100 guarda-vidas na Operação Carnaval em SE

0

(Foto: Alan de Carvalho / SSP)
Cerca de 100 homens do Corpo de Bombeiros de Sergipe trabalharão na segurança dos banhistas em praias e rios do Estado durante o carnaval. O objetivo do órgão é reduzir as estatísticas de princípios de afogamento e óbitos registrados no mesmo período do ano passado.

De acordo com o coronel João Anselmo Alcântara de Oliveira, do Comando de Operações, há duas semanas o Corpo de Bombeiros está ajustando os detalhes para os trabalhos durante o feriado de Momo. Aracaju, Barra dos Coqueiros, Neópolis, Estância, Pirambu, Itaporanga e Canindé contarão com reforço de guarda-vidas.

“Essas cidades requisitaram a presença dos bombeiros durante o carnaval, mas isso não quer dizer que aquelas que não entraram em contato conosco ficarão sem guarda-vidas”, explicou o coronel, que ainda classificou como suficiente o número de homens que trabalharão na operação especial, já que duas cidades que foram atendidas em 2009 ficaram de fora do programa neste ano.

Comandante João Anselmo Alcântara de Oliveira 
Mas não é só aos perigos em praias e rios que o Corpo de Bombeiros está atento. Durante a folia as piscinas de hotéis e clubes também costumam ficar lotadas e a presença de um guarda-vidas nestes locais é obrigatória. O coronel diz que há fiscalização freqüentemente, mas realçou que o cidadão pode denunciar os locais onde não existe nenhum destes profissionais através do telefone 193.

Trabalho preventivo

O trabalho preventivo nestes locais de lazer será intenso. Os guarda-vidas ficarão de olho na movimentação na praia, mas também instruirão os banhistas a ficarem longe das áreas classificadas como perigosas, a não entrarem na água após consumir bebida alcoólica e a não perder as crianças de vista.

O coronel João Anselmo aproveitou a oportunidade para divulgar o balanço parcial de ocorrências durante o verão em Sergipe. Até a última segunda-feira, 8, foram registrados 85 princípios de afogamento e dois óbitos no litoral do Estado, um número considerado razoável para a alta estação.

Por Glauco Vinícius

Comentários