Verticalização por um fio

0

A maioria dos deputados e senadores deseja o fim da verticalização. Pressiona o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB), para que coloque em votação a emenda que acaba definitivamente com a obrigatoriedade das coligações partidárias, desde que sejam feitas a nível nacional, em torno de candidaturas presidenciais. Percebe-se, com isso, que a verticalização está por um fio. Surpreendentemente o presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer, é um dos mais apressados, apesar do seu partido trabalhar candidatura própria à sucessão do presidente Lula da Silva. Os pemedebistas não parecem em condições de oferecer nome para disputar o Planalto, sem receio de que haja desobediência de uma ala que dá apóio ao atual governo e ficará com ele na tentativa de reeleição, como é o caso dos senadores José Sarney e Renan Calheiros, que demonstram uma tendência natural em se manter ao lado do presidente Lula.

 

Em Sergipe a questão da verticalização é fundamental para a maioria dos políticos, principalmente de candidatos proporcionais. Para um ou outro político que tentará mandato majoritário é que a queda da verticalização não parece favorável. Um exemplo é o senador José Almeida Lima (PMDB), que está dispondo seu nome como pré-candidato ao governo do estado. Para ele, o fim da obrigatoriedade da coligação, seguindo a orientação de uma disputa presidencial, pode não ser politicamente estratégica. Dentro da legenda no estado há dissidência em relação à candidatura própria à sucessão, como é o caso do grupo liderado pelo deputado federal Jorge Alberto, que tem compromissos com o governador João Alves Filho (PFL), que tenta a reeleição. Também poderia favorecer ao senador, a candidatura a presidente de Antony Garotinho (PMDB). É que ele, como um dos comandantes do PSC, poderia fechar o apoio desse partido a nível nacional, o que fazia um comprometimento em Sergipe.

 

Mas para o PSDB a queda da verticalização não será a salvação do partido, porque se trata de uma legenda forte em Sergipe, mas vai deixa-la à vontade para tomar o melhor rumo, inclusive para fazer o maior número possível de representantes na Assembléia e Câmara Federal, ainda da conquista de uma vaga no Senado ou – quem sabe? – a disputa pelo governo do estado, como pensa o presidente regional do partido, deputado federal Bosco Costa. Lideranças interioranas do PSDB, principalmente os prefeitos, acham que a melhor companhia seria o PFL, apesar da dificuldade de relacionamento existente entre os seus principais membros. A questão é que o eleitorado do governador João Alves Filho é semelhante ao do ex-governador, porque sempre votou em um mesmo agrupamento político. Há uma suspeita de que militantes mais fechados do Partido dos Trabalhadores não votem em Albano Franco, caso ele seja candidato ao Senado Federal. Baseia-se nas declarações de líderes como os deputados Francisco Gualberto e Ana Lúcia, de que não votam no ex-governador. Mesmo assim, a tendência natural da cúpula tucana em Sergipe seria pender para uma vinculação com o bloco de apoio ao prefeito Marcelo Déda, até que alguns membros do partido alertaram para a dificuldade da vontade de segmentos mais à esquerda do PT.

 

Tudo parecia caminhar para esse desfecho, apesar do obstáculo da verticalização. Nos últimos três meses, os diálogos entre pessoas ligadas a João Alves Filho e Albano Franco foram se tornando mais freqüentes, na tentativa de reaproximação entre o PFL e PSDB. Pode-se dizer que o caminho estava aberto, principalmente a partir do ultimo programa dos tucanos na TV, reconhecidamente dócil em relação ao adversário natural. Tanto que criou problemas com alguns tucanos que queriam bicorar pefelistas e foram contidos. Hoje, com a posição da senadora Maria do Carmo Alves (PFL) em disputar a reeleição e criticar o governo anterior, voltou a zero a possibilidade de um entendimento. Agora, com a quase certa queda da verticalização, o PSDB deve retomar seus contatos com o bloco de apoio ao prefeito Marcelo Déda e até integrar a chapa majoritária.

 

A oposição comemora, alguns eleitores de Albano entristecem, alguns aliados com mandatos do ex-governador temem e os prefeitos se assustam. Mesmo assim o PFL que quer o acordo busca alternativas e esse jogo de sedução prossegue até se ter certeza da queda da verticalização. De qualquer forma não há definição, mas certamente a posição do PSDB será importante para oferecer algum rumo ao quadro eleitoral do próximo ano.

 

 

PROMOTORES

O procurador de geral de Justiça, Luiz Valter, disse que todos os meios e recursos serão usados para proteger os promotores Deijaniro Jonas e Rogério Ferreira, que foram ameaçados.

Os dois atuam no caso do assassinato do agiota Motinha…

Luiz Valter diz que recebeu isso como uma ameaça à instituição e ao estado de direito: “isso nós temos que repelir”, disse.

 

RISCO

Luiz Valter admite que os promotores trabalham dentro de uma faixa de risco e devem estar preparados para uma situação dessa gravidade.

A instituição se preocupa e vai proteger os seus membros de qualquer forma, “embora não possa estabelecer código de postura para bandidos”.

 

CORAGEM

Luiz Valter reconhece que os dois promotores são corajosos e devem continuar seus trabalhos, sem intimidação: “não vamos recuar um passo”, disse.

Para proteger o pessoal o Ministério Público vai se valer dos meios de segurança, seja através da Polícia Federal ou da Secretaria de Segurança.

 

ALMEIDA
O senador Almeida Lima (PMDB) atacou o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, diretamente ao dizer que ele não explicou de modo convincente as denúncias de que é alvo.

Também critica o presidente Lula que, “quando apareceu o primeiro bandido no governo” – Waldomiro Diniz – resistiu  a demiti-lo.

ESTRANHO
Almeida Lima também disse ter estranhado o comportamento dos petistas presentes à sessão
da CAE, que criticaram a política econômica do governo como se fossem de oposição.

O senador foi o último a participar das explicações do ministro e anunciou que se retiraria e que ouviria a resposta de Palocci à sua fala pelo rádio.

 

PALOCCI

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, elogiou a disposição do seu colega Ciro Gomes, da Integração Nacional, em executar o projeto de transposição do rio São Francisco.

Agradou aos parlamentares do Nordeste Setentrional, mas desagradou aos senadores dos estados que lutam contra a transposição.

 

CONVERSAS

O pessoal que trabalha para uma aproximação do governador João Alves Filho (PFL) com o ex-governador Albano Franco (PSDB) esmoreceu e suspendeu os contatos.

A posição da senadora Maria do Carmo Alves (PFL) em disputar a reeleição e suas críticas ao PSDB deixam claro que uma composição está ficando cada vez mais difícil.

 

CHAPA

Caso caia a verticalização – ainda há muita possibilidade – a chapa da oposição terá Marcelo Déda para governador, Albano Franco para o Senado e Belivaldo Chaga para vice.

Em termos proporcionais, um chapão para federal pode eleger até quatro candidatos porque terá nomes como Jackson, Heleno, Bosco Costa, Nilson Lima, José Eduardo e Valadares Júnior.

 

ENCONTRO

O PDT fez uma reunião, terça-feira, na casa do ex-vereador Alcivan Menezes, na Atalaia Nova, e consolidou o lançamento de candidato próprio ao governo do estado.

Três membros do partido colocam seus nomes à disposição: Elber Filho, Antônio Samarone e professor Wellington Costa.

 

PROGRAMA

Elber Batalha Filho já está fazendo um programa de governo, para levar à população nos programas de televisão e através de palestras.

Considera que o lançamento do seu nome teve boa receptividade e admite que pode fazer coligação com o PV e com o PPS, caso não caia a coligação.

 

JACKSON

Segundo uma fonte ligada ao PTB, a situação do deputado federal Jackson Barreto pode se complicar, porque o seu partido tende a se coligar inclusive com o PFL.

Caso isso aconteça e a verticalização permaneça, com certeza Jackson não se alia ao PFL em Sergipe, mas não poderá integrar o bloco de apoio a Marcelo Déda.

 

GILTON

O ex-deputado Gilton Garcia confirmou que uma nova comissão provisória para o PTN de Sergipe fora nomeada, tendo à frente Eduardo Barbosa e Hélio Passos.

O presidente nacional do PTN, José de Abreu, fora informado que Gilton havia deixado o partido e ingressado no PSDB, já que sempre fora ligado ao ex-governador Albano Franco.

 

MACONHA

Uma carreta com 4.250 kg de maconha atravessou toda a BR-101 de Sergipe, para ser presa em Porto Real de Colégio (AL), do outro lado da cidade de Propriá.

A droga estava sob uma carga de grãos de milho e foi detida pela Polícia Federal de Alagoas. Vinha de São Miguel do Iguaçu (PR) e tinha como destino Parnamirim (RN).

 

Notas

 

REPRESENTA

A deputada estadual Ana Lúcia (PT) entrou com uma representação no Ministério Público Federal solicitando uma ampla investigação no processo das obras de conclusão da terceira etapa do projeto Jacaré-Curituba, localizado nos municípios de Canindé do São Francisco e Poço Redondo, ainda sem solução.
Ana questiona a demora nas obras de conclusão do projeto que estão paradas desde 2002. Essa paralisação se caracteriza um descumprimento por parte do Estado do termo de compromisso firmado com o Governo Federal.

 

NEPOTISMO

Presidentes de Tribunais de Justiça dos Estados e corregedores gerais, reunidos em São Luís e em Maceió, respectivamente, divulgaram cartas criticando a atuação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que proíbe o nepotismo no Judiciário e dá prazo de 90 dias para que parentes de magistrados sejam exonerados.

Segunda-feira passada foi publicada no Diário da Justiça a resolução do CNJ sobre o assunto. Os documentos dos desembargadores questionam a competência do CNJ para isso. Acham que a competência é do Congresso.

VERTICALIZAÇÃO

Os presidentes do PMDB e do PFL, respectivamente deputado Michel Temer (SP) e senador Jorge Bornhausen (SC), pediram ontem ao presidente Aldo Rebelo (PCdoB) pressa na votação da proposta de emenda à Constituição (PEC 548/02, do Senado) que acaba com a verticalização das coligações partidárias.

“Essa medida é uma necessidade dos partidos, que assim voltarão a ter liberdade de coligação nos estados”, afirmou Bornhausen. Segundo Temer, Aldo se comprometeu em fazer um esforço para votar a PEC ainda neste ano.


É fogo

 

A Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe está em plena campanha em defesa das prerrogativas profissionais dos advogados.

 

O pastor Gerson Villas Boas retorna às disputas políticas. Será candidato a deputado federal pelo Partido Verde.

 

O pastor Virgínio Carvalho Neto, presidente da maior igreja evangélica em Sergipe, será homenageado pelos seus 16 anos nessa missão.

 

Pastor Virgínio é considerado uma peça fundamental nas articulações políticas para as eleições do próximo ano.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) está em Brasília desde ontem. Participa amanhã da posse do amigo Tasso Jereissatti na presidência nacional do partido.

 

O governador João Alves Filho (PFL) deve retornar de sua viagem ao exterior no próximo domingo.

 

O deputado Francisco Gualberto (PT) insiste para que o Conselho Estadual de Transportes reveja o aumento das tarifas de ônibus para o interior.

 

A prefeita de Poço Redondo, Iziane Piodório (PL) está preocupada com o índice de violência em sua cidade, principalmente no povoado Santa Rosa do Ermírio.

 

O deputado federal Ivan Paixão (PPS) está trabalhando para fazer uma composição com partidos de médio porte e disputar a Câmara Federal. Ivan é suplente em exercício.

 

De amanhã até terça-feira, Sergipe estará participando de mais uma Feira Internacional de Turismo, no Parque de Exposição La Rural, na Argentina.

 

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) indicou à categoria que aceite a nova proposta da Petrobrás, de cerca de 10% de aumento salarial.

 

A Caixa Econômica Federal anunciou a reabertura da linha de financiamento habitacional com recursos da poupança, que estava foram de operação há 13 anos.

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários