50 anos da morte de Getúlio Vargas

0

Foi num dia como esse, há 50 anos, que o presidente da República, Getúlio Vargas, suicidou-se com um tiro no peito. Foi, naturalmente, uma comoção nacional, pois Vargas governou o país por mais de 15 anos – na história brasileiro nenhum homem governou o país por tanto tempo – e era chamado de “o pai dos pobres”, por conta de sua política social.

 

Introdutor da CLT e da Carteira Profissional, Getúlio foi o criador da Petrobras, da Siderúrgica Nacional e, também, de muitas outras empresas que demonstram o seu forte nacionalismo. 50 anos depois ainda se debate o legado de Vargas e só agora se fala em abrandar a CLT e as leis que regem o sindicalismo nacional.

 

Há meio século o povo veio para as ruas demonstrar toda a tristeza pelo gesto radical que tirou Getúlio Vargas do meio do seu povo para eternizá-lo na história. Hoje, porém, a data passa em brancas nuvens. Em Aracaju nenhum partido político lembrou-se de reverenciar a memória do ex-presidente gaúcho, ícone de uma longa página da história nacional.

 

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais