Vitaminas

0

Nem sempre a alimentação satisfaz a demanda de vitaminas. A utilização diária de comprimidos de vitaminas pode ajudar a manter a vitalidade física e mental.As vitaminas somente podem ser adquiridas através da alimentação.

Quem não consegue satisfazer a sua necessidade diária de vitaminas comendo frutas, legumes, verduras, carnes ou peixes, tem que suprir de outro modo essa carência. Os adultos podem tomar um suplemento vitamínico.

As vitaminas foram descobertas somente há cerca de 100 anos. São classificadas em dois grupos de acordo com a sua solubilidade: vitaminas hidrossolúveis e vitaminas lipossolúveis. Ao primeiro grupo pertencem as 8 vitaminas B (B1, B2, B6, B12, niacina, biotina, ácido fólico, e ácido pantotênico) e a vitamina C. Fazem parte do grupo às vitaminas A, E, D, K. Geralmente, uma dieta equilibrada e variada fornece todos os elementos de que o nosso organismo necessita. Às vezes, no entanto, o nosso organismo apresenta uma demanda maior de vitaminas. Por exemplo, em  situações crônicas estressantes. Quando essa demanda maior não é atendida pela alimentação, o organismo apresenta sinais de carência. Sobretudo, as vitaminas hidrossolúveis somente podem ser armazenadas pelo organismo em uma quantidade limitada. Manifestações de carência de vitaminas podem aparecer em mulheres grávidas, esportistas de alta performance, indivíduos estressados, idosos, fumantes e vegetarianos. Porém, na maioria dos casos a carência de vitaminas é provocada por uma alimentação desequilibrada, deficiente e irregular. Especialmente para esses casos é que foram desenvolvidos os suplementos vitamínicos. Em sua grande maioria que contém, além de todas as vitaminas, sais minerais e oligo elementos.

As vitaminas B desempenham um papel importante no metabolismo energético. As células convertem os alimentos ingeridos em energia. Desse processo participam enzimas e vitaminas B. Em muitas situações de esforços físicos ou mentais, o metabolismo energético trabalha a todo vapor, e as vitaminas B são consumida mais rapidamente do que nos períodos de repouso. Em tais situações, a carência de vitaminas B leva ao cansaço, inércia e falta de energia.

Uma vez que as vitaminas não se podem substituir reciprocamente e não se complementam na sua função, é importante assegurar um aporte equilibrado. O modo mais natural de evitar carência vitamínica consiste em uma alimentação saudável. Em todos os outros casos, aconselha-se tomar um preparado vitamínico, para que o corpo e a mente mantenham a sua vitalidade.

Cuidados com os idosos: A relação direta entre eficácia e toxidade dos medicamentos e a interação destes com alimentos e nutrientes relaciona se ao fato de que tanto a comida quanto as drogas atravessam barreiras constituídas por membranas celulares. Nos idosos, a atenção à nutrição é especialmente importante, porque é comum o consumo de três a sete diferentes tipos de medicamentos por dia.

Quando administrada via oral, a substância atravessa primeiramente o epitélio do trato gastrointestinal e, uma vez no sangue, passa por outras membranas até chegar ao seu local de ação ou de utilização.

Apesar das diferenças entre as barreiras, o caminho através delas apresenta características comuns, já que, geralmente, as substancias passam por dentro das células e não entre elas.

Devemos avaliar criteriosamente o paciente geriátrico quanto à prescrição de múltiplas drogas e conhecer bem seus efeitos colaterais e suas interações com outras drogas  e com os nutrientes. principalmente no caso das mais usadas na rotina hospitalar e de ambulatório, como laxativos, diuréticos, suplementos de potássio, ácido acetilsalicílico, hipotensores e anticonvulsivantes.

Infelizmente, a falta de eficácia do medicamento e os efeitos nutricionais indesejáveis poderiam ser previsíveis e evitáveis se houvesse conhecimento do assunto por parte de todos os membros da equipe de saúde.

As interações entre nutrientes e drogas no idoso podem sofrer as seguintes interferências:

– As drogas podem alterar a biodisponibilidade dos nutrientes;

– Os nutrientes podem alterar a biodisponibilidade das drogas;

– O nutriente pode provocar ineficácia da droga e reações adversas;

– O medicamento pode promover deficiências nutricionais;

– As doenças crônicas interferem na utilização das drogas e dos nutrientes;

– A alteração do estado nutricional do paciente interfere na biodisponibilidade das drogas;

– O uso múltiplo de drogas pode levar a várias interações e efeitos colaterais que alteram o estado nutricional;

– O uso de bebidas alcoólicas pode potencializar ou diminuir o efeito da droga;

– Os pacientes que moram sozinhos ou em asilos, sem supervisão, cometem mais erros ao usar drogas e não se alimentam bem;

– Os pacientes idosos e portadores de várias patologias são menos capazes de se recuperar das colateralidades e dos efeitos nocivos sobre o estado nutricional.

A magnitude da interação depende, resumidamente, da natureza física e química do medicamento; da formulação na qual o alimento é administrado; do tipo e volume da refeição; da ordem da ingestão dos alimentos e dos medicamentos; do intervalo de tempo entre a alimentação e a administração do medicamento; da concentração e tempo de uso da droga; da idade e do estado nutricional do paciente.

Muito cuidado com os nossos idosos, lembrem-se porque : eles são o espelho do que seremos no futuro.

Uma Boa Semana com muita Paz e Luz !

 

Comentários