TUCANOS ESPERAM

0

O tucanato está trabalhando individualmente. Candidatos a deputado estadual viajam a vários municípios para fechar suas coligações, independente do comando do partido. Até o momento não existe sinalização de como será feita uma composição e todos acham que a situação do PSDB não é fácil. Quinta-feira passada, de Brasília, o presidente regional Bosco Costa, revelou de forma clara que o seu partido vai trabalhar com muita dificuldade para fazer alianças que elejam uma representação. “A situação não é boa – reconheceu Bosco – o melhor seria o lançamento de uma candidatura própria”.Os membros do PSDB obedecem rigidamente ao ex-governador Albano Franco, mas demonstram um certo e claro descontentamento com o tempo que o partido gastou para iniciar algum tipo de entendimento. “O que vem acontecendo com os tucanos é fruto de comodidade, porque a gente não poderia ter ficado fora das eleições municipais”, reclama um parlamentar.

Dentro de uma análise simples, o PSDB não se preparou para a controvérsia. Imaginou que a queda da verticalização estava definida e todos imaginaram que fariam uma coligação com os partidos da oposição. A continuidade das coligações nacionais foi um “chute nos pulmões” de um partido que não mostrou disposição para enfrentar atos contraditórios e hoje pena em busca de partidos pequenos para formar uma bancada mínima. Há quem critique falta de compreensão e visão partidária: “o presidente do partido, deputado federal Bosco Costa, foi quem mais defendeu uma chapa puro sangue, mas não colocou o dele na reta. Queria que o candidato a governador fosse Albano Franco, enquanto ele não abria de sua candidatura à reeleição”. A mesma fonte perguntou: “por que Bosco não colocou o seu nome para candidato ao Governo do Estado”?

As reuniões que aconteceram na sede do PSDB sempre foram conflitantes, porque não atendiam aos interesses de cada um dos filiados que tenta fixar seu lugar onde está, ou daqueles que estão na luta para ganhar a eleição. Apesar de ser um partido forte, com deputados, prefeitos, vereadores e lideranças firmes do interior, o PSDB não tem o mínimo de fidelidade aos seus candidatos, porque o interior nem sempre está diretamente vinculado à capital e pouco apegado ao que decide a direção estadual. O próprio ex-governador Albano Franco demorou a tomar uma decisão. Apenas insinuava que a intenção era disputar o Senado. Não deu certo. Hoje, obrigado a disputar uma vaga na Câmara Federal, pelo impedimento de fazer uma aliança branca com o PT, Albano Franco vai percorrer vários municípios para tenta fechar com velhos aliados. Ao bater na porta de cada um houve uma resposta lamentosa: “já fechamos com outro candidato. Nosso compromisso com o senhor era para o Senado”.

O PSDB terá apenas cinco candidatos a deputado estadual. Os quatro parlamentares que tentam a reeleição – Ulices Andrade, Fabiano Oliveira, Luiz Mittidieri e Jorge Araújo – mas José Teles de Mendonça. E apenas três disputam a Câmara Federal, Albano Franco, Bosco Costa (reeleição) e Laércio da Multiserv. Há praticamente uma unanimidade que a legenda terá dificuldade para manter o representante em Brasília e haverá uma redução na Assembléia, possivelmente dois candidatos estarão lá. Há uma consciência de que nada será fácil, tanto que um dos candidatos a estadual já disse que poderá disputar uma vaga na Câmara Federal, apenas para dar legenda ao ex-governador Albano Franco. Há dificuldade em fechar um chapão com o PTB, PSB e PL, os três tem apenas um candidato a federal e dentro de uma composição com o PSDB pode deixar de eleger pelo menos dois deles. O senador Valadares, bom em cálculos, já disse que o chapão de partidos da oposição elege apenas dois deputados. Heleno Silva já disse que está fora dessa aliança. Uma pesquisa realizada em seis municípios da região centro sul mostra que em todos eles Albano vai muito bem, entretanto o deputado federal Jackson Barreto fica mal, porque a presença do ex-governador derruba o seu percentual. Os partidos pequenos estão sendo convocados ao sacrifício e se espera um novo chapão puxado pelos tucanos. Pode reduzir o desastre.

 

 

SEGURANÇA

O governador João Alves Filho (PFL) ligou hoje, por volta do meio dia, para o deputado federal João Fontes (PDT), colocando segurança policial à disposição.

João agradeceu e disse que precisava ver como seria isso, porque é deputado federal e tem direito e essa é uma atividade da Polícia Federal.

 

EXPERIÊNCIA

João Alves aconselhou a João Fontes a não facilitar nesse tipo de ameaça, “porque pode ser um blefe, mas o melhor é se prevenir”.

Lembrou que o parlamentar está em campanha, viajando por vários municípios e que a segurança seria prudente. Sugeriu que Fontes escolhesse algum policial de sua confiança.

 

COBRANÇA

João Fontes avisou que, ao lado do deputado Miro Teixeira, vai fazer uma manifestação na Câmara Federal, contra o presidente da Casa, Aldo Rebelo (PCdoB).

Miro Teixeira vai bater duro nessa questão, porque considera que o presidente não adotou nenhuma providência para proteger João Fontes, que foi ameaçado de morte na Câmara.

 

ENVELOPE

João Fontes confirmou que a sua secretária Milena recebeu uma correspondência e quando a abriu havia fezes enroladas em um papel higiênico.

Segundo ele, notícia vazou em razão dos demais deputados. João criticou o presidente da Câmara, que mandou para análise no Instituto Oswaldo Cruz: “vai constatar que é merda”.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) vem trabalhando em sigilo junto a legendas de pequeno porte, para tentar uma coligação que favoreça aos tucanos.

Albano ainda não está divulgado seus contatos, mas sabe-se que ele está se reunindo com membros do PST e do Partido Verde.

 

BOSCO

O presidente regional do PSDB, deputado federal Bosco Costa, mantém sua candidatura à reeleição e defende que o partido saia com candidatura própria a governador.

Em reunião que houve com os aliados, um tucano que Bosco insiste nessa tese, mas em nenhum momento quer ser o candidato a governador.

 

PREOCUPADO

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) demonstra preocupação com a situação do partido, e faz cálculos quanto o coeficiente eleitoral.

Admite que se o partido não fizer uma composição boa com outras legendas, à candidatura proporcional “é suicídio”.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) não fará qualquer concessão que lhe tire a indicação do candidato a vice-governador na chapa de Marcelo Déda (PT).

Valadares é quem faz a coordenação política do prefeito Marcelo Déda e a indicação do vice foi uma reivindicação sua. O nome mais cotado é o de Belivaldo Chagas.

 

MARCOS

O deputado estadual Marcos Franco (PMDB) defende, acima de tudo, a unidade do partido, para que a legenda saia mais forte nas próximas eleições.

Marcos disse que o partido está livre para votar como quiser nos estados, mas em Sergipe é aliado do governador João Alves Filho (PFL). com quem estamos conversando.

 

CANDIDATURA

Marcos Franco vai definir sua candidatura ou não à reeleição este mês e revela que não existe nenhum contato sobre o seu nome para vice-governador.

Acrescenta que o PMDB está precisando fazer uma boa composição para reeleger os atuais parlamentares e eleger outros que estão na disputa.

 

PAIXÃO

O deputado suplente Ivan Paixão (PPS) não terá mais problemas de coligação em Sergipe. É que seu partido resolveu fechar uma aliança com o PSDB.

Ivan estava preocupado porque o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, estava pretendo coligar-se com o PDT para disputar a sucessão presidencial.

 

ULICES

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) está viajando por cidades do interior, fazendo campanha. Ontem à tarde ele esteve em Estância.

Insistiu que está esperando uma decisão do ex-governador Albano Franco e seguirá, rigidamente o que ele anunciar como melhor para a legenda.

 

DETALHES

A coligação entre PFL e PSC é praticamente natural, mas ainda não foi fechada em razão de alguns detalhes que precisam ser solucionados.

Ontem, o empresário José Amorim (PSC) disse que o partido não vai aceitar veto de ninguém. Entende que quanto mais candidato tiver a proporcional, melhor para a coligação.

 

 

Notas

 

APOSENTADORIA-1

O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), deputado João Castelo (PSDB-MA), disse que a elevação do limite de idade para a aposentadoria compulsória dos servidores públicos de União, estados e municípios vai colaborar com o equilíbrio das contas da Previdência Social.
A PEC beneficiará o servidor que não teve condições de assegurar proventos integrais na aposentadoria por tempo de contribuição ou por idade. O servidor terá direito ao provento integral se optar pela aposentadoria aos 75 anos.
 
APOSENTADORIA-2
Instituída há mais de 50 anos, a aposentadoria compulsória aos 70 anos de idade representou uma resposta à expectativa de incapacidade de trabalho, que “justificava uma espécie de regra expulsória, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição ou de serviço”, lembrou o relator.

Hoje, ressalta, o aumento da longevidade e da qualidade de vida do trabalhador ficou evidenciado na necessidade da reforma da Previdência, em mais de um governo, para enfrentar o déficit do sistema.

 

IMAGENS DA CPI

O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) avisou que a oposição vai exibir na TV imagens das comissões parlamentares de inquérito (CPIs) na campanha eleitoral deste ano para que a população brasileira possa refletir sobre o atual governo e tomar uma posição antes de votar em seu candidato a presidente da República.

“A população brasileira terá muito prazer em conhecer os descaminhos da corrupção que acontecem no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Vamos exibir os piores desmandos. O direito de uso da TV será igual”, disse.

 

 

É fogo

 

Morreu ontem o cantor e compositor Ismar Barreto. Ele estava internado há alguns dias no Hospital Cirurgia, aonde vinha recebendo tratamento para um câncer.

A musica sergipana perde um dos seus mais expressivos compositores, autor de jingles nacionais e de músicas que fizeram sucesso em todo país.

 

O ex-deputado estadual Nelson Araújo está internado na UTI do Hospital São Lucas. Passa bem e deve sair ainda hoje para o apartamento.

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) já está à frente da Prefeitura de Aracaju há dois meses. O seu projeto de Governo vai sendo visto lentamente neste momento.

 

O deputado Francisco Gualberto (PT) está propondo a CPI do Cimento. Quer saber porque o produto é vendido mais caro em Aracaju.

 

O deputado Augusto Bezerra (PFL) quer o cimento mais barato em Sergipe, mas antes de assinar a CPI quer ouvir a Sinduscon.

 

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) fez rasgados elogios ao prefeito Edvaldo Nogueira, por ter sancionado a lei que proíbe pagamento de estacionamentos na Unit.

 

O vereador Fábio Henrique disse que muita gente se surpreendeu, porque não acreditava que Edvaldo Nogueira fosse sancionar a lei que proíbe o estacionamento pago.

 

Ontem, em Itaporanga D´Ajuda, a agencia do Banese foi rebatizada de “Manoel Conde Sobral”, que foi deputado por vários anos e um dos presidentes do Banco.

 

Greve dos auditores da Receita Federal e dos Fiscais da Envisa afetou fortemente a economia e fez com que o resultado da balança comercial ficasse fora da curva em maio.

 

A Petrobrás passou a controlar a distribuição de gás no Uruguai, ao assumir a operação técnica da empresa Gaseba.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais