Acuado, homem acusado de matar ex se entrega

0

O acusado está preso no DHPP (Fotos: Portal Infonet)
O assassinato da adolescente Amanda Nunes de Moura, de 16 anos, foi desvendado pela polícia. Com a prisão do principal suspeito, que é ex-companheiro da vítima, o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), Flávio Albuquerque, encerrará o inquérito a respeito do caso.

De acordo com o delegado a prisão de José Deginal da Silva Júnior, de 23 anos, foi registrada na última quarta-feira, 23, após o acusado ter se entregado para a polícia. José Degival estava foragido desde o crime, que ocorreu no dia 3 deste mês, no município de Barra dos Coqueiros. O acusado estava escondido no conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro.

Jovem foi encontrada dentro de casa com travesseiro no rosto (Fotos: Portal Infonet)
Durante depoimento no DHPP, José Deginal negou ter assassinato a ex-companheira e afirmou que se entregou a polícia porque temia pela própria vida, mas a polícia acredita que o acusado se apresentou porque não possuía condições financeiras para continuar escondido.

Deginal está preso por conta de mandado de prisão temporária expedido pela juíza de Direito da Vara Criminal da Comarca da Barra dos Coqueiros.

Acusado se defende  

Durante entrevista ao Portal Infonet na manhã desta quinta-feira, 24, o acusado voltou a negar o crime, mas confirmou que esteve com Amanda no dia do homicídio. Segundo ele, a jovem foi até a sua residência para pegar R$100, que seria utilizado para comprar um remédio abortivo. Deginal explica que quando Amanda chegou a sua residência ele não possuía o dinheiro e, por isso, teria deixado a adolescente esperando enquanto arrumava o dinheiro com o irmão.

 

Deginal nega que tenha cometido o crime(Fotos: Portal Infonet)
Tranquilo, o acusado diz que morou com Amanda durante dois meses e que o relacionamento acabou, por conta da difícil situação financeira do casal. “Nós não brigamos, fizemos um acordo, ela iria para a casa da mãe dela e quando as coisas melhorassem, ela voltaria a morar comigo”, explicou.

Questionado sobre a autoria do homicídio, Deginal diz que o crime pode ter sido cometido por algum amigo, ou conhecido do casal. “Temos muitos amigos que ficaram chateados porque ela me largou, acho que algum deles pode ter ficado com raiva e matado ela”, conta.

Sobre o tempo que ficou foragido, o acusado relata que ficou escondido em um matagal do conjunto Parque dos Faróis e que passou fome. “Minha mãe mora lá, mas não estava na casa dela, ficava no mato escondido e a noite saia para comer alguma coisa na casa de um amigo”, confessa Deginal, que relata que fugiu porque foi avisado por um conhecido que em frente a sua casa tinha um carro da polícia parado.

 

E afirma que algum amigo pode ter sido o autor   (Fotos: Portal Infonet)
Com relação a morte da ex-mulher, o acusado diz que ficou sabendo somente quando ligou para a sua mãe.  

Homicídio

A jovem de 16 anos e, que de acordo com amigas estava no terceiro mês de gestação, morava com a mãe no Parque dos Faróis em Nossa Senhora do Socorro e teria sido atraída pelo companheiro para a Barra dos Coqueiros com a desculpa de que pegaria a quantia de R$ 100.

Por Kátia Susanna

* A matéria foi alterada ás 11h21 para acréscimo de informações

Comentários