Será q tem fundo esse poço? 22 mil empregos perdidos nos últimos anos

0

 

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Ontem, 05, alguns amigos disseram que o blog pegou “pesado” com o governo Jackson/Belivaldo, por conta das críticas ao discurso falacioso na abertura dos trabalhos legislativo. Discurso este foi rebatido apenas pela minguada oposição no Legislativo.
A diferença foi que no ano passado ele apresentou um discurso pessimista, porém continuou com outro discurso lamentável e enganador este ano.

Sergipe perdeu 22 mil empregos de 2015 a 2017 – ou seja no atual governo Jackson/Belivaldo e aí o governo solta matérias comemorando pouco mais de 2.300 empregos gerados, alegando que já é uma recuperação. Será que a equipe de Belivaldo e ele próprio pensa que ninguém raciocina neste Ex-estado? Tudo bem que a oposição é minguada e sem rumo, mas o engodo está desmascarado em números e no gráfico abaixo que mostra a geração de empregos até agora.

Ou seja, Sergipe está longe de repor as 22 mil vagas perdidas e mais longe ainda de atingir os números do início da década. Onde está a “grande recuperação da economia” que o governo menciona?

Por isso o blog critica parte significativa da imprensa de Sergipe – salvo raríssimas exceções – que não se submetem aos ditames governamentais. Porém, a maioria está longe de apresentar a verdade e ser independente. Basta pegar o discurso de Belivaldo e comparar com os números.

Quanto ao engodo da recuperação econômica ficam algumas perguntas:
Quanto tempo levará para Sergipe se recuperar de verdade?
Quando começará essa recuperação?
Até quando Sergipe conseguirá afundar?
Será que tem fundo esse poço?
Questões de difícil resposta!

 

Santa Luzia do Itanhi; prefeito vai ampliar classes e reformar escola do povoado Feirinha E o prefeito de Santa Luzia do Itanhi, Edson Santos Cruz, autorizou a Secretaria municipal da Educação a atender o apelo dos pais dos alunos da localidade e não acabará com algumas séries do ensino fundamental, pelo contrário, vai ampliar. Além disso, o prefeito garantiu à comunidade que realizará uma reforma que a escola está necessitando. O blog parabeniza a sensibilidade e altivez do prefeito em ouvir e atende o apelo da comunidade. É assim que se administra. Os pais e alunos da comunidade do povoado Feirinha agradecem.

“O Facão e as Rosas” E o deputado estadual Francisco Gualberto que também é compositor, lançará no próximo dia 13, no hall da Alese, um livro de poemas com o título “Na linha do tempo”. Um gaiato não perdeu a oportunidade: “nesta linha do tempo seria melhor o título “O Facão e as Rosas.” Arrepare, amigo Osmário!

Barra dos Coqueiros: vice-prefeito, pré-candidato a prefeito ainda não deixou o PSD O blog procurou o vice-prefeito da Barra dos Coqueiros, Alysson Souza, sobre a saída do PSD. Foi informado que a filiação dele ao Solidariedade tem algumas pendências que precisam ser sanadas antes da filiação. Ele não quis dar maiores detalhes sobre as pendências, porém o blog descobriu que algumas prestações de contas do partido de anos anteriores estão em aberto.

PV não terá candidato a prefeito em Aracaju O diretório do Partido Verde em Aracaju noticiou ontem, 05, que não vai lançar candidatura em Aracaju e vai priorizar a eleição proporcional para a Câmara, objetivando eleger dois vereadores.

PV passa a conversar com pré-candidatos Segundo as informações, o PV vai iniciar conversa com os pré-candidatos postos. Como escreveu João Fontes, ex-deputado federal, o jogo do poder é bruto. Será que o PV ocupará algum cargo ligado ao meio ambiente no Estado ou no município de Aracaju? Pergunta de João Fontes, lembrando: “tudo dantes no quartel de Abrantes! Sergipe Del Rey não muda.”

Edvaldo mexe os cordões e já começa a desmontar projetos Depois de atrair PSD, PP, PDT e PR, a artilharia foi redirecionada, e parece já ter atingido o PATRIOTAS, o PV e o DEM.

Almeida diz que será candidato O pré-candidato a prefeito pelo PV, Almeida Lima, disse que foi surpreendido pela decisão e vai procurar outro partido para ser candidato este ano.

Márcio Macedo não decola Diversos setores do Partido dos Trabalhadores confidenciaram ao blog ontem, 05, à noite após a divulgação da pesquisa da Única pela Tv Atalaia ( o blog manterá a coerência em não divulgar pesquisa eleitoral, por entender que devem ser apenas para consumo interno) que estão insatisfeitos com a performance do seu pré-candidato, Márcio Macedo. Disseram ainda que há mais de um mês que o partido o lançou como pré-candidato e mesmo assim o seu nome não consegue ter a aceitação da população aracajuana e já começam a refletir se a estratégia de lançar seu nome para disputa foi a mais acertada nesse momento.

Balcão de negócios A verdade é que entra eleição e nada muda. Por possuírem CNPJ, alguns partidos estão atuando literalmente como *balcão de negócios. Com isso, quem está no poder, neste caso o prefeito de plantão, vive recebendo mensagens de presidentes de partidos, de estão livres para caminharem com quem quiser. Como conhece o custo dessas declarações o prefeito demora a responder e vai ganhando tempo.

Iguatu e Don Ramon, pelas rodovias da vida E a novela continua recebendo farto material da cidade de Iguatu, no Ceará. Do luxo do Hotel Marina, em Fortaleza, ao hotel de beira de estrada, no mesmo quarto e na mesma cama. É um verdadeiro apocalipse. O titular deste blog ouviu um áudio que o deixou apreensivo. Consultado pelo blog, um renomado advogado sergipano avaliou o caso e disse que “’por humildade, e para não causar um grave escândalo é sugerível que renuncie, pois o escândalo causará danos irreparáveis, não só a ele. Deixará uma mancha tão grande, que não há sabão em pó que limpe.” Cabrini já está com o material em mãos?

1º de janeiro Uma importante figura de Sergipe estava no dia 1º de janeiro numa cidade do Ceará. Como diz a música: “No Ceará não tem disso não.”

Denúncia Do Lamarão para o mundo. Na segunda-feira, dia 10.

Normas para toda a Igreja contra quem abusa ou encobre O Papa Francisco está sendo duro contra qualquer tipo de prática de abuso sexual e acobertamento de casos envolvendo membros da Igreja Católica. Até emitiu novas normas como prova que não está de brincadeira. Não somente contra menores, mas contra qualquer caso sexual e às moléstias que derivam do abuso de autoridade. E joga duro contra os “acobertamentos” Então, todo cuidado é pouco para quem fecha os olhos e finge que não vê…

Sobre o carro abandonado há meses no Bairro Jardins Da assessoria da Emsurb:A Emsurb tem recolhido das vias públicas apenas sucatas, ou seja, veículos sem pneus, vidros, sem condições de uso. Se o carro estiver estacionado há certo tempo, mas sem essas características, a pessoa poderá entrar em contato com a SMTT. Mesmo assim o caso foi encaminhado ao setor operacional para conhecimento. Do blog: que a SMTT tome as devidas providências.

Conselho Municipal de Segurança é instaurado em Itabaiana A Prefeitura de Itabaiana instaurou ontem, 05, o Conselho Municipal de Segurança, órgão colegiado que congrega as mais variadas representações sociais do município. Os desafios da segurança pública na atualidade são tão complexos que uma das formas mais lógicas de se atuar na área é unificar todos os esforços possíveis.

Papel O vice-presidente do Conselho Municipal de Itabaiana, que é superintendente da SMTT e comandante da Guarda Municipal, Luiz Santiago, destaca o papel que o órgão. “Serão tratadas, entre várias instituições ligadas à segurança pública e a sociedade civil, temas importantes para segurança do município que serão discutidos em câmeras temáticas, para apresentar soluções para os problemas relacionados à violência aqui em Itabaiana”, reforçou Santiago.

Sociedade sendo ouvida Eleito, juntamente com seu vice, na reunião que instituiu o conselho, Reverson Farias Silva, representante das igrejas evangélicas itabaianenses, fez questão de deixar claro qual o papel institucional do órgão. “A importância é ouvir da sociedade quais são as demandas da segurança pública local, pois cada cidade tem a sua demanda, suas deficiências. E a gente sabe que a política deve ser feira realmente ouvindo a população e trazendo esses problemas até as autoridades competentes”, disse Reverson, ressaltando a satisfação de ocupar o cargo para o qual foi eleito. “É uma alegria poder intermediar essa relação, podendo ouvir as necessidades e trazer ações que realmente representem uma melhoria para a segurança pública de Itabaiana”.

CONIVALES em Propriá Ontem, 5, o presidente do Consórcio Intermunicipal do Vale do São Francisco (CONIVALES), Franklin Freire, prefeito de Amparo de São Francisco, acompanhado do superintendente Marcos Barroso e do assessor jurídico, Edson Souza, esteve visitando o município de Propriá, no Baixo São Francisco. Eles foram recebidos pelo secretário municipal de Saúde, Iokanaan Filho, que teve acesso aos serviços ofertados pelo Consórcio, em especial na regulação dos serviços de Saúde. A reunião foi bastante produtiva e futuras parcerias poderão surgir a partir dela.

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018                                                       

Zeca Cego (reminiscências). Por Antônio Samarone: Segundo o manuscrito, Zeca Cego conheceu Prestes pessoalmente, em Crateús, no Ceará.*Em janeiro de 1926, de passagem por Crateús, Seu Zeca assistiu à entrada da Coluna Prestes na cidade, sob o comando do Capitão João Alberto. Trocou algumas palavras com o Cavaleiro da Esperança. Se ofereceu para ser recrutado, mas os revoltosos o acharam muito novo. Ele só sabia atirar de garrucha. A leitura continua aqui

 

 

Rede Primavera promove Workshop sobre saúde baseada em valor Entregar o melhor resultado para os pacientes e manter o equilíbrio na gestão de recursos. Esses são os pilares da chamada saúde baseada em valor, um conceito que ganha espaço nas discussões sobre novos modelos de assistência e remuneração dos serviços de saúde no Brasil. Foi com esse propósito, que a Rede Primavera realizou nos dias 29 e 30/01, o 1º Workshop “Saúde Baseada em Valor – O Novo Paradigma”, direcionado para as lideranças e corpo clínico da instituição. A diretora Comercial, Ana Pontes, e o superintendente Assistencial, Dr. Guilherme Espírito Santo, proferiram palestras mostrando a necessidade de gerar soluções para os gargalos e ineficiências presentes no mercado da saúde. “Muitas compreensões estão difusas em relação ao que é gerar valor, por isso, os profissionais devem estar preparados para entender conceitos e os diferentes interesses que estão relacionados aos segmentos da saúde”, ressaltam os palestrantes.

PELO E-MAIL E FACEBOOK

NOTA DE REPÚDIO À AÇÃO TRUCULENTA DE “SEGURANÇAS” VINCULADOS AO INSTITUTO SALTO QU NTICO CONTRA UMA MULHER TRANS DURANTE A VI SEMANA DE VISIBILIDADE TRANS NA UFS – SÃO CRISTOVÃO/SE.

O Centro Acadêmico de Serviço Social Maria Anízia Gois Araújo – CASSMAGA, vinculado ao Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe – Campus São Cristóvão no uso de suas atribuições, vem a público declarar REPÚDIO a ação truculenta realizada por “seguranças” vinculados ao Instituto Salto Quântico contra a Assistente Social e Mulher Transexual, Adriana Lorrana, que na noite de ontem, 31, covardemente barrada ao adentrar o Auditório da Reitoria da UFS durante a realização da VI Semana de Visibilidade Trans, evento ocorrido no âmbito de uma Universidade PÚBLICA e que tem lutado constantemente pela Democratização do acesso à mesma.

O evento em questão foi cadastrado no Sistema Integrado de Gestão de
Atividades Acadêmicas – Sigaa como um evento de extensão. Logo, toda a comunidade acadêmica, científica e sociedade civil não possuem qualquer impedimento em adentrar qualquer ambiente da instituição. Estavam presentes no evento, alunos, professores e mais de 200 participantes, que em sua maioria, se encontravam dentro do Auditório. De forma que toda a movimentação ocorreu no lado externo e somente quando um de nossos alunos de Serviço Social, indignado com a situação, decidiu dar vazão para que todos soubessem do ocorrido, adentrando o Auditório e politicamente fazendo as declarações constantes em vídeo gravado e disponibilizado a todos que assim desejarem.

Informamos que assim como Adriana, alunos/as e uma de nossas professoras do Departamento de Serviço Social foram empurrados/as ao tentar mediar o conflito que estava estabelecido. Ficamos perplexos com a palavra de ordem dada dentro de uma Instituição Pública de Ensino à Adriana: “VOCÊ NÃO VAI ENTRAR!”, onde o acesso é livre para TODOS. De acordo com os supostos “seguranças”, Adriana estaria fazendo baderna e reclamando de algo sem motivo. Defendemos a livre expressão do pensamento e de ideias, onde partindo do Inciso IX do Artigo 5o da CF/88 e que, em conjunto com o Inciso IV, asseguram a livre difusão de pensamentos, ideais e atividades. Ou seja, todo e qualquer cidadão, dotado de suas atividades mentais tem a total liberdade para concordar ou não com algo. A “liberdade de pensamento” configura, portanto, um dos principais instrumentos para se cumprir o direito à plena liberdade no Brasil.

O simples fato de pessoas despreparadas para lidar com o público serem
colocadas como “seguranças” dentro de uma instituição pública e não compreenderem a implicância que se dava com a reclamação estabelecida por Adriana, só prova o quanto a organização do evento pecou em achar que em um espaço público, as vozes seriam traduzidas unicamente em um pedaço de papel. Lidamos diariamente com uma situação alarmante e crítica no que diz respeito a alguns eventos que estão sendo promovidos na UFS. Lutamos diariamente pelo respeito mútuo e em pró da Justiça Social. Ficamos ainda mais assustados ao ver o ocorrido justamente durante um espaço que deveria ser político e plural, mas ao parecer focou em uma determinada personalidade considerada “intocável”, usando o espaço público como promoção pessoal de uma imagem que lutamos constantemente para combater que é a falsa benevolência e tolerância.

Cabe ressaltar a nossa indignação à parte do movimento trans que, ao invés de escutar a Adriana, não fez outra coisa senão acusá-la de “querer causar”, de “estar com inveja” achando que o ocorrido se direcionava especificamente a uma pessoa como se fosse o centro do universo e não ao desrespeito gerado pela forma como os presentes foram tratados. Adriana ainda foi chamada de mentirosa, mesmo com várias testemunhas confirmando a sua versão, sendo empurrada e ofendida. Será que todos os envolvidos estão mentindo ou é tão difícil assumir a péssima organização do evento?

Vamos refletir.

O Serviço Social, inserido na divisão social e técnica do trabalho, busca integrar os movimentos sociais na luta intransigente dos Direitos Humanos e pelas chamadas minorias sociais. Não aceitamos, enquanto acadêmicos de um curso crítico, pautado em um projeto ético-político democrático, vinculado a um processo de transformação da sociedade e que conversa com diferentes espaços, quaisquer atitudes consideradas violentas, sejam elas físicas, morais ou psicológicas, dentro ou fora do âmbito da Universidade Federal de Sergipe.

NOTA DE REPÚDIO EM RELAÇÃO AO OCORRIDO NA VI SEMANA DA VISIBILIDADE TRANS

Nesta sexta-feira, no último dia do mês de janeiro (31/01/2020), aconteceu a VI Semana da visibilidade TRANS de realização da AMORSERTRANS em parceria com a Universidade Federal de Sergipe, no auditório da reitoria.

A metodologia escolhida para participação da plenária se dava através do preenchimento de uma ficha de termo de autorização de uso de imagem para o Instituto Salto Quântico que estava realizando a gravação da mesa. Além disso, com a abertura dos questionamentos ficou claro que o uso da fala não seria permitido e que haveria uma seleção das perguntas feitas pelo plenário para que fossem respondidas pelo palestrante. Tal preâmbulo é necessário para elucidar a organização e realização do evento, assim como a escolha da metodologia utilizada para a composição da mesa.

Manifestamos solidariedade a mulher TRANS Adriana Lohanna, que teve o seu retorno ao auditório impedido pelos seguranças do Instituto Salto Quântico com ações truculentas. Repudiamos o cerceamento da voz, participação e permanência de uma mulher TRANS no espaço. Também estamos ao lado da professora Vera Nubia e dos alunos do curso de Serviço Social, que através da empatia, interviram sobre tal repressão, entendendo que todo cidadão tem o direito de ir e vir, sobretudo em uma atividade de extensão realizada numa Universidade Pública, destinada a toda comunidade acadêmica e sociedade civil.

Para além disso, o evento foi ditado e norteado por uma corrente religiosa, que criou uma série de regras para participação das pessoas que distorciam o real objetivo da criação da data: valorizar e dar visibilidade a luta e resistência social da comunidade de travestis e transexuais.

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) é um símbolo de luta contra a ditadura militar e toda forma de repressão. Todavia, foi proibido a expressão política em um debate que supostamente deveria assegurar o protagonismo de uma pessoa trans. Adriana Lohanna, depois de questionar a metodologia, foi barrada por seguranças particulares de Instituição privada de forma ditatorial, impedindo sua participação e o direito da livre expressão. Militantes, professores e a comunidade LGBTQI+ vêm manifestando desde o ocorrido sua indignação com os fatos e o descaso dos organizadores do evento, que ainda não se retrataram publicamente diante da postura dos seguranças, embora professores da Universidade tenham apoiado Lohanna, assim como o Centro Acadêmico de Serviço Social (CASSMAGA), em sua gestão “Liberdade é Não Ter Medo (2019-2020)”, que soltou nota pública de repúdio no dia 01/02/2020.

O Movimento organizado LGBTQI+ de Sergipe exclama: A nossa luta é por um estado laico, pois não admitimos ingerência de qualquer religião. O dia nacional da visibilidade trans é celebrado desde 2004 e representa um dia de luta em que militantes tiveram direito a voz pela primeira vez no congresso nacional, portanto, não convergimos com uma atividade que mais valorizou normativas e regras de um grupo religioso do que o acesso e direito a voz de uma pessoas trans.

Corroboramos com a opinião do Centro Acadêmico de Serviço Social (CASSMAGA), que publicou nota de repudio, onde expôs uma narrativa ampla dos fatos e citou a forma truculenta com que Adriana Lohanna foi impedida de retornar ao espaço. Também coloca que alunos e uma professora do Departamento de Serviço Social foram empurrados ao tentar mediar a situação. Queremos atentar o quanto é grave a situação não somente aqui relatada, mais exposta em vídeo gravado no momento do fato.

Questionamos como pode haver o cerceamento do direito de ir e vir de qualquer pessoa em um evento como o aqui citado. Mesmo que houvesse a necessidade de tal atitude, o devido cerceamento só cabe a Polícia Federal, considerando que a Universidade é uma área de jurisdição federal, ao qual nem a Policia Civil e Militar possuem competência para adentrar, tampouco seguranças ligados a uma instituição privada.

Diante das denúncias realizadas pela militante em reunião com representantes do movimento LGBTQI+ neste sábado (01/02/2020), nós nos colocamos veementemente contra este tipo de conduta e informamos que não nos vinculamos à este segmento do movimento que execra seus pares e que tem seus princípios norteados por alguma corrente ou instituição religiosa. Esperamos que a instituição e os envolvidos possam se pronunciar e se retratar a respeito do ocorrido, agindo com dignidade e respeito afim de tentar reparar o constrangimento infringido à ativista e, ainda que indiretamente, aos professores e alunos da UFS presentes no local.

As entidades abaixo assinado prestam apoio a companheira Adriana Lohanna em respeito a trajetória de lutas e conquistas do movimento LGBTQI+. Gostaríamos que o Instituto Salto Quântico faça a devida retratação pública não só a Adriana Lohanna, mas a todo o movimento LGBTQI+ sergipano.

Associação de Direitos Humanos e Cidadania LGBT.
Grupo Lésbico de Sergipe Athena.
Associação de Defesa dos Direitos Humanos de LGBTs do Estado de Sergipe.
Associação de Travestis e Transexuais de Lagarto.
Levante Popular da Juventude – SE.
Associação LGBT de Estância.
Associação LGBT de Simão Dias.
Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil.
Coletivo Quilombo
Associação LGBT Flor do Sertão.

NOTA DE ESCLARECIMENTO. EQUIPE  SALTO QUÂNTICO 

Lamentamos, profundamente, o desenrolar dos últimos momentos, na última sexta-feira 31 de janeiro, na VI Semana da Visibilidade Trans (SVT), no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Sergipe, campus São Cristóvão.

O evento foi registrado, na íntegra, por nossa equipe, em áudio e vídeo, e acompanhado por mais de duas centenas de pessoas na plateia, inclusive autoridades acadêmicas da UFS.

Convidado pelos(as) organizadores(as) do evento a fazer parte da ocasião – em sistema de “mesa”, com um professor da UFS e mediado por uma mulher trans, militante da causa transfeminista –, o fundador-presidente de nossa organização aceitou participar da atividade, de bom grado, como notório e aguerrido defensor da causa LGBTQI+, num meio em que, em particular, isso é raro: o da Espiritualidade.

O Instituto Salto Quântico, todavia, é desvinculado de religiões formalmente organizadas, desde 2008. No mesmo ano, seu fundador-presidente declarou-se publicamente homossexual. Em 21 de junho de 2009, celebrou a união conjugal com seu atual esposo, união essa formalizada em matrimônio civil, em 2013, poucos meses após haver permissão, no Direito pátrio, para o casamento igualitário.

O sistema de perguntas por escrito foi acordado previamente com os(as) organizadores(as) do evento. É um método, por sinal, muito utilizado, tanto no meio acadêmico como fora dele. As perguntas poderiam ser feitas por qualquer pessoa da plateia. A primeira pergunta a ser respondida, a propósito, foi de uma mulher trans, convidada a se levantar diante de todos(as), caracterizando, mais ainda, a visibilidade trans.

Uma outra mulher trans, que estava no ambiente desde o início da palestra, declarou a integrantes de nossa equipe que iria fazer sua pergunta oralmente de qualquer forma, contrariando a organização do evento, ou faria um escândalo ali mesmo, o que de fato acabou acontecendo, na antessala do auditório, para onde ela se houvera dirigido, por conta própria.

No transcurso da palestra, fomos surpreendidos(as) por um ruído externo ao auditório. O palestrante, ao ser informado, por um diretor de nossa equipe, de que a confusão se dera a partir do desejo dessa segunda moça trans de fazer sua pergunta diretamente ao microfone, imediatamente ignorou o acertado entre ele e os(as) organizadores(as) do evento e solicitou que ela fosse chamada de volta ao auditório e formulasse sua pergunta ao microfone. Ela então foi conduzida pelo próprio esposo do palestrante, até as proximidades da mesa, e fez a pergunta, de viva voz, como desejara, diante de todos(as).

Antes de o palestrante ser informado do que acontecia, nossa equipe de voluntários(as), junto à da SVT, tentava dialogar com a jovem a respeito das regras previamente estabelecidas, a fim de que ela mantivesse um mínimo padrão de serenidade para poder reentrar no auditório e assim não comprometesse o andamento das falas dos dois palestrantes, já que havia barulho e exaltação emocional causando fortes desconfortos a todos(as) os(as) presentes.

Reiteramos nosso pleno e ferrenho apoio à causa LGBTQI+, com destaque, neste momento, à da Visibilidade Trans.

Cremos que, com essa perspectiva mais completa dos acontecimentos – corroborada por registros audiovisuais de todo o evento, como asseveramos acima –, tenhamos elucidado a questão.

Mais uma vez, manifestamos nossa profunda lamentação pelos desconfortos sofridos pelos(as) presentes – pertencentes ou não à nossa organização –, e esperamos que triunfe o bom senso de unirmos forças pelo ideal do bem comum.

Instituto Salto Quântico.
Aracaju, 4 de fevereiro de 2020.

 

PELO TWITTER

www.twitter.com/revistabula
É preciso estar sempre embriagado.
Aí está: eis a única questão.
Para não sentirem
o fardo horrível do Tempo
que verga e inclina para a terra,
é preciso que se embriaguem
sem descanso.
Com quê?
Com vinho, poesia ou virtude,
a escolher.
Mas embriaguem-se. (Baudelaire)

www.twitter.com/riltonmorais “Quanto menos desigualdades existem, mais insuportáveis são as que permanecem.” Tocqueville.

www.twitter.com/braynerr O Governo Bolsonaro joga todas as cartas para preservar a virgindade e evitar o tesão. É de um conservadorismo sem limites se preocupar com uma questão que nem os pais querem controlar. No País tem coisas sérias a resolver, como a violência, a incompetência e a insanidade.

www.twitter.com/RicMarques_RM Os governadores estaduais precisam pensar mais no povo, não simplesmente ser contra o governo federal. A pergunta é: qual seria uma saída possível para reduzir o ICMS do combustível?

Siga Blog Cláudio Nunes:

Instragram

 Facebook

 Twitter

Frase do Dia
A felicidade é uma dádiva divina, distribuída a conta-gotas. Essa lenda que colhemos o que plantamos e que a vida pode ser planejada é falsa. A maioria nada colhe, tendo ou não plantado. Manuscrito de Zeca Cego, Itabaiana, SE.

No próximo dia 12 de fevereiro, no salão de festas Chica Chaves, no Bairro Industrial, a partir das 17h, será lançado o livro Resiliência a Nossa história. O livro nasceu de um sonho de Arethusa de Oliveira Santos ao ouvir relatos de várias mulheres na luta contra o câncer. Assim nasceu o projeto Resiliência Nossa História, onde mulheres compartilham sua força, fé, coragem e sabedoria para enfrentar as dores e batalhas de serem pacientes oncológicos. São 12 mulheres autoras do livro.
Comentários