Segurança em estágio letárgico

0

   A tragédia ocorrida em Monte Alegre merece mais algumas análises sem emoções, sem partidarismo, mas com alguma racionalidade e lógica. Por exemplo, está claro que no interior do Estado, da quinta-feira à tarde até a terça-feira pela manhã, o único braço do Estado que fica é a Polícia Militar. Não existe policia civil (delegados), nem representantes do Judiciário, do Ministério Público, ou seja, absolutamente nada. Aliás, quando do advento do delegado de carreira, ainda na extinta Gazeta de Sergipe, este jornalista chegou a ser processado pelo Sindicato da categoria – e teve o constrangimento de ir depor numa delegacia – porque fez uma avaliação que não estava funcionando a iniciativa de colocar delegados de carreira em vários municípios, porque a maioria dos delegados não ficava no município de sexta-feira a segunda-feira porque moravam em outros estados ou se deslocavam para Aracaju.

  Outro detalhe: na maioria das vezes os bravos policias militares que ficam no interior do Estado concorrem a uma escala de serviço sobre-humana. É uma conclusão mais do que obvia: é necessário mais policiamento ostensivo nas ruas de todo Estado. O governador tem em suas mãos o pedido para nomear mais 500 policiais militares do último concurso. Porém, não basta apenas isso. Como Déda disse ontem: é preciso acabar com os requisitados nos poderes judiciário e legislativo de todo Estado. Albano e João chegaram a tentar, mas recuaram por conta da pressão política. Como ele levantou a questão neste momento é preciso coragem. Será que o governador terá a coragem de colocar nas ruas cerca de 200 homens que estão à disposição dos poderes constituídos fazendo segurança de prédios públicos e serviços burocráticos?

  Com certeza se em Monte Alegre e outros municípios tivessem mais policias militares no trabalho ostensivo nas ruas vários crimes seriam evitados. Alguns, como o presidente da OAB/SE, Henri Clay, falou na necessidade de investir em inteligência para evitar crimes como o de Monte Alegre. Que inteligência? Como a inteligência evitaria a insanidade de um assassino frio? Aliás, quais os crimes praticados em Sergipe do ano passado para cá que necessitariam de uma inteligência tão “inteligente”? Ninguém duvida da capacidade de uma inteligência atuante na SSP, que é imprescindível, mas não evitaria casos como o de Monte Alegre.

  O certo é que em Sergipe se faz necessário e urgente é a polícia militar nas ruas fazendo o policiamento preventivo/ostensivo. Aliado a isso é preciso uma política de valorização da segurança pública que foi renegada a terceiro plano por vários governos e em todo o país. O governo precisa dialogar com todas as categorias da SSP acenando com ganhos reais. Mesmo que não sejam agora, mas que eles possam deslumbrar que algo será mudado, acabando com a política de comprar carros, algumas armas, mas esquecendo da valorização do ser humano que é imprescindível para o bom funcionamento da máquina. Está claro que quase todos os setores da segurança pública em Sergipe estão em estado letárgico, sem motivação e sem isto não há polícia, não há segurança pública.

 

 

Aos que defendem o aluguel de um helicóptero por R$ 300 mil mensais

Aos partidários do uso do helicóptero pelo governo estadual, alguns detalhes: O primeiro deles é que o aparelho que estava alugado ao governo não podia ser utilizado à noite.  Consultado por oficial da PM, um piloto de helicóptero, também da PM, informou que as regras aeronáuticas para vôo visual noturno – condição exigida para o caso de Monte Alegre – determinam no Art.  3-4 letra C que os vôos com início programado para após o horário aeronáutico do por do sol ( 17h21 para o dia 28/04 ), deverão ocorrer obrigatoriamente dentro de um “raio de 50 Km do local de partida”.  Como Monte Alegre está distante – em linha reta -118 km de Aracaju não poderia ser atendido para uma situação ocorrida após o horário do por do sol, a menos que a aeronave já esteja na própria cidade. O segundo é que R$ 300 mil mensais não são justificados num Estado tão pequeno. Aliás, bem que o TC e o MP poderiam abrir um processo para saber qual o critério adotado para alugar este helicóptero no governo passado e se o valor está de acordo com o que é pago no mercado brasileiro.

 

Coluna cobrou ações efetivas na área da segurança pública

Foram muitos e-mails elogiando a cobrança de ações efetivas na área da segurança pública. Além de pontos que precisam ser explicados na tragédia de Monte Alegre, como a demora para chamar o COE e a negociação sem saber se os reféns estavam vivos, é preciso um tratamento diferenciado para o interior do Estado. O próprio governador reconheceu ontem que a criminalidade diminuiu em Aracaju em 30%, mas no interior os índices continuaram os mesmos. O leitor que acompanha esta coluna diariamente sabe que as cobranças estão sendo feitas, mas não se pode transformar uma tragédia numa orquestração para derrubar o secretário, como se tudo se resumisse a mudança de cargos. Está provado que é preciso uma mudança em toda estrutura, que infelizmente é viciada, da SSP. Isso demanda tempo, mas não justifica a falta de algumas ações.

 

Segurança: É preciso que poderes constituídos façam sua parte

O governador Marcelo Déda disse ontem que vai precisar do apoio político e da sociedade para algumas decisões que o governo vai tomar. Uma delas: pedir os policiais militares requisitados para os poderes, legislativo (AL e Câmaras) e judiciário. São muitos que poderiam prestar trabalhos nas ruas de Aracaju e no interior. Albano Franco e João Alves já tentaram, mas aos poucos mudaram de idéia por conta da pressão política. Aqui para você caro leitor: A coluna aceita apostas de que Déda  não consegue acabar com esse privilégio ….

 

 

Perigo à vista: paralisação da polícia no dia do Forrozão

Nos corredores da SSP e de toda polícia é dita como certa uma paralisação geral de quase todas as categorias na próxima sexta-feira, 04. Justamente no dia de uma das maiores festas realizadas em Aracaju: o Forrozão promovido pela FM Sergipe.  Ainda falam que a polícia militar não fará a paralisação explicita por motivo da disciplina e hierarquia, mas que através de suas associações podem realizar a chamada greve branca. Fala-se também em radicalismo como alguns policiais impedirem o abastecimento de veículos na Acadepol e no CFAP. A coluna sempre deu (e dará) espaço para que as categorias organizadas façam suas reivindicações, mas fica preocupada com a forma que alguns podem radicalizar o movimento e as razões foram perdidas por conta de ações destemperadas. A coluna torce por um entendimento entre o governo estadual e todas as categorias, através de um consenso que não inviabilize financeiramente a máquina estatal, mas dê garantias, não só da abertura de um canal de diálogo, mas de conquistas em médio prazo.

 

Investimento na área do turismo imobiliário I

O governador Marcelo Déda está entusiasmado com as oportunidades que se abrem em Sergipe para o chamado turismo imobiliário, ou turismo de segunda residência. Essa modalidade de investimento consiste na construção de condomínios de prédios e casas, normalmente em regiões de praias, que são adquiridos por estrangeiros que se utilizam para passar temporadas todos os anos, ou até mesmo como moradia definitiva. Depois do boom de Espanha, Portugal e Leste Europeu, o Nordeste brasileiro está sendo descoberto, com os primeiros empreendimentos sendo erguidos em vários Estados. Em Sergipe, o primeiro deles deverá ser anunciado ainda este mês, em reunião do governador com o arquiteto franco-americano Guy Perry, um dos mais conceituados do mundo na atualidade. Trata-se de um empreendimento na Barra dos Coqueiros, ocupando área de 90 ha, onde serão construídos apartamentos, casas, resort e campo de golfe.

 

Investimento na área do turismo imobiliário II

 O governador, acompanhado dos secretários Jorge Santana e João Gama, esteve pessoalmente com o arquiteto que foi um dos palestrantes do Fórum de Desenvolvimento Sustentável, em Nova York, na última segunda-feira. Um detalhe chama a atenção desse e de outros empreendimentos turísticos que chegam a Sergipe: não haverá participação financeira do governo do Estado, prática comum na administração passada, que somente em 2006 aportou, em dinheiro vivo, R$ 14 milhões em  empreendimentos turísticos. Está claro para o governador e seus secretários que os fatores de atratividade de Sergipe residem em suas belezas naturais e nos seus indicadores sócio-econômicos e de governança, não fazendo sentido investimentos financeiros diretos.

 

Heleno confirma saída do PR

Como a coluna noticiou ontem, 02, com exclusividade, o ex-deputado Heleno Silva, concedeu entrevista ontem ao programa de Fábio Henrique na rádio Atalaia AM, confirmando a saída dele do Partido da República (PR). “Tenho feito a minha política na base de projetos, das idéias, do debate e das propostas. Não faço com brigas, pressões e intrigas. O PR achou por bem entregar o comando do partido a Amorim. Nunca fui contra a vinda dele, mas também não fui consultado pelo diretório nacional. Em Brasília, se tem o costume de não respeitar os filiados partidários, as executivas e os diretórios municipais”, denunciou Heleno no ‘Fala Sergipe’.

 

 

Prefeito pede cassação de vereadora

Em Frei Paulo, o prefeito Aderbaldo Oliveira, protocolou na Câmara Municipal em nome do DEM (Ex-PFL) o pedido de cassação do mandato da vereadora Ana Dantas por infidelidade partidária A vereadora deixou o DEM no início deste ano por não concordar com o modelo administrativo do prefeito que preside o partido no município. Ana ainda não foi notificada pela Câmara, mas o advogado Pedro de Morais Silva, já concedeu entrevista à emissora local confirmando o envio a Câmara do pedido de declaração de vacância do cargo para dar posse ao suplente Miguel da Ruinha,o que deve acontecer ainda nesta quinta-feira,03.

  

Novo layout da Agência Sergipe de Noticias

Desde ontem, 02, a Agência Sergipe de Notícias estará com novo layout. Segundo a secretária Eloísa Galdino foi concretizado um projeto de site que facilita o acesso do cidadão às ações do governo, através da disponibilização das informações em seus mais diversos formatos (texto, imagem, áudio e vídeo). Eloísa Galdino explica que a nova ASN corrobora com o princípio de comunicação integrada, e surge face à necessidade de aprimorar os serviços de prestação de contas e de informação do Governo do Estado. A cada internauta o governo estadual pretende oferecer um site usual, transparente e acessível, valores que refletem a política de comunicação governamental. A secretaria de Estado da Comunicação Social, Eloísa Galdino, aproveitou o novo layout do site para publicar um artigo com o titulo “Um governo com a marca da mudança”.  Quem desejar ler o artigo é só acessar o site www.agencia.se.gov.br

 

Controladoria analisa contas do governo João Alves I

A Controladoria-Geral do Estado (CONGER) concluiu o exame dos processos de Prestações de Contas dos Órgãos e Entidades do Poder Executivo estadual, referente ao exercício 2006. Tendo por base a documentação contida nas Prestações de Contas, a CONGER emitiu setenta e cinco relatórios e certificados de auditoria; das quais 74% foram consideradas REGULARES; 23% REGULARES COM RESTRIÇÃO e 3% IRREGULARES. Porém, em face da falta de evidências da realização de auditorias trimestrais, no exercício 2006, não foi emitida opinião quanto à regularidade dos atos e fatos praticados pelos Gestores integrantes do Governo João Alves.

Após serem examinados, todos os processos foram restituídos aos Órgãos e Entidades do governo de Sergipe, para serem remetidos ao Tribunal de Contas do Estado, conforme determina a Lei Orgânica do TCE (Lei Complementar n. 04/1990).

 

Controladoria analisa contas do governo João Alves II

Quanto às irregularidades constatadas pela CONGER, o Controlador-Geral, Adinelson Alves, determinou a Tomada de Contas Especial, para melhor apuração dos fatos, identificação dos responsáveis e quantificação dos danos causados ao Erário estadual.Na opinião do Controlador-Geral do Estado, o exame das Prestações de Contas, dentro do prazo legal, constitui uma significativa etapa dos trabalhos da CONGER, cujos resultados são importantes não só para o governo, mas também para toda a sociedade sergipana. (Ascom/Controladoria).

 

 

Esclarecimentos da atual diretoria da Deso I

A coluna recebeu o seguinte e-mail da assessoria de comunicação da Deso que será publicado na integra: “Embora classifiquemos como totalmente infundadas as afirmativas feitas através da sua conceituada coluna, publicada no sábado último, dia 28, e nesta quarta-feira, dia 02, consideramos importante reconduzir os assuntos abordados ao seu curso verdadeiro, como forma de dissipar dúvidas plantadas sobre a atual diretoria da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso):A nova diretoria, ao assumir a gestão da empresa, em janeiro de 2007, detectou práticas equivocadas no tocante ao pagamento de férias dobradas a servidores, o que de pronto foi suspenso, impedindo o acúmulo que somavam prejuízos pecuniários à Deso. Para sanar tais práticas, funcionários estão sendo autorizados a gozar até duas férias em descanso no mesmo ano, a título de regularização das situações encontradas até que os casos sejam normalizados;Foram encontradas também distorções no que se refere a empregados com desvio de função laborativa, destoando completamente daquelas previstas em edital de concurso ao qual se submeteram. Agora estes funcionários estão sendo reenquadrados em suas reais atividades, o que regulariza também os salários relativos às suas funções”.

 

Esclarecimentos da atual diretoria da Deso II

Continua os esclarecimentos: “A Deso consolidou, com a aprovação em assembléia do sindicato da categoria, a contraproposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2006/2007, documento este que encontra-se em fase de assinatura pela Diretoria do Sindisan, demonstrando claramente a preocupação da Deso com o bem-estar e valorização dos servidores;Foi detectado que funcionários terceirizados trabalhavam somente 30 horas semanais, com o agravante de acumularem horas extras. A irregularidade foi gradativamente coibida ainda nos primeiros meses do ano e agora em abril foi completamente abolida pela Deso, determinando o cumprimento das 40 horas semanais previstas em contrato; A postura da Diretoria da Deso é a de ser transparente para com os seus atos, pois não é praxe a utilização de práticas de perseguição ou qualquer forma de intimidação de funcionários. Portanto, as possíveis denúncias de irregularidades devem ser apresentadas, para que não pairem dúvidas sobre a conduta dos diretores da Companhia;Por fim, mais uma vez repudiamos a forma tendenciosa como os assuntos referentes à Deso são colocados na mídia, o que configura interesses fora do âmbito coletivo, direcionando ao campo da conturbação da opinião pública perante a Deso e ao Governo do Estado. Reiteramos o anseio de levar a público todo e qualquer procedimento questionado, de forma a deixar transparentes todos os atos administrativos desta nova gestão, assim como sempre nos colocarmos à disposição da imprensa a fim de estabelecermos uma relação cordial e sadia”.

 

Conexão direta com o leitor

E-mail recebido: “Gostaria de reforçar o apelo de um leitor que pede pela convocação dos excedentes do concurso da PM de 2005. Observamos que o efetivo da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil estão defasados e todos nós sabemos da importância destes profissionais para a segurança da população sergipana. Portanto, peço que seja recomendado ao nosso grande governador Marcelo Déda que acate o diagnóstico de um profissional altamente especializado em segurança pública, Kércio Pinto. Demonstrando confiança no secretário e sendo coerente com a linha adotada pelo PT em respeitar o trabalho de especialistas em quaisquer áreas. Foi assim com a Secretaria de Assistência Social do Município e Secretaria de Saúde do município, na gestão de Déda. Como tem sido também no governo Lula. Destaca-se o trabalho da Polícia Federal, que jamais trabalhou tão bem e com tanta autonomia. É por isso que reafirmo, se o secretário de segurança solicitou, respeitando os termos de responsabilidade fiscal, o governador deve acatar o pedido e convocar o excedentes de 2005. Além, de convocar, posteriormente, os excedentes do Corpo de Bombeiros e abrir novo concursos para a polícia civil”.

 

Novas unidades federais de ensino profissionalizante

Estão definidas as 150 cidades-pólo nas quais serão implantadas as novas unidades federais de ensino profissionalizante. Destas, 51 estão localizadas na Região Nordeste. Os estados do Maranhão e da Bahia terão oito escolas cada um. Piauí, Rio Grande do Norte e Ceará abrigarão, cada um, seis unidades. Paraíba (cinco), Pernambuco (cinco), Alagoas (quatro) e Sergipe (três) são os demais contemplados. Em Sergipe os municípios contemplados com as novas Escolas Técnicas são Itabaiana, Estância e Nossa Senhora da Glória. .Para cada município foi analisado o setor produtivo mais significativo. A Prefeita Maria Mendonça e a secretária de educação do município, Carminha Mendonça estão participando de reunião técnica com representantes das 150 cidades-pólo que receberão as unidades de ensino profissional anunciadas no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). O encontro tem como finalidade esclarecer dúvidas e orientar os municípios quanto à elaboração das propostas.

 

Inscrições para Encontro Estadual dos Jornalistas

Quem ainda não fez a inscrição para participar do Encontro Estadual dos Jornalistas de Sergipe 2007 (só para os desavisados – este é o terceiro desta gestão do sindicato que estará completando três anos), não pode deixar para a última hora. As vagas são limitadas. Os jornalistas em dia com o Sindijor/SE não pagam taxa nenhuma para se inscrever, mas precisam confirmar junto ao sindicato a inscrição. Esta ação é importante porque o Sindijor/SE vai oferecer o almoço no sábado.Para os jornalistas filiados inadimplentes, a inscrição custa R$ 50,00. Para os estudantes de Jornalismo (com comprovação) o valor da inscrição é de R$ 10,00. Para os demais profissionais, o valor da inscrição é de R$ 100,00. As inscrições podem ser feitas até pelo telefone 3214-1586 (do Sindijor/SE).

 

Frase do Dia

“A sociedade tem sido escrava do mau jornalismo. Tiraram-lhe o sagrado direito de ter a informação concisa e verdadeira” – Mílton Alves, jornalista.

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários