Acidente na BR: bi-trem tranportava borra de petróleo

0
Pneus, baterias e GNV podem ter causado as explosões (Foto: arquivo Portal Infonet)

As explosões registradas no acidente de grave proporções, que deixou três vítimas fatais na BR 101, podem ter sido causadas pelos pneus, baterias ou mesmo pelo GNV de um dos carros incendiados. A informação foi passada na tarde desta quarta-feira, 11, durante coletiva de imprensa no Quartel Central do Corpo de Bombeiros. A carreta bi-trem que se deparou com o trânsito parado e arrastou vários veículos estava carregado de borra de petróleo.

“Foi um sinistro de grandes proporções envolvendo múltiplas vítimas, atuamos com equipes do Grupamento Tático Aéreo (GTA), Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). É um cenário de tragédia. Em acidentes desse porte há derrame de combustíveis e centelhas em função da colisão.  Durante todo o incêndio houve pequenas explosões, dos pneus, das baterias”, explica o tenente-coronel Gilvan Paixão Lima acrescentando que os bombeiros só saíram do local por volta das 14h após ter concluído a lavagem de pista evitando outros acidentes.

Tenente-coronel Gilvan Paixão (Fotos: Portal Infonet)

De acordo com a capitã Carla Cristina Andrade da Silva, estiveram envolvidos na tragédia, seis carros de passeio em chamas e uma carreta.

“O trânsito estava totalmente parado e como a carreta era um bi-trem, é muito pesada e estava num declive não conseguiu parar e veio arrastando os carros que estavam à frente. O Siena com cilindro do GNV já passou em chamas, mas a gente não pode constatar que a explosão foi por conta disso porque ter sido dos pneus dos carros que estouram devido às altas temperaturas”, completa.

Vítimas

Ela disse ainda que primeiro foi feita a avaliação da cena e conseguiram debelar o incêndio e observar que haviam vítimas. “De antemão passaram pra gente que seria uma pessoa, mas quando fizemos a extinção do fogo e viramos o carro observamos que tinham duas colunas, sendo que uma era de criança. Após ser feita a perícia pela PRF que liberou o local observamos que tinha um carro bem mais próximo e uma vítima lá carbonizada, quando identificamos o corpo de uma mulher”, esclarece.

Capitã Carla Cristina

As vítimas do Siena, um adulto e uma criança somente deverão ser identificados por meio de exames de DNA.

O motorista da carreta teve ferimentos leves.

Samu

A coordenadora médica do Samu, Maria Roberta Barreto relatou que as equipes colocaram em ação um Plano de Contingência para Acidentes com Múltiplas Vítimas.

“É um plano elaborado previamente e colocado em prática quando necessário. Nesse acidente de Itaporanga nós chegamos antes dos bombeiros porque fomos acionados juntamente com a PRF já que a nossa base fica localizada junto ao posto da Polícia Rodoviária Federal e as primeiras viaturas saíram da base junto com os policiais que foram como batedores abrindo caminho pra gente. Ainda tinham manifestantes na pista e foi bastante conturbada a chegada até o local. Mesmo assim, o tempo resposta hábil foi de menos de 10 minutos”, enfatiza Roberta Barreto.

Maria Roberta, coordenadora médica do Samu

O Corpo de Bombeiros vai fazer um relatório de ocorrências, assim como cada órgão na sua especificidade,  que serão juntados ao parecer da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Técnica.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais