Ação do MP promete fechar pontos ilegais de venda de gás de cozinha

0

Após uma reunião no Ministério Público na manhã de hoje, 18, ficou decidido que será deflagrada, dentro de algumas semanas, uma operação para fechar os pontos clandestinos de venda de GLP (gás de cozinha) e punir seus proprietários.

A ação será organizada pela Delegacia da Defesa do Consumidor, com apoio da Delegacia da Ordem Tributária. Participaram da reunião membros da Associação dos Revendedores de Gás de Cozinha de Sergipe (Argase), do Corpo de Bombeiros e da Delegacia de Defesa do Consumidor. 

Segundo a Argase, somente na Grande Aracaju são mais de mil pontos clandestinos de venda. “Esses pontos são um risco extremo para um consumidor. Primeiro porque não se sabe a procedência do gás, o que leva a uma insegurança. E segundo porque muitos assaltantes se aproveitam desses pontos e se fazem passar por funcionários de empresas de gás para invadir casas”, declarou o presidente da Associação, Hélio Oliveira. 

Ficou determinado que num prazo de três dias o Corpo de Bombeiros deve enviar ao Ministério público e à Delegacia de Defesa do Consumidor o relatório com todos os estabelecimentos que não possuem alvará de funcionamento. A partir daí começa a operação. 

“É um primeiro passo. Mas a intenção é de dar segurança para o consumidor que quer comprar um produto de origem garantida”, falou o vice-presidente da Argase, Jean Alex Ferreira. O próximo passo da Associação é a produção de panfletos informativos, incentivando a denúncia pela população dos pontos clandestinos. 

A promotora responsável pela audiência, Claudia Calmon, reconhece o perigo que esses pontos de venda representam. “É muito perigoso para a população circunvizinha à esses locais”, comentou. A ação deverá ser extendida para pontos de venda que não possuem registro na Agência Nacional de Petróleo (ANP). Denúncias de pontos de vendas ilegais podem ser feitas através do telefone da Argase (0xx79) 3214-9661.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais