Secretários de Estado ganham reajuste

0

E os aumentos continuam grassando nos terrenos do governo. Ontem, por exemplo, foi lido no plenário da Casa Legislativa, o projeto de lei 146/18 que deve ir a plenário hoje, para apreciação dos senhores deputados. Esse PL dispõe sobre o subsídio do cargo de Secretário de Estado. O titular de cada pasta passará a receber, a partir de primeiro de janeiro próximo, a importância de R$ 16.000,50, correspondente a uma revisão de 6,67%, revisão essa que se aplica também à VPNI – Vantagem Pessoal Nominalmente Identificável decorrente do exercício do mesmo cargo. Aí é onde está o perigo. Antigo assessor do Palácio diz que, as incorporações terminam se tornando inviáveis porque os salários dos secretários subirão de elevador e o dos funcionários públicos pela escada. Mas, esse é o jeito Belivaldo de governar: aos ocupantes de altos cargos o máximo que o governo pode pagar, aos demais, cabe chupar o dedo… O último reajuste que os Secretários de Estado tiveram foi em dezembro de 2014, para vigorar no ano seguinte, isto é, 2015. Naquela ocasião, os subsídios foram fixados em R$ 5.000,00. Agora dá um pulo para R$ 16.000,50, a vigorar a partir do próximo dia 1º de janeiro de 2019. Também a partir de 1º de janeiro ficam revistos os encimentos básicos dos cargos efetivos do quadro de pessoal do serviços auxiliares do Ministério Público do Estado de Sergipe, com o percentual de 3,56% A revisão salarial estende-se às Vantagens Pessoais Nominalmente Identificadas.

Tudo para fazer Márcio deputado federal

O Governador Belivaldo Chagas está empenhado em oferecer a um dos deputados federais eleitos para a legislatura próxima, a partir de 1º de fevereiro, um cargo de Secretário de Estado com vistas a levar à Câmara Alta o Sr. Márcio Macedo, primeiro suplente, e atual Presidente Estadual do PT. O governador quer ser simpático ao Partido dos Trabalhadores por isso o esforço governamental para encontrar quem se dispunha a deixar a Câmara dos Deputados em Brasília e venha a ser Secretário de Estado em Sergipe. A primeira investida foi em cima do deputado Fábio Reis. Mas, o pai dele, o ex-Prefeito de Lagarto, Jerõnimo Reis, detonou o trabalho do governo. “Não permitirei a vinda dele deixando a Câmara dos Deputados, é o meu conselho como pai. E como político digo-lhe que permaneça na Câmara dos Deputados”. As declarações de Jerônimo foram prestadas ontem a um programa de rádio e tiveram grande repercussão. Belivaldo vai ter que procurar outro…

Na mesa só com o aval do partido

Declaração do deputado Francisco Gualberto ontem no plenário da Assembleia, durante a sessão extra: “Querer participar da Mesa Diretora da Casa é claro que quero. Mas, antes eu tenho que consultar o meu agrupamento político e o meu partido. Esta é uma decisão que não cabe tão somente a mim”. Outra declaração de Gualberto: “As redes sociais são para quem não tem o que fazer e passa os dias se balançando nelas. Quem tem o que fazer também se balança nessas redes”.

Diretor da Vigilância Sanitária

Líder do Governo Temer na Câmara dos Deputados, o deputado federal André Moura – que não conseguiu se eleger – foi nomeado pelo Presidente da República, Michel Temer, Diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O problema é que, para a nomeação valer tem que passar pelo crivo do Senado. Dará tempo para isso?

Dia de despedidas na Assembleia

Ontem foi dia de despedidas na Assembleia Legislativa – a despedida de Ana Lúcia, portanto, fez escola (a deputada petista ontem não pode acompanhar a sessão do Legislativo até o final porque o seu esposo, por conta de complicações com o diabetes, está internado no Hospital Primavera).O deputado Gustinho Ribeiro, diplomado na segunda-feira como deputado federal, fez um longo discurso para agradecer a todos os parlamentares com os quais conviveu em duas legislaturas. Lembrou que foi vereador em Lagarto e que chegou à Assembleia com apenas 27 anos de idade. Ressaltou que, por durante esses oito anos de mandato, contou com a ajuda de todos os companheiros. Gustinho mostrou-se um homem de sensibilidade a toda prova: chegou a chorar na tribuna do plenário ontem. Outro que subiu à tribuna para falar foi o deputado Pastor Antônio que está deixando a Assembleia por não ter sido eleito deputado federal. Fez também um discurso com muita emoção destacando que passou duas legislatura procurando desenvolver um trabalho que beneficiasse o povo sergipano. O deputado, e radialista Gilmar Carvalho, por seu turno, fez uma denúncia de extrema gravidade: é que uma comunidade na cidade de Capela é dominada por bandidos que não permite a entrada de radialistas e policiais. O povo vive cerceado em sua liberdade. Apelou ao Secretário João Eloy para tomar providências contra esta situação.

Olha ele aí de novo

O inefável Evaldo Campos, e sua vasta cabeleira branca, está de volta à cena. Defendendo, quem? Quem? Só podia ser o dublê de marginal e político Valdevan 90.

Comentários