VÔO TUCANO

0

Mesmo com a reunião de terça-feira, em Brasília, tendo à frente o pré-candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin, além da cúpula do PSDB nacional, senadores Tasso Jereissati e Sérgio Guerra, os tucanos sergipanos continuam voando em circulo, sem uma decisão para pousar. Ontem à tarde, de Brasília, o presidente regional do PSDB, deputado federal Bosco Costa, conversou com o colunista sobre o encontro para definir como ficará na disputa eleitoral de outubro. Segundo Bosco, a Executiva do PSDB aceita qualquer acordo que “a gente feche em Sergipe, mas não quer que faça qualquer tipo de aliança com o Partido dos Trabalhadores”. O deputado reconhece que “fica muito difícil o PSDB nacional aceitar isso”. Lembra que o próprio PT tem uma resolução que proíbe acordos com o PSDB e PFL.

Bosco Costa tem consciência de que uma aliança branca com o Partido dos Trabalhadores só faz sentido porque abre condições do ex-governador Albano Franco disputar a vaga no Senado Federal. Apenas isso. Vê dificuldade para os candidatos proporcionais, que ficam impedidos de coligação com outras legendas, a não ser com partidos da oposição que não tenham candidatos a presidente da República. Seria o caso, por exemplo, do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e do Partido Liberal (PL). Ambos têm candidatos a deputado federal e não pensam em se desligar do bloco que apóia Marcelo Déda a governador, para fazer uma coligação proporcional em todos os níveis com o PSDB. Com essa visível dificuldade, o deputado Bosco Costa procurou outros partidos e conversou com o empresário José Amorim, do PSC, e com o deputado federal João Fontes, do PDT, para fechar uma aliança mais ampla com o PSDB. Até agora não foi possível.

O deputado federal Bosco Costa acha que os tucanos de Sergipe têm que analisar bem a situação em que se encontram. Vê que dificilmente poderá ser tomada uma posição até amanhã, como pensa o secretário geral do PSDB no estado, deputado Ulices Andrade. Primeiro será preciso pensar em um palanque para a campanha e tomar consciência de que há dificuldade para coligações proporcionais. Afinal, o PSDB vai sair com quem, se não aceita o PFL? Mesmo assim há outro obstáculo a vencer: os candidatos a deputado dos partidos que estão com o governador João Alves Filho, também não querem formar um chapão com os tucanos.

Bosco Costa faz uma análise que outros candidatos do PSDB concordam: “todos precisam saber que se sairmos sozinhos inviabilizam-se as eleições dos proporcionais estaduais e federais”. O próprio Bosco com certeza não retornará à Câmara Federal, “e vamos encolher na Assembléia Legislativa”, lembrou o parlamentar. Aliás, foram divulgados dados sobre isso. Além de ficar sem deputado federal, o PSDB fará no máximo dois deputados estaduais. Ulices Andrade retorna e possivelmente o segundo será José Teles de Mendonça ou Fabiano Oliveira. Este último, aliás, já pressentiu isso e tem revelado que não pretende ir “para o suicídio”. Bosco foi claro: “vamos buscar aliança com outros partidos, mas não será o PT. Pode ser até outros da oposição, mas eles não aceitam”.

O ex-governador Albano Franco também está muito preocupado com a situação. Ouve o desejo dos aliados em defender sua candidatura ao Senado Federal, através de uma coligação informal com o PT. Sente, entretanto, que não é justo o sacrifício de candidatos proporcionais em apoiá-lo, com poucas perspectivas de elegerem-se por não poder integrar um chapão. Além disso, Albano vai para uma disputa muito difícil, que poderá ganhar ou perder, como dita a regra do jogo. É possível que considere que ninguém merece isso. Ontem, entretanto, o ex-prefeito Marcelo Déda (PT) admitiu que essa questão dos proporcionais é uma preocupação que precisa ser discutida dentro do bloco oposicionista. Mas deve saber que terá dificuldade em deslocar uma legenda que integra o seu grupo, para coligar-se com o partido forte como o PSDB, que dentro de um bom chapão pode eleger deputados federais e manter ou aumentar o número de deputados estaduais.

 

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PMDB) diz que defende candidatura própria do partido para presidente da República. Seu candidato é Antony Garotinho.

Com relação ao pensamento e projeto de outros filiados do partido em Sergipe, Almeida Lima diz que não tem nada a ver com isso.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, vai votar dia 13, em Brasília, contra candidatura própria para presidente da República.

Benedito acha que para Sergipe não será importante ter candidato a presidente, porque prejudica as coligações proporcionais.

 

OPINIÃO

A opinião é de uma pessoa que conhece bem Albano Franco: “o ex-governador Albano Franco (PSDB) pode até não se coligar com o PFL, mas não será candidato a senador”.

Diz que numa aliança branca o “PSDB pode perder o tempo do majoritário na TV e prejudica os proporcionais”.

 

D. MARIA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) explicou ontem que jamais trocaria de aeronave porque viajaria junto a adversários políticos.

Disse que aconteceu um problema no envio da passagem do Senado para a Gol e, como tinha compromissos em Brasília, comprou uma para viajar na TAM.

 

OBJETIVOS

A senadora não sabe quais os objetivos de tentar criar um fato com uma coisas dessas, porque sempre fez esse mesmo percurso com parlamentares de todos os partidos.

Lembrou que na semana passada viajou de Brasília a Aracaju próxima ao deputado Fabiano Oliveira (PSDB). Outra vez com o deputado Jorge Araújo (PSDB).

 

CONVERSA

Antes de viajar a Brasília, na segunda-feira, o deputado Ulices Andrade (PSDB) teve uma demorada conversa com o ex-prefeito Marcelo Déda (PT).

Ulices avisou que ele e a maioria dos correligionários que viajariam a Brasília na terça-feira, desejavam fazer uma aliança com o PT.

 

DISPOSIÇÃO

O prefeito Marcelo Déda disse que sentiu, na conversa com Ulices, disposição do grupo em resistir até o limite para tomar uma posição diferente de uma composição com o PT.

Déda disse, inclusive, que vai conversar com o presidente Lula sobre a aliança branca com o PSDB. Pretendia fazer isso antes, mas foi impedido com o incidente com a Bolívia.

 

DENUNCIA

O senador Almeida Lima (PMDB) acusou o ex-prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), de gastar dinheiro público em shows realizados para promover sua campanha a governador. Segundo Almeida Lima, foram gastos R$ 1,5 milhão, incluindo pagamento de cachês a cantores. O senador também afirmou que o custo desses espetáculos foi superfaturado.

 

DEFESA

O senador Valadares (PSB), defendeu o ex-prefeito Marcelo Deda, da acusação de desvio de recursos públicos, por ocasião da realização de uma série de shows.

Valadares comentou que o assunto está sendo examinado em uma auditoria do Tribunal de Contas. Manifestou sua certeza na lisura da conduta do ex-prefeito Marcelo Déda.

 

RIACHÃO

Em Riachão dos Dantas um acordo fez com que o ex-prefeito José Lopes e o prefeito Laércio fizessem as pazes. Os dois eram adversários inconciliáveis.

Com o acordo, Lopes pediu a seus vereadores que suspendessem a CPI sobre a falsificação de cheques do BB e Laércio fez com que a Câmara aprovasse as contas do ex-prefeito.

 

COMPROMISSO

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB) já avisou que não tem compromissos com o partido para deputado federal. Vota em Eduardo Amorim (PSC).

Albano Franco só vai contar com Itabaiana se for candidato majoritário independente da aliança que o partido faça.

 

RECONHECE

Um deputado da oposição em Sergipe reconhece que o governador João Alves Filho é um adversário difícil, porque sabe reverter situações.

Admite que se João partir para o interior e trabalhar intensamente junto à população, desce com um grande percentual de votos.

 

SEMENTES

O governador João Alves Filho viaja hoje a Glória, acompanhado do secretário da Agricultura Sérgio Reis, para distribuir sementes a agricultores da região.

Segundo Sérgio Reis, o objetivo do governo é distribuir 1,2 milhão de toneladas de sementes até o final do ano, principalmente feijão e arroz.  

 

 

Notas

 

ELEIÇÕES-1

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) lançou, ontem, a Operação Eleições Limpas, uma campanha voltada à mobilização da sociedade por um processo eleitoral ético, legal e democrático. O movimento tem o objetivo de conclamar juízes e eleitores a fiscalizar com rigor o pleito de 2006.
A terá como principal estratégia a divulgação das regras da campanha eleitoral. A AMB distribuirá cartilhas explicativas ao público adulto e alunos do ensino fundamental, considerados importantes multiplicadores.

ELEIÇÕES-2
Outra frente da campanha é envolver a magistratura no processo eleitoral, estimulando que cada juiz faça de sua vara um pólo de mobilização. A operação terá, também, a participação ativa de todas as associações de magistrados estaduais. As primeiras peças de divulgação foram apresentadas ontem.
Para que a campanha chegue mais diretamente aos eleitores de todo o país, a Operação Eleições Limpas também vai fazer veiculações de chamadas e anúncios em rádio, emissoras de TV e mídia impressa.

NOSTRADAMUS
Está em Nostradamus: “e próximo do terceiro ano do terceiro milênio uma besta barbuda descerá triunfante sobre um condado do hemisfério sul (Brasil) espalhando desgraça e miséria”. (Reformas da Previdência e Tributária).”Será reconhecido por não possuir seus membros superiores totalmente completos. (o dedinho)”.

“Trará com ele uma horda (Palocci, Zé Dirceu e Cia. ltda.) que dominará e exterminará as aves bicudas (Tucanos-PSDB) e implantará a barbárie por muitas datas sobre um povo tolo e leviano (Nós)”. Confira em Visão das Trevas.

 

É fogo

 

A reunião de terça-feira, com membros do PSDB em Sergipe, não decidiu nada, mas deixou setores do partido em dúvida quanto uma coligação em Sergipe.

 

Há muita precaução no fechamento de uma aliança branca, sem que antes seja solucionada a questão das coligações proporcionais.

 

O PSDB, de alguma forma, poderá sair dividido em Sergipe, seja qual for a composição que o partido resolva fazer.

 

Uma das grandes preocupações dos tucanos em Sergipe é com o risco de diminuir a bancada na Assembléia Legislativa e ficar fora da Câmara Federal.

 

O governador João Alves Filho (PFL) tem demonstrado muita disposição para a campanha à reeleição.

 

Muita irresponsabilidade com a divulgação de nomes de deputados que não participavam da máfia das ambulâncias.

 

O deputado federal Heleno Silva (PL), por exemplo, teve o seu nome citado e sequer estava na relação. Isso lhe custou algumas dores de cabeça.

 

Estudantes de jornalismo estiveram na Assembléia Legislativa assistindo à sessão ordinária. Assustaram-se com a desatenção dos parlamentares aos pronunciamentos.

 

A Caravana Descubra Sergipe foi encerrada ontem em Salvador, depois de circular por várias cidades do Nordeste.

 

A Caravana divulga os destinos sergipanos e vende a principal atração do estado: os festejos juninos, dando ênfase à vila do forró.

 

O banco Itaú registrou, no primeiro trimestre do ano, um lucro líquido consolidado de 1,460 bilhão, 28% a mais que no mesmo período de 2005.

 

A Polícia Federal da Bahia (PF) prendeu 10 pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de adulteração de combustível e sonegação de impostos.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais