar de forma integral e plena é muito mais importante do que a própria postura física, portanto essa última nunca deve prevalecer sobre a primeira.

O prana alimenta cada célula do corpo, tornando possível cada pensamento, sentimento e ação humana,por isso quando aprendemos a respirar, podemos equilibrar todas as emoções e sensações como ansiedade, medo e preguiça.

Conclusão

Respirar bem é sinônimo de paz, harmonia, bom humor,saúde e muita qualidade de vida.

Boa Semana,com muita Paz e Luz……….

Sayonara… Arigato!!!

 

Comentários