TI: esclarecimentos do Banese

0

Sobre o artigo publicado neste espaço, no último dia 12, intitulado “Banese: é preciso transparência”, este blog recebeu os seguintes esclarecimentos que estão publicados na integra: A bem da verdade, em atenção a vossa senhoria e em respeito aos milhares de leitores desse conceituado espaço noticioso, como Presidente do Banese, venho prestar os seguintes esclarecimentos sobre as informações apresentadas em forma de denúncia, relacionadas com as recentes contratações de produtos e serviços na área tecnologia da informação do nosso Banco: 1. Sou funcionário do Banco desde agosto/82, engenheiro civil e analista de sistemas, oriundo da Universidade Federal de Sergipe, quando na época assumi a incumbência de estruturar e implantar a área de informática no Banese, tendo tido a rara oportunidade de presenciar praticamente toda a sua evolução, desde a época dos “listões de contas” produzidos pela Prodase até a mais avançada tecnologia de informática implantada em nossa empresa. Por mais de 15 anos estive diretamente ligado a essa área, participando de todas as decisões de caráter técnico e gerencial empreendidas pelo Banco, propiciando-me um domínio inestimável do ambiente tecnológico vigente em todo esse período. De janeiro/97 a fevereiro/03, inicialmente à frente da Diretoria de Crédito e depois na Presidência do Banco, continuei tendo a oportunidade de participar do processo de crescimento da área de TI no Banco, absolutamente fundamental para o desenvolvimento de suas atividades empresariais. Assim, é um privilégio tratar desse assunto, com a tranqüilidade, clareza e conhecimento de quem participou do processo de evolução da tecnologia de informática no Sistema Financeiro do país e em particular no Banese.

2. Ao assumirmos pela segunda vez a Presidência do Banese, em janeiro/07, identificamos uma defasagem inexplicável no ambiente tecnológico do Banco, comparativamente com as demais instituições financeiras, exigindo da atual gestão um arrojado e volumoso plano de investimentos para a área, em instalações, equipamentos, sistemas e na capacitação da equipe técnica própria do Banco. Conscientes da importância do desenvolvimento do mercado local fizemos reuniões com as empresas locais de tecnologia, com a participação da ASSESPRO – Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e do SERGIPETEC, onde apresentamos em detalhe os nossos projetos, de forma a permitir uma maior compreensão e participação dessas empresas nos processos de contratação que estaríamos fazendo. Na última reunião com a ASSESPRO, há poucos dias atrás, fizemos um balanço da evolução dos nossos projetos, colocando para os empresários locais as nossas futuras necessidades de contratação de produtos e serviços, inclusive nos colocando à disposição para, juntos e em parceria com as instituições de ensino em nosso Estado, empreendermos um forte programa de capacitação dos recursos humanos locais, para viabilizarmos ainda mais a participação dessas empresas nas demandas de TI existentes, tanto no Banco, como no Governo do Estado. Logo, não cabe a atual administração do Banco a alegação de falta de transparência nos seus atos e muito menos de uma política contraditória ao desenvolvimento do mercado local de TI. As empresas e entidades citadas estão aí para confirmarem as nossas afirmações.

 

3. Quanto às licitações especificamente citadas no artigo em referência, temos a informar que: a.Licitação para aquisição de softwares e serviços na área de colaboração, portal, desenvolvimento de sistemas e gerenciamento de processos de negócios. Neste PREGÃO PRESENCIAL, realizado em 26/12/07, vinte e sete empresas baixaram o edital pela internet, onde pelo menos oito destas empresas são do mercado local de TI. Três empresas manifestaram formalmente interesse em participar da licitação, nenhuma do mercado local. Apenas uma empresa de fora do Estado compareceu ao pregão, representando produtos da IBM, tendo sido consagrada vitoriosa com uma expressiva redução no preço da proposta apresentada, abaixo do valor estimado no processo, fruto da intensa negociação de preço realizada durante o certame licitatório. O edital permitia a participação de qualquer empresa da área, tanto fabricante de softwares, como distribuidores, integradores e representantes das empresas desenvolvedoras. A tecnologia especificada permitia propostas de produtos da IBM, ORACLE, SUN e BEA. Apenas os produtos da MICROSOFT não se enquadravam no edital, vez que os mesmos não são aderentes a padrões abertos de mercado, cuja definição fizemos neste sentido, justamente visando independência de plataforma tecnológica e participação de um número maior de empresas fornecedoras desses produtos. É importante salientar que uma parte dos serviços contratados, especificamente o desenvolvimento da solução de portal do Banco na internet e intranet, está sendo realizada em parceria com uma empresa local, a FLUXOTECH, que representa a solução da IBM em nosso Estado.

 

b.Contratação da empresa CA – Computer Associates para fornecimento de softwares e serviços  na área de gerenciamento da infra-estrutura de TI do Banco. Esta contratação, por inexigibilidade de licitação, justificou-se por ser uma atualização técnica destes softwares, inicialmente contratados pelo Banco em 2001 e cuja atualização é exclusividade do fabricando dos mesmos. Os referidos produtos estavam defasados e em versões não mais suportadas pelo fabricante. Desta forma, preservamos os investimentos realizados no passado pelo Banco e o domínio do conhecimento interno desses softwares, permitindo um processo mais rápido e menos oneroso de sua atualização, em comparação a implantação de produtos de outros fornecedores, com tecnologia distinta daquela já existente no Banco. C.Aquisição de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP). Neste PREGÃO PRESENCIAL, realizado em 24/03/08, quinze empresas baixaram o edital pela internet, onde pelo menos cinco destas empresas são do mercado local de TI. Quatro empresas manifestaram formalmente interesse em participar da licitação (nenhuma do mercado local), dentre elas as maiores empresas brasileira fornecedoras de softwares de ERP, como: DATASUL, TOTVS, SAP e POLICS. Apenas o consórcio formado pela SAP e POLITEC compareceu ao pregão, tendo sido consagrado vitorioso, NOVAMENTE, com uma expressiva redução nos preços da proposta apresentada, abaixo do valor estimado no processo, TAMBÉM fruto da negociação de preço realizada durante o certame licitatório. O edital não restringia a participação de nenhum tipo de empresas possuidoras de produtos no nível das acima citadas. O produto vencedor é LIDER MUNDIAL em sistemas de gestão empresarial, que uma vez implantado no Banco, o colocará na dianteira em relação aos seus concorrentes, quanto ao uso da tecnologia de informática no gerenciamento dos seus processos empresariais.

 

d. Aquisição de equipamentos para o DATACENTER. Este edital visa à aquisição de dois conjuntos de servidores e equipamentos de armazenamento de dados (storage), redundantes, para expansão da capacidade instalada no CPD central do Banco e instalação de um site de backup em outra instalação física, viabilizando alta disponibilidade dos nossos sistemas informatizados, inclusive, para atender a determinação do BACEN. No primeiro edital, cujo PREGÃO PRESENCIAL, foi realizado em 01/04/08, trinta e sete empresas baixaram o edital pela internet, onde pelo menos dez destas empresas são do mercado local de TI. Quatro empresas manifestaram formalmente interesse em participar da licitação, sendo três do mercado local. Para este tipo de tecnologia, no Brasil, apenas dois fabricantes tem condições de atenderem às especificações requeridas, que são IBM e HP. Todos os dois fabricantes têm a política de comercialização através de representantes locais, dificilmente participando diretamente das licitações. No referido pregão, apenas uma empresa local, representando a IBM, apresentou proposta, cujo valor ficou acima do esperado. Identificamos também a necessidade de aperfeiçoamento do edital e redimensionamento dos equipamentos especificados. Assim, não homologamos a única empresa proponente e republicamos um novo edital, cuja abertura está previsto para 20/06/08. Até o momento, trinta e uma empresas baixaram o edital pela internet, onde cerca de oito destas empresas são do mercado local de TI. Quatro dessas empresas já manifestaram formalmente interesse em participar da licitação, sendo três do mercado local. Esperamos que neste novo pregão compareçam o maior número possível de empresas, especialmente as do mercado local, e que as condições ofertadas permitam a homologação do certame, em atendimento as expectativas e necessidades do Banco.

 

4. Pelo apresentado no item anterior, deixamos claro que jamais tivemos a intenção de reduzir a competitividade entre as empresas potencialmente fornecedoras do Banco e muito menos excluir as empresas locais. Tudo tem sido realizado buscando contratar a solução que atenda a melhor relação de custo/benefício para o Banco. Toda a documentação destes processos licitatórios encontra-se à disposição de qualquer interessado no assunto e temos o maior interesse em prestar quaisquer esclarecimentos sobre estes e quaisquer outros processos licitatórios realizados pelo Banco nesta gestão. 5. Quanto ao atual superintendente de tecnologia da informação do Banco, está equivocada a informação prestada na matéria em referência, ao classificá-lo como ex-funcionário da IBM. Rodrigo Corumba é funcionário concursado do BANESE, admitido no Banco em 1998. Esteve por um período em licença para interesse particular, onde durante nesse tempo trabalhou em várias empresas, sendo que uma delas prestava serviços para a IBM. Jamais foi funcionário da IBM e mesmo que tivesse sido, nada o desabonaria, pelo contrário, pois se trata da maior empresa mundial na área de tecnologia, cujo processo de seleção para o seu quadro funcional está entre os mais concorridos do mundo. Em 2007, no inicio da atual gestão, convidamos o funcionário para retornar ao Banco e assumir a Superintendência da área de tecnologia, em função do seu excelente currículo e do profundo conhecimento na mais atual tecnologia da informação disponível no mercado brasileiro. Estamos altamente satisfeitos com o seu desempenho à frente da área, cuja complexidade exige do titular um alto grau de especialização, conhecimento e capacidade gerencial.

 

Na certeza que com estes esclarecimentos possa ter dirimida qualquer dúvida porventura existente sobre o tema tratado na matéria, agradeço desde já a paciência pela leitura do extenso texto, tão somente necessário para cobrir por completo o assunto em apreciação. Peço, por julgar oportuno, que seja publicado em seu prestigioso blog um resumo dos principais pontos abordados neste texto. Sempre grato pela atenção dispensada. João Andrade Vieira da Silva – Presidente do Banese.

 

Decisão de João Alves

Como este blog vinha informando deste a semana passada o ex-governador João Alves não é candidato a prefeito de Aracaju e lançou, pelo DEM, a chama Mendonça Prado e Pedrinho Valadares. Por conta da publicação dos esclarecimentos da direção do Banese amanhã este jornalista fará a análise da decisão do ex-governador.

 

Almeida tem que tirar o verde que não existe no PMDB

A decisão adotada pelo ex-governador João Alves Filho, em apoiar uma chapa encabeçada pelo deputado federal Mendonça Prado, vai causar alguns prejuízos ao senador Almeida Lima, dentre eles o de refazer a pintura da sede do partido. É que na esperança do apoio do DEM, Almeidinha já havia pintado a sede do diretório municipal toda de verde, desprezando o vermelho e preto, que são as cores originais do PMDB. Há quem entenda que dos prejuízos causados esse será o menor!

 

PSDB anuncia na sexta apoio a Edvaldo

Na sexta-feira, às 8hs, na sede do PSDB, será anunciado o apoio do PSDB a candidatura de Edvaldo Nogueira. Ontem, 17, o presidente do PDT, Samarone teve uma reunião com os pré-candidatos do PSDB e do próprio PDT onde foi firmada a coligação proporcional com a presença de Miriam Ribeiro e do presidente municipal tucano, Valdoison Leite.

 

Lagarto: Lila aglutina e Walmir divide

O governador Marcelo Déda e o empresário Edvan Amorim estão quebrando a cabeça para resolver o problema em Lagarto. A candidatura de Walmir Monteiro, a cada dia perde mais aliado e a do atual vice-prefeito, Lila continua recebendo apoio importantes. Lila já tem o apoio do PDT, através do candidato a vice, Manoel da Lagartense, tem o apoio do PMDB e está prestes a receber o apoio do PSB. Pelo jeito, Walmir terá sérios problemas para aglutinar o bloco aliado ao governo estadual.

 

Fritura de Walmir é dentro da própria casa

Por conta de um projeto político, de eleger o futuro presidente da Assembléia Legislativa, a fritura da candidatura de Walmir Monteiro, começa na própria casa. Tem gente que não quer perder um voto na Assembléia, que pode ser decisivo. Se o pedido do procurador geral da República, de suspender a resolução do TSE sobre fidelidade partidária, for atendido pelo STF, não se engane, vários deputados mudam de partido de imediato. Pode anotar…

 

Decisão de João atrapalha barganha de muitos

A decisão do ex-governador em não ser candidato e anunciar de imediato o nome de Mendonça Prado atrapalhou algumas “lideranças” que estavam tentando barganhar politicamente. Agora, estas “lideranças” correm contra o tempo porque podem ficar sozinhas em Aracaju.

 

E não tem segurança na Secretaria de Finanças?

Estranho, muito estranho o furto de um notebook e documentos do gabinete do secretário de Finanças de Aracaju em pleno meio dia. O expediente só termina às 13hs e o local tem guardas municipais. A Polícia Federal e a Polícia Civil já estão investigando.

 

Candidato a vice terá foto e nome na tela da urna

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral decidiram incluir a mudança já para as eleições deste ano. O presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, já havia adiantado a idéia em entrevista à Folha. Na época, disse: “No mínimo, a própria Justiça Eleitoral terá que projetar na tela a imagem dos dois suplentes [dos senadores] e os nomes. O mesmo acontecendo para vices de chefias executivas”.

 

Debate sobre progressão vertical – favorável I

De um leitor: “Incoerência – Toda a polêmica criada pela Procuradoria Geral do Estado – PGE com relação à progressão vertical dos professores, se a PGE agisse com coerência nas suas ações não estaria acontecendo. Acontece que a mesma Procuradoria que hoje alega inconstitucionalidade na progressão vertical do magistério, em 2001 compôs a comissão que elaborou a Lei Complementar nº 61/2001, sendo, portanto signatária da referida lei, não cabendo dentro dos limites da coerência depois de quase oito anos alegar agora inconstitucionalidade. 

 

Debate sobre progressão vertical – favorável II

Continua o leitor: “Solução salomônica – Em meio a toda a polêmica sobre a progressão vertical dos professores e o risco de ampliar ainda mais o problema caso seja considerado pelo TJ/SE como inconstitucional, seria de bom alvitre  a doção de uma solução salomônica. Vale lembrar que essa matéria está sob a apreciação do Supremo Tribunal Federal, já houve a manifestação de três ministros do STF favoráveis a constitucionalidade e um contrário, estando suspenso o julgamento. Aguardar a decisão do STF seria a decisão mais prudente que poderia ser adotada neste momento. O TJ/SE pode decidir de uma forma e amanhã ser obrigado a desconsiderar a sua decisão, sem contar com os transtornos que pode criar”.

 

Debate sobre progressão vertical – Contra I

De um leitor, que é advogado: “Diante de tanta celeuma e polêmica em relação à progressão vertical dos professores, alguns fatos merecem ser enfocados sem, no entanto, incorrer em parcialidade e demagogia. Aliás, as análises realizadas por professores, alguns jornalistas, políticos e infelizmente “juristas” em relação ao tema estão recheadas de tudo isso e esquecem de analisar o mérito, a questão sob a ótica constitucional”.

 

Debate sobre progressão vertical – Contra II

Continua o leitor:Pergunta-se: um auxiliar de enfermagem que ingressou no serviço público como nível médio e depois fez o curso superior de Enfermagem está recebendo como nível superior? Um técnico em contabilidade antigo no estado que após um bom tempo cursou Ciências Contábeis numa faculdade está recebendo como Contador? Resposta: NÃO. Sabe por quê? Porque a constituição proíbe. Então porque somente o professor pode? E não me venham falar em LDB, pois uma lei infra-constitucional não pode está acima da Lei Maior. Isso é tão elementar em Direito que qualquer leigo sabe. Chega de demagogia !”.

 

Gilmar: “governador está dormindo com o inimigo”

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PSB) alertou o governador Marcelo Déda sobre a  atuação da Procuradoria Geral do Estado ao se referir ao episódio envolvendo a ação  direta de inconstitucionalidade movida pela PGE contra a progressão vertical automática  dos professores da rede pública de ensino.“O governador está dormindo com o inimigo”, advertiu o parlamentar. De acordo com ele, em nenhum outro momento a Procuradoria levantou a tese da inconstitucionalidade da progressão. “Desde 1999 estou na Assembléia Legislativa e nunca tomei conhecimento que a Procuradoria tivesse defendido essa tese. Me mostrem um documento provando o contrário”, desafiou. Na avaliação de Gilmar Carvalho, nesse caso específico da professora que ingressou com uma ação judicial para receber os valores retroativos da progressão vertical, a PGE já podia ter se manifestado. O deputado deixa outro questionamento no ar: “E qual foi a manifestação nesses anos todos de uma procuradora do Estado que tem assento no Conselho Estadual da Educação?”

 

Corrupção na PRF

De um leitor: “A corrupção praticada pelos policiais rodoviários causava prejuízo à população de forma generalizada, visto que um dos problemas mais reclamados pelos condutores, é exatamente o que trata do estado de conservação das rodovias, responsável por um elevado número de acidentes. Antes parte da população imaginava que o poder público não possuía meios de constatar se o veículo estava ou não com o peso acima do normal, agora com a descoberta deste esquema de pagamento de propina para liberação de veículos com excesso de peso, sabe-se que a destruição do asfalto contava com mais essa contribuição, uma contribuição oficial”.

 

Lançamento da campanha Verão Sergipe 2009

O Governo do Estado de Sergipe, por meio das Secretarias de Estado da Comunicação Social e do Turismo, e da Empresa Sergipana de Turismo, convida a imprensa sergipana e trade turístico para o café da manhã de lançamento da Campanha Promocional do Verão Sergipe 2009, a ser realizado no Starfish Resort Ilha de Santa Luzia, às 7h30min desta quarta-feira, 18. Participam do evento os secretários de Estado de Comunicação Social, Eloísa Galdino, de Turismo, João Augusto Gama, e o presidente da Emsetur, José Roberto Lima.

 

Postos de atendimento

As concessionárias de serviço público – água, luz, telefone, etc –  poderão ser obrigadas a manter posto de atendimento pessoal ao usuário, em municípios com população superior a 20 mil habitantes, se for aprovado projeto de lei do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) com este propósito. O projeto de Valadares visa a minimizar os transtornos enfrentados pelos usuários com o atendimento impessoal, feito através de telefone ou internet, e que tem sido alvo de inúmeras reclamações junto aos órgãos de defesa do consumidor. “O chamado auto-atendimento está se revelando insatisfatório e a população de baixa renda e residente nos pequenos municípios é a maior prejudicada por esse tipo de atendimento, porque não tem acesso fácil ao telefone ou as tarifas ainda são altas para o tempo necessário de atendimento ou, ainda, porque ela não tem acesso ao microcomputador e sequer tem familiaridade com a internet”, explica o senador.

  

Eleições 2008: Direito à informação é fundamental, diz Britto

Deu na FSP de hoje, 18: “O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Carlos Ayres Britto, afirmou ontem que os órgãos da Justiça Eleitoral brasileira devem “tomar muito cuidado” para não pôr em risco o “direito fundamental à liberdade de informação”. Ele havia sido questionado sobre a multa imposta à Empresa Folha da Manhã S.A., à Editora Abril e à petista Marta Suplicy por suposta propaganda antecipada em entrevistas publicadas neste mês na Folha e na revista “Veja São Paulo”. “Os órgãos devem tomar muito cuidado para não colocar em risco o direito fundamental à liberdade de informação”, disse. “No Brasil, o direito à informação tem o mais sólido lastro constitucional. Se traduz no direito de informar, se informar e ser informado. O fato é que a imprensa é que melhor cumpre esse papel. No mais, é aguardar o caso concreto.” O presidente do TSE também afirmou que não é proibida a realização de entrevista com “supostos ou até prováveis candidatos”. “Não está proibido nesse período fazer entrevista com supostos candidatos ou até prováveis candidatos. Pode traduzir idéias, opiniões. O que não pode é antecipar uma plataforma de governo.”

 

Lei Eleitoral não autoriza nenhum tipo de censura à imprensa

Ainda na FSP, de hoje, 18: A legislação eleitoral não prevê nenhum tipo de censura à imprensa, pois o seu funcionamento -ao contrário do que ocorre com as emissoras de rádio e televisão- não depende de concessão, permissão ou autorização do Poder Executivo. Por isso os jornais e as revistas podem até, se quiserem, apoiar uma candidatura sem que isso caracterize propaganda eleitoral ilícita. Esse não é o caso da Folha, que defende expressamente, em seu projeto editorial, um jornalismo “crítico, pluralista e apartidário”. O jornal não tem e nunca teve vínculo com nenhum partido. As normas que regulam a veiculação de propaganda eleitoral não limitam a liberdade de imprensa, que é assegurada pela art. 5º da Constituição. A Carta também informa, no art. 220, que nenhuma lei poderá conter dispositivo capaz de criar embaraço à plena liberdade de informação jornalística e veda qualquer tipo de censura. No entendimento da OAB, uma entrevista jornalística não é propaganda eleitoral e, por isso, não pode ser interpretada como uma infração à Lei Eleitoral. O presidente nacional da entidade, Cézar Britto, disse que “democracia é sinônimo de debate e transparência. O jornal que se compromete a escutar todos os candidatos de forma igualitária deveria ser elogiado, e não punido”.

 

Cleomar Brandi e a linha ética do jornalismo I

Recentemente, o noticiário da Aperipê TV recebeu uma crítica na página do Cinform assinada pelo editor. Cleomar Brandi, diretor de jornalismo da Aperipê TV, usou do direito de resposta, que foi publicado. No entanto, ele tomou um susto ao ler a publicação, pois, em toda sua vida jornalística, nunca tinha visto um direito de resposta ser “editado”, “castrado” em algumas frases. Assim, para manter a linha ética do jornalismo viva, envio para todos os colegas o texto completo, que está publicado neste blog: “Caro editor – Algumas regras deveriam ser básicas para qualquer jornalista que faça do princípio da verdade o seu norte, leste ou sudeste. Assim, somente criticar um jornal impresso se for um seu leitor assíduo. Ou, o que é o caso, criticar um noticiário de tv se também for um telespectador constante. Fora disso, qualquer crítica vai se perder na aleivosia, que é irmã gêmea  do jornalismo rasteiro. Surpreendeu-me uma nota publicada na última edição do Cinform, quando se diz que “O jornalismo da Aperipê TV anda rimando com omissão… a rede tem apresentado um jornalismo chapa branca, pautado na cobertura de eventos oficiais e matérias água-com-açúcar… o caso da dengue é o mais gritante… o noticiário não dá uma linha sequer sobre o famigerado mosquito… ainda dá tempo de fazer uma materiazinha” e por aí vai. Lá adiante, o editor se pergunta: “Será que é o espírito DIP da Rede Brasil permeando a “cabocla” rede local?”

 

Cleomar Brandi e a linha ética do jornalismo II

Continua Cleomar Brandi: “Bem, primeiramente, “cabocla” com muito orgulho, morena com muito zelo. Segundo: aqui na Aperipê não fazemos “materiazinha”. É  por isso que estranhamos tais críticas maledicentes, justamente na semana em que fomos comunicados, pela Rede Brasil, de termos sido a emissora com grande volume de matérias, produzidas pela equipe de Jornalismo da Aperipê TV, em rede nacional. Ou seja, mais ou menos duzentas inserções de matérias que foram assistidas em 23 estados da Federação. E o mais interessante nisso tudo é que, na cobertura diária que fazemos da cidade, foram muitas as matérias que tiveram como pauta justamente a dengue, matérias que foram exibidas em Sergipe e em toda a rede. Pena que as pessoas que criticam não costumem assistir nosso noticiário e nossa programação. Talvez estejam absortos, enlevados com as cenas de “Desejo Proibido” ou na dureza folhetinesca das “Cirandas de Pedras que vicejam por aí. Em nossa redação estão guardadas todas as pautas que fizemos não somente com a dengue, mas também com outros assuntos, como a onda de greve provocada por vários sindicatos e outras manifestações de protesto. Temos tudo isso em papel pautado e copiado em nossos arquivos. Talvez fosse de bom alvitre que o nobre editor se dignasse a nos fazer uma visita, provar um cafezinho, assistir algumas dessas matérias. Talvez isso resgatasse a memória perdida de quem não quer reconhecer o esforço de uma equipe de jornalismo. Uma pena. Quanto ao mais, tudo! Afinal, nessa terra, as pessoas sabem quem é quem no jornalismo”. Cleomar Brandi – Diretor de Jornalismo (com muito orgulho) da Aperipê TV.

 

Governo realiza levantamento patrimonial do Estado

R$ 2,356 milhões. Esse é o valor dos primeiros 19 imóveis do Governo do Estado de Sergipe levantados até agora por meio do programa “Conhecendo o que é nosso”, desenvolvido pelo Departamento Central de Patrimônio do Estado (DCPE) da Secretaria de Estado da Administração. Esses imóveis estão localizados no município de Estância, cidade escolhida para iniciar o levantamento cadastral. A Secretaria da Administração (Sead) iniciou o levantamento dos imóveis do Estado de Sergipe no dia 02 de maio em Estância, onde existem, no total, 66 imóveis do Estado. A Empresa de Projetos Técnicos e Sociais (Emprotep), vencedora da licitação PE 072/2008, é a responsável pelo trabalho de análise técnica e avaliação imobiliária. As atividades em Estância devem ser finalizadas no mês de julho.“Conhecendo o seu patrimônio, o Estado poderá ter um maior controle e desenvolver ações que possam ser revertidas em prol da população, como a construção de habitações populares, hospitais e escolas. Essas têm sido prioridades do governo Marcelo Déda”, disse Jorge Alberto, secretário da Administração.

 

Babosa: arma contra o câncer?

No livro “O Câncer tem Cura”, o Frei Romano Zago transformou a imagem da babosa: de planta indicada para embelezamento de pele e cabelos, numa poderosa arma contra o câncer. De qualquer forma, a comunidade científica ainda não comprovou nada a respeito das conclusões do Frei Romano sobre a eficiência da babosa contra o câncer. Estudos já comprovaram que a babosa fortalece o sistema imunológico e tem ação antiinflamatória e antiviral. Confira a receita da cura pela babosa em: www.shoppinggarden.com.br

 

Frase do Dia

 “O forte sobrepuja o fraco/O forte é submetido pelo mais forte/E, contudo, através dos anos amargos, dos uivantes invernos,/O sonho imortal será o mais forte/ O sonho da equidade triunfará.” Carl Sandburg, poeta americano, nascido em 1878 e morreu no início do século XX.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários