Só nos falta uma crise militar

0

Para incrementar o quadro político brasileiro, atolado numa crise sem precedentes, faltava o ingrediente militar. Quem tem o costume de navegar pela internet poderá até se surpreender com o elevado número de reivindicação de intervenção militar ou até mesmo de saudosistas do regime militar. O escriba se exclui fora desta: já viveu uma ditadura militar, a de 1964, e quer vê-la bem distante. Vá você, porém, argumentar com estes “militaristas” que militar não tem varinha de condão para administrar crises. Qualquer crisezinha num governo militar é a senha para prisões absurdas, sem consultas à Justiça ou até a formatação de processos pelos quais leva-se à prisão muita gente inocente. Governo militar, tô fora. Prefiro a velha democracia de sempre, porque também não inventaram, até agora, regime melhor do que ele.

Esta semana, porém, a internet ficou em polvorosa, por conta de uma palestra do general Antonio Hamilton Mourão (Mourão, de novo, não! – em 64 quem começou tudo foi o general Olimpio Mourão Filho) numa loja maçônica no Rio de Janeiro. Ele fez sérias críticas à crise política nacional e até comentou a tomada do Poder pelo Exército. Não criticou, em absoluto, essa hipótese, deixou a porta aberta para que os setores envolvidos com a crise, resolvam-na da melhor maneira e urgência possível. Se não, você sabe… Para uma intervenção militar no País, ele apontou três “violações”: 1) extinção da lava-jato. 2) A prisão de Lula e a consequente liberação imediata do ex-presidente, o que seria uma desmoralização para a lava-jato. 3)aprovação das diretas-já coim urnas fraudáveis.

As palavras do general Mourão tiveram propagação rápida pela internet e os “apoios” a ele foram, como poderia se esperar, significativos. Talvez por causa disso, o apresentador do mais badalado ”talk show” da Rede Globo, Pedro Bial, levou para o “Conversa com Bial”, o General Vilas-Boas, Comandante do Exército brasileiro. Claro que lhe foi perguntado se haveria punição para o General Mourão mas ele descartou a hipótese porque tudo que ele disse estava “consoante com a Constituição”. A opinião do General Vilas Boas deixou muitos internautas decepcionados. “O Brasil tem jeito?”, perguntou-lhe Bial. “É claro que tem. Vivemos um momento especial que às vezes nos deixa triste. Mas em 2018, a sociedade brasileira vai ter que dar uma resposta a tudo isso que está aí”.

O general Vilas Boas tem problemas sérios de articulação nas mãos. Mas, isso não o impede de gerir a tropa mais importante das Forças Armadas. Curiosidade extra: o general Vilas Boas é sergipano de Aracaju, embora tenha residido por muito tempo em Porto Alegre, RS.

Remédio para a cura gay

Por força de uma absurda ideia de fazer com que os homossexuais sejam considerados doentes, surgiu logo na internet uma série de “remédios” para auxiliar a “cura gay”. Estão lá em exposição rótulos bem conhecidos: Dipirola, Omeprámim, Analdor, Benegay, Buscopau, etc.
Nem a classe médica aprova essa ideia de rotular os homossexuais de pessoas doentes…

Prédio da AL muda de nome

Sabe aquele prédio de sete andares que fica na esquina da Praça Fausto Cardoso com a Avenida Rio Branco e que abriga já há 30 anos a Assembleia Legislativa? Pois acaba de mudar de nome. Deixa de ser Palácio Governador João Alves para se travestir de Palácio Construtor João Alves. Foi a solução salomônica que o Legislativo encontrou para continuar homenageando o ex-governador João Alves Filho. Quando terminar a reforma da fachada do prédio – as pastilhas da face do prédio estão sendo trocadas porque estavam se descolando, ameaçando os populares que passavam pelo passeio – já reabre com o novo letreiro de “Palácio Construtor João Alves”.

Bicicleta para uso nos ônibus

Se o Prefeito Edvaldo Nogueira não vetar, os usuários de ônibus vão ter que conviver, dentro do transporte público, com passageiros levando suas próprias bicicletas. O internauta bem pode imaginar a confusão que vai dar. Imagine-se um ônibus, em pleno meio-dia, sol a pino, o carro lotado… e aí sobe um passageiro levando a sua “bike”. Vai ser um Deus nos acuda a arrumação de tanta gente para ceder espaço para dois ou três passageiros com bicicletas nos ombros. O vereador que teve esta ideia, e acaba de aprova-la na Câmara Municipal, certamente nunca andou de ônibus…

Informações sobre a rua Capela

Na sessão de 9 de maio último, a deputada Ana Lúcia aprovou um requerimento de informação ao Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia,  José Augusto Carvalho, querendo saber os motivos que levaram ao fechamento de diversas lojas na rua Capela, no Centro de Aracaju, “considerando que esta localidade sempre caracterizou-se por ser uma rua eminentemente comercial e quais alternativas o Poder Executivo Estadual está tomando para sanar essa situação junto aos comerciantes e retomar os postos de trabalhos perdidos com o fechamento das referidas lojas”. Até hoje, a parlamentar não obteve resposta, embora o Executivo disponha de apenas 30 dias para atender o requerimento. Bem que a deputada petista podia estender seu pedido de informações para a Rua João Pessoa que, a qualquer momento, passará a se chamar de Rua Chinesa, porque todo o comércio tradicional de lá está sendo afastado e dominado por lojas de bugigangas chinesas.

Meu negócio em dia

Lançado em maio de 2016, o aplicativo Meu Negócio em Dia ganhou nova versão. Formulada em parceria entre a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e o Sebrae, a ferramenta permite que donos de pequenos negócios, principalmente os Micro Empresários, organizem as finanças da empresa, analisem receita, despesas e a viabilidade do empreendimento. No seu primeiro ano, o aplicativo teve mais de 15 mil downloads. As novidades facilitam ainda mais o controle da vida financeira dos empresários. A tela inicial já mostra as entradas e saídas do mês e o saldo do dia. Para incluir um pagamento ou recebimento, basta clicar nos botões Nova Entrada ou Nova Saída e pronto: você tem seu fluxo de caixa à mão, em uma única tela e sempre atualizado. Outra facilidade é a opção para usuários do sistema IOS de fazer uma cópia de segurança (backup) das informações. Das principais funcionalidades permanecem no aplicativo, a Calculadora do Empresário permite comparar os custos dos principais produtos e serviços financeiros destinados à pessoa jurídica disponíveis no mercado. “O MEI costuma ser um empreendedor solitário, que cuida pessoalmente de várias frentes, do caixa ao atendimento do cliente. Nesse contexto o aplicativo serve como ferramenta de gestão empresarial extremamente útil para fornecer informações que poderão auxiliar os empresários a tomarem as melhores decisões para o seu negócio”, afirma o presidente do Sebrae, Guiilherme Afif Domingos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais