Veto abala sucessão

0

Veto ao nome de Belivaldo pode mudar quadro eleitoral (foto César de Oliveira).
       Com a proximidade do encerramento de prazo para que os partidos e candidatos definam em que condições enfrentarão o pleito de 2006, é inevitável o surgimento de situações que possam abalar o quadro político sergipano. Somente nos últimos dias algumas decisões adotadas serviram para tirar o sono de políticos experientes.

 

       No PDT a novidade foi à retardada percepção do deputado federal João Fontes de que a sua candidatura à reeleição estava totalmente inviabilizada, quando João, o Fontes começou a fazer o jogo político de João, o Alves, alguns analistas arriscaram uma previsão nebulosa sobre o futuro do ex-representante do Conal. Apenas o próprio não percebeu isso a tempo. Agora envergonhado com a falta de habilidade estratégica para repetir o mandato, ele simplesmente anuncia que é candidato a governador como se esse fosse o seu projeto original.

 

      Já nas hostes do PMDB o golpe mortal veio por conta da decisão em convocar a Convenção Nacional para o dia 29 de junho deixando os diretórios estaduais sem a menor possibilidade para decidir um rumo a seguir. Embora a complexidade do momento envolva todas as siglas partidárias, as duas grandes surpresas da semana ficaram por conta do PSDB e do PT.  O partido tucano porque propagou abundantemente a concessão de um prazo de 24 horas dado ao PT para que decida se quer ou não uma composição de apoio nos termos propostos pelo ex-governador Albano Franco. Enquanto a surpresa por parte do PT foi a de rifar o nome apresentado para vice pelo PSB. Ao adotar tal atitude o PT e o próprio  Deda tentam tratar o senador  Valadares como um principiante da política sergipana e esquecem que o senador tem se notabilizado na vida pública pela sua capacidade de articulação política.

 

    Ontem mesmo ao tomar conhecimento de que o nome de Belivaldo Chagas estava sendo rifado pelo próprio PT tendo como autor intelectual o deputado federal Jackson Barreto, um líder político que encontra-se atualmente sem mandato, revelou para essa coluna que a falta de pressa em definir-se eleitoralmente pode acabar sendo a grande aliada do ex-governador Albano Franco. Percebendo a manipulação do processo eleitoral, o ex-parlamentar garantiu que ainda hoje pretende ir ao encontro do ex-governador para apresentar-lhe uma saída honrosa para o que ele define como sendo uma humilhação eleitoral onde tanto o PT quanto o PFL menosprezam a força política do ex-governador e revelou ainda, que Albano pode mudar o rumo da sucessão estadual e para isso ele vai sugerir uma conversa ampla entre o PSDB, PL, PSB, PSC e PMDB.

 

     Pela composição sugerida o candidato a governador seria o senador Valadares, Albano seria o senador enquanto que ao PL, PSC e PMDB caberia a indicação do vice e dos suplentes havendo o entendimento essa coligação poderia eleger até dois federais e oito estaduais.

 

   Essa chapa pode até não vingar, mas ela deixa clara a percepção de que o quadro eleitoral e Sergipe ainda não está totalmente definido e de que muita coisa ainda pode acontecer. Não esquecendo que se o vice for do PMDB, pode ser Benedito Figueiredo ou até mesmo o  senador Almeida Lima que com certeza faria a campanha esquentar de vez. Bom! Só resta esperar os acontecimentos.

 

 

Coligação I

Numa possível coligação entre PSDB, PL, PSC, PSB e PMDB seriam candidatos a Câmara dos Deputados: Heleno Silva, Jorge Alberto, Bosco Costa, Zezinho Guimarães, Valadares Filho e Eduardo Amorim. Faria tranqüilamente dois federais com a possibilidade de fazer o terceiro na sobra do coeficiente eleitoral.

 

Coligação II

Já para a Assembléia a coligação apresentaria os nomes de  Suzana Azevedo, Angélica Guimarães, César Mandarino, Zeca, Valmir da Madereira, Jorge Araújo, Ulices Andrade, Fabiano Oliveira, José Teles, Mirian Ribeiro, Belivaldo Chagas, Ilzo Silveira, Dra. Edla, Adelson Barreto, Gilmar Carvalho, Carlos Magno além de outros nomes que ainda não definiram se disputarão ou não a eleição no próximo pleito. Por baixo, elegeria oito deputados estaduais.

 

PSDB I

O programa eleitoral gratuito do PSDB de Sergipe veiculado na última segunda-feira deixou a desejar. Metade do tempo foi dado para a Direção Nacional exibir o programa de Alckmin que, desesperado com o baixo índice no Nordeste, só colocou nordestinos para falar. Já o de Albano resolveu usar imagens velhas e música velha.

 

PSDB II

A grande piada do programa do PSDB foi mostrar a praia do litoral de Aracaju dizendo que “aquela mancha amarela que afugentava os turistas não existe mais por conta do saneamento básico realizado”. Deveriam ter avisado ao produtor, que não deve conhecer Aracaju, que a cor da água da praia de Aracaju continua a mesma e não é por conta de esgoto jogado no mar como já foi comprovado por vários técnicos ligados ao meio ambiente.

 

PSDB III

Não passou despercebido também as criticas feitas a João Alves, quando Albano recebeu o governo estadual em 1995. Por duas vezes foi citado. Primeiro afirmando que em 1995 a capacidade de endividamento do Estado era nenhuma e depois que recebeu o Estado com o PIB negativo. No programa foi citado que o Estado gastou R$ 350 milhões na modernização do Hospital Cirurgia. Detalhe: quem menos usa aquela unidade de saúde são as pessoas necessitadas.

 

Privilégio I

E na rua Álvaro Silva, no bairro 13 de Julho, uma calçada é usada diariamente por veículos de uma academia de ginástica e a SMTT fecha os olhos para a irregularidade. A academia, Sport Connection fica na esquina da Beira Mar com a Álvaro Silva e os veículos ficam nas calçadas em frente e ao lado. Os agentes de trânsito, que multam os motoristas irregularmente e sem provas, fecham os olhos para uma infração grave. Quem será que determina esse privilégio?

 

Privilégio II

Outro privilégio que ninguém toma providência. A empresa que administra os parquímetros, a Varca Scatena, reduziu pela metade o número de funcionários. Com isso, eles têm que tomar conta de três quarteirões ou mais. Um absurdo.

 

Calote?

Uma secretaria do Governo do Estado está usando desde janeiro, fotos de um conhecido fotojornalista, inclusive cedendo a jornais, agências de publicidade, revistas nacionais e internacionais em eventos da secretaria e muito mais. Tudo normal, até porque as fotos estão belíssimas. O problema é que até agora ele não recebeu nada por isso e tem feito uma peregrinação diária por esta secretaria na esperança de conseguir receber o que lhe devem. Se o profissional entrar com processo pelo uso da imagem sem autorização vai receber muito mais que o valor devido. Porém, o problema deve ser solucionado. É o que se espera. 

 

Imagem

A exposição “Imagem e Imaginação” fica em cartaz até o dia 5 de junho, na Galeria de Artes Álvaro Santos (GAAS). O público só tem até esta data para escolher qual das 47  obras será incorporada ao acervo. Para votar, é muito fácil. Basta ir à GAAS, no Praça Olímpio Campos, visitar a exposição, conhecer as obras, escolher uma, preencher a cédula, assinar a lista e pronto. A obra escolhida pelo público ganha dois. Os três membros da comissão de curadoria da galeria dão um ponto cada um à obra votada por eles. O resultado deve ser conhecido em uma semana, a partir do dia 5 de junho.

 

“O amor à Verdade supõe a vontade de querer entender sempre o ponto de vista do adversário”. Gandhi.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários