TRANSPOSIÇÃO E PARTICIPAÇÃO

0

O debate sobre a transposição das águas do rio São Francisco, que acontecerá segunda-feira no auditório da OAB, em Brasília, entre o governador João Alves Filho e o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, será um dos fatos mais importantes neste polêmico projeto do governo federal. O confronto será decisivo para colocar sobre a mesa toda a insensatez de uma obra faraônica, bem aos moldes da que se fazia na ditadura militar, para passar a impressão de grandiosidade e desenvolvimento. Tipo Transamazônica , que não foi concluída e criou em suas margens um rastro de pobreza e violência. O governador João Alves Filho, no entendimento do deputado federal João Fontes (PDT), é quem mais entende de Nordeste na região, principalmente quando se trata de recursos hídricos. Terá oportunidade de mostrar, com dados técnicos, a inviabilidade da transposição de um rio em estado de falência mútua em todo o percurso do seu leito, principalmente nos quilômetros que antecedem a sua foz.

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, também chegará ao debate montado em análises e estudos técnicos que tentam derrubar a argumentação de que o rio São Francisco está com problemas graves e não tem água suficiente para enviar a dezenas de quilômetros, através de canais, com o objetivo de socorrer estados mais afetados pela seca, como Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. O governador João Alves Filho, além de argumentos novos e estudos mais atualizados, pretende expor o mesmo projeto de sua autoria, elaborado a pedido do então candidato a presidente da República, Ciro Gomes, que mostrava a inviabilidade da transposição das águas do São Francisco. Como candidato Ciro era contra, como ministro ele é a favor. O que teria provocado essa mudança em tão pouco tempo à frente de uma pasta criada para integrar e não para proteger uma região que lhe parece eleitoralmente mais importante? João Alves e Ciro Gomes são homens bem preparados, conhecem o Nordeste e sabem de suas dificuldades, principalmente as provocadas pelas longas estiagens. O debate certamente vai oferecer a posição mais lógica para um projeto que pode provocar um dos mais dramáticos acidentes ecológicos do país.

A senadora Heloisa Helena (Psol), de Alagoas, que se posiciona contra a transposição, mostrando as dificuldades das cidades ribeirinhas do seu estado, alerta que a transposição não será destinada a sanar com os problemas da seca. Acredita que se trata de um projeto para a elite agrícola do Nordeste setentrional, que pretende incentivar o plantio de frutas nobres, destinado à exportação. Será utilizado também, segundo ela, para viveiros de peixes e camarões, para comercialização e exportação. Jamais para servir à comunidade carente que o governo prega. Aliás, essa história de amenizar os problemas da estiagem é falaciosa. As cidades dos estados que servem de leito para o São Francisco, com algumas exceções, são as que têm maior problema com a seca. Os maiores bolsões de pobreza, em Sergipe e Alagoas, se localizam na região do baixo São Francisco, bem às margens do rio. Ora, se o São Francisco com a sua imensidade não consegue reduzir os efeitos das longas estiagens, não será a transposição, através de canais, que vai transformar o Semi-Árido nordestino em um oásis.

Deixando de lado o debate e analisando o comportamento de alguns políticos integrantes do bloco de sustentação ao presidente Lula, não se pode deixar de avaliar como uma omissão conivente com o projeto do Planalto, que está decidido a transpor as águas do rio São Francisco. Esta luta não pertence a ninguém, ela é do povo sergipano, alagoano, mineiro, baiano e pernambucano, independentemente de posição partidária e ideológica. Todos eles se declaram contra a transposição sem a revitalização do rio, mas ninguém põe a cara na rua para defender uma região que poderá ficar muito mais pobre sem o rio. Há necessidade que todos abracem essa luta, porque a população ribeirinha está consciente do que pode acontecer com ela caso aconteça a transposição e, naturalmente, vai recusar quem cruzou os braço e não reagiu para impedir a morte do rio. Todos vão ver o que dirão as urnas…

PREPARAÇÃO
O governador João Alves Filho (PFL) não viajou a Pirapora (MG) onde aconteceu uma movimentada reunião dos estados contra a transposição. João Alves Filho tinha compromissos em Sergipe e está se preparando para o debate que acontecerá segunda feira, em Brasília, com o ministro Ciro Gomes.

CONFIRMA
A OAB confirmou a presença do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que fará uma exposição em defesa do projeto. O governador João Alves Filho, será o principal expositor contrário à transposição das águas do São Francisco.

ESTADOS
As bancadas de senadores e deputados federais dos nove Estados do Nordeste e de Minas Gerais foram convidadas para assistir o debate sobre transposição do rio São Francisco. No convite, a OAB destaca a importância do assunto para o País, como um todo, e para o Nordeste, em particular.

AFIADO
O governador João Alves Filho se encontrou com o presidente da OAB-SE, Henry Clay, na Assembléia Legislativa, e o cumprimentou avisando: “Estou afiado para o debate”. Henry sorriu e respondeu: “Estamos todos esperando por isso”. Os vôos de Aracaju a Brasília já estão lotados.

PRESENÇA
O assessor especial do ministro Ciro Gomes, jornalista Egídio Serpa, disse que o ministro vai mostrar tecnicamente que o projeto é viável. Segundo Egídio Serpa, o debate terá alto nível, porque os dois são preparados. “Será muito bom também porque servirá muito à democracia”.

VALADARES
O presidente da Câmara, deputado Severino Cavalcante defendeu a aprovação rápida, pela Câmara, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 524/02.
De autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) a PEC cria um Fundo de Revitalização do rio São Francisco.

ANÁLISE
De acordo com a PEC do senador Valadares, o Fundo será constituído por 0,5% de toda a arrecadação federal, excluídas as vinculações e as transferências constitucionais. Os recursos chegariam a R$ 300 milhões por ano e seriam destinados aos programas de água e esgoto das cidades ribeirinhas e à recuperação dos afluentes e da área ambiental do bioma do rio São Francisco.

PALLOCCI
Severino Cavalcanti anunciou que vai pedir uma audiência com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, para discutir a proposta do senador Valadares. O relator, que deverá concluir seu parecer na próxima semana, lembra que o rio tem sido agredido por programas de retenção de águas e pela construção de barragens.

BELIVALDO
O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) assumiu, ontem, a Secretario de Assuntos Políticos e Institucionais de Aracaju. Segundo uma fonte vinculada ao deputado, ele deixará a Secretaria caso não consiga realizar o seu trabalho e ter apoio real do prefeito Marcelo Déda.

MAJORITÁRIA
Na avaliação de alguns políticos, Belivaldo assume a secretaria a fim de se credenciar como candidato a vice-governador na chapa liderada por Marcelo Déda (PT). Belivaldo é a opção de Valadares para ser o vice de Déda e já vai coloca-lo em contato com prefeitos do interior e vereadores.

DISCURSO
Ao dar posse a Belivaldo, o prefeito Marcelo Déda fez um discurso muito mais dedicado ao senador Valadares do que ao novo secretário. Traçou uma biografia do senador desde quando iniciou a política em Simão Dias e deixou claro que sabia da sua coerência e que confiava muito nele.

OBJETIVO
Segundo um vereador que integra o bloco do prefeito, “com esse discurso o prefeito derruba qualquer insinuação de que Valadares pode ser candidato a governador”. O vereador lembrou que essa possibilidade de candidatura foi espalhada, cm o objetivo de afastar os dois: “como se vê, ninguém conseguiu” disse.

OMISSÃO
O deputado federal José Carlos Machado (PFL) ficou irritado quando o seu colega Marconde Gadelha (PTB-PB) disse que ele teria que ser isento com presidente da comissão especial do Semi-Árido. Machado foi rápido na resposta: “isenção não significa omissão. O senhor é a favor da transposição, mas eu sou contra”.

Notas

PIRAPORA-1
O encontro de Pirapora, ocorrido ontem, não teve a força que se esperou durante todo esse período que a antecedeu. Alguns parlamentares consideravam que ela fosse decisiva para a discussão em torno da transposição do rio São Francisco, mas não passou de uma audiência pública que não mereceu repercussão.  Esperava-se a presença de cinco governador, inclusive Aécio Neves, de Minas, mas nenhum chegou lá. Todos mandaram representantes. Até o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL) falhou.

PIRAPORA-2
O repórter André Lacerda, que cobriu o evento para a 102-FM de Pirapora, disse que a senadora Maria do Carmo Alves (PFL) se manifestou durante a audiência pública, se posicionando contra a transposição das águas do rio São Francisco e defendendo sua revitalização, porque o rio está moribundo. Maria do Carmo disse ainda – segundo o repórter André Lacerda – que o objetivo da transposição é repassar recursos para as empreiteiras. Lembrou que os estudos técnicos comprovam que o projeto é eleitoreiro.

PIRAPORA-3
A senadora Heloisa Helena (Psol-AL) também fez um pronunciamento e igualmente se manifestou contra a transposição das águas do rio Sã Francisco. Heloisa Helena conhece bem a situação das cidades ribeirinhas do seu estado e sabe da situação do rio, principalmente na foz, onde o mar avança. Ela insistiu que a transposição do rio São Francisco para o Nordeste Setentrional vai servir para a criação de camarões e frutas nobres, para fortalecer as exportações, mesmo que deixe um rastro de miséria nos estados doadores.

É fogo

O ministro Carlos Ayres Britto, do STF, foi homenageado, ontem, duplamente: teve o seu nome para o setor cultural do Tribunal de Contas e recebeu o título de cidadão aracajuano.

Em seu pronunciamento, agradeceu o título, concedido pela vereadora Tânia Soares (PCdoB), o ministro disse: “Aracaju é minha patriazinha”.

O líder do Governo, Venâncio Fonseca (PP) compareceu à posse do colega Belivaldo Chagas, na secretaria municipal de Coordenação Política e Assuntos Institucionais.

Gleidson Lacerda foi eleito, ontem, por aclamação, presidente da Uses, durante congresso estudantil realizado em Laranjeiras.

A TV Aperipê vai transmitir, ao vivo, o debate entre o governador João Alves Filho e o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, no auditório da OAB, em Brasília.

O deputado Marcondes Gadelha (PTB-PB), acha que pode haver um entendimento entre os estados doadores e receptores.

O prefeito de Barra dos Coqueiros está consciente que terá problemas de trânsito em sua cidade a partir da inauguração da ponte.

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), está conversando com colegas do interior, inclusive pra facilitar alguma coisa m Brasília.

Um dos prefeitos da região do Cotinguiba chegou a se admirar porque Marcelo Déda participou da reunião de prefeitos

O INSS divulgou um levantamento com as diferentes taxas de juros cobradas pelos bancos nos empréstimos.

O Banco do Brasil é o que tem menores taxas de juros – 1,50% ao mês – pra descontos em folha pelo período de seis meses.

Com a aproximação do Dia das Mães, as vendas de produtos eletroeletrônicos devem aquecer ainda mais o varejo, mantendo o desempenho positivo já observado.

brayner@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários