Você sabe como se constrói um cidadão?

0

Do mesmo jeito que se constrói um assassino, um ladrão ou um drogado.
O método é o mesmo, o que muda é apenas a forma e o conteúdo.

QUAL A MELHOR FORMA DE CONSTRUIR UM ASSASSINO?

Tome uma criança, quanto mais jovem melhor. Prepare-a na mentira, tempere com um pouco de desarmonia familiar, (brigas entre pais é um bom condimento). Acrescente uma pitada de maldade, bata nele de vez em quando. Quanto mais você o castigar, mais ele irá se revoltar e quanto mais ele se revoltar mais próximo ficará do ponto certo.

Lembra quando você era pequeno? Como você adorava apanhar, não era mesmo? Pronto…! Aja do mesmo jeito. Aliás, seja mais diligente do que foi o seu pai. Afinal, os tempos são outros e você, embora seja um cara moderno, neste aspecto não aceita mudanças. Foi assim com você e deverá, de igual modo, ser assim também com o seu filho.

Aquelas lições foram tão importantes para o seu desenvolvimento, não é verdade? Apanhou que só couro de bumbo, mas está aí, vivinho da silva: um homem realizado, tranqüilo, cheio de amor próprio, um verdadeiro vencedor, não é outra verdade? Ou não…?

Pois bem, se foi isso que você recebeu, nada mais justo do que repassar o mesmo ao seu filho. Aliás, não existirá outra oportunidade. Aproveita cara, seu pai era um pobre analfabeto, mas você terminou o ginasial. Faça melhor do que ele e construa um monstro maior do que o que você é!

Ao perceber que o seu assassino em formação realmente está no ponto, ensine-o a destruir pequenos animais: formiguinhas, baratinhas, ratinhos, pintinhos… A partir daí, deixe que muito em breve ele estará matando gatinhos, cachorrinhos, e, quando você menos esperar…

A conclusão é simples: ele não respeitará a vida. Ele não imaginará a dor, não saberá que cada animalzinho daqueles é a manifestação Divina. Pensando bem, ele foi ensinado pelo seu melhor mestre a não dá o devido valor à vida.

Um ingrediente que não deve faltar na formação de um aprendiz de assassino é a violência. A violência estimula e dá poder, o faz parecer superior. Você não sabe como fazer isso? É fácil, além de atacá-lo, surrá-lo, ataque também àqueles que cercam você mesmo: o seu cônjuge, os seus outros filhos, a empregada, o porteiro, o rapaz da venda, o cachorro, a vizinha… Ataque-os. Aqueles em quem não for possível bater use a arma que não deixa cicatriz visível ─ use a lingua, a palavra. Elas ferem mais não deixam marca.

E PARA SE CONSTRUIR UM LADRÃO, COMO SE FAZ?

É fácil. Acrescente à receita número um os seguintes ingredientes: maus exemplos, pois uma ação vale por mil palavras. Então, dê a ele maus exemplos. Inicie com pequenas coisas: ajude-o a enganar. Pratique, em sua presença, pequenos furtos. Engane os outros. Traia o seu cônjuge. Minta, é isso mesmo, minta bastante. Engane: compre e não pague, peça e não devolva, prometa e não cumpra, etc. Pronto, você acaba de fornecer material suficiente para construir um ladrão ou corrupto, os quais, na verdade, são a mesma coisa.

Sem se afastar muito dos ingredientes usados nas receitas anteriores e acrescentando outros, você pode construir um drogado: primeiro, trabalhe a sua auto-estima, empurre-a lá para baixo, quanto mais baixa estiver melhor. Quem consome droga adora uma auto-estima bem ao nível do chão. Sim, ele não ama ninguém, nem a si próprio.

Afaste-se dele. Não lhe dê atenção. Deixe que outros tomem conta. Afinal, você é apenas pai e não babá de ninguém. Não o leve à escola. Pra quê? Tem sempre quem o leve e o traga. Faça coisas mais interessantes, por exemplo, ficar bebendo com os amigos no bar, de preferência, por onde ele passe e veja você jogando, bebendo, caído…

Não brinque com ele. Aquelas atividades lúdicas atrapalham muito: contar historinhas ou fábulas, é um péssimo costume. Portanto, nada de brincar de soltar pipa, de carrinho, de castelinho de areia, jogar bola, rolar na grama, descer do morro em cima de uma tábua, tomar banho de rio, andar a cavalo, fazer caminhada nas matas. Tudo isto atrapalha na construção de um drogado. Para ele já existe a televisão e os vídeo games, que lhe servem para preencher todo o tempo.

Trate-o com palavras grosseiras, quanto mais grosseiras melhor. Sabe aqueles comentários depreciativos? Quanto mais depreciativos mais efeitos eles causam. Aquelas colocações bem “delicadas” do tipo: “seu imbecil! Será que você não aprende”? “Tu tá surdo seu m.” ou “Desce já daí seu idiota”, “isso só presta pra dar trabalho, não quer nada na vida, nesta idade e já criando problemas, isso não presta mesmo”…

Por vezes, estas receitas não dão certo. Graças a Deus, mas o comum é que funcione muito bem.

Com o mesmo método usado acima, só que ao contrário, você constrói um cidadão: bons exemplos, harmonia conjugal, respeito à vida, mesmo que seja a de uma formiga…

A auto-estima deve ser elevada ao máximo possível. Os exemplos têm de ser bons, o elogio estimula a fazer melhor e é uma ótima ferramenta para elevar a auto-estima. Comentários construtivos, palavras engrandecedoras, amáveis, sinceras, aquele abraço de boas vindas, um beijo antes de dormir, uma palavra de incentivo: “você vai conseguir”, “não se preocupe você tem talento”…

Em suma, eu estou querendo dizer que só com muito amor construímos, através do EXEMPLO, da ATENÇÃO, do DIÁLOGO e do AMOR. Pense nisso.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais