Um poema especial (*)

0

Ao terminar mais um ano de intensas atividades e, principalmente, pela alegria de ter um espaço para falar de processo criativo e criatividade, quero deixar, para todos, esse poema muito sábio da Sara Mengel.

 

SOLTANDO

Sara Mengel

Você vê uma borboleta e a toma em suas mãos.

Você vê a sua beleza e a coloca em seu coração.

Desejando mantê-la consigo, você fecha as suas mãos

em torno dela, com receio de que voe e se vá.

Com grande alegria você pensa, “agora posso tê-la para sempre”.

Logo a alegria se vai, pois a beleza não é mais a mesma.

Parte da sua beleza era a sua liberdade!

A borboleta sente-se traída.

Alguma coisa cruel afastou-a de sua liberdade

Em pânico ela se debate para libertar-se

Apenas, fazendo você apertá-la mais forte.

Percebendo como a borboleta deve estar sentindo você abre as suas mãos.

Ela voa novamente para longe

Agradecida por sentir-se livre outra vez.

Você pensa em palavras que há muito havia esquecido:

Se você ama alguma coisa – deixe-a livre

SE VOLTAR É SUA

SE NÃO VOLTAR – NUNCA FOI.

 

 

(*) Fernando Viana

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais