Um ano sem nada

0

A administração do prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), completa um ano sem nada relevante para comemorar. A saúde pública permaneceu precária; embora tenha ficado mais caro, o transporte coletivo não melhorou em nada; ruas e avenidas continuam esburacadas; obras iniciadas no governo anterior seguem inconclusas; e a educação repete o péssimo exemplo de má gestão de governos passados. As mirabolantes promessas de campanha, como o moderno sistema de transporte BRT, foram esquecidas por João Alves. Sem nada para mostrar, o demista alegou que as dívidas deixadas pelo antecessor o impediram de fazer algo de bom nos últimos 12 meses. Engana-se ele se pensa que vai convencer os aracajuanos com esse surrado e demagógico discurso.

Missa de mês

Hoje completa um mês da morte prematura do governador Marcelo Déda (PT). Vítima de um câncer gastrointestinal, ele morreu aos 53 anos de idade, tendo sido substituído no governo pelo vice Jackson Barreto (PMDB). Para marcar a data, será celebrada uma missa às 19h desta quinta-feira na Igreja São José, em Aracaju.

Lembra Déda

Mesmo sem citar o nome de Marcelo Déda (PT), o governador Jackson Barreto (PMDB) faz referência ao petista na mensagem de Ano Novo exibida na televisão. Em certo momento, o peemedebista afirma: “Vidas que se vão, deixando na gente uma eterna saudade". Mais adiante, Jackson trata sobre as ações do governo e lembra que “o caminho já foi aberto, só basta seguir em frente", numa referência às iniciativas do antecessor Marcelo Déda.

Simulador

A partir de agora, quem for tirar carteira de motorista na categoria B terá que usar o simulador de direção. Só depois poderá fazer as aulas práticas. A exigência do Conselho Nacional de Trânsito tem por objetivo complementar a formação dos motoristas. A nova regra, em vigor terça-feira passada, prevê que após as aulas teóricas o aluno deve treinar cinco horas no simulador de direção.

Novo mínimo

Está em vigor desde ontem o novo salário mínimo de R$ 724. O valor é 6,78% superior aos R$ 678 pagos até o mês passado. A Constituição Federal estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, mas isso não acontece. Segundo o Dieese, os R$ 724 são suficientes apenas para a compra de 2,23 cestas básicas. Uma ninharia, né?

Está de olho

A empresa italiana Pirelli pensa em instalar uma fábrica em Sergipe. Pelo menos foi o informou o diretor de relações institucionais da multinacional para a  América do Sul, Mário Batista. Em carta a Saumíneo Nascimento, secretário do Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, o executivo disse que pretende visitar Sergipe nos próximos meses para tratar sobre a possível implantação de uma unidade da Pirelli no estado.

Mudanças

O governador Jackson Barreto (PMDB) deve se reunir, a partir de segunda-feira, com lideranças políticas para tratar sobre as mudanças que fará no secretariado. Além dos auxiliares que deixarão os cargos para disputar as eleições de outubro, Jackson pretende substituir aqueles que não se afinam com seu jeito de governar. Aguardemos, portanto!

Feira de Sergipe

O Sebrae começa o ano preparando a 15ª edição da Feira de Sergipe, que acontece de 11 a 26 próximo na Praça de Eventos da Orla de Atalaia, em Aracaju. O evento objetiva destacar a cultura sergipana, o artesanato, pequenos negócios e a economia criativa. A Feira é uma excelente vitrine para quem está expondo, deseja firmar novas parcerias comerciais e realizar negócios. Prestigie!

Proibida

A realização de enquetes e sondagens relativas às eleições deste ano estão proibidas, e desde ontem é obrigatório o registro de pesquisa política no Tribunal Regional Eleitoral. Os dados da consulta popular ficarão à disposição de qualquer interessado pelo prazo de 30 dias nos sites dos tribunais eleitorais. A divulgação de pesquisa sem o prévio registro das informações exigidas sujeita os responsáveis à multa no valor de cerca de R$ 53 mil a R$ 106 mil.

Do baú político

Opositores exagerados do ex-governador Lourival Baptista o acusavam de colocar o próprio nome em todas as obras que fez no Estado e citavam logo o Batistão, o Conjunto residencial Lourival Baptista, na entrada de Aracaju, escolas, etc e tal. Pacífico, o arenista relevava as ‘intrigas da oposição’, mas enchia o peito quando seus aliados o chamavam de ‘realizador’. Na época dizia-se que ele só não colocou o nome em catacumba, numa referência à carneira do deputado estadual Antônio Torres Júnior, assassinado, em 21 de dezembro de 1967, por um desafeto da família em pleno centro de Aracaju. É que Lourival decidiu homenagear o amigo parlamentar com a construção, pelo governo estadual, da carneira no Cemitério Santa Izabel. De fato, tá lá escrito no túmulo, ao lado da Capelinha: “Do Governo do Estado de Sergipe, ao seu grande líder na Assembléia Legislativa, deputado Antônio Torres Júnior”. Dizem que, por ser supersticioso, Lourival não quis colocar o próprio nome na lápide do amigo.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais