RETORNO AO POPULISMO

0

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decorou bem o dever de casa, orientado pelo setor de marketing, que tem à frente o publicitário Duda Mendonça. Passou a dar um tom populista aos seus discursos, para manter o nível de aceitação registrado pelas classes C e D. Abandonou a tática usada na estranha entrevista que concedeu em Paris, de desqualificar os fatos reais da CPMI dos Correios, como fez ao praticamente confirmar que todos os partidos políticos se utilizam do método de financiamento de campanha, através de empresas privadas, como levantaram os acusados Marcos Valério e Delúbio Soares. Lula agora está insistindo na revelação de que é filho de mãe e pai analfabetos e que o único legado que tem em sua vida é a vergonha na cara. Diz que passou isso para os seus filhos e quer que isso aconteça no país. Sensibilizou a multidão quando se mostrou sentido por hoje não ter mais a mãe, mas tem a sua consciência e milhões de brasileiros que confiaram nele. E foi em nome dessa consciência que o presidente Lula prometeu que, se depender dele, não haverá corrupção neste país, quem sabe, num curto espaço de tempo. O reconhecimento de que a corrupção está existindo – tanto que ele pretenda acabar com ela em um curto espaço de tempo – foi feito durante discurso na cerimônia de criação do Consórcio Universitário da Metade Sul do Estado, em Bagé (RS).

 

Outra boa estratégia que vem sendo utilizada é a contundência do presidente Lula em relação à defesa da investigação de todas as denuncias e que todos os culpados terão que pagar com punição exemplar. Também se mostra indignado com o “disse-que-disse”, acusando a imprensa de manchar nomes de inocentes. É verdade que o presidente tem insistido na tese de que todas as denuncias têm que ser rigorosamente apuradas e chegar aos responsáveis por esta vergonha que passa o país. É verdade que o governo foi ágil na prisão de algumas pessoas que jamais imaginaram ficar por trás das grades, entretanto procurou proteger amigos íntimos e aliados, a começar pelo ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, quando não permitiu a instalação de uma CPI para apurar o envolvimento dele no caso de Valdomiro Diniz. O presidente trabalhou intensamente para abafar a CPMI dos Correios e a CPI do mensalão e, quando foi impossível conter os parlamentares, imaginou formar uma mesa chapa branca. Conseguiu, mas os escolhidos também tiveram o direito de se indignar e estão atuando com a mais absoluta austeridade e independência.

 

Só para refrescar a memória, quando a Veja publicou imagens de um funcionário dos Correios recebendo R$ 3 mil de comissão e denunciando o deputado Roberto Jefferson (PTB) de comandar um esquema de corrupção, o presidente Lula foi o primeiro a defender o parlamentar e até dizer que lhe daria um cheque em branco. Na realidade o presidente nunca quis apurar nada que envolvesse aliados e ministros. Só o fez, e agora se diz um paladino da moralidade, depois que a corrupção corroeu as entranhas da cúpula majoritária do seu partido e pode jogar lama no Planalto. Essa é uma das verdade que nem Lula e muito menos os seus fieis escudeiros, podem se recusar a ouvir e aceitar.

 

Agora surgiram fatos que envolvem o presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo (MG), colocando-o no mesmo esquema do publicitário Marcos Aurélio. Não se pode deixar de apurar essas denuncias que incomodam o ninho tucano, porque ninguém pode ser considerado absolutamente correto se existem dúvidas quanto a sua honestidade e dignidade. É necessário uma apuração rígida, para também levar à CPI do Mensalão, quem tem alguma culpa nesse processo de compra de votos, através da liberação de dinheiro não contabilizado (caixa-2) para aliados que disputam mandatos. É preciso que se passe esse país a limpo, que se procure recuperar a credibilidade e que a sociedade volte a acreditar nos políticos e escolha o que for melhor para o Brasil em 2006.

 

Não importa que aconteceu em 1998. O importante é buscar – no passado e no presente – todos os atos de corrupção que põem Legislativo, Executivo e Judiciário em cheque.

 

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) considerou o senador Eduardo Azeredo, presidente do partido, “é um homem de bem”. Azeredo é acusado de fazer transação com o publicitário Marcos Valério. “Azeredo tem vida digna e é um político exemplar”, disse Albano.

 

INVERSÃO

Segundo o ex-governador Albano Franco, “esta se vendo que o interesse do outro lado é inverter o foco dos fatos”. A questão do senador Azeredo virou notícia nos principais jornais do país e o compromete de participar de transações de empréstimos para sua campanha ao governo de Minas.

 

RESGATE

O secretário de Justiça, Manoel Cacho, revelou que estava sabendo da existência de possibilidade de resgate de preso em Sergipe: “isso estava em investigação”. Houve uma denuncia anônima sobre isso e se deu maior atenção nos presídios. Os presos fugiram cavando um túnel por baixo de uma guarita: “noto que houve facilitação”, disse.

 

TRANSFERÊNCIA

A transferência do fugitivo Dorgival, assassino do ex-deputado Joaldo Barbosa, do presídio de Tobias Barreto para o de Nossa Senhora da Glória, ocorreu por autorização do juiz de Execuções Criminais, Diógenes Barreto. Manoel Cacho explicou que a transferência aconteceu porque houve uma pequena rebelião no presídio de Tobias Barreto.

 

CORUJA

O deputado federal Fernando Coruja (PPS-SC) está em Aracaju. Veio participar de Seminário de Endocrinologia que está acontecendo na capital. Coruja é membro titular da CPI do mensalão em Brasília. Ontem ele almoçou com o seu colega sergipano, Ivan Paixão (PPS).

 

GRAVE

O deputado Fernando Coruja reconheceu que o momento em que vive o país é grave e tende a piorar, porque está apenas começando. O parlamentar acha que a crise pode se agravar dentro do Executivo, o que poderia se chegar a uma questão do impeachment do presidente Lula (PT).

 

ECONOMIA

Fernando Coruja critica quem pretende encobrir os fatos, para que não se atinja a economia e lembrou: “não se pode manter forte uma economia, abrindo mão de apurar a corrupção”. Admitiu que nenhuma economia é comprometida com investigações em outra área: “não se pode deixar a corrupção ser argumento para fortalecer a economia”, disse.

 

DIRCEU

Já o deputado federal Ivan Paixão também reconheceu que a “coisa está se complicando, com o envolvimento do deputado José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil”. Ivan mostra que a cada dia vêm surgindo novos fatos e aumentando a crise que atormenta o país: “é difícil saber onde isso vai dar”, disse.

 

CERTO

Já está praticamente fechado o entendimento entre o grupo dos Reis, em Lagarto, e o governador João Alves Filho. Já está certo que a deputada suplente de deputada Gorette Reis cai assumir a Assembléia Legislativa, com o afastamento do titular Walker Carvalho.

 

AUGUSTO

O deputado estadual Augusto Bezerra (PFL) disse ontem que todo mundo está vendo que a concorrência para a transposição das águas do rio São Francisco é de “cartas marcadas”. Augusto acrescentou que vai dizer, da tribuna da Assembléia, quem está por trás disso tudo: “é a formação de um caixa dois”.

 

GARIBALDE

O deputado estadual Luiz Garibalde (PDT) disse que continua esperando uma decisão do senador José Almeida Lima (PSDB), que viaja a Brasília na segunda-feira. Garibalde só vai para o PSDB se a legenda for para comando de Almeida Lima, caso contrário permanecerá no PDT.

 

CELSO

O ex-governador Celso Carvalho já fez as pazes com o seu adversário em Simão Dias, senador Valadares, e na terça-feira jantou com ele em casa de D. Caçula. Bem humorado e elegante, Celso atraiu as atenções do jantar. Ele fez um relato de como assumiu o governo, após a queda de Seixas Dórea, em 1964.

 

POSSE

Celso Carvalho contou que recebeu um telefonema às 4 horas da manhã, em seu apartamento. Do outro lado o coronel Silveira o intimava a ir ao Olimpio Campos. Celso atendeu e ao chegar lá o coronel disse: “não sei como se faz isso, mas estou lhe passando o governo”. Ele foi rápido na resposta: “e eu estou recebendo”.

 

APLAUSOS

O ex-governador Celso Carvalho fez uma confidência: “a única frustração que carrego é não ter sido senador”. O relato de Celso foi ouvido atentamente por uma platéia seleta: Albano Franco, Marcelo Déda, Senador Valadares e Edvaldo Nogueira. Todos o aplaudiram no final.

 

 

Notas

 

DEFICIENTES

Os bares, lanchonetes e restaurantes com área maior que 200 metros quadrados poderão ser obrigados a possuir pelo menos um banheiro masculino e outro feminino adaptados para o uso de pessoas portadoras de deficiência. É o que determina Projeto de Lei apresentado pelo deputado Carlos Nader (PL-RJ). Segundo o projeto do parlamentar, os estabelecimentos localizados em prédios que impossibilitem o atendimento dessa exigência deverão apresentar alternativas para a análise do órgão público competente.

 

REPASSE

A exigência de repasse de parcela dos vencimentos recebidos por ocupantes de cargos de confiança poderá ser considerada crime contra a administração pública. É o que determina o Projeto de Lei do deputado Ricardo Barros (PP-PR). Quem cobrar o percentual pode ser punido com pena de 3 a 5 anos e multa. O deputado afirma ser comum que titulares de cargos de confiança assumam o trabalho com o compromisso prévio de pagar um percentual, a ser destinado a detentor de cargo eletivo ou ao partido.

 

ENSINO

A Câmara Federal analisa o Projeto de Lei 5452/05, do Poder Executivo, que amplia de oito para nove anos a duração mínima do ensino fundamental. Pela proposta, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (9394/96), o início da educação formal continua sendo aos 6 anos de idade. A mensagem do Executivo encaminhada à Câmara lembra que o assunto vem sendo discutido por educadores há alguns anos. O Plano Nacional de Educação (PNE), que consta da Lei 10172/01, já prevê entre as metas do setor até 2011 a ampliação da duração do ensino fundamental para nove anos.

 

É fogo

 

A fuga do assassino do deputado federal Joaldo Barbosa provocou uma certa indignação da sociedade.

 

O aumento da violência em Aracaju começa a ser retomada, principalmente com os seqüestros relâmpagos, que têm sido mais constantes.

 

A casa de D. Caçula, em Simão Dias, se tornou no templo do encontro de políticos que integram variadas tendências, durante os festejos de Santana, terça-feira.

 

O empresário Marcos Valério está com pedido de prisão preventiva, solicitada pela grande maioria dos membros da CPMI.

 

Os deputados concordam que as eleições do próximo ano serão mais difíceis. Essa questão do mensalão será um problema.

 

O prefeito de Estância, Ivan leite (PSDB) não sabe como fazer para pagar uma dívida de mais de R$ 30 milhões.

 

As deputadas Susana Azevedo e Lila Moura retornaram da viagem a Nova Iorque, onde estivavam desde o final dos trabalhos legislativos.

 

Historiadores, estudiosos e intelectuais vão hoje à grota de Angicos, em Poço Redondo, onde Lampião e Maria Bonita foram mortos. Participam da missa para o rei do cangaço.

 

As transações realizadas com cartões de crédito, débito e de loja somaram R$ 97 bilhões no primeiro semestre deste ano.

 

O Ministério do Planejamento revisou para baixo sua estimativa de crescimento para 2005, de 4% para 3,4%, em linha com as projeções do Banco Central.

 

Há cerca de 20 anos, o segmento de frutas, legumes e verduras (FLV) representava de 2% a 3% das vendas dos supermercados.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais