Um pronunciamento à Al Jazeera, por Gleisi

0

Nenhum noticiário das redes de televisão no Brasil, noticiou o pronunciamento da Senadora Gleisi Hoffman, Presidente do PT, feito para a emissora Al Jazeera, porta-voz do mundo árabe para o restante  do mundo.  Em pouco mais de cinco minutos, ela faz uma provocação ao mundo árabe, falando da amizade que unia o ex-presidente Lula aos dirigentes árabes e aos povos daquelas nações. Lula agora, segundo ela, está preso e é um preso político, porque sua condenação teria se dado num processo onde se abundam acusações e faltam provas. A conclamação de Gleisi foi  interpretada como um convite para que o Estado Islâmico venha ao país salvar Lula dos seus opressores.  Os grandes jornais do país – “Folha”, “O Estado de São Paulo”, “Jornal do Brasil”, “O Globo” em suas edições de ontem ignoraram a fala de Gleisi, o mesmo acontecendo com o “Jornal Nacional”, o tele-jornal da Record, os noticiosos da Band News, SBT, até o Canal 40, omitiram a informação. Mas, quem acompanha o face-book inteirou-se do pronunciamento, e a partir daí ocorreram uma série de pronunciamento condenando a fala de Gleisi Hoffman. Um site noticioso chegou a dizer que a Presidente do PT está “maluca”, com o incentivo dado por ela para que o país sofra uma intervenção do Estado Islâmico. Tanto que o Conselho de Ética do Senado reuniu-se ontem para debater se era o caso de levar a Senadora a responder pela falta de ética e qual a punição exata para ela. O Senador Lindberg Farias praticamente não deixou a sessão ter continuidade. O jornalista William Waack, deixando o seu retiro, fez um pronunciamento contra as declarações de Gleisi Hoffman. A Senadora Ana Amélia também posicionou-se contra  Gleisi. E por aí vai… Aqui em Sergipe não houve, pelo menos oficialmente, nenhuma tomada de posição, mas também os veículos impressos, as rádios e as televisões ignoraram o que já estava sendo comum no face-book. A escritora Ana Medina lamentou a falta de patriotismo da Presidente do PT para condenar a sua fala à Al Jazeeta. Desde que se tornou presidente do PT, há alguns meses, Gleisi Hoffman anda incontrolável. Os seus discursos  desancam a Justiça brasileira, principalmente o Juiz Sérgio Moro. Parece não ser só a defesa de um companheiro de partido, mas de alguém que representa para ela muito mais que isso…

Algo sem propósito e absurdo

Mesmo deixando de considerar os seus casos de envolvimento com a corrupção, a prática criminosa de outros delitos tem se tornado coisa rotineira no dia-a-dia da Senadora. É o caso do vídeo que gravou para a TV Al Jazeera, algo totalmente sem propósito e absurdo. Uma verdadeira incitação ao mundo área. O site Diário do Brasil fez um levantamento dos crimes cometidos por Gleisi contra a Lei de Segurança Nacional, “com o seu infame pedido de socorro”. O art. 6º. – Entrar em entendimento ou negociação com governo estrangeiro ou seus agentes, a fim de provocar guerra ou atos de hostilidade contra o Brasil” – prevê pena de reclusão de 2 a 15 anos. O art. 14 também pode ser usado contra ela: “Divulgar por qualquer meio  de comunicação social, notícia falsa, tendenciosa ou fato verdadeiro truncado ou deturpado de modo a indispor ou tentar indispor o povo com as autoridades constituídas”. Pena: detenção de 6 meses a dois anos.

Uma brincadeira com a Senadora

A brincadeira abaixo com a Senadora Gleisi Hoffman não deixa de ser interessante. Passa os olhos para você ver: a Senadora acha que algum guerreiro do povo brasileiro deve ter se infiltrado em laboratórios multinacionais  porque em todo eles consta o aviso: “Vide Lula”. “Mas Senadora será que não é vide bula?” E ela responde: Será?  Não é possível. Esses laboratórios  multinacionais, capitalistas, neoliberais, exploradores do povo…. Mas pelo menos tem um restaurante no Rio, que faz no letreiro uma campanha linda pro presidente Lula voltar. “A senhora está falando do Gula Gula?” Não acredito que a indústria alimentícia exploradora da fome também está de sacanagem comigo. (…) “Que coisa linda! A televisão politizada, como se o controle da mídia já fosse uma realidade em nosso país, passando um desenho ideológico e doutrinário”. “É o show da Luna”. E Gleisi: “Maldita TV Globo”. E o repórter: “E passa na TV Brasil, que aliás é um canal estatal”.

Indústria ceramista

As transformações vivenciadas pelo mercado da construção civil nos últimos anos e o seu impacto sobre a indústria ceramista foram tema de um workshop que reuniu empreendedores do setor na capital. O evento, além de debater temas de interesse nessa cadeia produtiva buscou estimular a troca de experiências entre os participantes e a realização de novas parcerias comerciais. O encontro contou com uma programação que incluiu palestra sobre normas técnicas, tecnologia e automação para a indústria de cerâmica, sustentabilidade, inovação e sistemas de energia solar, além de uma exposição de máquinas e equipamentos. O workshop foi promovido por meio de uma parceria entre o Sebrae, o Sindicato da Indústria Ceramista de Sergipe e a Progresso Consultoria. Um dos principais assuntos discutidos durante o evento foi a necessidade de aumento da competitividade  da indústria de cerâmica diante da crise econômica e a substituição do tijolo por outros produtos nas edificações que tem dificultado o crescimento do setor.

Calçadão com novas lojas

Sabe o primeiro trecho do Calçadão da João pessoa, aquele que começa na porta do antigo Cine Palace e se estende até a rua de Laranjeiras? Antes visto como o patinho feio do comércio central da cidade, está se preparando para ressurgir com todo o esplendor. O trecho vai ganhar nada menos que seis lojas novas, inclusive as instalações da antiga loja “A Moda” que fazia sucesso nos anos 50 a 70. O espaço foi afinal alugado – dizem que por 20 mil reais ao mês – e vai ressurgir tão belo e competitivo como antes. O experiente corretor de imóveis Erotildes Araújo garante que nenhuma loja será mais bela que a nova Esplanada que está em fase de conclusão de reforma do prédio. As demais lojas são mais modestas, mas de qualquer forma tem alguma novidade no pedaço. É esperar mais um ou dois meses para ver como ficará o primeiro trecho do primeiro Calçadão que a cidade teve. Agora, um pedido ao Prefeito Edvaldo Nogueira: indique um órgão da Prefeitura para fazer reparos no piso de toda extensão do Calçadão. O que tem de buracos, desníveis e pedras soltas não está no gibi.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários