Venda Arquidiocesano: mobilização chegará ao Papa. Transparência Já!

0

                     Blog Cláudio Nunes: a serviço da verdade e da justiça
“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Um grupo de católicos de Sergipe está se mobilizando para fazer chegar ao Papa Francisco a indignação com a destruição do patrimônio da arquidiocese de Aracaju com a consequente venda do colégio arquidiocesano e a preocupante e inconsequente demissão dos seus funcionários em plena pandemia da covid-19.

São inúmeras famílias que ficarão desamparadas com a perda do trabalho. São pessoas que dependem do emprego do Arqui para sustentar seus familiares. Quem quiser colaborar pode ligar e escrever para a Nunciatura Apostólica em Brasília, que é a representação oficial do Papa no Brasil, através do telefone (61) 3223-0794 ou do e-mail nunapost@solar.com.br

Transparência é bom

Em tempos de Papa Francisco, que é intolerante com a falta de transparência nos negócios da Igreja Católica, os fiéis católicos sergipanos estão exigindo do arcebispo de Aracaju, João Costa, transparência nas informações sobre a venda do colégio arquidiocesano.

O Arqui funcionou durante 61 anos, mas, coincidentemente, só foi ter problema no bispado de João Costa. “Não venha falar de agravamento por causa da pandemia, pois os outros colégios também enfrentaram os mesmos problemas e não foram vendidos nem, tampouco, fecharam as suas portas”, disse um leigo, dando como exemplo um próprio colégio católico administrado pela Congregação das Irmãs Terezinhas, o Instituto Dom Fernando Gomes, no Bairro Siqueira Campos. O Instituto passou recentemente por uma reforma na fachada com um novo aspecto exterior de maior modernidade, projetando-o como uma das melhores escolas do Estado. Hoje, possui mais de 2000 alunos, distribuídos em 33 salas de aula, com circuito interno de TV e condicionador de ar.

Ou seja, mesmo com a pandemia o instituto católico tem Gestão, o que falta no atual arcebispo de Aracaju.

Nessa transparência, precisa ser divulgado também os valores dessa negociação e, principalmente, como serão aplicados os recursos auferidos com a mesma. Transparência já!

Homenagem para toda Família arquidiocesana: a música que tocava no intervalo das aulas (Por João Fontes)


   
Dica de uma leitora  O blog deixa a dica que uma sábia e atenta leitora escreveu: “quando alguém de alguma paróquia de área nobre da arquidiocese de Aracaju, a exemplo da paróquia Jesus Ressuscitado, na 13 de julho, pedir ajuda financeira para a igreja, não colabore. Lembre-se de milhões de reais da venda do colégio arquidiocesano que deixarão os cofres da arquidiocese abarrotados de dinheiro”.

 


SE: a Arquidiocese de AJU está nadando em dinheiro Segundo o NENotícias, o prédio do Colégio Arquidiocesano (Bairro São José), foi vendido para o grupo Hap Vida. Por quanto milhões foi vendido? Qual o motivo de dilapidar o patrimônio da Igreja em SE? A quem interessa encher os cofres com milhões? Aqui:
https://www.nenoticias.com.br/urgente-hapvida-compra-o-arquidiocesano/

 

 

Picolé de graviola Ganha uma picolé de graviola – com permissão do grande radialista esportivo Wellington Elias – quem descobrir o autor da frase: “o que não dá lucro, eu fecho.”

 

 

 

 



Homenagem do ex-aluno e ex-professor do Colégio Arquidiocesano, João Fontes, ao padre Carvalho. Vale à pena conferir essa mensagem: https://www.facebook.com/100008732415209/posts/2639957602971961/

 

 


Quem fiscaliza o recapeamento asfáltico que vem sendo feito pelo governo nas rodovias? Em Sergipe del Rey, salvo raríssimas exceções, as autoridades fiscalizadoras – que transitam também pelas rodovias – esquecem de fiscalizarem as obras. Por exemplo: a segunda etapa da Rodovia Indústria, o trecho do Distrito Industrial de Socorro e a Rodovia Lauro Porto, em direção a BR 235, pelo Bugio, estão horríveis, mesmo com pouco tempo da obra realizada. Quem fiscaliza? Quem pune a empresa responsável e também o gestor? Aliás, a Avenida Melício Machado, cujo recapeamento foi feito há poucas semanas em alguns trechos, já está com ondulações e princípios de buracos. Que asfalto é esse que não aguenta chuva? Com a palavra os fiscalizadores responsáveis. Ou não!

Agenda cheia E continuando a agenda cheia desta semana em Sergipe, o deputado federal Laércio Oliveira (PP), esteve pela manhã ontem , 28, em Riachuelo onde foi recebido pelo prefeito de Riachuelo, Petinho de João Grande, e

Laércio em reunião com o prefeito de Maruim, Gilberto Maynard e assessores.

pelo secretário de Governo, Emerson Araújo, onde discutiram sobre emendas para o município e outras demandas. Já em Divina Pastora ele foi recebido pela prefeita Clara Rollemberg, o vice-prefeito José Arodo Santos, e o secretário de Finanças, Matheus Cruz. O parlamentar conversou com a prefeita e com os secretários para saber quais são as principais demandas do município. Também falou sobre as eleições de 2022. Encerrando a agenda Laércio Oliveira fez uma visita ao prefeito de Maruim, Gilberto Maynard, que estava acompanhado do secretário de obras e ex-vereador Silvano Correia; secretário de segurança pública municipal, Eduardo Rodrigues; e secretário executivo, Cleidiane Joaquim. Foram discutidas ações para o desenvolvimento do município.

 

Lançamento oficial 10ª edição da Revista Advogados  E foi lançada, oficialmente, na noite da última terça-feira, 27, a edição número 10 da Revista Advogados, editada pela Remacre Comunicação, que tem como diretor executivo Clóvis Munaretto. O lançamento – para poucos convidados, de acordo com os protocolos de biossegurança exigidos pelo decreto estadual – foi no Espaço Lord do Bairro 13 de Julho e reuniu nomes da advocacia de Sergipe e também amigos e familiares do homenageado, o reitor Jouberto Uchôa e os 40 anos do curso de direito da Unit tendo como maior fomentador o reitor Jouberto Uchôa. Além da entrevista principal com o reitor Jouberto Uchôa e uma matéria contando um pouco da história da Unit, a nova edição destaca uma matéria sobre as Eleições OAB/SE 2021 e artigos de opinião, como o do renomado advogado Eduardo Ribeiro, que assina “Cinco anos do Código de Processo Civil”, entre outros. Confira aqui a edição digital:REVISTA ADVOGADOS ed. 10 (web)

Estância: Zona Rural irá ganhar novas pontes em concreto Estância possui grandes extensões de estradas que cortam a zona rural, cerca de 15% da população habita no campo, a prefeitura tem atendido com precisão as demandas que ora suscitam na referida região. As pontes da Biriba-l e do Povoado Taquary, bem como bueiros celulares em concreto estão na iminência de terem as ordens de serviços autorizadas. Os processos licitatórios estão na fase de homologação. Na última terça-feira, 27, o prefeito Gilson Andrade, o vice-prefeito André Graça e o diretor de Estradas Albertino Fonseca, fizeram uma vistoria às áreas que irão receber os serviços supracitados. O acesso às Caraíbas, via Muculanduba, é um dos locais que será dotado de bueiro celular em concreto, bem como outras vias da zona rural.


Jalagipe 2021 Já estão abertas as inscrições para a Jornada de Anestesiologia de Alagoas e Sergipe (Jalagipe 2021), que, nesta edição, acontecerá no Hotel Vidam, na capital sergipana, no período de 26 a 28 de agosto. Com o tema central “Enfrentando desafios nos reinventamos”, o evento científico é dirigido a profissionais e estudantes de Medicina. Mais informações sobre a jornada podem ser obtidas através do telefone (79) 99984-8464.




ProjetarSE fará os projetos urbanísticos para a construção da orla e do atracadouro, um sonho antigo da população santanense Fomentar o crescimento regional do Estado propiciando geração de emprego, renda e bem-estar para os sergipanos. Este é um dos focos do Banese enquanto agente promotor de desenvolvimento e, dentro deste viés, o banco, em parceria com o governo do Estado criou o ProjetarSE, que tem como objetivo oferecer aos municípios sergipanos, de maneira totalmente gratuita, apoio técnico especializado e soluções inovadoras em projetos de obras públicas.

Projetos Um dos municípios que será contemplado pela ação é Santana do São Francisco, localizado a 120 quilômetros de Aracaju. O ProjetarSE confeccionará os projetos urbanísticos para a criação de dois equipamentos na sede da cidade: a orla do Rio São Francisco, com extensão aproximada de 600 metros, e o atracadouro. As duas obras têm como objetivo principal fazer com que o turismo seja ativado em Santana e passe a gerar emprego e renda de maneira perene, além de fazer com que o artesanato local ganhe ainda mais visibilidade. Para conhecer mais detalhes da região, equipes do Banese e do ProjetarSE realizaram visita ao município. Na comitiva estavam presentes a gerente da Área de Relacionamento com Governos, Taís Rios; o gerente da agência do município de Neópolis, Edinaldo Silva; a gerente geral, Gicelma Menezes; e a coordenadora geral do ProjetarSE, Shirley Dantas.

Reconhecimento técnico “Após uma primeira visita do prefeito Ricardo Roriz à Casa da Gente foi a vez da equipe do ProjetarSE ir a Santana do São Francisco, e fazer o reconhecimento técnico do local. O projeto será elaborado pela nossa assessoria a pedido da gestão municipal, em um direcionamento de esforços para o incremento do turismo na região”, explica Shirley Dantas. O grupo foi recebido pelo prefeito Ricardo Roriz, pela primeira-dama Renata Roriz e por secretários municipais. “O turismo que temos hoje em Santana é o que chamo de domiciliar, ou seja, que é praticado apenas por pessoas que vêm passar um dia e depois vão embora. Com a construção da orla e do atracadouro, e depois, do calçadão e da orla do povoado Saúde, que estará a cargo da gestão municipal, nossa expectativa é de que entremos no roteiro turístico de Sergipe”, comenta o prefeito.

Turistas De acordo com ele, outro desafio para o futuro será conseguir implantar na cidade infraestrutura adequada para receber grande volume de turistas, a exemplo de uma rede de hotelaria. O gestor enfatiza que a região tem muito a oferecer aos turistas, potencial que é extremamente subutilizado atualmente. Ricardo Roriz enaltece a parceria com o Banese e reconhece o valor da instituição para o desenvolvimento de Sergipe. “O banco tem uma importância enorme, creio que maior até que outros, porque está apoiando projetos para que os municípios possam crescer, algo que muitas prefeituras não têm condições financeiras para fazer. Somos o município mais pobre do Estado, precisamos de ajuda, e agradecemos muito ao Banese por possibilitar-nos que um sonho antigo se torne realidade”, declara Ricardo Roriz.

Emprego e renda Para a gerente da Área de Relacionamento com Governos, Taís Rios, alavancar o desenvolvimento do estado de Sergipe através da realização de projetos de obras públicas que ajudarão a gerar emprego, renda e bem-estar para a população, também faz parte do planejamento estratégico do banco. “Um dos focos do Banese é possibilitar o crescimento do Estado, por isso, damos apoio a diversas áreas produtivas para que aqueçam a economia local, e não somente por meio da oferta de crédito. O ProjetarSE é um belo exemplo disso”, observa Taís Rios.

Sergas doa à comunidade do Conjunto Augusto Franco dois abrigos para ponto de ônibus Com o objetivo de participar e contribuir para minorar dificuldades enfrentadas pela coletividade, atuando em diversas áreas de alcance social no estado de Sergipe, a Sergas construiu e instalou dois abrigos para ponto de ônibus no Conjunto Residencial Augusto Franco, mais precisamente na Avenida José Carlos Silva, em frente ao mercado municipal Vereador Milton Santos, e na rua Promotor Joaquim Valença “A3”. Os abrigos trazem melhorias, conforto e segurança à população aracajuana daquela região.

Demandas Segundo o diretor-presidente da Sergas, Valmor Barbosa, as atitudes de cunho social tomadas pela Sergas, reflete a preocupação também do Governo do Estado em atender demandas, levar segurança e oferecer mais conforto às pessoas que utilizam o transporte público na capital. “O material usado é ecológico, de madeira plantada, com bancos e tetos, o que irá colaborar para maior conforto e segurança dos usuários do sistema de transporte público na capital”, explica.

Doação Segundo Valmor Barbosa, a Companhia procurou a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju (SMTT) e propôs a doação. “Mostramos o projeto inovador, natural e ecologicamente correto, que dialoga com a cidade de Aracaju, o que de pronto nos foi atendido o pleito e celebrado o convênio entre o órgão regulador do transporte público e a Sergas. Executamos o projeto e hoje estamos entregando à comunidade de Aracaju”, completa Valmor Barbosa.

Benefício da coletividade Para o usuário do sistema de transporte público, Ronald Campos, é muito importante esse tipo de visão empresarial, na qual o privado soma-se com o público em benefício da coletividade. “Um ponto de ônibus com cobertura, além de proteger do sol e da chuva, facilita a visualização por parte do motorista do ônibus, porque o ponto sem uma cobertura, às vezes os motoristas passam direto, e até para o próprio usuário é melhor de identificar que naquele determinado local existe um ponto de ônibus a certa distância. Eu que utilizo o transporte público há muitos anos vejo esse novo ponto como de grande valia, e estou muito contente com essa iniciativa da Sergas em patrocinar um local de tão boa qualidade e bom gosto para nossa utilização”.

Iniciativa Para o coordenador do Mercado Municipal Vereador Milton Santos, Manoel Messias, “a Sergas está de parabéns pela iniciativa em construir e instalar esses pontos de ônibus para os usuários, o que demonstra a sensibilidade da direção da companhia, aliviando o sofrimento das pessoas ficarem em pé e sujeitas as intempéries do tempo. Volto a parabenizar a Sergas e a SMTT pelo convênio firmado, o qual beneficia a população e atende a uma reivindicação antiga dos usuários”, frisa.

SMTT O superintendente Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju, Renato Telles, por sua vez, considera uma parceria relevante, pois contribui para o trabalho de reposição e substituição dos abrigos que vem sendo realizado pelo município. “O modelo de doação de abrigos de ônibus realizado pela Sergas nessa ocasião, já existe em Aracaju, e outras empresas já contribuíram, nesse sentido, com o sistema de transporte público da cidade. A iniciativa da Sergas se soma a outras que colaboram com o bem-estar da população que utiliza o serviço. A doação de abrigos de ônibus contribui para a melhoria do serviço prestado à população”, finaliza.

O blog espera que a SMTT cumpra a sua parte e multe os motoristas que insistem – principalmente aos sábados e domingos – em estacionarem no local do ponto de ônibus. O blog vai fiscalizar!



Nota Pública

O Centro Médico do Trabalhador (CMT) lamenta profundamente a ocorrência do incêndio que atingiu a sala de prescrição médica do Hospital Nestor Piva na data de 28 de maio de 2021, instituição essa que realiza cerca de 13 mil atendimentos mensais em favor da população não somente de Aracaju, mas advinda de todo o estado de Sergipe.

Cumpre esclarecer que desde a ocorrência da fatalidade e durante o curso do procedimento instaurado pelo Corpo de Bombeiros do Estado de Sergipe, a CMT vem colaborando com as autoridades, sempre prestando informações, encaminhando documentos e tudo o mais que se fez necessário para contribuir na elucidação rápida e eficiente das causas do acidente.

Após o acidente, que foi rapidamente controlado, a empresa adotou todas as medidas emergenciais para minimizar os danos e retomou o atendimento à população em menos de 48 horas após o ocorrido, restabelecendo todos os serviços de atendimento clínico e emergencial.

Na data de hoje, conforme noticiado pela imprensa, foi divulgado laudo técnico do Corpo de Bombeiros indicando como causa do infortúnio um aquecimento do aparelho de ar condicionado instalado no ambiente, “com exclusão de todas as outras hipóteses causadoras do incêndio”.

Após o recebimento oficial do referido laudo a empresa avaliará as providências jurídicas cabíveis em razão do defeito apresentado no aparelho de ar condicionado, ao tempo em que reforçamos nosso compromisso com a qualidade e eficiência dos serviços prestados no atendimento à população sergipana.

Hospital Nestor Piva
Centro Médico do Trabalhador

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

 

 

 

 

 

 



EVENTOS ONLINE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO


Hoje, 29/07, às 17h: lançamento do Projeto Quintajuriscultural do TJSE O Presidente do Poder Judiciário de Sergipe, Desembargador Edson Ulisses de Melo, lançará virtualmente nesta quinta-feira, 29, às 17 horas, no Memorial do Poder Judiciário, o Projeto “Quinta Juriscultural; com transmissão ao vivo pelo canal oficial do YouTube TJSE Eventos. Segundo Edson Ulisses de Melo, o Projeto “Quinta Juriscultural” acontecerá sempre nas últimas quintas-feiras do mês, no Memorial do Poder Judiciário, e visa valorizar e levar ao público todas as expressões artísticas e culturais do Estado de Sergipe, nas suas mais variadas formas, tais como música, artes plásticas, literatura, dança, fotografia, artesanato, folclore e tantas outras.

1ª edição Nesta primeira edição do Projeto “Quinta Juriscultural” será realizada a exposição do artista plástico Adauto Machado, sobre o tema “Fragmentos da Cidade”, que traz obras do artista com o impressionismo das marinhas com o pôr do sol, arquitetura urbana e recortes sociorreligiosos da festa de Bom Jesus dos Navegantes, na chamada Ponte do Imperador, em Aracaju. Além disso, a apresentação do Grupo musical “Brasileiríssimo” e recital poético da obra do poeta Hunald de Alencar, com a interpretação do poeta Ronaldson Sousa. Ainda durante a solenidade será lançado o Portal da Memórial do Judiciário de Sergipe, que está disponibilizado no site do Tribunal de Justiça de Sergipe. Trata-se de uma página específica relacionada à temática da memória judiciária, e é constituído pelos acervos do Arquivo do Judiciário, da Biblioteca e do próprio Memorial. No ambiente virtual do novo Portal, o cidadão terá acesso a várias informações institucionais sobre o Memorial, acervo documental, legislações, exposições, publicações, notícias e links especiais que propiciam um verdadeiro passeio pelos museus sergipanos e nacionais, memoriais e museus de diversos Tribunais de Justiça do Brasil. Além disso, poderá, também, solicitar e registrar o agendamento para visita presencial seja individual ou coletiva. O objetivo é tornar mais acessível e difundir amplamente o patrimônio cultural e promover maior interação da sociedade com a memória e a história do Judiciário sergipano.

PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK



Velhos Aforismos. Por Antônio Samarone, médico sanitarista


http://blogdesamarone.blogspot.com/

“A vida é breve, a arte é longa, a ocasião fugidia, a experiência enganosa e o julgamento difícil,” é um conhecido aforismo de Hipócrates. Aliás, esquecido pelos médicos.

Os aforismos são sentenças que abreviam uma sabedoria, são verdades comprovadas pela vida.

Nesse processo de recuperação da memória, lembrei-me de um aforismo aprendido na infância: “Viver é enterrar os amigos”.

Pegar na alça do caixão e acompanhá-lo até a sepultura, é a prova final e definitiva da amizade. Uma solidariedade sem recompensa.

Esse aforismo é da lavra de Miguel Fagundes, um personagem itabaianense que nunca perdeu um sepultamento. Pegou na alça do caixão de muita gente. A contrapartida foi, ser o seu sepultamento, o maior da história da Villa de Santo Antonio e Almas de Itabaiana.

Deixei de enterrar muitos amigos! Deixei de viver por conta da Pandemia.

Concordo com Machado de Assis: “A morte é séria e não admite ironias.” Mas não estou com ironias. Fiz um levantamento criterioso: numa relação aleatória de 370 pessoas que eu conhecia em Itabaiana, há meio século, 217 já morreram, 73 eu perdi de vista, não sabendo o destino, e somente 80 estão vivas.

Vivas, é o jeito otimista de dizer, pois uma fração já está com o pé na cova.

Uma das queixas da Pandemia foi essa proibição de enterrar os meus mortos. O fim dos velórios. A Pandemia estreitou a condição humana.

Recebemos este pomposo nome de “Ser Humano”, porque enterramos os mortos.

“Inumar” (inhumare) é enterrar e “exumar” (exhumare) é desenterrar. Portanto, distintos mortais, humanos (humare) são aqueles que enterram os seus mortos. O esquecido aforismo de Miguel Fagundes está certo.

Cientificamente somos Homo sapiens. A nomenclatura “Homo” é recente, somente em 1758, Lineu dá vida ao seu Systema Naturae, que até hoje vigora nos estudos biológicos. O “sapiens!” é por conta da nossa pretensão desmedida.

O aforismo de Miguel Fagundes – “Viver é enterrar os amigos”, é mais profundo do que ele pensava.


PELO TWITTER

www.twitter.com/Absalan Curiosidades da Série B: O time que menos venceu se chama Vitória e o time que mais perdeu se chama Confiança.



www.twitter.com/braynerr Por que será que um mundo de gente não se interessou pela segunda dose da vacina?



Siga Blog Cláudio Nunes:     

Instragram

 Facebook

 Twitter




Frase do Dia
“Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa.” Guimarães Rosa.


https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2021-07/cardeal-turkson-fao-sistemas-alimentares.html

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais