Velho remédio

0

O governo de Sergipe recorreu à velha prática de reduzir as despesas de custeio para enxugar a máquina administrativa. Pela previsão, as medidas anunciadas ontem vão economizar R$ 80 milhões/ano. Não se nega que, como primeiro passo, a redução das despesas é importante, mas apenas ela não estanca a crise econômica do Executivo. Aliás, se tivesse uma política consistente de arrecadação e combate à sonegação tributária, modernizasse a máquina administrativa e não assumisse despesas alheias, como o pagamento da folha de inativos dos outros poderes, o governo arrecadaria bem mais e gastaria bem menos. Portanto, o enxugamento anunciado ontem é um velho e bom remédio, porém já está provado que somente esta providência não solucionará o grave problema de caixa vivido pelo estado.

Vai recorrer

A deputada estadual Susana Azevedo (PSC) festejou ontem a decisão do Tribunal de Justiça legitimando-a como conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Ela foi eleita para o cargo pela Assembléia Legislativa, mas seu concorrente, o ex-deputado Belivaldo Chagas, recorreu contra a escolha. Ontem, Chagas já anunciou que contestará no Supremo a decisão do TJ.

Voto impresso

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucional o artigo 5º da minirreforma eleitoral de 2009, que criou voto impresso nas eleições. A idéia era que os votos impressos ajudassem nas auditorias sobre o funcionamento das urnas eletrônicas, uma vez que seriam um parâmetro de conferência para os boletins de urna. Os ministros do STF entenderem, contudo, que a regra coloca em risco o processo eleitoral ao quebrar o sigilo do voto, além de permitir a coação do eleitor.

Concurso

O Ministério Público ajuizou Ação Civil Pública propondo que o governo estadual seja obrigado a realizar concurso público para selecionar novos policiais militares. O MP deseja que o concurso ocorra em 90 dias e preencha todos os cargos vagos da Polícia Militar. Há muito tempo o Executivo alega falta de recursos para aumentar o efetivo da PM.

Rolo compressor

A bancada governista na Câmara de Aracaju rejeitou emenda à Lei Orgânica que aumentava o prazo para os vereadores analisarem as planilhas de custo das empresas de ônibus. Pela proposta do petista Iran Barbosa, em vez de um dia, o Parlamento teria 30 dias para avaliar as informações das concessionárias. Os vereadores governistas não quiseram nem discutir a emenda. Simplesmente a rejeitaram. Por que será?

Braços cruzados

E hoje não tem aula nas escolas da rede estadual. É que os professores decidiram trocar a sala de aula por uma manifestação em frente ao Palácio do Governo para pressioná-lo a pagar o retroativo referente ao reajuste salarial da categoria. Eles querem receber retroativamente desde 2012. Hoje à tarde, o governador Jackson Barretro (PMDB) recebe uma comissão de professores.

Sergipanidade

Acontece hoje no campus da Universidade Federal de Sergipe um debate sobre a polêmica ideia de sergipanidade. Organizado pelo professor Dênio Azevedo, um especialista no assunto, o evento faz parte do programa da I Semana Acadêmico-Cultural da UFS. Participarão do debate, marcado para as 14h no auditório do CCET, os professores Marcos Lima, Ézio Déda, Antônio Bittencourt e Afonso Nascimento.

Sem Polícia

Vários municípios sergipanos não contam com um único soldado da Polícia Militar. A segurança da população é feita, de vez em quando, por policiais de cidades vizinhas. Sabendo disso, os bandidos estão fazendo a festa, explodindo caixas eletrônicos e praticando tiro ao alvo nas portas das delegacias. Que tal as Prefeituras contratarem vigilância particular armada para proteger o povo?

Web grátis

O deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD) quer ver seus conterrâneos cada vez mais antenados com o mundo. Neste sentido, ele apresentou indicação na Assembléia propondo ao governo estadual que implante o sistema gratuito de internet Wi-Fi nas praças da Piedade, da Caixa D'água e Filomeno Hora, todas localizadas no centro de Lagarto.

Bloco político

O PP e o PROS formalizaram ontem a criação de um bloco partidário na Câmara dos Deputados. Batizado de Agenda Programática, o novo bloco terá a terceira maior bancada da Câmara, com 63 deputados, ficando atrás apenas do PT, que tem 88 representantes, e do PMDB, que tem 76. Em Sergipe, o PP e o PROS são comandados respectivamente pelo deputado estadual oposicionista Venâncio Fonseca e pelo governista Clóvis Silveira.

Dá-lhe Mengão

A urubuzada segue festejando a passagem do Megão para a final da Copa do Brasil. Jogando no Maracanã, o Flamengo voltou a derrotar o Goiás por 2 a 1. Agora, o time rubro-negro vai enfrentar o Atlético Paranaense para, caso se saia melhor nos dois confrontos, sagrar-se campeão e garantir uma vaga na Libertadores.

Do baú político

Essa polêmica em torno da Zona de Expansão de Aracaju, que a Justiça considera como território de São Cristóvão, lembra um episódio político ocorrido no século passado. Em 1959, por pouco a Assembléia Legislativa não aprova a emancipação política do bairro Atalaia. O professor Ariosvaldo Figueiredo, em seu livro História Política de Sergipe – volune 4 – conta que o deputado estadual Nepoleão Dória (UDN) apresentou um projeto criando o município de Atalaia. Com o apoio do vereador aracajuano João Alves Bezerra, o parlamentar udenista fez grande lobby para aprovar a proposta, tendo convencido alguns colegas de que a idéia era genial, embora não apresentasse argumentos que justificassem a separação territorial. Escolhido para relatar a matéria, o deputado Celso de Carvalho (PSD) elaborou um consistente parecer mostrando o absurdo da proposta, tendo conseguido o apoio da maioria dos parlamentares, que reprovaram o projeto de Napoleão Dória. E desde então, nunca mais se falou nisso.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários