Saúde doente

0

As mazelas da saúde pública insistem em ocupar generosos espaços na mídia sergipana. Dia sim, outro também, são feitas denúncias sobre ausência de médicos especialistas, equipamentos hospitalares quebrados, pacientes que são jogados no chão em toscas macas, demoradas filas de espera por atendimento, falta de remédios, etc, etc e tal. Embora o governo do Estado procure mostrar o contrário, a saúde pública permanece um caos, para desespero dos menos afortunados que precisam recorrer ao SUS para prolongar a hora da morte. Não se nega que nos últimos anos foram feitos grandes investimentos no setor, mas insuficientes para mudar a triste realidade estampada diariamente nas manchetes dos jornais. Uma lástima!

Mala preta

Alguns deputados sentiram-se melindrados com a denúncia de que a mala preta pode ser um dos ingredientes da complicada receita que resultará na escolha do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Querem, inclusive, a apresentação de provas de que estão tentando pagar R$ 500 pelo voto dos parlamentares. Não fossem tão inocentes, os deputados saberiam que dinheiro não fala e que provar suborno é tão difícil quanto enxergar pés em cobras. Ah, se dinheiro falasse!

Se ligue!

A despeito da nota de ontem sobre a queixa do governador Marcelo Déda (PT) com os telefonemas que tem recebido de madrugada em Nova Deli, o internauta Luiz Nascimento tem uma explicação. Segundo ele, as ligações noturnas não são provocadas pelo fuso horário de oito horas e meia entre o Brasil e a Índia. A ideia da turma é incutir na cabeça do governador a seguinte mensagem: Acorda, Déda!

Atchim!

Começa no próximo dia 5 e vai prosseguir até 25 de maio a campanha nacional de vacinação contra a gripe sazonal ou gripe comum. A vacina utiliza as três cepas de vírus que mais circularam no país no ano anterior e vai imunizar também contra a gripe suína. O público-alvo da campanha inclui idosos (a partir de 60 anos), população indígena, crianças com idade a partir de 6 meses e menores de 2 anos, grávidas em qualquer período de gestação e profissionais de saúde.

Guerra suja

Embora ainda pouco perceptível, mas a Torre e a Estre Ambiental estão travando uma verdadeira guerra para ver quem fica com o melhor pedaço do lixo de Sergipe. As empresas evitam dar a cara, mas quase diariamente alguém vai à imprensa fazer denúncias sobre aterro sanitário, poluição de corpos d´água e lixões a céu aberto. Resta saber quem vai ganhar essa guerra suja.

Depósito de gente

A 4ª delegacia metropolitana de Aracaju não passa de um miserável depósito de seres humanos. Pelo menos foi o que atestou o mutirão carcerário desenvolvido em Sergipe pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Naquela unidade policial existem apenas três celas para abrigar 30 presos, que dormem no chão, quase não têm água, são privados de banho de sol e comem uma ‘gororoba’. Horrorizada com o que viu, a juíza Ivana David, que coordena o mutirão, prometeu pedir a interdição da delegacia. Tá certa!

Maria da Penha

O desembargador Edson Ulisses fará daqui a pouco uma palestra sobre a Lei Maria da Penha. Será durante reunião ampliada promovida pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, que acontece no auditório do Banese da avenida Augusto Maynard. O encontro será mediado pela secretária Maria Teles.

Mais visíveis

As cores e informações nos rótulos de embalagens dos remédios distribuídos pelo Ministério da Saúde vão mudar. As letras nas caixas, ampolas, frascos e cartelas passarão a ser na cor branca com fundo verde, no lugar do branco e azul usados atualmente. O tamanho do nome do princípio ativo será duas vezes maior em comparação à marca comercial. A ideia é ficar mais fácil para o paciente saber qual medicamento deve tomar. O novo modelo começa a valer somente daqui a seis meses.

Surpresa

Em visita esta semana ao Partido Verde, o ex-governador João Alves Filho (DEM) ficou surpreso com a disposição da galera. Acompanhado pelo tucano José Carlos Machado, João consultou os verdes sobre a possibilidade de eles apoiarem o candidato demista a prefeito de Aracaju. Foi informado que o Partido Verde vai disputar a Prefeitura com nome próprio e ainda consultado se o DEM não quer indicar o candidato a vice na chapa do PV.

Do baú político

Indicado prefeito de Aracaju graças a um acordo entre as lideranças arenistas, o médico Gileno Lima foi ‘fritado’ pelo governador Lourival Baptista. No livro ‘Julio Leite, o chefe invisível’, o jornalista Ricardo Leite fornece detalhes sobre a jogada arquitetada pelo governador. Primeiro este não foi à solenidade de posse na Prefeitura. Meses depois, a Câmara de Vereadores aprovou um projeto isentando o Banco de Fomento de Sergipe – hoje Banese – do pagamento de impostos municipais. O prefeito sentiu o golpe e vetou o projeto. Chateado, Lourival o convoca para uma conversa e propõe: “Gileno, você viaja, o prefeito interino assina a lei e você não se desgasta”. Na bucha, Gileno Lima se demite. Era o que o governador mais desejava. Deixa por vários meses comandando a Prefeitura o presidente da Câmara José Teixeira Machado. Depois, sem respeitar o acordo com a turma dos ex-PSD e ex-PR, indica como prefeito o economista Aloísio de Campos, nome tirado do bolso do colete. No dizer do então deputado estadual Jaime Araújo, peemedebista oriundo do PR, o ato de Lourival “foi um esbulho, uma usurpação”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários