Torre Eiffel – Jovem senhora faz aniversário

0

“Dama de ferro”, assim é chamada a Torre Eiffel, ou em bom francês Tour Eiffel, símbolo de Paris, cartão postal da França, que atrai mais de sete milhões de turista por ano. De quase todos os cantos de Paris, ela está lá… esguia, elegante, moderna. Mas por que esse emaranhado de ferro trabalhado construído, em meio ao Campo de Marte atrai tanta gente? Por que tantos brasileiros a amam? Será que realmente a torre é tudo isso? Há lago mágico, místico, energético? Não se sabe, mas quando se chega aos pés da “Jovem Senhora” é de causa êxtase. Olhos vidrados para o alto, vontade imensurável de percorrê-la. Todos se curvam aos seus pés. O fascínio é motivo de felicidade.

Conta a história que a torre surgiu de um momento de grandeza. O governo francês queria algo impressionante para homenagear os 100 anos de Revolução Francesa e em 1887 foi aberto um concurso público para projetos arquitetônicos que fosse construído na Exposição Mundial e logo após o evento, desmontado. Entre monumentos neogóticos, jardins suspensos, faróis, venceu a proposta de um empreendedor que já fazia fama no mundo: Gustav Eiffel.

A construção em estrutura metálica era um grande avanço para o tempo, tornado possível graças a Revolução Industrial. As peças de ferro fundido chegavam em partes montadas, com a mesma técnica já experimentada pelo engenheiro Eiffel na ponte sobre o Douro em 1877. Eiffel também construiu o viaduto de Garabit, a estrutura interna da Estátua da Liberdade, o observatório de Nice, a ponte Maria Pia, no Porto, e também há registros de projetos em São Paulo e no Rio de Janeiro.

 

Dois anos depois de iniciada sua construção (1887 – 1889), a torre finalizou-se imponente com o status de estrutura mais alta do mundo construída pelo homem. Com seus 317 metros de altura, possuía 7.300 toneladas quando foi construída, sendo que atualmente deva passar das 10.000, já que são abrigados restaurantes, museus, lojas, entre muitas outras estruturas que não possuía na época de sua construção.

 

Construída à margem esquerda do rio Sena, ou melhor, na rive droite, a torre possui três andares. Na base foram usados cimento e aço, com quatros pilares encima de quatro metros de cimento. Possui arcos ligando os quatro pilares instalados a 39 metros acima do solo. O primeiro andar fica a 57 metros acima do solo e pode suportar a presença de 3000 pessoas ao mesmo tempo. O segundo andar fica a 115 metros acima do solo e suporta a presença de 1600 pessoas. O terceiro andar fica a 276 metros acima do solo e suporta 400 pessoas; em andamento um projeto de expansão do local.

As formas da torre são imitadas em todo tipo de objeto, mas ela não foi unânime. Liderados por Guy de Maupassant, Charles Garnier e Charles Gounod, intelectuais e artistas tentaram impedir a construção do que achavam “inútil e monstruosa”. A torre teria de ser desmontada logo após a Exposição Universal do Centenário da Revolução Francesa. Mas Eiffel conseguiu perpetuar seu monumento convencendo militares da sua importância estratégica. Anos depois, conseguiu impedir que fosse desfigurada com projetos considerados esdrúxulos para outra exposição, a de 1900.

Com o passar das décadas, a torre foi construindo sua história, confundindo-se com a própria Paris. Foi nela que os nazistas marcaram sua ocupação. É perto dela que estouram os fogos do 14 de julho. É aos seus pés que a multidão espera o ano novo e foi nos seus arredores que o brasileiro Santos Dumont fez seu primeiro vôo com o 14 Bis.

As luzes é outra atração da Torre Eiffel. São 20 mil delas espalhadas, deixando Paris ainda mais iluminada e podendo ser vista de quase todos os principais pontos a noite. Quando Paris foi presidente temporária da União Européia, ela ganhou iluminação em azul e a cada hora pontual, milhares de luzes ficam brilhando por alguns minutos, para a alegria dos visitantes.

Atualmente a torre brilha nas noites parisienses soberana entre as construções mais altas da cidade. Localizada nas proximidades do rio Sena, a torre oferece uma vista excepcional que, em 2008, foi desfrutada por seus 6.930.000 visitantes, 0,5% a mais que no ano anterior, o que representou um novo recorde de visitas.

Para marcar a passagem de aniversário, a torre ganhou uma nova pintura e a data está sendo comemorada com uma série de eventos, entre eles, uma exposição que traz detalhes sobre a história da torre, além de informações sobre a vida de seu idealizador, Gustave Eiffel (1832-1923).

A mostra “Epopéia da Torre Eiffel” terá como palco as escadarias e o primeiro andar e permanecerá no local até o dia 31 de dezembro de 2009. A exposição traz maquetes do monumento, além de fotos da construção, com detalhe para os guindastes gigantes e andaimes que foram necessários para a obra. Há também uma série de outras fotos e documentos do trabalho dos arquitetos que podem ser consultados pelos visitantes.

Nem o próprio Eiffel imaginava que sua construção seria considerada uma das maravilhas e um dos cartões postais mais visitados do mundo. Não sabia que ela seria o símbolo da França, nem a considera Dama de Ferro. Um outro símbolo demorará a surgir. Será que surgirá?

Dicas de viagem

Grupos de, no mínimo, vinte pessoas têm acesso e preço especial;

A última subida acontece às 23h e, no último andar, às 22h30;

Os preços variam para adultos de 4,80 € a 12€, a depender se quer chegar ao primeiro ou terceiro piso. Para crianças as tarifas variam de 2,50 €a 6,70 €, a depender da idade. Quem preferir subir de escada, as tarifas variam de 3,10 € a 4 €, a depender também da idade.

O restaurante Jules Verne fica no segundo andar e há um pequeno museu no primeiro.

Caso o dia esteja nublado e chuvoso, reserve um outro momento para subir na torre. Não vale a pena. A vista da cidade fica comprometida.

Quando chegar ao segundo piso e a torre balançar, não se preocupe, faz parte da aventura.

Vale a pena visitar o site oficial da Torre Eiffel, de onde é possível ter uma visão panorâmica de 360º de Paris.

 

Na Bagagem

ü  Sindicato dos Guias de Turismo de Sergipe juntamente com o Convetion Bureaux capitanearam para Sergipe o Congresso Brasileiro de Guias de Turismo, que deverá acontecer em Aracaju, em 2011.

ü  Junho é o mês que começam os festivais de música por toda a Europa. O maior festival de música eletrônica – Sonar – acontece em Barcelona, Espanha, no período de 18 a 20 de junho.

ü  Passagens aéreas mais atrativas e promoções de hospedagem têm atraído um grande número de sergipanos a afivelarem as malas para passar os festejos juninos na Terra do Tango – Buenos Aires.

ü  Embratur divulga meta de colocar o Brasil entre os 10 destinos turísticos do mundo até 2012.

ü  O governo brasileiro prevê gerar 1,7 milhão de novos empregos ligados diretamente ao turismo até 2010, o que significará um aumento de 28% frente aos atuais 6 milhões.

ü  Festival Gastronômico Brasil Sabor 2009 acontece de 18 de maio a 30 de julho em 63 restaurantes da capital e do interior de Sergipe e mais de 240 cidades por todo o país. Aproveite.

 

Passaporte

Em homenagem ao Ano da França do Brasil, “Passaporte” traz todas as semanas uma foto da paisagem urbana de Paris. A programação do ano da França no Brasil iniciou em 22 de abril e vai até 15 de novembro, com show, exposições, festivais, em mais de 32 cidades brasileiras.

Aracaju está na programação oficial com uma Mostra de Cinema Francês e com apresentações do projeto Palco Giratório e uma Exposição de Matemática. Confira programação. Na foto, as pirâmides da praça do Louvre, clicada de uma das janelas do museu.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais