UNICRED ARACAJU – 10 ANOS DE SUCESSO

0

PRIMEIRA PARTE – De Nova Petrópolis a Aracaju

Em setembro de 2008 a Unicred Aracaju vai comemorar seu 10º aniversário de fundação. A assembléia de instalação da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Médicos de Aracaju aconteceu em 15 de setembro de 1998, com a presença de 25 médicos que assinaram a ata de fundação. Dois meses depois, o Banco Central autorizou o seu funcionamento e em 1º de julho de 1999 a Unicred iniciou as suas atividades bancárias. O seu primeiro presidente foi o médico Carlos Alberto Mendonça, então presidente da Unimed Aracaju, mas podemos atribuir de fato a sua fundação a um triunvirato formado pelos médicos José Sérvulo Sampaio Nunes, Jorge Viana e Virginia Barreto, com o total e irrestrito apoio da Unimed.

Contando hoje com mais de mil correntistas e um crescimento expressivo ao longo desta década, a Unicred se consolida a cada dia como um banco seguro e confiável. O crescimento progressivo do Capital Social e do Patrimônio Líquido da empresa é uma conseqüência direta da capacidade de gerar resultado e reflete a confiança que a Unicred conseguiu por parte de seus cooperados, uma parte em função da integralização compulsória e, principalmente, pela integralização espontânea que vem apresentando índices satisfatórios de crescimento.

Além de médicos, outros profissionais de saúde integram a cooperativa, além de empresas que prestam serviços nessa área. Possui sede na Rua Duque de Caxias, 469, na esquina com a Rua Dom José Thomaz, no Bairro São José.

A origem do cooperativismo remonta ao ano de 1844, quando tecelões ingleses, da região de Rochdale, um bairro de Manchester, fundaram a primeira instituição cooperativista do mundo, a “Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale”, inicialmente formado por um armazém que oferecia aos seus associados gêneros de  primeira necessidade e outros serviços de ordem econômico-social. Estava lançada a semente. Com objetivos claros e eticamente discutidos, esses trabalhadores conseguiram economizar, em um ano, 28 libras e criaram uma sociedade que atuaria no mercado, tendo o homem como principal finalidade – e não o lucro. No ano seguinte, o capital da empresa aumentou para 180 libras e cerca de dez anos mais tarde o “Armazém de Rochdale” já contava com 1400 cooperantes.

Os valores de ajuda mútua e igualdade de direitos e deveres cultivados pelos tecelões ingleses são tão fundamentais que, mesmo passados mais de cem anos, permanecem como o cerne desse movimento que se expandiu pelo mundo através dos tempos e em diferentes campos da atividade humana. 

O primeiro registro de organização dos trabalhadores em torno de uma cooperativa de crédito no Brasil está assentado nas terras gaúchas. Em 1858 foi fundada a Colônia Imperial Nova Petrópolis, como terceiro distrito do município de São Sebastião do Caí. Na sede do distrito, no chamado “Stadplatz”, foram instalados os imigrantes teutos originários de Hunrück (região da Alemanha), todos evangélicos, e na cidade de Linha Imperial, cerca de 7 quilômetros adiante no chamado Kaiserthal, os vindos da Boêmia, todos católicos. A colônia não recebeu o apoio prometido pelo governo e, abandonados a própria sorte os moradores não conseguiram organizar-se convenientemente. O atendimento espiritual era feito em visitas periódicas por religiosos itinerantes.

Um destes religiosos era o padre jesuíta Theodor Amstad (1851-1938), suíço de língua alemã e que veio ao Brasil em 1885 para ser vigário-cooperador de São Sebastião do Caí e São José do Hortêncio e como tal, cabia-lhe atender entre outras a comunidade de Linha Imperial. Com essas visitas regulares, ele pôde conhecer cada vez mais os membros da comunidade e seus problemas, percebendo logo que eles necessitavam de urgente assistência social e econômica. O padre era um homem muito organizado e elaborou um completo fichário dos moradores da região. Por este fichário pôde verificar, em certo momento, que a parte espiritual da comunidade estava relativamente bem atendida, mas, a parte econômica ia muito mal. Para ele, a melhor forma de ajudar o indivíduo era congregá-lo em grupos e com esse objetivo organizou na região diversas associações. Uma delas foi a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad de Nova Petrópolis, a primeira Cooperativa de Crédito do Brasil e a mais antiga em funcionamento das Américas, fundada em 28 de dezembro de 1902 com a presença de 20 pessoas que assinaram a ata, entre elas, naturalmente, o Padre Amstad e que, após troca sucessiva de nomes ao longo da história, ficou conhecida nos dias de hoje como o sistema SICREDI.

De Nova Petrópolis a Aracaju,  96 anos nos separam no tempo e nos aproximam nos ideais.  A fundação da Unicred Aracaju, seus primeiros passos, obstáculos, entraves e indiferenças poderão ser lidos na segunda parte desta reportagem, que será publicada na próxima semana.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários