SSP: Boicote ou grande orquestração?

0

  “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Como diz o ex-governador, hoje imortal, Albano Franco: “Em Sergipe todo mundo se conhece”. Talvez ele tenha entrado na Academia Sergipana de Letras pela criação desta frase que já ficou na história de Sergipe.

E como todo mundo se conhece em Sergipe, dentro da SSP não é diferente. Todo mundo sabe que quando assume um secretário, mesmo sendo delegado de carreira, tem um grupo que fica, diga-se assim “na reserva” enquanto o outro é titular. E vice-versa.

Mendonça Prado assumiu sem ser delegado, mas com um trabalho invejável na segurança pública, como parlamentar. Poucos políticos do país hoje têm o respaldo e o conhecimento dos problemas das policias, como Mendonça.

E de repente o que estava ruim, virou o caos. Bastou Mendonça começar a mudar as peças e a montar a equipe dele que o trabalho, ao invés de se ajustar e tomar um ritmo melhor ruiu de vez.

O blog conversou com alguns da segurança pública. Do passado e do presente. E não tem medo de escrever:

É nítida a impressão que está ocorrendo um boicote de setores das polícias ao trabalho de Mendonça Prado. Desde simples blitz que eram realizadas semanalmente em Aracaju a outras ações mais fortes. Sinceramente: O blog tem duvida se não tem gente do próprio governo querendo “queimar”o novo secretário.  Agora descobriram que o menor que atirou no dirigente da OAB foi apreendido antes com arma e foi liberado. Qual o motivo porque não o enviaram para uma unidade sócio-educativa?

A dúvida do blog se é apenas um mero boicote de um grupinho que está com raiva ou uma grande orquestração.

Jackson precisa deixar claro que não aceita boicote e muito menos orquestração. E como todos se conhecem, não é difícil descobrir.

Universidade Federal de Sergipe: Empresa Júnior em crise
O blog recebeu a informação que há tempos a empresa júnior da Universidade Federal de Sergipe vem sofrendo grandes turbulências. Desde o segundo semestre do ano passado, seus membros não se entendem, não compartilham conhecimentos e aprendizados e muito menos trabalham juntos. O problema é que as pessoas estão colocando seus interesses pessoais acima de qualquer coisa. E isso não faz bem a empresa, que é uma instituição voluntária.

Reuniões acabam em confusão e ameaças. Algo precisa ser feito
As reuniões acabam sempre em confusão. Há até ameaça de quebra geral de máquinas da empresa, há até ameaça de processos judiciais entre eles, há ameaças psicológicas o tempo todo.Se a coisa continuar nesse ritmo, tende a virar um caos. Se as pessoas que lá estão continuarem agindo dessa forma, terei que divulgar aqui o nome da empresa, o que irá prejudicar não só a própria empresa júnior em questão, mas também o próprio curso e todo movimento de empresas juniores do Estado.Algo precisa ser feito.

Valmor pode ir a ALESE explicar andamentos de obras
A deputada estadual Maria Mendonça (PP) apresentou ontem, 26, requerimento convocando o Secretário de Estado da Infra Estrutura Valmor Barbosa Bezerra, para discorrer sobre o andamento das obras realizadas, e/ou em andamento, com recursos oriundos do Proinvest. O Requerimento está em tramitação e será colocado em votação.

Risco no Batistão ao unirem as torcidas do Amadense e CRB
No jogo da última quarta-feira no Batistão, entre o Amadense e o CRB pela Copa do Brasil chamou a atenção a decisão da FSF de concentrar as torcidas dos dois times na área coberta das cadeiras, economizando assim na abertura das outras áreas. Já pensou se tem uma briga de torcidas? A econômica sairia caro demais. Não é correto juntar as duas torcidas numa mesma área.

Truculência com radialista em Macambira
Quem assistiu a sessão da Câmara de Vereadores na última segunda-feira, 23, não gostou como o presidente, Lucival, tratou o radialista Ita Anderson (DRT-1540), que também é deficiente. Ele foi retirado com truculência e quem viu a cena disse que o presidente bradou agarrando no braço do radialista: "aqui você não entra!". Os presentes reprovaram a atitude do presidente, inclusive vereadores que lembraram que Ita Anderson é suplente e pode assumir o cargo a qualquer momento.

Pacto Federativo
O deputado federal Valadares Filho (PSB), utilizou a tribuna para elogiar a iniciativa do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em criar uma Comissão Especial para discutir o Pacto Federativo e fez várias críticas ao atual sistema. Para ele, o repasse do governo Federal não é suficiente devido à quantidade de programas oferecidos, resultando no desequilíbrio financeiro dos poderes executivos.

Dificuldades para prefeitos
As dificuldades econômicas enfrentadas agora pelo Governo Federal refletem diretamente nos Estados, que sairão ainda mais prejudicados. “Nós sabemos que as medidas restritivas que já estão a caminho nestas duas esferas do poder, vão causar os maiores estragos nas prefeituras, onde se concentra o atendimento à população por meio dos serviços públicos de saúde, educação e segurança”, alerta Valadares Filho.

Resolução
Para Valadares Filho os trabalhos da Comissão Especial serão de fundamental importância para a resolução dos problemas enfrentados. “As deliberações resultam no atendimento de uma das questões mais importantes para restabelecimento da harmonia federativa, como foi com a aprovação do Orçamento Impositivo. Afinal, mesmo com todas as dificuldades, são esses entes da Federação que mais contribuem para a boa execução das contas públicas”.

Abertura da sala virtual Wellington Mangueira
Através do projeto coordenador pelo professor doutor Alfredo Julien da UFS “Aracaju na virada dos 70 Juventude, transgressão e

 militância”, será realizado hoje, 27, às 19h, no Palácio Olimpio Campos a abertura da “Sala virtual Wellington Mangueira”. A sala envolve os depoimentos do advogado comunista que foi preso e torturado. Os depoimentos abrangem os idos de 1957 a 1976, desde a época do ginásio do Atheneu, passando pela militância no PCB e a resistência a ditadura militar.

Infraestrutura esportiva para Canindé
O prefeito de Canindé de São Francisco, Heleno Silva, esteve nesta última quarta-feira,25, com o ministro do Esporte, George Hilton para buscar recursos para o município. Em pauta, Heleno defendeu uma política de infraestrutura esportista nas cidades abaixo de 50 mil habitantes. "Como gestor, entendo perfeitamente a importância do esporte como uma política pública, combatendo os problemas sociais e de saúde existentes na população", afirmou ao defender que é preciso levar mais recursos para que os municípios possam executar as ações.

Prestação de contas
O vereador Max Prejuízo (PSB), convida toda imprensa e população aracajuana para a prestação de contas anual de seu mandato, que acontecerá na próxima sexta-feira, 27/2, às 19h, na sede da Casa Cultural Careca e Camaradas, localizada a Rua Aquilino Mecenas (antiga Rua M6), 295, na sexta etapa do conjunto Augusto Franco, próxima ao Banese.

Cobrança IPTU
Depois de relatar que o povo aracajuano está sofrendo com a cobrança abusiva do IPTU o vereador Emmanuel Nascimento (PT), lembrou que agora, os moradores da Zona de Expansão vão preferir que a área seja de São Cristovão. Nascimento informou ainda que, por lei, as pessoas que recebem até dois salários mínimos são isentas de pagar o imposto. “Peço ao governo municipal que aquelas pessoas que ganham até dois salários mínimos que têm o direito de não pagar, mas não requereu, o governo envie para a Câmara a remissão”.

Sergipano assume juventude do PRB
O líder nacional do PRB, Marcos Pereira, empossou o novo coordenador nacional do movimento PRB Juventude, o sergipano Renato Junqueira. O republicano terá a missão de expandir o movimento, atrair novos militantes e mostrar aos jovens sua importância nas decisões políticas. A solenidade aconteceu na quarta-feira (25.02), no Hotel Carlton, em Brasília, e reuniu vários convidados, militantes e autoridades.

Agradecimento
“Sei da responsabilidade deste projeto e agradeço a indicação do presidente Marcos Pereira em me confiar essa missão. A juventude é o futuro do Brasil. O PRB é um partido que está em ascensão e a juventude precisa acompanhar esse crescimento. Evandro Garla desempenhou um importante papel nesta militância, e a estrutura que temos, hoje, deve-se a atuação eficiente dele”, disse, Junqueira que tem 26 anos, casado, cursa administração de empresas e é aracajuano.

Banese homenageará colaboradores que estão se aposentando
O Banco do Estado de Sergipe (Banese) fará uma homenagem a todos os colaboradores que aderiram ao Programa de Estímulo à Aposentadoria (PEA). O evento, segundo a Diretoria do Banco, é fruto da necessidade de valorizar aqueles que tanto contribuíram ao longo das últimas décadas para o fortalecimento do Banese no mercado sergipano.

Programação
A homenagem será realizada no Clube do Banese, na manhã do dia 21 de março, com a seguinte programação: 8h – fala de abertura por membro da diretoria; 8h30 – informações para os aposentados referentes à Caixa de Assistência dos Empregados do Banese (Casse) e Instituto Banese de Seguridade Social (Sergus); 9h30 – entrega das placas de reconhecimento pelos serviços prestados; 10h30 – fala de um representante do PEA; 10h45 – apresentação do Coral Vozes do Banese; 11h – coffee break.

SINDISCOSE participa de reunião na PGR
Os sindicatos dos Trabalhadores dos Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional dos estados de Sergipe, Goiás, Ceará, Rio Grande do Sul e do Distrito Federal, através de seus respectivos presidentes e representantes, estiveram presentes na reunião realizada na Assessoria Jurídica Constitucional da Procuradoria Geral da República (PGR) em Brasília/DF, na última terça-feira (24), a fim de provocar a PGR a se manifestar acerca do enquadramento dos Servidores dos Conselhos de Fiscalização Profissional ao regime estatutário.

Denúncias
Diante de inúmeras denúncias enviadas ao Ministério Público Federal nos Estados de Goiás, Ceará, Alagoas, Acre, Sergipe e vários outros, muitos Procuradores da República entenderam que a Ação Civil Pública é a ação adequada para o enquadramento dos Servidores dos Conselhos ao regime estatutário, entendendo caber Reclamação Constitucional em face de eventual desrespeito ao decidido na ADI 2.135 ou Mandado de Injunção para que seja editada uma lei criando cargos nestas Autarquias de Fiscalização Profissional. Entretanto a Ação Direta de Inconstitucionalidade e Ação de Descumprimento de Preceito Constitucional seriam algumas das possibilidades de ajuizamento de ações que a Procuradoria Geral da República estuda para resolver de vez a questão que vêm atormentando os trabalhadores dos Conselhos de Fiscalização há mais de 20 anos.

Irregularidade
O SINDISCOSE, sindicato da categoria em Sergipe, através do seu presidente, Jéfferson Santos, teve acesso a procedimentos que tratam da suposta irregularidade na contratação de servidores pelos Conselhos do Estado de Sergipe, através do regime celetista, os quais tramitam na Procuradoria Geral da República, dentre eles: Conselho Regional de Corretores de Imóveis, Administração, Engenharia e Agronomia, de Arquitetura, Serviço Social, Enfermagem, Química, Contabilidade, Medicina e Medicina Veterinária.

Igualdade
Mais um passo foi dado para os servidores dos Conselhos, pois se chegou num ponto que não mais se discute a natureza jurídica dessas Autarquias de Fiscalização Profissional, pelo contrário, a partir de agora se discute como o Estado pode atingir o seu fim de autonomia, liberdade e segurança no anseio da proteção da sociedade em face à fiscalização do exercício profissional. “Como um servidor de uma Autarquia de Fiscalização Profissional que é mal remunerado, não detém a igualdade de tratamento frente a outros servidores públicos federais, exercem atividade tipicamente estatal, pode exercer de maneira eficaz a fiscalização das profissões?”, questiona o presidente

Busca
Segundo Jéfferson Santos, o SINDISCOSE continuará na busca incansável pelo atendimento dos anseios da categoria, seja o RJU, como também melhorias nas condições de trabalho, combate intensificado ao assédio moral, melhorias salariais e tantas outras reivindicações que necessitam atenção. (Fonte: SINDISCOSE)

KA Cursos e Treinamentos. Inscrições abertas
A KA Cursos e Treinamentos, está com inscrições abertas para diversos cursos. É uma oportunidade para quem desejar aperfeiçoamento em áreas importantes. Consulte os detalhes ligando: (79) 3021-5229 / 9853-3565. Veja os cursos:Gestão de custos e formação do preço de venda – 28/03;Análise de custos para tomada de decisão – 18/03;Auditor Interno ISO 9001 – a confirmar;Intensivo de lucro real – a confirmar;Formação de assistente contábil – a confirmar;Contabilidade tributária – a confirmar;Setor pessoal – a confirmar; MS Project – a confirmar.

PELO TWITTER

www.twitter.com/zehdeabreu  Ganhamos 4 vezes nas urnas e ganharemos nas ruas! Vivam e verão! Mais fortes são os poderes do povo!

www.twitter.com/firmo_robalo  No apt. de um preso na "Operação Navalha", na Beira Mar, tem uma faixa "Basta" e uma mão com quatro dedos! Cara de pau!

www.twitter.com/lulafalcao  A oposição tem dois problemas: não sabe ganhar e não sabe perder.

www.twitter.com/braynerr  E o deputado homossexual com relacionamento estável também tem direito a passagem aérea para Brasília. Não pode haver preconceito.

www.twitter.com/Narcizo_Machado  Tentando salvar nosso projeto político de Brasil sem esquecer quem é o adversário de uma sociedade justa. Pensar longe e em um novo projeto!

www.twitter.com/flavaofraga  Esta bem nítido que a corrupção origina-se, quase sempre, do financiamento de campanhas. Quem financia, faz exigências. Reforma política já!

ARTIGO

Gararu Tem o Primeiro Comitê Comunitário de Cidadania do Sertão SergipanoPor José Adeilson dos Santos *

Em Assembleia Geral reunindo diversas lideranças comunitárias, estudantes, homens e mulheres trabalhadoras de comunidades rurais de Gararu – SE, com a assessoria do professor José Adeilson (Graccho Cardoso), no último dia 22 de Fevereiro foi aprovado o Estatuto do “Comitê Comunitário de Cidadania do Sertão Gararuense”. Caracteriza-se como uma entidade de natureza civil, sem fins lucrativos ou político-partidários; tendo como  objetivos fomentar o exercício da cidadania e promover a justiça social.

Na ocasião também houve a eleição de sua Diretoria Executiva, sendo escolhidos os sócios Manoel Pedral dos Santos – Presidente;

  Luiz Renilson Andrade Aragão – Secretário e Maria Aline Pedral dos Santos –Tesoureira.
De forma pioneira (vale destacar), é a primeira organização não governamental, de caráter associativo, criada no âmbito do sertão sergipano com a preocupação e o interesse comum pelo exercício da cidadania, articular ações propositivas junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, ao Ministério Público e a outras instâncias, projetos e ações de promoção da cidadania e efetivação dos direitos humanos. Com a mesma orientação, também  acompanhar e fiscalizar o exercício e funções dos órgãos e dos agentes públicos no âmbito do município de Gararu-SE.

A entidade foi fundada reunindo representações de 14 povoações / localidades do município de Gararu – SE e há perspectiva para que ocorram outras adesões a este Comitê. Do mesmo modo que outras entidades a exemplo desta sejam criadas em outros municípios do sertão e de todo o Estado de Sergipe. Iniciativas muito louváveis!

A posse de todos os eleitos do Comitê ocorrerá no próximo mês de Abril / 2015 em solenidade que acontecerá na sede do município, na cidade de Gararu – SE.

(*) Professor, historiador e sócio benemérito do “Comitê Comunitário de Cidadania do Sertão Gararuense”.

ARTIGO

Segurança Pública: Muitos falam por falar  (Inclusive eu! Kkkk) por Marcos Fontes*

A análise sobre os índices de violência não pode ser tão simplista como tentam nos fazer acreditar.

Bastou a ocorrência de 12 homicídios em um único dia no Estado de Sergipe, pro mundo desabar na avaliação de políticos, radialistas, policiais, e até mesmo na avaliação de cidadãos desinformados.

Da mesma forma que todo brasileiro é um técnico de futebol, num momento desse, todo cidadão se acha um entendido no tema “segurança pública”.

Sergipe não tem um plano de segurança, ou de forma mais comedida, podemos afirmar que Sergipe não tem um plano “eficaz” de segurança.

Discussão Profunda – Pior que isso é a constatação de que dificilmente terá. Mas diferente do que parece, não é a ocorrência de 12 homicídios num só dia, que nos leva a essa constatação. O fato é, que a elaboração de um plano eficaz de segurança pública, exigiria uma discussão profunda sobre vários aspectos que envolvem o aumento da criminalidade.

Se entrevistássemos 9 pessoas, 10 responderiam sem pestanejar que a responsabilidade pelo aumento da violência é fruto do uso de drogas. Isso é certo, mas é muito primário avaliar apenas dessa forma.

Não tenham dúvidas que a “droga” é o elemento mais nocivo na geração dessa guerra urbana. Mas quem teria autoridade e coragem para colocar na mesma mesa os demais aspectos geradores da violência desenfreada?

Enxugamento de gelo – Só agora, quando o quadro é totalmente crítico, é que o comandante da Polícia Militar tem expondo uma decepção com o “enxugamento de gelo”, situação caracterizada pela soltura fácil de marginais colocados na prisão. Mesmo assim, buscam criticar a maleabilidade das leis, quando sabemos que independente da benevolência legal, há sem sombra de dúvidas uma generosidade por parte de alguns magistrados. Generosidade que não é bem assimilada pela sociedade e que transmite aos infratores a certeza da impunidade.

A decepção revelada pelo comandante, embora de forma tímida, é uma crítica ao judiciário, e é uma crítica justa, porque esse poder tem sim a sua parcela de culpa. Mas todos temem avaliá-lo publicamente, nascemos e crescemos sendo treinados para não discutirmos decisões judiciais.

Justiça Veloz – Os traficantes e as quadrilhas, possuem um time de bons e influentes advogados trabalhando a seu favor, e enquanto cidadãos de bem, levam uma eternidade até convencer um juiz que é inocente em relação a uma acusação caluniosa, marginais de alta periculosidade, conseguem um habeas corpus ainda no trajeto para a delegacia. Isso é fato, e não é apenas pela permissividade da lei não. É também pela flexibilidade acentuada de alguns juízes, e é preciso muita coragem para admitir isso publicamente.

Mas num país, onde um programa de grande audiência mostra um influente empresário dizendo que comprou uma lei. Podemos esperar o que?

Abusos – A venda de sentenças, essa não é mais novidade entre nós, e como se não bastasse temos que assistir um juiz passeando num carro luxuoso como se fosse propriedade dele, quando na realidade o veículo foi confiscado pela justiça, decorrente da prisão de um empresário acusado de ter adquirido bens com dinheiro desviado dos cofres públicos. Que belo exemplo não?

Mas voltemos ao foco desse artigo.  Então já vimos que o tráfico de drogas tem a sua parcela considerável de contribuição pra esse quadro deplorável. Mas e os outros aspectos? Quem se atreve a discutir?

O aumento da violência passa pelas drogas, mas passa também:
– Pela conjuntura social das famílias;
– Pela falta de perspectiva para os jovens;
– Pelo abandono da educação;
– Pelo mau exemplo da classe política que aparece diariamente na mídia desviando altas somas de dinheiro público;
– Pelo comportamento dos maus policiais que se prestam a colaborar com o crime;
– Pelo comportamento dos que são bons policias mas negligenciam no exercício da atividade; e
– Etc.

União – Não se consegue fazer segurança pública apenas com entrevistas promissoras, é preciso criar um fórum permanente com todas as partes envolvidas, representantes do governo, da OAB, do Ministério Público, do Poder Judiciário, dos policiais civis e militares, e representantes da sociedade civil.

Seria um fórum específico pra discutir segurança pública, mas apenas segurança pública. Questões salariais serão discutidas em outro ambiente, não temos como aceitar que todas as vezes que se proponham a discutir segurança pública, o tema salarial seja utilizado para atravancar o debate.

Investigação – Colocar sobre a mesa, um mapa da violência, com dados da criminalidade, cuja avaliação seja oriunda de um trabalho investigativo, mas falo de uma investigação profunda, não me refiro ao trabalho pericial que objetiva apenas identificar se o tiro foi de 38 ou de ponto 40. Não é desse tipo de investigação que trato aqui.

Polícia nas ruas – Na segunda edição de um telejornal apresentado pela Tv Atalaia na noite do dia 24/02/2015, despertou minha atenção o depoimento de uma mãe que teve o filho assassinado na porta de casa, e ao ser entrevistada ele informou que a polícia foi acionada, mas quando chegou no bairro, não mais encontrou os assassinos. E naquele momento, me veio à mente que a polícia não deveria ter se deslocado para o bairro, a polícia já deveria se encontrar no bairro. Ahh mas não temos efetivo para atender a todos os bairros! Dirão os defensores da manutenção desse quadro.

Bom se não podemos ter uma equipe pra cada bairro, que se crie equipes que respondam por dois, três ou quatro bairros, mas que a responsabilidade de fiscalizar a segurança dessa área seja de uma determinada equipe. O importante é que “as ruas” sejam os postos de trabalho dos policiais, vamos limpar os quartéis.

Durante a escala de trabalho, o policial deve estar na sua área de atuação, de preferência interagindo com a comunidade para obter informações privilegiadas, sobre determinados membros da referida comunidade. E outra coisa, tá de folga, então deixe a viatura policial de lado, porque ela é também referência de segurança, não tem sentido encontrar diversas viaturas nos estacionamentos dos condomínios fechados.

Discursos repetitivos – Daqui há 100 anos, quem vivo estiver, estará ouvindo o discurso de que o efetivo policial não é suficiente, e de que a polícia precisa ser melhor remunerada. São argumentos inconsistentes para justificar a ausência de um plano de segurança. Primeiro porque o efetivo nunca será ideal; E segundo porque um bombeiro militar não negligencia na hora de apagar um incêndio porque ganha mal.

Não se pode atrelar competência profissional com remuneração. Se a remuneração que percebo não é satisfatória, agradeço ao emprego, mas não posso utilizar isso como argumento para justificar minhas falhas.

E querem saber porque a eficiência não está atrelada à remuneração?

Busquem os arquivos da SSP/SE e observem se houve melhoria da segurança oferecida ao cidadão, no período em que a Polícia de Sergipe foi contemplada com empolgante aumento salarial concedido pelo então governador Marcelo Deda, e constatarão que nada mudou.

Planejamento – O contingente policial é insuficiente para um trabalho mais significativo, mas temos que admitir que o contingente existente, é também muito mal distribuído. Sem contar que temos policiais cedidos para onde não devia, temos policiais cuidando de Comissão de Licitação e digitando ofícios, atividades que poderiam ser executadas por um agente administrativo do Estado, no entanto, não podemos colocar uma arma na cintura de um agente administrativo, e mandá-lo pra rua, para oferecer segurança à população.

Controle – Por fim, é preciso criar um relatório diário de atividade (RDA) exemplo de Pernambuco, para que o policial possa demonstrar de que forma ele tem contribuído para combater a violência e a marginalidade.

Sabemos que é difícil mudar de um dia para o outro o comportamento do agente público que pune rigorosamente um pai de família por ter bebido uma latinha de cerveja, e na semana seguinte é flagrado dirigindo alcoolizado sob a proteção do corporativismo.

Mas já está na hora de começarmos a mudar esse comportamento. Segurança pública deve ser entregue nas mãos de quem efetivamente se proponha a cuidar da segurança das pessoas.

Pena de morte – Um aviso, todos sabem que dentre as 12 vítimas do dia 24/02, estavam elementos cuja folha corrida provoca arrepios. A nossa legislação não prever a pena de morte para marginais, mas temos constatado que boa parte da população já começa a defender essa punição, por enxergar que quando bandidos saem matando trabalhadores para subtrair um celular ou para roubar um veículo, eles já estão estabelecendo para nós, a pena de morte. Ou não???

Obs.: Temos que destacar a ação dos bons juízes e dos bons policiais, porque felizmente ainda são maioria. Defendo que devemos continuar apoiando a determinação do secretário Mendonça Prado e do comandante Maurício Iunes, eles possuem as melhores condições para corrigir o rumo dessa situação. Antecipadamente informo, que respeito as opiniões divergentes.

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun   

Frase do Dia
“Nunca fales dos limites do conhecimento do ser humano, mas apenas dos seus limites.” Rudolf Steiner, filósofo austríaco, nasceu em 27 de Fevereiro de 1861 e morreu em 1925.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários