Orsse fará concerto no Dia Internacional da Mulher

(Foto: Funcap)

Nesta sexta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) realiza a abertura oficial de sua Temporada de Concertos 2024. Em apresentação no Teatro Tobias Barreto, às 20h, o grupo executará obras primas concebidas por grandes compositoras, como a Sinfonia nº1, de Emilie Mayer (1812-1883) e a abertura da ópera ‘The Wreckers’, da inglesa Ethel Smyth (1858-1944). Completam o programa uma abertura, dedicada à MPB, com a participação especial da cantora sergipana Raquel Diniz, e a Suíte ‘Masquerade’, de Aram Khachaturian (1903-1978), com solos da spalla Susan Rabelo. O concerto terá a regência do titular da Orsse, maestro Guilherme Mannis. Os ingressos estão disponíveis nas Bilheterias do Teatro Tobias Barreto, em Aracaju. A Orsse é uma realização do Governo de Sergipe por meio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap).

Compositoras em destaque

De modo especial, o concerto abordará duas grandes criadoras da história da música. A primeira delas, Ethel Smyth, britânica, foi pioneira na composição operística, tendo sua ópera ‘Der Wald’ encenada em 1903 no Metropolitan Opera House, de Nova York; tratou-se da primeira ópera de uma compositora a ser encenada neste espaço. Nesse contexto, a Orsse executará a abertura de sua ópera ‘The Wreckers’, capaz de evidenciar sua invenção melódica, sua habilidade em orquestração e seu apurado senso dramático.

Já a alemã Emilie Mayer pode ser considerada como a única compositora do século XIX que vivia de sua produção. Natural da Pomerânia, radicou-se em Berlim, onde alcançou um reconhecimento modesto – lamentavelmente, sua música logo foi esquecida após seu falecimento. A Orsse interpretará a sua primeira sinfonia, de 1852, composta em uma época em que as sinfonias de Beethoven sacudiam os cânones da composição europeia. Mayer tem um perfil único: atrela-se aos moldes formais e desenvolve as suas inovações com maestria peculiar. A falta de difusão de sua música deveu-se unicamente ao preconceito para com as criadoras; pode-se dizer que sua obra é única, de enorme qualidade.

Sobre o concerto, a spalla da Orsse, Susan Rabelo, acrescenta: “Interpretar a arte feminina e seu potencial complexo, concede-nos o privilégio de compreender que nós mulheres somos capazes de alcançar criatividade, harmonia e condução em todos os aspectos de nossa vida. É um sentimento de que chegamos ao nosso propósito de existência!”. Ao término da apresentação, Susan será solista de um dos movimentos da ‘Suíte Masquerade’, do compositor armênio Aram Khachaturian.

O programa também contará com a participação da cantora aracajuana Raquel Diniz, interpretando duas peças importantes da MPB: Rosa, Pixinguinha, e Beatriz, de Chico Buarque e Edu Lobo, com arranjos de James Bertisch. Raquel é uma das mais importantes cantoras da cena popular do estado, tendo realizado shows completos em homenagem a Rita Lee, Milton Nascimento e Zé Ramalho, trabalhando com expoentes sergipanos. Participou do programa Canta Comigo, da Rede Record, com atuação destacada.

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais