20 anos da Cia de Dança Deborah Colker

0
Espetáculos acontecem nos dias 2, 4, 6 e 7 de julho (Fotos: divulgação)

Completando 20 anos, a Companhia de Dança Deborah Colker traz a Aracaju a turnê especial comemorativa de sua trajetória, com apresentações nos dias 2, 4, 6 e 7 de julho, no Teatro Tobias Barreto. O público sergipano terá a oportunidade de conferir os espetáculos Tatyana, Nó e Velox  – sucessos aclamados nacional e internacionalmente. A companhia tem patrocínio exclusivo da Petrobras e produção local da Quanta Música.

Para a turnê comemorativa, Deborah Colker apostou em escolher três espetáculos que marcaram a história da companhia. Foram selecionadas as apresentações mais expressivas para cada fase de existência do grupo. Velox (1995), do início da companhia, Nó (2005), que marca um novo ciclo e Tatyana (2011), o último criado pelo grupo.

Companhia completa 20 anos

Pela primeira vez, Deborah Colker remonta o espetáculo Velox na íntegra. Concebido em 1995, Velox retrata a segunda criação da companhia e une o nascimento de imagens através de escalada numa parede feita por bailarinos-alpinistas. Cinco temas envolvem o fio condutor da apresentação: mecânica, cotidiano, alpinismo, lutas marciais e esportes. Os assuntos se unem e se transformam em movimento coreografado. São realçados o movimento, a beleza, a alma e a vitalidade do simples movimento.

Nó reflete o desejo como o principal tema trabalhado coreograficamente nesse espetáculo. Em cena, há bailarinos amarrados. São corpos que se aprisionam e se libertam.

O espetáculo montado mais recente por Deborah Colker é Tatyana (2011). Também presente na turnê de 20 anos, a apresentação retrata um grande clássico da literatura universal, “Evguêni Oniéguin” – romance em versos, publicado em 1832 por Aleksandr Púchkin. Dividido em dois atos, Tatyana mostra uma história de encontros, desencontros, paixões e decepções.

Deborah Colker

Deborah Colker

Consagrada no Brasil e no mundo, a companhia de dança Deborah Colker nasceu em 1993, nos salões do clube Casa do Minho (RJ), onde Deborah dava aulas. Em 1994, a Companhia estreou no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em programa duplo com o grupo norte-americano Momix. Em 1995, obteve patrocínio exclusivo da Petrobras, o que possibilitou à Companhia maior consagração no panorama da dança brasileira e mundial.

O grupo já se apresentou em mais de 20 países, entre eles estão a Alemanha, Argentina, França, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Holanda, Inglaterra e Japão. A coreógrafa Deborah Colker recebeu várias premiações nacionais e internacionais, entre elas o Laurence Olivier Awards (Grã-Bretanha) com a coreografia do espetáculo Mix. Colker foi a primeira mulher a dirigir um espetáculo para o Cirque Du Soleil.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Comentários