TRINTA DIAS APÓS O CARNAVAL FAÇA OS EXAMES

0

Logo após a maior festa popular do Brasil, aproveito para alertar as pessoas que se envolveram em alguma situação de risco, com relação à saúde sexual: relação sexual ocasional ou não sem o uso da camisinha masculina ou feminina. Sei que carnaval não é sinônimo se sexo, mas é a festa que provoca mais mudanças comportamentais. Vários são os fatores que aumentam a vulnerabilidade das pessoas: é uma festa onde todos se encontram, aumentando a probabilidade, em meio a tanta alegria e descontração, de novos relacionamentos amorosos. Circulando em vários locais da folia, observei que existem pessoas que, talvez pelo efeito das bebidas alcoólicas, perdem a noção do que é risco. Alguns que recebem camisinha transformam o importante insumo de prevenção, em balão. Outros afirmam que no carnaval tudo pode e que nada temem. Apesar de já existir a informação da importância da camisinha e que houve a disponibilização de preservativos nos diversos locais da folia, nem todas as pessoas que deveriam usar, realmente tomaram a atitude de prevenção.

O QUE FAZER AGORA?

Aguardar 30 dias após a última relação sexual sem camisinha e realizar os exames de sangue. Estão disponíveis, em vários municípios, os testes rápidos para triagem da sífilis e diagnóstico do HIV. Em alguns locais (CTA) estão disponíveis os testes rápidos para as hepatites virais B e C.
Com relação ao HIV, já existe a profilaxia pós-exposição sexual através de medicamentos disponíveis em alguns serviços especializados (SAE/Cemar Siqueira Campos), até 72 horas após a última situação de risco (relação sexual sem preservativo).

A realização dos testes rápidos é de grande importância para o diagnóstico precoce e tratamento imediato.

Cada pessoa dever refletir sobre sua vida sexual, não apenas no carnaval, e  suas situações de exposição ao risco de alguma infecção sexualmente transmissível. A reflexão pode levar à mudança de atitude. Atitude para prevenção e realização dos exames.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários